Joubert Araújo Martins

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Beto
Informações pessoais
Nome completo Joubert Araújo Martins
Data de nasc. 7 de janeiro de 1975 (40 anos)
Local de nasc. Cuiabá (MT),  Brasil
Altura 1,73 m
Apelido Pegador, Beto Cachaça
Informações profissionais
Clube atual Aposentado
Posição Meia
Clubes de juventude
1986 - 1993
1993-1994
Dom Bosco (MT)
Botafogo-RJ
Clubes profissionais1
Anos Clubes Jogos e gol(o)s
1994-1996
1996-1997
1997-1998
1998-2000
2000
2001-2002
2002
2003
2003-2004
2004-2006
2007
2007
2008
2008
2009
2009
Brasil Botafogo
Itália Napoli
Brasil Grêmio
Brasil Flamengo
Brasil São Paulo
Brasil Flamengo
Brasil Fluminense
Japão Consadole Sapporo
Brasil Vasco da Gama
Japão Sanfrecce Hiroshima
Brasil Itumbiara
Brasil Brasiliense
Brasil Vasco da Gama
Brasil Mixto-MT
Brasil Confiança
Brasil CFZ Imbituba
060 00(4)
022 00(4)
014 00(3)
035 00(7)
018 00(3)
033 00(3)
017 00(3)
07 00(1)
020 00(2)
055 00(3)
00 00(0)
07 00(0)
011 00(1)


0? 00(2)
Seleção nacional
1995-1999 Brasil Brasil 020 00(2)


1 Partidas e gols pelo clube profissional
contam apenas partidas das ligas nacionais,
atualizados até 15 de Agosto de 2008.


Joubert Araújo Martins, mais conhecido como Beto (Cuiabá, 7 de Janeiro de 1975), é um ex-futebolista brasileiro que atuava como Meia.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Infância e Primeiros Passos no Futebol[editar | editar código-fonte]

Na infância e na adolescência, Beto foi office-boy, empacotador de supermercado e vendedor ambulante de picolé em Cuiabá.[1]

No futebol, foi revelado nas categorias de base do Dom Bosco, de Cuiabá (MT). Em 1993, o clube participou de um torneio no estado do Rio de Janeiro. Quando Dom Bosco enfrentou o Botafogo-RJ, um olheiro do Botafogo-RJ se interessou por seu futebol. Como o Dom Bosco precisava de jogadores e material, o Botafogo ofereceu um goleiro e 50 pares de chuteiras para contratá-lo[2] . O detalhe é que os 50 pares de chuteira foram pagos em 10 parcelas pelo próprio atleta.[3]

Cquote1.svg "Isso virou uma história que até hoje me perguntam: "Beto, esse lance é verdade?" E o detalhe é que quem pagou (pelas chuteiras) fui eu, não foi nem o Botafogo. Paguei com meus primeiros salários. Parcelei o pagamento em dez vezes e fui pagando com muita felicidade, mas não doei para o clube (Clube Esportivo Dom Bosco, do Mato Grosso), que não me dava um real. Dei para o Jamil, que trabalha lá até hoje, carregando bola, chuteira, ajudando os garotos. É um cara que não teve reconhecimento de quase ninguém. Foi através das chuteiras que vim ao mundo do futebol."[3] Cquote2.svg
Beto, sobre ter sido trocado por 50 pares de chuteiras

Botafogo-RJ[editar | editar código-fonte]

No alvi-negro carioca teve um início de carreira arrasador, sendo foi peça fundamental na conquista do Campeonato Brasileiro de 1995. Com isso, rapidamente chegou à Seleção Brasileira e, jogando como titular, fez parte da conquista do Torneio Pré-Olímpico das Olimpíadas de Atlanta, em 1996 (onde devido a uma contusão não pôde participar da equipe Olímpica), e da Copa América de 1999.

Saída do Botafogo - Itália e Regresso ao Brasil[editar | editar código-fonte]

Esteve no Napoli, da Itália, na temporada 1996/97 e, no retorno ao Brasil, teve uma nada boa passagem pelo Grêmio, antes de ir para o Flamengo.

Flamengo[editar | editar código-fonte]

No rubro-negro carioca, Beto ficou por quatro anos seguidos, interrompidos somente por uma curta estadia de seis meses no São Paulo, em 2000. O jogador fez parte da inesquecível conquista do tri-campeonato carioca do Flamengo sobre o Vasco, entre 1999 e 2001. Em 2000, com o título praticamente assegurado, Beto fez embaixadinhas no gramado, em clara provocação ao rival - na verdade foi uma resposta ao que o meia Pedrinho havia feito na final da Taça Guanabara[4] .

Uma outra partida inesquecível foi o primeiro jogo da final da Copa dos Campeões de 2001, contra o São Paulo, quando Beto marcou um dos gols da vitória por 5 a 3 sobre a equipe paulista - e um de seus 32 marcados pelo Flamengo - em uma jogada em que ele invadiu a área e chutou de primeira.[5]

Cquote1.svg "No Flamengo, eu vivi o auge da minha carreira porque em cinco anos no clube eu conquistei cinco títulos importantes e não perdi nenhuma final que disputei."[2] Cquote2.svg
Beto, sobre seus tempos de Flamengo

Saída do Flamengo - Passagem pelos 4 Grandes do Rio e Futebol Japonês[editar | editar código-fonte]

No meio da temporada de 2002, Beto saiu do Flamengo e foi para o Fluminense, contudo, no início do ano seguinte, o jogador já havia acertado sua transferência para o Japão, quando foi jogar pelo Consadole Sapporo.

Voltou ao Brasil em 2003 para jogar pelo Vasco da Gama, fazendo com que Beto entrasse para a lista de jogadores que já vestiu a camisa dos quatro grandes clubes do Rio de Janeiro.

Em 2004, transferiu-se para o futebol japonês, aonde defendeu o Sanfrecce Hiroshima pelas duas temporadas seguintes. Não renovou contrato com o clube japonês para a temporada 2007.

Acabou regressando ao Brasil, tendo assinado um contrato de seis meses com o Itumbiara, de Goiás. Em agosto, acertou sua ida para o Brasiliense[6] , aonde permaneceu até o fim daquele ano.

No começo de dezembro, o jogador acertou seu regresso ao futebol carioca para 2008, jogando pelo Vasco da Gama.[7] [8] . No início foi escolhido como titular por Romário e Alfredo Sampaio, mas com a chegada de Antônio Lopes o jogador perdeu espaço na equipe. A situação não mudou depois que Lopes deixou o cargo dando lugar a Tita e Beto continuou fora da equipe titular. Em Agosto, após faltar a uma semana de treinos, o jogador teve o seu contrato reiscindido pela nova diretoria do clube.[9]

Saída do Vasco e Fim de Carreira[editar | editar código-fonte]

No final de julho de 2009, Beto é contratado pelo CFZ Imbituba para a disputa do Campeonato Catarinense da Divisão Especial (2ª divisão)[10] . No quadrangular final da competição, Beto deixa o time alegando problemas particulares[11] . Alguns dias após, o técnico do time Joceli dos Santos, afirma que Beto deixou o clube por problemas de indisciplina[12] .

Seleção Brasileira[editar | editar código-fonte]

Após se destacar no Botafogo, em 1995, Beto chegou à Seleção Brasileira e, jogando como titular, fez parte da conquista do Torneio Pré-Olímpico das Olimpíadas de Atlanta, em 1996 (onde devido a uma contusão não pôde participar da equipe Olímpica), e da Copa América de 1999.

Gols[editar | editar código-fonte]

Cquote1.svg "Um gol que marcou bastante a minha carreira foi contra a Argentina, na final do Pré-olímpico. Estávamos perdendo por 2 a 0 e fiz o primeiro gol, de esquerda. O jogo acabou 2 a 2 e fomos campeões lá dentro. Esse gol marcou não só a mim, mas muita gente, que fala comigo: "Aquele gol contra a Argentina, hein? Que chutão!" E eu não chutava a gol (risos). O Zagallo que martelou isso na minha cabeça. Quando o treino acabava, eu tinha a mania de ir logo tomar banho, e o Zagallo falava: "Pode voltar". Ficávamos o Danrlei, que era o goleiro, e eu treinando finalização. Fui pegando e, desses treinamento, comecei a fazer gol de fora da área. Passei a ver que, quando você trabalha um pouco mais, consegue êxito."[3] Cquote2.svg
Beto, sobre seu gol mais expressivo em sua carreira futebolística

Características[editar | editar código-fonte]

Beto não foi nenhum craque genial. Mas sua disposição e sua segurança no meio-de-campo acabaram lhe proporcionando várias convocações para a Seleção Brasileira. Jogador de técnica mediana e muito pulmão, ele costuma se movimentar bem pelo meio de campo. Seu forte sempre foi a marcação pelo lado direito, mas também sabia chegar na frente para chutar. Teve problemas com a fama de boêmio, por isso a alcunha "Beto Cachaça".

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Flamengo[editar | editar código-fonte]

Títulos[editar | editar código-fonte]

Botafogo
Grêmio

Taça Hang Ching China 1998

Flamengo
Fluminense
Vasco
Seleção Brasileira

Referências

  1. folha.uol.com.br/ Ex-coveiro supera jogador trocado por chuteiras
  2. a b esporte.uol.com.br/ Beto revela mágoa com Antônio Lopes e diz que se cuidava nas noitadas
  3. a b c globoesporte.globo.com/ Quarentão, Beto resume a carreira: Fla, Vasco, cachaça e aposentadoria
  4. globoesporte.globo.com/ Renato Silva entra para grupo dos que atuaram pelos quatro grandes
  5. flamengo.com.br/ Batizado com nome rubro-negro, Beto completa 40 anos
  6. Brasiliense contrata o experiente Beto. Visitado em 25 de Dezembro de 2007.
  7. Beto é o camisa 10 na temporada 2008 (10 de Dezembro de 2007). Visitado em 25 de Dezembro de 2007.
  8. Beto vai ficar na Colina (20 de Dezembro de 2007). Visitado em 25 de Dezembro de 2007.
  9. Márcio Iannacca (14 de Agosto de 2008). Vasco rescinde com o meia Beto. Visitado em 15 de Agosto de 2008.
  10. Imbituba contrata meia Beto, ex-Seleção Brasileira. Visitado em 31 de julho de 2009.
  11. Meia Beto, ex-Seleção Brasileira, deixa o time do CFZ Imbituba. Visitado em 28 de outubro de 2009.
  12. Técnico do Imbituba elogia foco da equipe na conquista do acesso. Visitado em 12 de novembro de 2009.
  13. rsssfbrasil.com/

Ligações externas[editar | editar código-fonte]