André Luiz Moreira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
André Luiz
Informações pessoais
Nome completo André Luiz Moreira
Data de nasc. 14 de novembro de 1974 (43 anos)
Local de nasc. São Paulo, São Paulo,  Brasil
Altura 1,83 m
Informações profissionais
Clube atual San Jose Earthquakes U14 Academy
Posição Técnico das categorias de base
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos e gol(o)s
1993–1996
1997
1997–2002
1999
2000
2001–2002
2002–2003
2003
2004
2004–2006
2006
2007–2009
2009–2011
Brasil São Paulo
Brasil Corinthians
Espanha Tenerife
Brasil Cruzeiro (emp.)
Brasil Corinthians (emp.)
França Marseille (emp.)
França Paris Saint-Germain
Brasil Corinthians (emp.)
Brasil Fluminense
França Ajaccio
Brasil Santos
México Jaguares
Estados Unidos San Jose Earthquakes
0090 0000(9)
0014 0000(3)
0035 0000(2)
0018 0000(1)
0013 0000(1)
0022 0000(2)
0017 0000(1)
0022 0000(0)
0003 0000(0)
0054 0000(6)
0013 0000(0)
0055 0000(5)
0016 0000(0)
Seleção nacional
1995–1997 Brasil Brasil 0012 0000(1)
Medalhas
Jogos Olímpicos
Bronze Atlanta 1996 Equipe

André Luiz Moreira, mais conhecido como André ou André Luiz (São Paulo, 14 de novembro de 1974) é um ex-futebolista brasileiro.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Antes mesmo de fazer vinte anos, já era titular do time do São Paulo que ganhou vários títulos no início dos anos 1990.[1] Seu primeiro jogo foi a vitória por 2 a 0 sobre o Bragantino, em 28 de fevereiro de 1993, pelo Campeonato paulista daquele ano.[2] Começou como lateral-esquerdo, mas, por problemas de marcação, acabou sendo usado na meia esquerda.[1]

Com o São Paulo, foi campeão da Taça Libertadores da América, da Supercopa Libertadores e da Copa Intercontinental de 1993, além de bicampeão da Recopa Sul-Americana em 1993 e 1994 e campeão da Copa Conmebol de 1994. Começou a ser questionado pela torcida depois de falhar na final da Taça Libertadores da América de 1994, contra o Vélez Sársfield.[3] Ainda assim, foi convocado para a Seleção Brasileira que conquistou a medalha de bronze nas Olimpíadas de 1996.

Em 1997 foi contratado pelo Banco Excel, parceiro do Corinthians à época, a quem foi repassado.[4] No Campeonato Paulista, marcou o gol do título, justamente contra o clube que o revelou, mas, por causa de seguidas contusões, entrou em campo em apenas cerca de 40% das partidas do Corinthians durante essa passagem pelo clube.[5]

Foi vendido ao Tenerife, da Espanha, ainda naquele ano. Foi emprestado ao Cruzeiro em janeiro de 1999 e defendeu o clube mineiro ao longo daquele ano. Em meados de 2000, depois de uma passagem pelo espanhol Albacete, foi emprestado ao Corinthians, onde ficou por um ano e ganhou o Campeonato Paulista de 2001. Quando o empréstimo venceu, um representante do grupo de investimentos Hicks, Muse, Tate & Furst (parceiro do Corinthians que detinha os direitos do jogador) foi até a Espanha tentar renová-lo,[6] sem sucesso.[7]

Foi parar na França, onde defendeu o Olympique de Marselha e, na temporada seguinte, o Paris Saint-Germain. Voltou ao Corinthians em 2003, para o campeonato brasileiro, mas não atuou mais que cinco vezes e foi para o Fluminense no começo de 2004. No meio do ano, antes do Campeonato Brasileiro, retornou à França, agora para defender o Ajaccio, onde ficou até meados de 2006, quando foi contratado pelo Santos, como um "reforço não-expressivo".[8] Fez algumas partidas durante o Campeonato Brasileiro de 2006, sem grande destaque, e deixou o clube ao fim de seu contrato, em dezembro.[9] Foi então para o Jaguares de Chiapas, do México, para depois seguir ao futebol norte-americano, atuando no San Jose Earthquakes, onde encerrou sua carreira devido a uma lesão no joelho.

Em 2013 começou sua carreira de treinador, e hoje atua como treinador da equipe de base dos Earthquakes.

Sua carreira na Seleção Brasileira durou vinte jogos, em que marco 2 gols.

Referências

  1. a b Alexandre da Costa, Almanaque do São Paulo Placar, Editora Abril, 2005, pág. 368
  2. Alexandre da Costa, Almanaque do São Paulo Placar, Editora Abril, 2005, pág. 271
  3. Enciclopédia do Futebol Brasileiro Lance!, Areté Editorial, 2001, pág. 27
  4. Celso Dario Unzelte, Almanaque do Corinthians Placar, Editora Abril, 2005, pág. 633
  5. Celso Dario Unzelte, Almanaque do Timão, Editora Abril, 2000, pág. 461
  6. "Mercado da bola", Placar número 1.186, 3/7/2001, Editora Abril, pág. 54
  7. "Mercado da bola", Placar número 1.187, 10/7/2001, Editora Abril, pág. 56
  8. "Luxemburgo às avessas", Placar número 1.297-C, Guia do Campeonato Brasileiro 2006 - 2.º Turno, Editora Abril, agosto de 2006, pág. 82
  9. "O vaivém do mercado", Lance!, 5/12/2006, pág. 20

Ligações externas[editar | editar código-fonte]