Luiz Carlos Bombonato Goulart

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Luizão
Informações pessoais
Nome completo Luiz Carlos Bombonato Goulart
Data de nasc. 14 de novembro de 1975 (46 anos)
Local de nasc. Rubineia, São Paulo, Brasil
Nacionalidade brasileiro
Altura 1,78 m
destro
Apelido Sapo
Informações profissionais
Clube atual aposentado
Posição centroavante
Clubes de juventude
1991–1992 Guarani
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos e gol(o)s
1992–1993
1993
1994–1995
1996–1997
1997–1998
1998
1999–2002
2002
2002–2004
2004
2005
2005
2005
2006
2007–2008
2009
2009
Guarani
Paraná
Guarani
Palmeiras
Deportivo La Coruña
Vasco da Gama
Corinthians
Grêmio
Hertha Berlim
Botafogo
São Paulo
Nagoya Grampus
Santos
Flamengo
São Caetano
Guaratinguetá
Rio Branco-SP
{{{jogos(golos)}}}
Seleção nacional
1996–2002 Brasil {{{partidasselecao}}}
Medalhas
Jogos Olímpicos
Bronze Atlanta 1996 Equipe

Luiz Carlos Bombonato Goulart (Rubineia, 14 de novembro de 1975), mais conhecido como Luizão, é um ex-futebolista brasileiro que atuava como centroavante.

Teve passagens por vários dos maiores clubes do Brasil, como Guarani, Paraná, Palmeiras, Vasco da Gama, Corinthians, Botafogo, São Paulo, Santos, Flamengo e Grêmio. Além disso, é o maior artilheiro brasileiro na Copa Libertadores da América, com 29 gols. Atualmente é o representante do empresário Jorge Mendes no Brasil.[1][2]

Luizão também atuou pela Seleção Brasileira, tendo, inclusive, participado da conquista do pentacampeonato na Copa do Mundo FIFA de 2002.[3]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Início[editar | editar código-fonte]

Luizão surgiu nas categorias de base do Guarani, em 1991. Estreou como profissional, em outubro de 1992, numa partida em que Santos e Guarani empataram por 1 a 1. Logo em seguida, porém, acabou sendo emprestado ao Paraná.

Conquistou o Campeonato Paranaense de 1993, sendo este o primeiro dos muitos títulos que ainda viriam pela frente. Depois disso retornou ao Guarani em 1994, onde permaneceu até o final do ano seguinte.

Palmeiras[editar | editar código-fonte]

Contratado pelo Palmeiras, Luizão sagrou-se campeão paulista em 1996, quando integrou o ataque daquela histórica equipe palmeirense, que em 30 jogos disputados, terminou o campeonato com mais de 100 gols anotados e apenas uma derrota.[4] Ao lado de Djalminha, Rivaldo e Müller, Luizão formou um grande quarteto ofensivo na equipe palmeirense.[5]

Deportivo La Coruña[editar | editar código-fonte]

Em 1997, deixou o Palmeiras e foi jogar no exterior, onde passou a defender o Deportivo La Coruña, da Espanha. Por lá, Luizão conseguiu conquistar somente o título do Troféu Teresa Herrera.

Vasco da Gama[editar | editar código-fonte]

De volta ao Brasil, Luizão vestiu a camisa de outro grande clube brasileiro, o Vasco da Gama. Conquistou o Campeonato Carioca de 1998 e, ainda naquele mesmo ano, conseguiu sua maior vitória até então, quando o Vasco sagrou-se campeão da Taça Libertadores da América.[6]

Corinthians[editar | editar código-fonte]

Transferiu-se para o Corinthians no início de 1999, sendo que, logo de cara, acabou sagrando-se, tanto campeão paulista, como campeão brasileiro. Em seu primeiro jogo pelo time paulista no Campeonato Brasileiro, marcou quatro gols em uma única partida, contra o Gama.[7][8] Em 2000, portanto, um ano mais tarde, conquistou o primeiro Mundial de Clubes da FIFA, realizado no Brasil. Ainda no ano 2000, marcou 15 gols durante a Libertadores da América, tornando-se o artilheiro desta edição.[9]

Antes de deixar o Corinthians, em 2002, Luizão ainda conseguiu vencer mais um Campeonato Paulista, o de 2001. Ainda neste período, o atacante foi convocado para a última partida das eliminatórias da Copa do Mundo FIFA de 2002. Naquele jogo, contra a Venezuela, o Brasil precisava da vitória para se classificar para o Mundial.[10] Não decepcionando a torcida, Luizão marcou os dois primeiros gols da vitória brasileira, por 3 a 0, garantindo o Brasil na Copa do Mundo.[11]

Grêmio[editar | editar código-fonte]

Herói da classificação do Brasil para a Copa do Mundo de 2002, ao marcar dois gols na vitória por 3 a 0 sobre a Venezuela, o centroavante acertou com o Grêmio em março daquele ano, após deixar o Corinthians. O objetivo de Luizão era manter a forma para estar em condições de atuar no Mundial pela Seleção. No entanto, disputou apenas seis partidas pelo Tricolor Gaúcho e anotou um gol.[12]

Após a conquista do penta, o centroavante não se apresentou a um treino no Estádio Olímpico e acabou desligado do clube gaúcho. Ainda declarou que "usou o Grêmio para ir à Copa, mas também destacou que o clube se aproveitou do seu futebol".[13]

Hertha Berlim[editar | editar código-fonte]

Luizão retornou à Europa depois da Copa do Mundo, sendo contratado pelo Hertha Berlim, da Alemanha. No entanto, não firmou-se na equipe e pouco jogou, sendo figura constante do banco de reservas.[14]

Botafogo[editar | editar código-fonte]

Ficou dois anos seguidos na Alemanha, mas não conseguiu nenhum título. Voltou ao Brasil em março de 2004, contratado pelo Botafogo, quando ajudou a equipe a fugir do rebaixamento. Após uma lesão, veio a rescindir, amigavelmente, seu contrato com o clube.

São Paulo, Nagoya Grampus e Santos[editar | editar código-fonte]

No ano seguinte, mudou-se para o São Paulo, onde conquistou, mais uma vez, os títulos do Campeonato Paulista e da Libertadores da América. Em julho de 2005, trocou o São Paulo pelo Nagoya Grampus, do Japão. Contudo, não aguentou ficar muito tempo por lá e, apenas dois meses mais tarde, retornava ao Brasil, para jogar pelo Santos.

Flamengo[editar | editar código-fonte]

No início de 2006, ainda em alta, devido ao bom rendimento no primeiro semestre do ano anterior, quando estava no São Paulo, Luizão acabou sendo contratado pelo Flamengo no dia 31 de janeiro.[15] No entanto, durante os 10 meses em que permaneceu na Gávea, Luizão teve de conviver com sucessivas lesões, que o deixaram de fora de muitos jogos. Mesmo assim, Luizão foi decisivo nas vezes em que entrou em campo com a camisa rubro-negra, tendo participado, inclusive, da vitoriosa campanha do Flamengo, na Copa do Brasil de 2006.

São Caetano[editar | editar código-fonte]

No dia 17 de julho de 2007, assinou com o São Caetano.[16][17][18] Permaneceu até abril do ano seguinte, quando teve seu contrato rescindido com o clube.

Últimos anos[editar | editar código-fonte]

Em 2009, assinou contrato com o Guaratinguetá.[19] Já em 2010, com o Rio Branco.[20][21] Não chegou a jogar nenhuma partida por estas equipe e logo após se aposentou.

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Iniciou a carreira de empresário no ano de 2010, estando diretamente envolvido na negociação do meia Deco com o Fluminense.

Títulos[editar | editar código-fonte]

Paraná
Palmeiras
Vasco da Gama
Corinthians
São Paulo
Flamengo
Seleção Brasileira

Prêmios individuais[editar | editar código-fonte]

Artilharias[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Guilherme Costa (8 de outubro de 2013). «Ex-centroavante Luizão ajuda "maior empresário do mundo" no Brasil». UOL. Consultado em 27 de dezembro de 2021 
  2. Paulo Passos (15 de dezembro de 2010). «Especialista em transferências, Luizão vira braço direito do maior agente de futebol do mundo». iG. Consultado em 27 de dezembro de 2021 
  3. «Pentacampeão Luizão completa 43 anos nesta quarta-feira». Confederação Brasileira de Futebol. 14 de novembro de 2018. Consultado em 27 de dezembro de 2021 
  4. Marina Bufon (2 de junho de 2020). «Ataque imparável: Luizão relembra Paulista de 1996 e aposta em Luxemburgo no Palmeiras». Terra. Consultado em 27 de dezembro de 2021 
  5. «Luizão escolhe quarteto do Palmeiras de 1996 como melhor da carreira». Gazeta Esportiva. 5 de abril de 2020. Consultado em 27 de dezembro de 2021 
  6. «Luizão relembra passagem pelo Vasco: 'Foi fantástico'». Terra. 12 de maio de 2020. Consultado em 27 de dezembro de 2021 
  7. Lúcio Vaz (26 de julho de 1999). «Luizão faz 4 gols, e Corinthians vence». Folha de S.Paulo. Consultado em 27 de dezembro de 2021 
  8. «Há 21 anos, Luizão estreava de forma oficial pelo Corinthians e marcava quatro gols». Site oficial do Corinthians. 25 de julho de 2020. Consultado em 27 de dezembro de 2021 
  9. «Luizão: maior artilheiro brasileiro em uma edição da Libertadores». Site oficial do Corinthians. 17 de dezembro de 2017. Consultado em 27 de dezembro de 2021 
  10. «Luizão vira em 2001 o Romário de 1993». Folha de S.Paulo. 15 de novembro de 2001. Consultado em 27 de dezembro de 2021 
  11. Josias Pereira (12 de abril de 2020). «Críticas, suor e drama: como a seleção brasileira se classificou à Copa de 2002». O TEMPO. Consultado em 27 de dezembro de 2021 
  12. Filipe Duarte (27 de maio de 2020). «Estrelas que não deram certo no Grêmio: Luizão». GZH. Consultado em 27 de dezembro de 2021 
  13. Eduardo Arruda (11 de julho de 2002). «Luizão diz que usou Grêmio para ir à Copa». Folha de S.Paulo. Consultado em 27 de dezembro de 2021 
  14. «Luizão, a esperança, amarga no banco de reservas». DW Brasil. 25 de setembro de 2002. Consultado em 27 de dezembro de 2021 
  15. «Flamengo acerta a contratação de Luizão». UOL. 31 de janeiro de 2006. Consultado em 27 de dezembro de 2021 
  16. «São Caetano acerta contratação de Luizão». Terra. 17 de julho de 2007. Consultado em 23 de dezembro de 2019 
  17. «São Caetano acerta com o experiente atacante Luizão». Jornal de Brasília. 17 de julho de 2007. Consultado em 23 de dezembro de 2019 
  18. «São Caetano fecha contratação do atacante Luizão». Estadão. 17 de julho de 2007. Consultado em 23 de dezembro de 2019 
  19. «Guaratinguetá acerta contratação do atacante Luizão». Portal A TARDE. 6 de fevereiro de 2009. Consultado em 23 de dezembro de 2019 
  20. «Luizão acerta com o Rio Branco para a disputa do Paulistão 2010». GloboEsporte.com. 28 de setembro de 2019. Consultado em 23 de dezembro de 2019 
  21. «Veterano atacante Luizão é apresentado no Rio Branco». Terra. 7 de outubro de 2009. Consultado em 23 de dezembro de 2019 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]