Carlo Ancelotti

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Carlo Ancelotti
Carlo Ancelotti
Carlo Ancelotti em 2016
Informações pessoais
Nome completo Carlo Michelangelo Ancelotti
Data de nasc. 10 de junho de 1959 (62 anos)
Local de nasc. Reggiolo, Itália
Nacionalidade italiano
Altura 1,79 m
canhoto
Informações profissionais
Equipa atual Real Madrid
Posição ex-meia
Função treinador
Clubes profissionais
Anos Clubes
1976–1979
1979–1987
1987–1992
Parma
Roma
Milan
Seleção nacional
1981–1991 Itália
Times/Equipas que treinou
1995–1996
1996–1999
1999–2001
2001–2009
2009–2011
2012–2013
2013–2015
2016–2017
2018–2019
2019–2021
2021–
Reggiana
Parma
Juventus
Milan
Chelsea
Paris Saint-Germain
Real Madrid
Bayern de Munique
Napoli
Everton
Real Madrid
Última atualização: 2 de junho de 2021

Carlo Michelangelo Ancelotti (Reggiolo, 10 de junho de 1959) é um treinador e ex-futebolista italiano que atuava como meio-campista. Atualmente comanda o Real Madrid.

Carreira como jogador[editar | editar código-fonte]

Atuou como segundo volante. Iniciou profissionalmente em 1976, no Parma. Em 1979 transferiu-se para a Roma, onde venceu um Campeonato Italiano e quatro Copas da Itália. De 1987 a 1992 ele jogou no Milan, fazendo parte da equipe campeã da Liga dos Campeões de 1988–89 e 1989–90.

Pela Seleção Italiana, Ancelotti disputou vinte e seis partidas e jogou as Copas do Mundo de 1986 e 1990, ficando fora da Copa do Mundo FIFA de 1982 devido a uma lesão.

Carreira como treinador[editar | editar código-fonte]

Início[editar | editar código-fonte]

Iniciou sua carreira de treinador no Reggiana, no ano de 1995.

Parma e Juventus[editar | editar código-fonte]

Na temporada seguinte foi técnico do Parma, e entre 1999 a 2001, treinou a Juventus.

Milan[editar | editar código-fonte]

Comandou o Milan de novembro de 2001, quando sucedeu a Fatih Terim, até o fim da temporada de 2008–09. Suas principais conquistas foram os títulos da Liga dos Campeões de 2002–03 e 2006–07 e o Mundial de Clubes da FIFA de 2007.

Chelsea[editar | editar código-fonte]

Foi para o Chelsea em 2009. Logo em sua primeira temporada, conquistou a Premier League e a Copa da Inglaterra. Ali permaneceu até ser demitido no encerramento da Premier League de 2010–11, onde a equipe foi vice-campeã.[1][2]

Paris Saint-Germain[editar | editar código-fonte]

No dia 30 de dezembro de 2011 substituiu Antoine Kombouaré como novo treinador do Paris Saint-Germain.[3] Conquistou a Ligue 1 de 2012–13, mas ao final da temporada manifestou o interesse em deixar o clube para aceitar o convite do Real Madrid.

Real Madrid[editar | editar código-fonte]

Transferiu-se ao clube espanhol por um vínculo de três anos.[4] Pelo novo clube conquistou a Copa do Rei de 2013–14, além da Liga dos Campeões da UEFA de 2013–14, conquistando seu quinto título. Ao final do Campeonato Espanhol de 2014–15, em que ficou com o vice-campeonato, teve sua demissão confirmada pelo presidente Florentino Pérez.[5][6]

Bayern de Munique[editar | editar código-fonte]

No dia 20 de dezembro de 2015, foi anunciado no Bayern de Munique como substituto de Pep Guardiola. Assumiu no dia 1 de julho de 2016, e em duas temporadas, faturou uma Bundesliga e duas Supercopas da Alemanha.[7] No dia 28 de setembro de 2017, foi demitido após derrota por 3 a 0 para o PSG, pela Liga dos Campeões.[8]

Napoli[editar | editar código-fonte]

No dia 23 de maio de 2018, retornou ao futebol italiano para comandar o Napoli, onde assinou contrato por três temporadas.[9] Foi demitido do clube napolitano no dia 10 de dezembro de 2019.[10]

Everton[editar | editar código-fonte]

Pouco após a demissão do Napoli, foi anunciado como novo técnico do Everton no dia 21 de dezembro.[11][12]

Retorno ao Real Madrid[editar | editar código-fonte]

Após a saída de Zinédine Zidane, no dia 1 de junho de 2021 Ancelotti foi anunciado como novo treinador do Real Madrid.[13] O técnico italiano retornou ao clube espanhol após oito anos.[14]

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Em 2009 lançou o livro autobiográfico Preferisco la coppa. Vita, partite e miracoli di un normale fuoriclasse, escrito junto com Alessandro Alciato.[15] Carlo tem dois filhos de seu primeiro matrimônio, Kátia e Davide.[16] Este último integrou sua comissão técnica como preparador físico assistente no Real Madrid.[17]

Títulos[editar | editar código-fonte]

Como jogador[editar | editar código-fonte]

Roma
Milan

Como treinador[editar | editar código-fonte]

Juventus
Milan
Chelsea
Paris Saint-Germain
Real Madrid
Bayern de Munique

Prêmios individuais[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Após derrota, Chelsea anuncia demissão de Ancelotti». Estadão. 22 de maio de 2011. Consultado em 29 de abril de 2020 
  2. «Chelsea anuncia demissão de Ancelotti». Trivela. 22 de maio de 2011. Consultado em 29 de abril de 2020 
  3. «PSG confirma contratação do técnico Carlo Ancelotti». Estadão. 30 de dezembro de 2011. Consultado em 29 de abril de 2020 
  4. «Ancelotti deixa PSG para treinar Real Madrid». UEFA.com. 25 de junho de 2013 
  5. «Florentino Pérez compareceu perante os meios de comunicação». Site oficial do Real Madrid. 25 de maio de 2015. Consultado em 29 de abril de 2020 
  6. «Presidente do Real Madrid confirma demissão de Carlo Ancelotti». GloboEsporte.com. 25 de maio de 2015. Consultado em 29 de abril de 2020 
  7. «Guardiola verlängert nicht - Ancelotti wird neuer FCB-Trainer» (em alemão). Sítio oficial Bayern de Munique. 20 de dezembro de 2015 
  8. «FC Bayern trennt sich von Carlo Ancelotti» (em alemão). Sítio oficial Bayern de Munique. 28 de setembro de 2017 
  9. «Presidente do Napoli anuncia saída de Sarri e fecha com Ancelotti». GloboEsporte.com. 23 de maio de 2018. Consultado em 30 de janeiro de 2020 
  10. «Carlo Ancelotti sacked by Napoli» (em inglês). onefootball.com. 10 de dezembro de 2019 
  11. «Everton anuncia Ancelotti como novo treinador». ESPN.com.br. 21 de dezembro de 2019. Consultado em 30 de janeiro de 2020 
  12. «Carlo Ancelotti é anunciado como novo técnico do Everton». Folha de Pernambuco. 21 de dezembro de 2019. Consultado em 30 de janeiro de 2020 
  13. «Comunicado Oficial: Ancelotti» (em espanhol). Real Madrid CF. 1 de junho de 2021. Consultado em 1 de junho de 2021 
  14. «O Real Madrid recorre ao passado e contrata Ancelotti, mas as condições serão bem diferentes de oito anos atrás». Trivela. 1 de junho de 2021 
  15. «Preferisco la coppa. Vita, partite e miracoli di un normale fuoriclasse». Libreriarizzoli 
  16. «Mariann Barrena, la 'jefa' de Carlo Ancelotti» (em espanhol). Mundo Deportivo. 15 de julho de 2013 
  17. «Carlo Ancelotti 'enchufa' a su hijo Davide» (em espanhol). Sport.es. 16 de julho de 2013 
  18. «Albo "Panchina d'Oro"» (em Italian). 1 de fevereiro de 2010. Consultado em 21 de dezembro de 2015. Cópia arquivada em 7 de julho de 2011 
  19. «Top 50 des coaches de l'histoire». France Football. 19 de março de 2019 
  20. «Los 50 mejores entrenadores de la historia». FOX Sports. 19 de março de 2019 
  21. «Los 50 mejores entrenadores de la historia del fútbol». ABC. 19 de março de 2019 
  22. «Guardiola supera a Klopp, Simeone y Mourinho en la lista de los 100 mejores técnicos» (em espanhol). Goal.com. 30 de abril de 2020. Consultado em 2 de junho de 2021 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Carlo Ancelotti

Precedido por
Fatih Terim
Treinador do Milan
2001–2009
Sucedido por
Leonardo
Precedido por
Guus Hiddink
Treinador do Chelsea
2009–2011
Sucedido por
André Villas-Boas
Precedido por
Antoine Kombouaré
Treinador do Paris Saint-Germain
2011–2013
Sucedido por
Laurent Blanc
Precedido por
José Mourinho
Zinédine Zidane
Treinador do Real Madrid
2013–2015
2021–
Sucedido por
Rafael Benítez
Precedido por
Josep Guardiola
Treinador do Bayern de Munique
2016–2017
Sucedido por
Jupp Heynckes
Precedido por
Maurizio Sarri
Treinador do Napoli
2018–2019
Sucedido por
Gennaro Gattuso
Precedido por
Duncan Ferguson
Treinador do Everton
2019–2021
Sucedido por