Franck Ribéry

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Franck Ribéry
Franck Ribéry
Ribéry em 2019
Informações pessoais
Nome completo Franck Ribéry Henry Pierre
Data de nasc. 7 de abril de 1983 (38 anos)
Local de nasc. Bolonha do Mar, França
Nacionalidade francês
Altura 1,70 m
ambidestro
Apelido Scarface, Plaisantin, Freddy,
Frankenstein, Kaiser Franck[1]
Informações profissionais
Clube atual Salernitana
Número 7
Posição ponta-esquerda ou meia
Clubes de juventude
1989–1996
1996–1999
1999-2000
Conti Boulogne
Lille
Boulogne
Clubes profissionais
Anos Clubes
2001–2002
2002–2003
2003–2004
2004–2005
2005
2005–2007
2007–2019
2019–2021
2021–
Boulogne
Olympique Alès
Brest
Metz
Galatasaray
Olympique de Marseille
Bayern de Munique
Fiorentina
Salernitana
Seleção nacional
2004–2006
2006–2014
França Sub-21
França
Ribéry atuando pelo Bayern de Munique

Franck Henry Pierre Ribéry (Bolonha do Mar, 7 de abril de 1983) é um futebolista francês que atua como ponta-esquerda ou meio-campista. Atualmente joga pelo Salernitana.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Começou a jogar futebol aos seis anos de idade, no modesto Conti Boulogne. Aos doze ingressou no Lille, porém retornou quatro anos depois por causa de seu mau desempenho acadêmico. Em 2001, foi para o Boulogne. Depois seguiu para o Olympique Alès.

Brest[editar | editar código-fonte]

Foi contratado pelo Brest para temporada 2003–04, estreando durante uma partida contra o Nantes. Ribéry brilhou durante a temporada na decisão da Ligue 2 e foi ovacionado pela torcida presente no estádio.

Metz[editar | editar código-fonte]

Ribéry estreou na Ligue 1 no ano de 2004, atuando pelo Metz. O meia foi considerado uma das grandes revelações da competição e eleito "Jogador do Mês" em agosto.

Galatasaray[editar | editar código-fonte]

Após apenas seis meses no Metz, em 2005 surpreendentemente transferiu-se para o Galatasaray, da Turquia. Rapidamente tornou-se um dos ídolos dos torcedores turcos, ganhando o apelido de "Ferraribéry". Marcou um dos gols do Galatasaray na goleada por 5 a 1 na final da Copa da Turquia, garantindo a vitória contra o grande rival Fenerbahçe.

Olympique de Marseille[editar | editar código-fonte]

Retornou ao seu país natal em junho de 2005, sendo contratado pelo Olympique de Marseille. Apesar de um processo iniciado pelo clube turco por "quebra de contrato", Ribéry recebeu da FIFA a permissão para jogar. O meia teve um desempenho excepcional pelo clube de Marselha: além de ter sido três vezes eleito o "Jogador do Mês", foi autor do "gol do ano", num jogo contra o Nantes. Marcou também um dos gols mais rápidos da temporada 2006–07, depois de apenas treze segundos do início da partida. Com grandes atuações, em maio foi convocado por Raymond Domenech para disputar a Copa do Mundo FIFA de 2006, realizada na Alemanha.[2]

Bayern de Munique[editar | editar código-fonte]

Ao final da temporada 2006–07, Frank Ribéry foi sondado pelo Lyon, mas Pape Diouf se recusou a vendê-lo para a concorrência. O presidente do Marseille exigiu vinte e cinco milhões de euros para liberá-lo. O Real Madrid, que também havia sondado o jogador, não manifestou desejo de colocar uma grande quantia. Quem decidiu finalmente comprá-lo foi o Bayern de Munique, que ofereceu trinta milhões de euros (quinze milhões imediato, dez milhões em 2008 e cinco milhões se o Bayern se classificasse para Liga dos Campeões da UEFA). Esse valor foi um recorde na Alemanha. O Bayern terminou em quarto na Bundesliga e não se classificou para Liga dos Campeões, apenas para a Copa da UEFA, e a quantia total paga foi de 25 milhões de euros.

Sua estreia no Bayern de Munique foi excepcional para atrair o público e imprensa alemã. Franz Beckenbauer, lenda do futebol alemão e presidente do Bayern, disse: "É como se tivéssemos ganho na loteria." As boas apresentações juntamente com os outros jogadores do Bayern, como Luca Toni, Miroslav Klose, Bastian Schweinsteiger, entre outros, permitiu que a sua equipe vencesse a Copa da Liga Alemã em 2007 e Ribéry fosse o artilheiro.[3] Em seguida ganharam a Bundesliga.

Em maio de 2008 foi eleito o melhor jogador do Campeonato Alemão, além de ser eleito pela segunda vez como jogador francês do ano.

Com o passar dos anos passou a atuar mais avançado, como ponta-esquerda, e tornou-se o principal jogador do time ao lado do neerlandês Arjen Robben. Juntos tiveram grande atuação na temporada 2012–13, onde conquistaram a tríplice coroa (Bundesliga, Copa da Alemanha e Liga dos Campeões da UEFA) com o Bayern e Ribéry acabou sendo eleito o Melhor Jogador da UEFA na Europa.[4]

Contra a Roma, pelo returno da Liga dos Campeões da UEFA de 2014–15, Ribéry marcou seu centésimo gol com a camisa dos bávaros.[5] Por nove meses, entre março e 5 de dezembro de 2015, ficou afastado dos gramados por lesão no tornozelo. Retornou em partida contra o Borussia Mönchengladbach, pela Bundesliga, onde marcou um gol e o Bayern saiu derrotado por 3 a 1.[6]

No dia 5 de maio de 2019, anunciou que deixaria o clube após o fim da temporada.[7]

Fiorentina[editar | editar código-fonte]

Já no dia 21 de agosto de 2019, assinou com a Fiorentina por duas temporadas.[8][9] Marcou seu primeiro gol pela Viola no dia 22 de setembro, num empate de 2–2 com a Atalanta pela Serie A.[10] No dia 29 de setembro, teve grande atuação e foi aplaudido na vitória de 3–1 contra o Milan, no San Siro, onde marcou seu segundo gol pelo clube.[11]

Em 1 de julho de 2021, após não ter seu contrato renovado, deixou a equipe de Florença. Fez 51 jogos, com 5 gols e 10 assistências.[12]

Salernitana[editar | editar código-fonte]

Em 6 de setembro de 2021, Ribéry foi anunciado como novo reforço Salernitana, assinando contrato de um ano com renovação automática caso cumpre as metas contratuais.[13]

Seleção Nacional[editar | editar código-fonte]

Sua primeira convocação para a Seleção Francesa foi na Copa do Mundo FIFA de 2006, quando a Seleção foi vice-campeã e Ribéry disputou todos os jogos.

Dois anos depois, no dia 17 de junho de 2008, foi convocado para a Euro 2008, disputada na Áustria e na Suíça. No entanto, sofreu uma entorse no tornozelo em um lance com Gianluca Zambrotta, no jogo contra a Itália, e teve de ser substituído do jogo. Foi ali que Ribéry encerrou sua participação no torneio com a Seleção, e a mesma acabou sendo eliminada na fase de grupos.[14]

Integrou o grupo que disputou a Copa do Mundo FIFA de 2010, realizada na África do Sul, quando a França foi eliminada na fase de grupos. Foi um dos cabeças de um monte contra o treinador, e devido a isso foi julgado e não pôde integrar a Seleção Francesa por um período de tempo, mas posteriormente reintegrou-se ao elenco dos Bleus.[15]

Quatro anos depois, no dia 2 de junho, foi convocado para a Copa do Mundo FIFA de 2014, mesmo com uma lesão nas costas.[16] Porém, dias depois foi cortado do torneio por não conseguir treinar.[17] Após a Copa, em agosto, anunciou sua aposentadoria da Seleção.[18]

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Aos dois anos de idade foi vítima de um acidente de automóvel, que lhe deixou até hoje cicatrizes no rosto.[19] Em fevereiro de 2006, Ribéry, de origem católica, converteu-se ao Islamismo e adotou "Bilal" como segundo nome. O seu nome muçulmano completo é Bilal Yusuf Mohammed. Ele é casado com Wahiba e é pai de três crianças: Hiziya, Shahinez e Seïf el Islam.[20]

Títulos[editar | editar código-fonte]

Ribéry atuando pela Seleção Francesa
Galatasaray
Olympique de Marseille
Bayern de Munique

Prêmios individuais[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Ballon d'or : Franck Ribéry, roi de Bavière et mal aimé en France» (em francês). Le Monde. 13 de dezembro de 2013. Consultado em 26 de julho de 2021 
  2. «França divulga lista dos 23 convocados para a Copa». UOL. 14 de maio de 2006. Consultado em 26 de julho de 2021 
  3. «Vem aí o Super Bayern». Trivela. 27 de agosto de 2007. Consultado em 8 de agosto de 2020 
  4. «Ribéry supera Messi e CR7 e é eleito o melhor jogador da Uefa». GloboEsporte.com. 29 de agosto de 2013. Consultado em 26 de julho de 2021 
  5. «Ribéry e Götze marcam, Bayern vence reservas do Roma e avança às oitavas». GloboEsporte.com. 5 de novembro de 2014. Consultado em 23 de julho de 2019 
  6. «Ribery marca na volta, mas Bayern é atropelado pelo Monchengladbach». Gazeta Esportiva. 5 de dezembro de 2015. Consultado em 26 de julho de 2021 
  7. «Ribéry deixará Bayern de Munique no final da temporada». Terra. 5 de maio de 2019. Consultado em 26 de julho de 2021 
  8. «Fiorentina anuncia contratação de atacante Franck Ribéry». Jovem Pan. 21 de agosto de 2019. Consultado em 26 de julho de 2021 
  9. «Ribery é anunciado oficialmente pela Fiorentina». Gazeta Esportiva. 21 de agosto de 2019. Consultado em 26 de julho de 2021 
  10. Bruno Bonsanti (22 de setembro de 2019). «Ribéry teve a classe de sempre em seu primeiro gol na Itália, mas Fiorentina segue sem vencer». Trivela. Consultado em 26 de julho de 2021 
  11. «Na estreia de Léo Duarte, Milan cai para Fiorentina no San Siro e sofre terceira derrota seguida». GloboEsporte.com. 29 de setembro de 2019. Consultado em 26 de julho de 2021 
  12. «Cabe no seu time? Ribéry deixa a Fiorentina e está livre para assinar com novo clube». ESPN.com.br. 1 de julho de 2021. Consultado em 26 de julho de 2021 
  13. «Ribéry tem novo clube na Itália, e contratação é comparada à de Maradona pelo Napoli | Goal.com». www.goal.com. Consultado em 6 de setembro de 2021 
  14. «Itália vence França, ganha mãozinha da Holanda e se classifica às quartas». GloboEsporte.com. 17 de junho de 2008. Consultado em 26 de julho de 2021 
  15. «Vexame da Copa, França vê greve em treino e insultos a técnico». Terra. 12 de julho de 2010. Consultado em 26 de julho de 2021 
  16. «França confirma Ribéry e anuncia lista de 23 convocados para a Copa». UOL. 2 de junho de 2014. Consultado em 23 de julho de 2019 
  17. «Franck Ribéry volta a sentir dores nas costas e é cortado da Copa do Mundo». GloboEsporte.com. 6 de junho de 2014. Consultado em 8 de agosto de 2020 
  18. «Cortado antes da Copa, Ribéry anuncia aposentadoria da seleção». Diário de Notícias. 13 de agosto de 2014. Consultado em 23 de julho de 2019 
  19. «Ribéry fala sobre cicatriz no rosto: 'Foi o que me deu este caráter e esta força'». Extra. 16 de janeiro de 2018. Consultado em 26 de julho de 2021 
  20. «Franck Ribéry: Papa heureux avec ses enfants pour fêter la bière à Munich» (em francês). Purepeople. 7 de outubro de 2013. Consultado em 26 de julho de 2021 
  21. Matt Bullin (25 de maio de 2019). «Bayern Munich clinched their 12th domestic double by beating RB Leipzig 3-0 in the German Cup final» (em inglês). BBC. Consultado em 26 de julho de 2021 
  22. «A janela fechou, mas esses 7 jogadores famosos continuam desempregados». UOL Esportes. 2 de setembro de 2021. Consultado em 2 de setembro de 2021 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Franck Ribéry