Nicolas Anelka

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Nicolas Anelka
Nicolas Anelka
Anelka no Chelsea em 2010
Informações pessoais
Nome completo Nicolas Sebastien Anelka
Data de nasc. 14 de março de 1979 (40 anos)
Local de nasc. Le Chesnay, França
Nacionalidade francês
Altura 1,85 m[1]
destro
Informações profissionais
Equipa atual Lille (categorias de base)
Posição Ex-atacante
Função Técnico
Clubes profissionais2
Anos Clubes Jogos (golos)
1996–1997
1997–1999
1999–2000
2000–2002
2001–2002
2002–2005
2005–2006
2006–2008
2008–2011
2012–2013
2013
2013–2014
2014–2015
2015–2016
Paris Saint-Germain
Arsenal
Real Madrid
Paris Saint-Germain
Liverpool (emp.)
Manchester City
Fenerbahçe
Bolton
Chelsea
Shanghai Shenhua
Juventus (emp.)
West Bromwich
Mumbai City
Total
0010 0000(1)
0090 000(28)
0033 0000(7)
0039 000(10)
0020 0000(4)
0116 000(66)
0039 000(14)
0055 000(31)
0176 000(78)
0022 0000(3)
0002 0000(0)
0012 0000(2)
0013 0000(2)
0627 00(246)
Seleção nacional3
1997
1998–2010
França Sub-20
França
0003 0000(0)
0069 000(14)
Times/Equipas que treinou3
2012
2015
2018–
Shanghai Shenhua
Mumbai City
Lille (categorias de base)

Nicolas Sebastien Anelka (Le Chesnay, 14 de março de 1979) é um técnico e ex-futebolista francês que atuava como atacante. Atualmente comanda as categorias de base do Lille.

Até a década de 2010, era o segundo jogador que mais tinha movimentado dinheiro no futebol, atrás apenas de Zlatan Ibrahimović: a soma de suas transferências haviam somado 135 milhões de euros. Sua ida por 18 milhões de euros ao Chelsea o fez ultrapassar os argentinos Hernán Crespo (então quem mais havia movimentado em transferências, com total de 121 milhões de euros) e Juan Sebastián Verón (119 milhões) e seu compatriota Zinédine Zidane (115 milhões). Curiosamente, Crespo e Verón também passaram pelo Chelsea em transferências caras pagas pelo bilionário dono do time, o russo Roman Abramovich.

Carreira[editar | editar código-fonte]

PSG e Arsenal[editar | editar código-fonte]

Formado nas categorias de base do Paris Saint-Germain, da França, aos dezessete anos de idade, o treinador Arsène Wenger o contratou para atuar no Arsenal, sendo mais um dos inúmeros atletas francófonos chamados pelo técnico francês aos Gunners. O clube londrino o comprou por 750 mil euros e o vendeu dois anos e meio depois por 35 milhões de euros ao Real Madrid, interessado na jovem promessa que marcara dois gols contra a Inglaterra em pleno Wembley.

Real Madrid, Liverpool e Manchester City[editar | editar código-fonte]

No Real acabou desapontando, ficando mais conhecido entre os brasileiros por ter feito os dois gols no empate em 2 a 2 com o Corinthians no Mundial de Clubes da FIFA de 2000. Acabou repassado ao Paris Saint-Germain por 34,5 milhões de euros. Logo voltou à Inglaterra, emprestado ao Liverpool, permanecendo no país após ser vendido por 19,8 milhões de euros ao Manchester City. Foi bem nos Citizens, mas após três anos obrigou o clube a vendê-lo ao Fenerbahçe por 10 milhões de euros, aproximadamente a metade do preço que tinha gasto para comprá-lo.

Fenerbahçe, Bolton e Chelsea[editar | editar código-fonte]

Foi novamente bem no Fener, mas ali também ficaria pouco tempo: após dezenove meses, quis sair e foi vendido por 12 milhões de euros ao Bolton, retornando mais uma vez ao futebol inglês. Manteve suas boas atuações no modesto time, que não viu saída quando o Chelsea se interessou por ele oferecendo 17 milhões de euros.[2]

Entretanto, o jogador só triunfaria em sua segunda temporada, já sob o comando de Luiz Felipe Scolari e, posteriormente, Guus Hiddink, sendo o artilheiro da Premier League. Antes disso, em maio de 2008, acabou marcado ao desperdiçar o pênalti decisivo na final da Liga dos Campeões de 2007–08: o Chelsea, que almejava seu primeiro título no mais importante campeonato europeu de clubes, perdeu com isso o troféu para o Manchester United.

Shanghai Shenhua e Juventus[editar | editar código-fonte]

Assinou contrato de dois anos com o Shanghai Shenhua, da China, no dia 10 de dezembro de 2011, mas deixou o clube no dia 26 de janeiro de 2013, com aval da Fifa. Acertou com a Juventus com um contrato de seis meses, com opção de renovação por mais um ano.

West Bromwich[editar | editar código-fonte]

No dia 4 de julho de 2013, transferiu-se para o West Bromwich por um ano de contrato.[3] Envolveu-se em polêmica ao comemorar um gol marcado na partida contra o West Ham, ocorrida no dia 28 de dezembro de 2013, com um gesto considerado antissemita. A FA o puniu com suspensão de cinco partidas e multa.[4] Ainda em decorrência do ocorrido, no dia 15 de março de 2014 ele optou por rescindir o contrato com o clube.[5]

Polêmica com o Atlético Mineiro[editar | editar código-fonte]

Na manhã do dia 6 de abril de 2014, o presidente do Atlético Mineiro, Alexandre Kalil, anunciou em sua conta no Twitter a contratação de Anelka por parte do clube alvinegro.[6] Entretanto, com a demora em se apresentar ao clube, o negócio foi cancelado pela diretoria do Atlético.[7] Mais tarde, pelas redes sociais o jogador se manifestou, segundo ele nunca houve negociação e era uma história inventada pela imprensa. O presidente da equipe mineira, Alexandre Kalil, rebateu as acusações do jogador em sua conta no Twitter.[8][9] Mais tarde o presidente da equipe mineira, mostrou a documentação de pré-contrato assinado pelo próprio jogador.[10]

Mumbai City[editar | editar código-fonte]

No dia 15 de setembro de 2014, o Mumbai City anunciou sua contratação para a temporada inaugural da Indian Super League.[11] Na temporada seguinte acumulou a função de treinador.[12]

Seleção Francesa[editar | editar código-fonte]

Recebeu sua primeira convocação em 1998, devido às atuações promissoras que tinha feito no Arsenal. Foi convocado como reserva na Eurocopa 2000 e na Copa das Confederações de 2001. Suas inconstâncias desde a ida ao Real Madrid, bem como seu temperamento antipático, acabaram custando-lhe mais convocações e presenças em torneios.

Anelka pela França, em 2008

Apenas em outra Eurocopa, a de 2008, voltou a uma competição pela França. Desde então, finalmente cavou lugar no selecionado, embalado pela boa temporada 2008–09 que realizou no Chelsea.

Copa do Mundo 2010[editar | editar código-fonte]

Em sua primeira Copa do Mundo, disputou as duas primeiras partidas da França no empate de 0 a 0 contra o Uruguai e na derrota de 2 a 0 contra o México. Dois dias após este jogo ele foi dispensado da delegação francesa por insultos, veiculados pelo jornal L'Équipe, ao treinador Raymond Domenech durante o intervalo da referida partida.[13][14]

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Anelka é convertido ao islamismo, onde adotou o nome Abdelsalam Bilal (عبد السلام بلال, em árabe).[15]

Títulos[editar | editar código-fonte]

Arsenal

Real Madrid

Paris Saint-Germain

Fenerbahçe

Chelsea

Juventus

Seleção Francesa

Individuais[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Perfil de Nicolas Sebastien Anelka». Consultado em 28 de Julho de 2011 
  2. «Chelsea entra em acordo para ficar com Anelka». Trivela. 11 de janeiro de 2008. Consultado em 16 de agosto de 2019 
  3. «West Brom complete signing of Anelka» (em inglês). ESPN.co.uk. 4 de julho de 2013 
  4. «Anelka é suspenso por cinco partidas por gesto considerado antissemita». GloboEsporte.com. 27 de fevereiro de 2014. Consultado em 16 de agosto de 2019 
  5. «Anelka não se entende com West Bromwich e rescinde contrato». GloboEsporte.com. 15 de março de 2014. Consultado em 16 de agosto de 2019 
  6. «Kalil anuncia contratação de Anelka em rede social: 'É do Galo'». GloboEsporte.com. 6 de abril de 2014. Consultado em 16 de agosto de 2019 
  7. Fernando Martins Y Miguel (15 de abril de 2014). «Maluf anuncia que Atlético-MG desistiu de Anelka: Não é profissional». GloboEsporte.com. Consultado em 16 de agosto de 2019 
  8. «Anelka grava vídeo e afirma que nunca acertou com Galo: 'É falso'». GloboEsporte.com. 16 de abril de 2014. Consultado em 16 de agosto de 2019 
  9. «Kalil cobra despesas de Anelka e chama irmão do atleta de "vigarista"». GloboEsporte.com. 16 de abril de 2014. Consultado em 16 de agosto de 2019 
  10. «Atlético-MG revela documentos do caso Anelka e desmente atacante». GloboEsporte.com. 16 de abril de 2014. Consultado em 16 de agosto de 2019 
  11. «Nicolas Anelka to bring clinical finishing to Mumbai City FC». Indian Super League. 15 de setembro de 2014. Consultado em 16 de agosto de 2019 
  12. «Mumbai City FC player-manager Nicolas Anelka says his team deserved to win» (em inglês). Newsx. 5 de dezembro de 2015 
  13. «French players in revolt after Anelka sent home» (em inglês). CNN. 20 de junho de 2010 
  14. «Após xingar treinador, Anelka é dispensado da seleção francesa». UOL. 19 de junho de 2010. Consultado em 16 de agosto de 2019 
  15. «"How Big Sam and Allah made Le Sulk smile"» (em inglês). The Guardian. 14 de fevereiro de 2007 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]