Ronaldo Giovanelli

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Ronaldo Soares Giovanelli)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Ronaldo
Informações pessoais
Nome completo Ronaldo Soares Giovanelli
Data de nasc. 20 de novembro de 1967 (50 anos)
Local de nasc. São Paulo (SP),  Brasil
Altura 1,88 m
Ambidestro
Apelido Goleiro Líbero
Informações profissionais
Clube atual Aposentado
Posição Goleiro
Clubes de juventude
19791987 Brasil Corinthians
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos e gol(o)s
1988-1998
1998
1999
1999
2000-2001
2001
2002
2003
2003
2004
2004-2005
Brasil Corinthians
Brasil Fluminense
Brasil Inter de Limeira
Brasil Cruzeiro
Brasil Portuguesa
Brasil Gama
Brasil Ponte Preta
Brasil Portuguesa Santista
Brasil ABC
Brasil Metropolitano
Brasil Portuguesa Santista
00602 000(0)








00008 000(0)
Seleção nacional
1991-1993 Brasil Brasil 00002 000(0)

Ronaldo Soares Giovanelli (São Paulo, 20 de novembro de 1967) é um ex-futebolista , cantor , compositor e comentarista esportivo brasileiro. Atuou como goleiro em diversos clubes, destacando-se no Sport Club Corinthians Paulista, onde é considerado um dos maiores a terem atuado na posição na história do clube. Atua nos programas Jogo Aberto e Os Donos da Bola, ambos da Rede Bandeirantes e o Baita Amigos do canal Band Sports, e comentarista na Rádio Transamérica 100.1 de SP.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Carreira Futebolística[editar | editar código-fonte]

Corinthians[editar | editar código-fonte]

Ronaldo começou sua caminhada no futebol em 1979, quando passou em uma peneira realizada no Corinthians. Com o treinador Jair Pereira, fez sua estreia como profissional no dia 7 de fevereiro de 1988, num amistoso contra o São José, que terminou empatado com placar mínimo. Era o terceiro goleiro do time, em uma época em que o Corinthians contava com Carlos e Valdir Peres.

Com Valdir Peres dispensado e Carlos ainda se recuperando de uma lesão no tornozelo (e recém chegado da seleção), Ronaldo foi escalado para a estreia do clube do Parque São Jorge no Campeonato Paulista, quando defendeu um penâlti do ídolo são-paulino Dario Pereyra.[1]

Carlos foi vendido para a Turquia, e, aos 20 anos, Ronaldo herdou a camisa 1. Como titular, teve atuações importantes nos dois jogos da final contra o Guarani, quando o Corinthians conquistou seu 20º título paulista. No Brasileiro de 1988, destacou-se como defensor de pênaltis em um campeonato em que não havia empates.[1]

Foi fundamental nos Campeonatos Brasileiros de 1990 (vencido pelo Corinthians), quando era uma das únicas estrelas da equipe ao lado de Neto e Marcelo Djian, e de 1994, quando sucumbiu com o time na final contra o Palmeiras. Em ambas as edições foi Bola de Prata da Revista Placar. Em 1997 foi o único que se salvou no time quase rebaixado no Brasileirão.[1]

Ronaldo é o terceiro jogador com mais partidas pelo Corinthians, 602, perdendo apenas para Wladimir e Luizinho. Na equipe alvinegra conquistou os Campeonatos Paulistas de 1988, 1995 e 1997, o Campeonato Brasileiro de 1990 e a Copa do Brasil de 1995, cuja final é lembrada pelas atuações memoráveis de ambos os goleiros dos times finalistas, Ronaldo e Danrlei do Grêmio. Deixou o clube no início de 1998, não tendo o seu vínculo renovado pela diretoria a pedido do então recém-contratado técnico Vanderlei Luxemburgo.[2]

É considerado, junto com nomes como Rivelino, Sócrates, Wladimir, Neto e Marcelinho Carioca, um dos maiores ídolos da história do Corinthians.[3]

Outros Clubes[editar | editar código-fonte]

Após deixar o Corinthians, Ronaldo foi contratado pelo Fluminense para ajudar o clube na disputa da 2a divisão do Brasileiro daquele ano[4]. Depois disso, ainda teve passagens por Cruzeiro (onde ganhou o seguinte cântico da torcida: “Ô Ronaldo, Ronaldo metaleiro/Vê se fecha o gol pra torcida do Cruzeiro”), Internacional de Limeira, Portuguesa, Ponte Preta, Gama, ABC Futebol Clube, Metropolitano e Portuguesa Santista, onde disputou os Campeonatos Paulistas de 2005 e 2006, e posteriormente encerrou sua carreira.

Seleção Brasileira[editar | editar código-fonte]

Ronaldo chegou a ser convocado várias vezes para a Seleção Brasileira por Paulo Roberto Falcão, que assumira o cargo após a Copa do Mundo de 1990 onde foi o terceiro goleiro da seleção na Copa América de 1991. Falcão fracassou na função e logo foi substituído por Carlos Alberto Parreira, que não simpatizava muito com Ronaldo. Em 1993, diante da impossibilidade de convocar os três goleiros de sua preferência (Taffarel, Zetti e Gilmar) para um amistoso contra a Alemanha, Parreira se viu obrigado a convocar o então corinthiano para a partida. Ronaldo atuou como titular, mas o Brasil perdeu por 2 x 1. Depois dessa ocasião, Ronaldo nunca mais voltou a ser lembrado para a Seleção Brasileira.

Estilo e Características[editar | editar código-fonte]

Ronaldo, desde muito cedo, conquistou a fama de encrenqueiro, o que o impediu de realizar o sonho de disputar uma Copa do Mundo. Prometeu diversas vezes mudar sua conduta, mas não conseguiu.

Carreira na Música[editar | editar código-fonte]

Nos anos 90 iniciou sua carreira na música. Em 1990 no qual, montou a sua banda de rock chamada "Ronaldo e os Impedidos" no qual foi vocalista e líder da banda .

Em 1996, abanda lançou o primeiro CD, intitulado "O Nome Dela" pela gravadora "Castle Brasil". Deste álbum, conseguiram emplacar a música que dá nome ao álbum, e que chegou a figurar no Top 10 da MTV.

Um ano depois, montou outra banda, chamada "Ronnaldo e os Fora da Lei" (com 2 "n") na qual também foi o vocalista e líder. Com essa banda, lançou mais um CD, intitulado "Passaporte Falso", pela gravadora Playarte Music, ainda no ano de 1997.

Depois de um hiato de 19 anos, lançou o segundo disco com a banda "Ronaldo e os Impedidos" - o EP "Onde Está o Rock'n'Roll?".[5]

Discografia[editar | editar código-fonte]

Com a banda "Ronaldo e os Impedidos"
  • 1996 - "O Nome Dela"
  • 2016 - "Onde Está o Rock'n'Roll?" (EP)
Com a banda "Ronnaldo e os Fora da Lei"
  • 1997 - "Passaporte Falso"

Comentarista Esportivos[editar | editar código-fonte]

Após aposentar-se dos gramados, Ronaldo virou comentarista esportivo, trabalhando nos programa Bola na Rede e do Rede TV! Esporte, da RedeTV!, mas foi demitido por usar roupas logotipadas no ar.[6]

Atualmente, Ronaldo é comentarista do programa Jogo Aberto, da Rede Bandeirantes de Televisão,[7] do programa Papo de Craque e apresentador, ao lado de Marco Belo, do programa Esquenta, ambos da Rádio Transamérica de São Paulo (100,1 FM).

Showbol[editar | editar código-fonte]

No Showbol, Ronaldo sagrou-se campeão do Torneio Rio-São Paulo de Showbol 2007 derrotando na final o eterno rival Palmeiras. Na partida, acabou sendo expulso num lance com o palmeirense Jean Carlo, e após a partida envolveu-se em áspera discussão com a esposa do adversário.

Títulos como Jogador[editar | editar código-fonte]

Corinthians
Fluminense
Cruzeiro
Gama
Portuguesa Santista

Referências

Atualmente é comentarista da Band.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Bandeira de BrasilSoccer icon Este artigo sobre um futebolista brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.