Emerson Ferreira da Rosa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Emerson
Emerson
Emerson atuando pelo Real Madrid em 2007.
Informações pessoais
Nome completo Emerson Ferreira da Rosa
Data de nasc. 4 de abril de 1976 (44 anos)
Local de nasc. Pelotas (RS), Brasil
Altura 1,82 m
destro
Apelido Puma
Careca
Jagunço
Vigésimo-quarto pentacampeão
Informações profissionais
Equipa atual Aposentado
Posição Volante
Clubes de juventude
1992–1994 Grêmio
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos)
1994–1997
1997–2000
2000–2004
2004–2006
2006–2007
2007–2009
2009
2016
Grêmio
Bayer Leverkusen
Roma
Juventus
Real Madrid
Milan
Santos
Miami Dade
084 000(11)
103 000(15)
143 000(21)
091 0000(6)
034 0000(1)
039 0000(0)
006 0000(0)
010 0000(4)
Seleção nacional
1997–2006 Brasil 073 0000(6)
Times/Equipas que treinou
2012–2013 Grêmio (auxiliar técnico)[1] 000 0000(0)

Emerson Ferreira da Rosa, mais conhecido apenas como Emerson (Pelotas, 4 de abril de 1976), é um ex-futebolista brasileiro que atuava como volante.[2][3]

O capitão original da Seleção Brasileira na Copa do Mundo de 2002, Emerson deslocou seu ombro esquerdo no treinamento antes do primeiro jogo; Ricardinho foi convocado em seu lugar, Cafu o substituiu como capitão e o Brasil seguiu rumo ao título. Participou da Copa do Mundo de 2006, sua última competição com a Seleção Brasileira. Emerson encerrou sua carreira de jogador em 2009.

Durante a Copa do Mundo de 2010, trabalhou como comentarista esportivo na TV Bandeirantes.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Grêmio[editar | editar código-fonte]

Foi contratado pelo Grêmio da equipe amadora de Pelotas, Progresso Futebol Clube. Ainda na juventude teve um histórico de lesões e no início da sua sofreu uma grave lesão. Pelo Campeonato Gaúcho de 1995, no dia 18 de fevereiro, em jogo disputado no Estádio Olímpico, em Porto Alegre, sofreu uma grave lesão no joelho direito, logo aos cinco minutos da partida contra o Brasil de Farroupilha, após uma entrada violenta do volante Pedrinho, que já lhe havia acertado três vezes em menos de cinco minutos.

Bayer Leverkusen[editar | editar código-fonte]

Após uma grande passagem pelo Grêmio, Emerson seguiu para a Alemanha no ano de 1997, para jogar no Bayer Leverkusen. Ficou no clube alemão até o ano de 2000, onde seguiu para a Itália.

Na Copa do Mundo de 1998, após a dispensa de Romário da Seleção Brasileira, Emerson foi convocado para o seu lugar. Assumiu a camisa 11 da Seleção Brasileira daquela Copa, apesar de ser volante e não atacante como Romário.

Roma e Juventus[editar | editar código-fonte]

Em 2000, assinou com a Roma, onde participou da conquista do Scudetto e da Supercopa da Itália em 2001. Após se destacar no clube romano, a Juventus e o Real Madrid se interessaram pelo seu passe. A Roma queria vende-lo para o Real Madrid,[4] mas Emerson preferiu assinar com a Juventus e foi vendido por um valor em torno de 15 milhões de euros. Apesar de não ganhar títulos na Juventus, destacou-se; era um jogador de confiança do técnico Fabio Capello.

Real Madrid[editar | editar código-fonte]

Quando Capello rumou para a Espanha, para comandar o Real Madrid, levou consigo Emerson. No entanto, devido ao declínio da relação entre Emerson e Capello e da má performance do jogador no Real Madrid, em janeiro de 2007 declarou a sua vontade de voltar à Juventus. Porém, até maio, teve seus desempenhos aumentados, junto com a melhoria da equipe da cidade de Madri. No dia 12 de maio, ele declarou sua intenção de permanecer no clube merengue.

Porém, ainda em 2007, em seu programa de rádio "El Larguero", o então presidente do Real Madrid, Ramón Calderón, afirmou que Emerson deixaria o Real durante o verão, juntamente com o italiano Antonio Cassano, por razões técnicas.

Milan[editar | editar código-fonte]

No dia 21 de agosto de 2007, o Milan confirmou oficialmente a transferência do brasileiro.[5] Ele fez sua estreia oficial no dia 31 de agosto, na vitória de 3 a 1 sobre o Sevilla pela Supercopa da UEFA. Após quase dois anos no clube de Milão, rescindiu com o Milan devido a diversas lesões e pelo fato do técnico Carlo Ancelotti não utilizá-lo.[6]

Santos[editar | editar código-fonte]

No dia 26 de julho de 2009, a diretoria do Santos anunciou pelo seu Twitter oficial a contratação do jogador para integrar o elenco do time no Campeonato Brasileiro de 2009, sob comando do recém-contratado técnico Vanderlei Luxemburgo.[7] No dia 16 de outubro, após ter de fazer uma cirurgia e não poder mais jogar pelo clube naquele ano, rescindiu seu contrato.[8][9][10] O volante, que havia disputado apenas seis jogos pelo Peixe, optou por encerrar a carreira.

Miami Dade[editar | editar código-fonte]

No dia 3 de novembro de 2015, seis anos após a aposentadoria, anunciou que assinou com o Miami Dade, dos Estados Unidos Além de jogador, ele foi diretor executivo do clube.[11]

Comentarista esportivo[editar | editar código-fonte]

Durante a Copa do Mundo de 2010, trabalhou como comentarista esportivo na TV Bandeirantes junto aos ex-jogadores Vampeta e Denílson, no programa Band Mania.

Auxiliar técnico[editar | editar código-fonte]

No dia 26 de março de 2012, Emerson foi anunciado como auxiliar técnico pelo Grêmio, a convite do treinador Vanderlei Luxemburgo. Em maio de 2013, após a eliminação na Libertadores e no Gauchão, deixou o Tricolor.

Títulos[editar | editar código-fonte]

Grêmio
Roma
Juventus
Real Madrid
Milan
Seleção Brasileira

Referências

  1. «Grêmio contrata ídolo para ser auxiliar de Luxemburgo». Consultado em 26 de março de 2012 
  2. «Os 40 anos de Émerson, o meia que se tornou um dos mais respeitados volantes da Europa». Trivela. 4 de abril de 2016. Consultado em 9 de fevereiro de 2020 
  3. Marcos Júnior Micheletti. «Emerson, o Puma - Que fim levou?». Terceiro Tempo. Consultado em 9 de fevereiro de 2020 
  4. «Juventus só terá Emerson se fizer oferta igual a do Real Madrid». UOL Notícias. 18 de junho de 2004. Consultado em 9 de fevereiro de 2020 
  5. «Emerson deixa o Real e acerta transferência para o Milan». Estadão. 21 de agosto de 2007. Consultado em 9 de fevereiro de 2020 
  6. «Emerson rescinde contrato com o Milan». iG Esportes. 21 de abril de 2009. Consultado em 9 de fevereiro de 2020 
  7. «Via Twitter, Santos anuncia contratação do volante Emerson». ESPN.com.br. 26 de julho de 2009. Consultado em 9 de fevereiro de 2020 
  8. «Emerson rescinde contrato com Santos por lesão». Estadão. 16 de outubro de 2009. Consultado em 9 de fevereiro de 2020 
  9. Samir Carvalho (16 de outubro de 2009). «Depois de 6 jogos, Emerson rescinde contrato com o Santos». Terra. Consultado em 9 de fevereiro de 2020 
  10. «Emerson rescinde contrato com o Santos». Extra. 16 de outubro de 2009. Consultado em 9 de fevereiro de 2020 
  11. Caco da Motta (3 de novembro de 2015). «O sonho americano de Emerson». Blog do Caco. Consultado em 9 de fevereiro de 2020 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]