Copa dos Campeões Mundiais

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

A Copa dos Campeões Mundiais foi um torneio de futebol,[1] organizado pela emissora de televisão brasileira SBT com os clubes brasileiros campeões da Copa Intercontinental.[2] A competição foi realizada entre 1995 e 1997 no mês de julho, entre o fim dos estaduais e o começo do Campeonato Brasileiro.[3] Segundo o jornal Tribuna de Imprensa, o torneio foi criado e organizado pelo SBT em suas 3 edições (1995-1996-1997), originalmente objetivando a inclusão de clubes não só brasileiros mas também argentinos e paraguaios,[4] tendo já em 1996 passado a constar do calendário oficial da CBF,[5] tendo o SBT tentado contar com um clube europeu na edição de 1997 do torneio.[6]

Algumas fontes tratam a competição como amistosa[7] ou "disputada mais como um amistoso".[8] Segundo o Jornal do Brasil de 1 de julho de 1997, o torneio era reconhecido como oficial pela CBF.[9] A afirmação de que o torneio era reconhecido oficialmente pela CBF foi feita também pelo ex-assessor jurídico da CBD, Valed Perry,[10] à Folha de S.Paulo do dia seguinte.[11] Segundo o jornal O Estado de São Paulo, a competição de 1997 fazia parte do calendário da CBF para aquele ano, que citava outras competições, como as datas do Campeonato Brasileiro, prevendo também a Copa dos Campeões Mundiais e a Copa Centenário de Belo Horizonte, esta um torneio comemorativo do centenário da capital mineira.[12]

A Copa dos Campeões Mundiais de 1995-1997 era um torneio de abrangência nacional (pois incluía todos os clubes do Brasil que tivessem sido campeões da Copa Intercontinental), e é o único caso, de que se tem notícia, de competição de abrangência nacional que tinha como pré-requisito a conquista de um título internacional.

Seguia o modelo de competição disputada com os prévios campeões de uma outra competição, no caso, a Copa Intercontinental. Outras competições deste tipo foram a Supercopa Sul-Americana (disputada entre os prévios campeões da Copa Libertadores) e a Copa dos Campeões da Copa Brasil (disputada entre os prévios campeões do Campeonato Brasileiro). Contudo, há uma diferença: a Supercopa Sul-Americana era oficial pela Conmebol, incluindo todos os prévios campeões da Copa Libertadores, que também é da confederação, e a Copa dos Campeões da Copa Brasil era oficial pela CBD, incluindo todos os prévios campeões do Campeonato Brasileiro, que também era da CBD. Já a Copa dos Campeões Mundiais de 1995-1997 era reconhecida pela CBF e incluía os clubes brasileiros campeões (não todos os clubes campeões, apenas os brasileiros) da Copa Intercontinental, competição internacional de times da UEFA e CONMEBOL, organizada pelas mesmas de 1960 a 1979, e de 1980 a 2004 pela JFA (com supervisão das antigas organizadoras), portanto fora da jurisdição da CBF. A CONMEBOL organizou a Recopa dos Campeões Intercontinentais, disputada em 1968 e 1969, que incluía não apenas clubes brasileiros, mas todos os clubes prévios campeões da Copa Intercontinental que quisessem disputa-la (houve uma desistência europeia na primeira edição - do Real Madrid -- e três na segunda -- do Real Madrid, Milan e Inter de Milão, o que deixou a competição, nesta, sem time do Velho Continente), independente do país de origem.[13] Os dois torneios (o de 1968-1969 e o de 1995-1997) não foram a mesma competição.

Participantes

Participaram na época os 4 clubes brasileiros que já tinham sido campeões da Copa Intercontinental, então chamada no Brasil de Mundial Interclubes:

Regulamento

O regulamento previa que os times se enfrentassem, em turno único, e os dois melhores se enfrentariam novamente, na decisão do torneio.

Campeões

Ano Campeão Vice-campeão
1995 São Paulo (SP) Santos (SP)
1996 São Paulo (SP) Flamengo (RJ)
1997 Flamengo (RJ) São Paulo (SP)

Títulos por equipe

Clube Estado Títulos Vices
São Paulo São Paulo São Paulo 2 (1995 e 1996) 1 (1997)
Flamengo Rio de Janeiro Rio de Janeiro 1 (1997) 1 (1996)
Santos São Paulo São Paulo 0 1 (1995)

Títulos por estado

Estado Títulos Vices
 São Paulo 2 2
 Rio de Janeiro 1 1


Desempenho

Nas três edições o segundo colocado do grupo único, duas vezes o São Paulo e uma o Flamengo, foi o campeão, com o tricolor paulista perdendo apenas a final que disputou após ser líder do quadrangular.

Quadrangular

Pos. Clube Pts J V E D GP GC SG
1 São Paulo São Paulo 18 9 5 3 1 15 7 +8
2 São Paulo Santos 15 9 4 3 2 8 8 0
3 Rio de Janeiro Flamengo 12 9 3 3 3 11 10 +1
4 Rio Grande do Sul Grêmio 4 9 1 1 7 6 15 -9

Final

Pos. Clube Pts J V E D GP GC SG
1 São Paulo São Paulo 4 3 1 1 1 2 2 0
2 Rio de Janeiro Flamengo 3 2 1 0 1 2 2 0
3 São Paulo Santos 1 1 0 1 0 0 0 0

Geral

Pos. Clube Pts J V E D GP GC SG
1 São Paulo São Paulo 22 12 6 4 2 17 9 +8
2 São Paulo Santos 16 10 4 4 2 8 8 0
3 Rio de Janeiro Flamengo 15 11 4 3 4 13 12 +1
4 Rio Grande do Sul Grêmio 4 9 1 1 7 6 15 -9

Ver também

Referências

Ligações externas

Ícone de esboço Este artigo sobre futebol brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.