Sérgio Soares

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Sérgio Soares
Informações pessoais
Nome completo Sérgio Soares da Silva
Data de nasc. 11 de janeiro de 1967 (50 anos)
Local de nasc. São Paulo (SP), Brasil
Nacionalidade brasileira
Informações profissionais
Equipa atual Sem clube
Posição Treinador (ex-Meia)
Clubes de juventude
1982–1985 Brasil Juventus
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos)
1985–1992
1992–1993
1993
1994–1995
1995
1996
1996
1997
1998
1998
1999
1999
2000
2000
2001
2001–2003
2003
2003
2003–2004
Brasil Juventus
Arábia Saudita Al-Hilal
Brasil Juventus
Arábia Saudita Al-Hilal
Brasil Guarani
Brasil Palmeiras
Japão Kyoto Sanga
Brasil Palmeiras
Brasil Inter de Limeira
Brasil Juventus
Brasil Inter de Limeira
Brasil Etti Jundiaí
Brasil São José-RS
Brasil Gama
Brasil Santo André
Brasil Juventus
Brasil Santo André
Brasil Náutico
Brasil Santo André
Times/Equipas que treinou
2004–2005
2006
2006–2007
2007
2008
2008
2009
2009
2009
2009–2010
2010–2011
2011
2012
2013
2013–2014
2015
2016
2016
2017
2017
Brasil Santo André
Brasil Juventus
Brasil Grêmio Barueri
Brasil Santo André
Brasil Juventus
Brasil Santo André
Brasil Ponte Preta
Brasil São Caetano
Brasil Paraná
Brasil Santo André
Brasil Atlético Paranaense
Brasil Grêmio Barueri
Japão Cerezo Osaka
Brasil Avaí
Brasil Ceará
Brasil Bahia
Brasil São Bernardo
Brasil Ceará
Brasil Santo André
Brasil Goiás
Última atualização: 5 de março de 2017

Sérgio Soares da Silva, mais conhecido apenas como Sérgio Soares (São Paulo, 11 de janeiro de 1967) é um ex-futebolista e atual treinador de futebol brasileiro.

Como jogador[editar | editar código-fonte]

Atuou no final dos anos 1980, no Juventus, depois teve passagens por diversos times.

Em 1996, foi Campeão Paulista atuando pelo fantástico time do Palmeiras com mais de 100 gols no estadual, no qual era reserva de Flávio Conceição.[1]

Como treinador[editar | editar código-fonte]

Depois de pendurar as chuteiras no inicio de 2004, pelo Santo André, seguiu o caminho na comissão técnica do clube, e logo em seus primeiros messes de experiência, conseguiu fazer parte da maior conquista do clube do grande ABC até hoje.[2]

Após isso foi efetivado no comando da equipe, já que o então técnico da equipe na época foi para o maior adversário do Santo André, o São Caetano. Ficou no clube durante um ano e meio, tendo conseguido um 4º Lugar no Campeonato Paulista, uma eliminação na fase de grupos na Copa Libertadores da América, e uma eliminação na segunda fase do Campeonato Brasileiro Série B no ano de 2005.

Em 2006, após breve passagem pelo Juventus, foi contratado pelo crescente Grêmio Barueri onde ficou até o 1º semestre de 2007. Até que no mesmo ano teve a sua segunda passagem pelo Santo André, essa no entanto decepcionante acabando que quase no rebaixamento da equipe para a terceira divisão nacional.[2]

No primeiro semestre de 2008, acertou com o Juventus, entrou no lugar do Marcio Bittencourt que foi para o Noroeste, saindo em Fevereiro, após uma derrota para o Coruripe pela Copa do Brasil. Até que surge outra oportunidade no Santo André, agora em sua terceira passagem no clube foi um dos principais responsáveis pelo acesso da equipe a elite do futebol brasileiro.

No começo de 2009, assinou com a Ponte Preta, clube aonde ficou cerca de 3 meses. Depois foi para o São Caetano mas não se adaptou com o clube, até pelo fato de ter uma história em seu principal rival. Após sua rápida saída do clube do grande ABC, acertou com o Paraná clube onde conseguiu ter um bom aproveitamento. E então no dia 7 de Setembro, tem sua volta ao Santo André confirmada, assim sendo sua quarta passagem. Em 2010, comandou o time vice campeão paulista, mas não conseguiu repetir o mesmo sucesso no Campeonato Brasileiro da Série B e pediu demissão após derrota para a Portuguesa no dia 21 de Setembro, encerrando assim sua quarta passagem pelo Santo André.[2]

Em outubro de 2010, assinou com o Atlético Paranaense.Fazendo um grande trabalho brigando com o Grêmio até a ultima rodada ficando em 5º lugar no Brasileiro. No Paranaense fez 6 jogos e pediu demissão em 3 de Fevereiro de 2011.[3]

No dia 12 de maio de 2011, foi anunciado como novo técnico para levantar o agora Grêmio Barueri, ex-Grêmio Prudente, para recolocar o clube na elite do Brasileiro e do Paulista.[4]

No dia 1 de agosto de 2011, fazendo um trabalho de reestruturação no elenco do Grêmio Barueri, o time teve oscilações dentro da Série B do Brasileiro, desta forma a diretoria não teve a paciência devida e demitiu o treinador que semana atrás havia recebido uma proposta do Goiás, sendo que Sérgio Soares decidiu cumprir seu contrato e continuar no clube. Posteriormente assumiu o comando do Cerezo Osaka, do Japão[5].

Avaí[editar | editar código-fonte]

Após a demissão do então técnico do Avaí Argel Fucks no dia 3 de dezembro de 2012,[6] o clube precisava o quanto antes anunciar o seu novo treinador para a próxima temporada. Foi então que, dias depois mais precisamente no dia 6 de dezembro de 2012, foi anunciado a contratação de Sérgio Soares.[7] Em 10 partidas no comando do Avaí, todas pelo Campeonato Catarinense, Sérgio obteve 3 vitórias, 3 empates e 4 derrotas, sendo a última derrota para o Atlético de Ibirama, que chegou a estar vencendo de 3 x 1 e sofreu a virada por 4 x 3, o que levou posteriormente a um acordo com a diretoria do clube para deixar o comando da equipe.[8]

Ceará[editar | editar código-fonte]

Após a demissão do técnico Sérgio Guedes, Sérgio Soares assumiu o Ceará.[9]

Sérgio assumiu o Ceará na 17ª rodada do Campeonato Brasileiro Série B de 2013. Estreando com vitória de 2 x 0 sobre o Guaratinguetá e terminando o campeonato na 7ª colocação com 59 pontos ganhos, apenas 1 ponto de diferença do 4º colocado Figueirense. O primeiro título de Sérgio com o Ceará foi a Copa dos Campeões Cearenses de 2014, quando venceu o Barbalha por 2 x 0.

Pela Copa do Nordeste de 2014 levou sua equipe até as finais da competição, mas ficou com o vice-campeonato ao perder fora por 2x0 e empatar em casa por 1x1 com o Sport, deixando o título nas mãos da equipe pernambucana.

No Campeonato Cearense, obteve uma bela campanha com 7 vitórias, 6 empates e uma derrota. Consagrando-se campeão cearense ao empatar com o Fortaleza nos jogos finais por dois placares iguais de 0–0. Dando o título de tetra-campeão ao Ceará Sporting Club.

Após derrota para o Icasa pelo Campeonato Brasileiro (Série B), Sérgio Soares pediu demissão do cargo de treinador do Ceará.[10]

Bahia[editar | editar código-fonte]

No dia 22 de dezembro de 2014, Sérgio Soares acertou com o Bahia para a temporada 2015.[11] Conduziu a equipe ao título do Campeonato Baiano de 2015. Permaneceu até 7 de outubro de 2015, quando foi demitido após uma série de cinco partidas sem vitória no Campeonato Brasileiro de 2015 - Série B.[12]

São Bernardo[editar | editar código-fonte]

Em 26 de fevereiro de 2016, Sérgio Soares foi confirmado como novo treinador do São Bernardo, para a continuação da temporada, Sérgio comanda a equipe paulista pela primeira vez.[13]

Retorno ao Ceará[editar | editar código-fonte]

Sérgio Soares acertou o retorno para o Ceará, porém, só assumiu oficialmente no dia 19 de abril de 2016, assim, como prometido, que ele iria treinar o São Bernardo até o jogo diante o Palmeiras, realizado dia 18 de abril, onde o Palmeiras venceu por 2 a 0.

Após novamente não ter conseguido o acesso para a Série A, Sérgio Soares foi comunicado que não teria o contrato renovado.[14]

Retorno ao Santo André[editar | editar código-fonte]

No dia 27 de fevereiro de 2017, Sérgio Soares foi contratado pelo Santo André, para se reabilitar no campeonato Paulista.[15]

Goiás[editar | editar código-fonte]

Acertou com o Goiás para treinar até o final de 2017.[16] Em 27 de maio, acabou sendo demitido após dezenove dias de trabalho e apenas quatro jogos com dois empates e duas derrotas, com um aproveitamento de 16,6%. [17]

Estatísticas como treinador[editar | editar código-fonte]

Equipe Estatísticas
J V E D % Vit
Ponte Preta 13 5 4 4 38.46%
São Caetano 10 2 2 6 20%
Paraná Clube 13 7 2 4 53.85%
Santo André 71 33 17 21 42.25%
Atlético-PR 17 8 3 6 47.06%
Grêmio Barueri 14 5 2 7 35.71%
Cerezo Osaka 31 11 5 15 35.48%
Avaí 10 3 3 4 30%
Ceará 131 62 39 30 52.27%
Bahia 62 29 20 13 46.77%
São Bernardo 15 6 4 5 40%
Goiás 4 0 2 2 16,6%

Referências

  1. «Carreira Profissional» 
  2. a b c «Que Fim Levou Sérgio Soares?». Terceiro Tempo. Consultado em 7 de novembro de 2012 
  3. «Após nova derrota, Sérgio Soares não é mais técnico do Atlético-PR». Globoesporte.com. 3 de fevereiro de 2011. Consultado em 7 de dezembro de 2012 
  4. De volta a velha casa, Grêmio-SP confirma chegada de novo treinador.
  5. Grande Área - Futebol Interior (6 de janeiro de 2012). «Ex-técnico de Santo André e Ponte Preta assume time do Japão». Consultado em 7 de janeiro de 2012 
  6. «Avaí demite técnico Argel Fucks». INfoesporte. 3 de dezembro de 2012. Consultado em 7 de dezembro de 2012 
  7. «Técnico Sérgio Soares acerta com o Avaí e comanda time em 2013». Globoesporte.com. 6 de dezembro de 2012. Consultado em 7 de dezembro de 2012 
  8. Sérgio Soares não é mais técnico do Avaí; reunião sela decisão da saída
  9. «Sérgio Guedes deixa o Ceará e Sérgio Soares é o novo técnico do clube» 
  10. «Após derrota para o Icasa, Sérgio Soares pede demissão e deixa o comando do Ceará». 22 de outubro de 2014 
  11. «Bahia confirma Sérgio Soares como treinador para a próxima temporada». Globo Esporte. 22 de dezembro de 2014 
  12. «Após 5º jogo sem vitória, Sérgio Soares não é mais técnico do Bahia». ESPN. 6 de outubro de 2015 
  13. São Bernardo demite Roberto Fonseca e anuncia Sérgio Soares
  14. Sérgio Soares não ficará no Ceará após disputa da Série B do Brasileiro
  15. Paulistão: Santo André contrata técnico Sérgio Soares para se reabilitar
  16. Goiás anuncia contratação do técnico Sérgio Soares para disputa da Série B
  17. «Durou pouco: Sérgio Soares deixa comando do Goiás após 19 dias e só 4 jogos». Globoesporte 

Títulos[editar | editar código-fonte]

Jogador[editar | editar código-fonte]

Juventus
Al-Hilal
Palmeiras
Santo André

Treinador[editar | editar código-fonte]

Grêmio Barueri
Santo André
Ceará
Bahia

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Paulo César Carpegiani
Treinador do Atlético Paranaense
2010–2011
Sucedido por
Geninho
Precedido por
Levir Culpi
Treinador do Cerezo Osaka
2012
Sucedido por
Levir Culpi
Precedido por
Argel Fucks
Treinador do Avaí
2013
Sucedido por
Ricardinho
Precedido por
Sérgio Guedes
Lisca
Treinador do Ceará
2013–2014
2016
Sucedido por
Paulo César Gusmão
Gilmar Dal Pozzo
Precedido por
Charles Fabian
Treinador do Bahia
2015
Sucedido por
Charles Fabian
Precedido por
Roberto Fonseca
Treinador do São Bernardo
2016
Sucedido por
Sérgio Vieira
Precedido por
Sílvio Criciúma
Treinador do Goiás
2017
Sucedido por
Sílvio Criciúma