Jorge Henrique de Souza

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Jorge Henrique
Jorge Henrique
Jorge Henrique em ação pelo Corinthians em 2010.
Informações pessoais
Nome completo Jorge Henrique de Souza
Data de nasc. 23 de abril de 1982 (35 anos)
Local de nasc. Resende (RJ), Brasil
Nacionalidade brasileiro
Altura 1,69 m
Destro
Informações profissionais
Período em atividade 2003–presente (14 anos)
Clube atual Figueirense
Número 10
Posição Atacante e meia
Clubes de juventude
20012002 Náutico
Clubes profissionais2
Anos Clubes Jogos e gol(o)s
20032004
20052006
2005
2006
2006
20072008
20092013
20132015
20152017
2017
Náutico
Atlético Paranaense
Santo André (emp.)
Ceará (emp.)
Santa Cruz (emp.)
Botafogo
Corinthians
Internacional
Vasco da Gama
Figueirense
0025 0000(9)
0003 0000(6)
0015 0000(8)
0021 0000(1)
0016 000(10)
0116 000(18)
0216 000(30)
0084 0000(7)
0065 0000(4)
0014 0000(1)


2 Partidas e gols totais pelo
clube, atualizados até 17 de setembro de 2017.

Jorge Henrique de Souza, mais conhecido como Jorge Henrique (Resende, 23 de abril de 1982), é um futebolista brasileiro que atua como atacante. Atualmente, joga pelo Figueirense.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Início[editar | editar código-fonte]

Jorge Henrique foi revelado pelo Náutico. Fez uma brilhante Série B pelo clube em 2003. Passou ainda por Atlético-PR, Santo André, Ceará e Santa Cruz.

Teve uma boa passagem pelo Ceará em 2006. Posteriormente foi emprestado para o Santa Cruz, lá, despontou como meia. Chamou a atenção dos dirigentes do Botafogo e, em 2007, assinou contrato por duas temporadas com o clube carioca. A pedido do técnico Cuca, voltou a atuar como atacante.

Jorge Henrique, após ter conseguido seu lugar no clube da Estrela Solitária, tornou-se peça fundamental no esquema tático de Cuca, o popular Carrossel Alvinegro. Escalado como atacante no papel, fazia o papel de ponta e de ala pelo lado esquerdo. Formava o ataque do Botafogo com Dodô, Zé Roberto e Lúcio Flávio. Seus dribles curtos e determinação na marcação impressionaram a torcida. Jorge Henrique foi jogador com o maior número de faltas sofridas no Campeonato Brasileiro de 2007. Na temporada seguinte, atuando ao lado de Wellington Paulista, ficou marcado pela ineficiência nas finalizações.

Corinthians[editar | editar código-fonte]

Assinou contrato com o Corinthians, para a temporada de 2009.[1] Em sua partida de estreia, um amistoso contra o Estudiantes, marcou dois dos cinco gols do time. Surpreendentemente, foi um dos jogadores mais importantes da equipe na temporada ao lado do atacante Dentinho, tendo uma importante contribuição nos títulos que o clube conquistou, por exemplo, marcando os gols que abriram o placar dos dois jogos finais da Copa do Brasil, contra o Internacional. Mesmo no restante da temporada, durante a mediana campanha do Corinthians no Brasileirão 2009, o jogador se destacou e para muitos foi o melhor jogador da equipe na competição, tanto que na eleição de craque da torcida, ficou em quarto lugar, atrás apenas de Petkovic, Conca e Hernanes. Em 2010, seu estilo guerreiro e seus gols decisivos o tornaram um dos principais ídolos da torcida alvi-negra. Uma contusão na reta final do Campeonato Brasileiro foi considerado por boa parte da torcida como um dos principais fatores que levaram a perda do título desse ano pelo Timão. Em 2011, foi coadjuvante da conquista do Campeonato Brasileiro, só foi protagonista na última partida do campeonato, quando protagonizou um chute no vácuo, onde gerou a revolta dos palmeirenses. Em 2012, Jorge Henrique foi peça fundamental na equipe de Tite que conquistou a primeira Libertadores da história do Corinthians, de forma invicta. No fim do mesmo ano, foi titular na final do Mundial de 2012, onde o Timão sagrou-se bicampeão em cima do Chelsea.

Internacional[editar | editar código-fonte]

Em 12 de junho de 2013, Jorge Henrique foi contratado pelo Internacional.

Numa pesquisa realizada pelo site UOL Esporte em 2013, Jorge Henrique foi eleito, pelos próprios colegas de profissão, como o jogador mais irritante.[2]

Permaneceu no clube até 6 de agosto de 2015.[3]

Vasco da Gama[editar | editar código-fonte]

Em 13 agosto de 2015, foi contratado pelo Vasco da Gama até dezembro de 2016.[4] Em 1 de setembro de 2016, prolongou seu contrato até o fim de 2017.[5] No entanto, não foi aproveitado pelo treinador Cristóvão Borges assim como seu sucessor, Milton Mendes e o clube e jogador concordaram na rescisão contratual em 5 de abril de 2017.[6]

Figueirense[editar | editar código-fonte]

Em 18 de abril de 2017, o Figueirense o contratou para a disputa do Campeonato Brasileiro de 2017 - Série B.[7]

Títulos[editar | editar código-fonte]

Náutico
Atlético Paranaense
Ceará
Botafogo
Corinthians
Internacional
Vasco da Gama

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]