Samir Nasri

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Samir Nasri
سمير نصري
Samir Nasri سمير نصري
Nasri em 2013
Informações pessoais
Nome completo Samir Nasri
Data de nasc. 26 de junho de 1987 (34 anos)
Local de nasc. Marselha, França
Nacionalidade francesa
argelina
Altura 1,77 m
destro
Apelido Novo Zidane
O Pequeno Príncipe[1]
Informações profissionais
Clube atual aposentado
Posição meio-campista
Clubes de juventude
1993–1996
1996–2004
Pennes Mirabeau
Olympique de Marseille
Clubes profissionais
Anos Clubes
2004–2008
2008–2011
2011–2017
2016–2017
2017–2018
2019
2019
Olympique de Marseille
Arsenal
Manchester City
Sevilla (emp.)
Antalyaspor
West Ham
Anderlecht
Seleção nacional
2002–2003
2003–2004
2004–2005
2005–2006
2006–2007
2007–2013
França Sub-16
França Sub-17
França Sub-18
França Sub-19
França Sub-21
França

Samir Nasri (Marselha, 26 de junho de 1987) é um ex-futebolista francês de nacionalidade argelina que atuava como meio-campista.

Infância e juventude[editar | editar código-fonte]

Samir Nasri nasceu numa família de argelinos, fato muito comum na cidade de Marselha, já que a cidade recebe milhares de imigrantes procedentes do país. Cresceu no bairro de La Gavotte Peyret, subúrbio ao norte da cidade. Durante sua infância, jogava futebol com seus amigos na rua, onde desenvolveu muitas de suas habilidades. Notando o interesse de seu filho pelo esporte, seus pais lhe enviaram para o pequeno clube Pennes Mirabeau, em 1993. Após três anos no humilde clube francês, foi descoberto pelo poderoso Olympique de Marseille aos nove anos de idade.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Olympique de Marseille[editar | editar código-fonte]

Foi revelado em 2004 pelo Olympique de Marseille, depois de atuar por oito anos nas categorias de base do clube. Se destacou bastante pelo clube francês, principalmente atuando pelas alas, devido a sua velocidade e agilidade. Nessa posição, passou a ser um dos jogadores com mais assistências no campeonato e, aos 17 anos de idade, já era titular absoluto da equipe.

Ali começou a comparação dele a Zinédine Zidane, não só por sua promissora habilidade, mas por ter, assim como Zizou, nascido em Marselha, atuar no meio-de-campo, ter estreado no futebol aos 17 anos e por ter origem argelina assim como Karim Benzema, com quem dividia os holofotes entre as jovens revelações do futebol francês.[2]

Do próprio Zidane, recebeu o prêmio de revelação da Ligue 1 na temporada 2006–07, tendo sido eleito pela entidade francesa que representa os jogadores profissionais - Zidane recebera o mesmo prêmio em 1994 e, além disso, ambos têm o mesmo empresário.[1] Entretanto, Nasri preferiu rechaçar as comparações, usando o próprio Zizou como exemplo:

Arsenal[editar | editar código-fonte]

Chamou a atenção dos grandes clubes europeus, dentre eles o Arsenal, que o contratou em junho de 2008, por cerca de 17 milhões de euros, aumentando a colônia francófona da equipe inglesa.[3] Nela, as comparações passaram a ser feitas, ao menos pelo treinador Arsène Wenger, com Robert Pirès, meio-campista francês que também teve sucesso nos Gunners.

Nasri marcou logo em sua estreia pelos Gunners, no dia 16 de agosto de 2008, aos quatro minutos da partida contra o então promovido West Bromwich, na primeira rodada da Premier League. Já no dia 8 de novembro, marcou os dois gols da vitória por 2 a 1 sobre o Manchester United. Terminou sua primeira temporada na Inglaterra com seis gols e duas assistências em 29 partidas.

Iniciou a temporada 2009–10 se recuperando de uma grave lesão, e por isso perdeu os primeiros jogos da Premier League. Após seu retorno, foi novamente integrado ao time titular e assim se manteve. Com o fracasso do clube em relação à conquista de títulos, o meia tampouco se destacou, muito atrapalhado por lesões.

2010–11: A melhor temporada pelos Gunners[editar | editar código-fonte]

Antes do início da temporada 2010–11, Nasri admitiu que estava determinado a voltar a sua boa forma que o consagrou no Olympique, e que resultou no Arsenal contratá-lo dois anos antes. Ele também admitiu que ficou extremamente frustrado por não ter sido convocado por Raymond Domenech para a Copa do Mundo FIFA de 2010.[4] A boa forma de fato retornou, e Nasri impressionou pelas atuações e pelos números nesta temporada, que foi a sua melhor pelo clube londrino. O meio-campista francês foi o artilheiro da equipe nos primeiros meses de disputa da Premier League e da Liga dos Campeões da UEFA.

Nasri atuando pelo Arsenal em partida contra o West Ham, em outubro de 2010

Iniciou a temporada pelo Arsenal sendo escalado como titular para o primeiro jogo da temporada, no dia 15 de agosto de 2010, um clássico contra o Liverpool pela Premier League. Nasri jogou os 90 minutos, e partida terminou com um empate por 1 a 1. Após a partida, o Arsenal confirmou que Nasri havia sofrido uma lesão no joelho, e que ele ficaria fora por um mês. No entanto, o jogador retornou à equipe depois de apenas três partidas, ajudando na vitória por 6 a 0 sobre o Braga, pela Liga dos Campeões.[5] No dia 21 de setembro, Nasri marcou dois na vitória por 4 a 1 sobre o maior rival Tottenham, no chamado North London Derby.[6] Quatro dias depois, o meio-campista marcou mais dois contra o West Bromwich, mas os Gunners acabaram derrotados por 3 a 2 em pleno Emirates Stadium. Como resultado de suas excelentes partidas, foi eleito o jogador do mês pela PFA no mês de outubro. Em novembro, marcou um belo gol de voleio na vitória por 4 a 2 sobre o Aston Villa. Já no dia 4 de dezembro, marcou mais dois gols contra o Fulham e ajudou o Arsenal a vencer por 2 a 1. A vitória colocou o clube no topo da tabela da Premier League, e estes dois gols foram o 7° e 8° de Nasri pela liga, e o 10° e 11º por todas as competições. Próximo ao fim do ano, no dia 13 de dezembro, Nasri foi eleito o jogador francês do ano, batendo jogadores como Florent Malouda, que também fazia uma boa temporada pelo Chelsea, e o bom goleiro Hugo Lloris, do Lyon. Tornou-se também o primeiro jogador do Arsenal a vencer tal prêmio desde Thierry Henry, em 2006.

Na primeira partida de 2011, Nasri marcou na vitória por 3 a 0 sobre o Birmingham City. Marcou o seu primeiro gol pela Copa da Inglaterra na vitória por 3 a 1 sobre o Leeds United, na terceira rodada. No dia 30 de janeiro, Nasri sofreu uma lesão em partida contra o Huddersfield Town. Esta lesão não foi tão grave quanto as outras que ele sofreu no Arsenal e, apenas duas semanas depois, retornou frente ao gigante Barcelona, pelas oitavas de final da Champions League. No jogo de ida, Nasri contribuiu com uma bela assistência para o gol de Andrey Arshavin, que decretou a vitória de virada por 2 a 1.[7] Porém, os Gunners foram eliminados na partida de volta, após sofrer uma derrota por 3 a 1 no Camp Nou.[8] No dia 8 de abril, Nasri foi premiado por sua excelente temporada, sendo incluído na equipe do ano da PFA, mas acabou perdendo o prêmio de jogador do ano para o galês Gareth Bale.

Manchester City[editar | editar código-fonte]

No dia 23 de agosto de 2011, o Arsenal confirmou a venda do jogador francês para o Manchester City, por 25 milhões de libras (cerca de 65 milhões de reais).[9] Logo no dia seguinte, foi apresentado oficialmente pelo clube de Manchester, e recebeu a camisa 19.

Na sua estreia pelos Citizens, Nasri deu três assistências e foi peça fundamental na vitória por 5 a 1 sobre o Tottenham, em pleno White Hart Lane. No jogo seguinte, foi o autor de mais uma assistência na vitória por 3 a 0 sobre o Wigan.

Sevilla[editar | editar código-fonte]

No dia 31 de agosto de 2016, foi emprestado ao Sevilla.[10][11]

Antalyaspor[editar | editar código-fonte]

Já no dia 21 de agosto de 2017, foi anunciado como novo reforço do Antalyaspor, da Turquia. O jogador assinou por duas temporadas.[12][13]

Suspensão por doping[editar | editar código-fonte]

Em 22 de fevereiro de 2018, Nasri foi suspenso do futebol por seis meses pela UEFA por violar as regras da WADA em dezembro de 2016, ao receber um gotejamento intravenoso de 500 mililitros de água contendo nutrientes.[14] Em 1 de agosto de 2018, a proibição de Nasri foi aumentada em mais doze meses após um apelo do inspetor de ética e disciplinar da UEFA.[15]

West Ham United[editar | editar código-fonte]

Com sua suspensão do futebol prevista para terminar em 31 de dezembro de 2018, Nasri começou a treinar no West Ham United e realizou um exame médico na esperança de assinar um contrato de curto prazo.[16] Quando a sanção terminou, Nasri assinou um acordo de curto prazo até o final da temporada 2018–19.[17] Na sua passagem pelo clube, passou por sucessivas lesões.[18] Em maio de 2019, o West Ham anunciou que jogador deixaria o clube no final de seu contrato, no mês de junho. Nasri foi desligado do clube no final da temporada 2018–19.[19]

Anderlecht[editar | editar código-fonte]

Após uma passagem apagada pelo West Ham na temporada 2018–19, onde fez apenas seis jogos, foi oficializado como novo reforço do Anderlecht no dia 5 de julho de 2019.[20] No clube belga, Nasri reencontrou seu velho companheiro Vincent Kompany, com quem atuou junto durante cinco temporadas no Manchester City.

Aposentadoria[editar | editar código-fonte]

No dia 26 de setembro de 2021, aos 34 anos, Nasri anunciou oficialmente sua aposentadoria.[21][22]

Seleção Nacional[editar | editar código-fonte]

Nasri atuou por quase todas as categorias de base da Seleção Francesa, desde o Sub-16 até o Sub-21. Fez parte do grupo da França na Euro Sub-17, em 2004, e marcou o gol que deu a vitória aos franceses na grande final.

Estreou pela Seleção principal no dia 28 de março de 2007, aos 19 anos, num amistoso contra a Áustria. Marcou seu primeiro gol pelos Bleus na sua terceira partida pela seleção, em 6 de junho de 2007, o único da vitória sobre a Geórgia pelas eliminatórias da Euro 2008. No ano seguinte, já com 20 anos de idade, foi convocado para o torneio.[23] A França caiu no difícil grupo C, e Nasri viu sua seleção ser eliminada ainda na primeira fase. Fez duas partidas e atuou em apenas 32 minutos.

Após ficar de fora da Copa do Mundo FIFA de 2010 numa polêmica decisão do então treinador Raymond Domenech[24], Nasri retornou às listas de convocação em 11 de agosto de 2010, para um amistoso contra a Noruega, agora sob o comando de Laurent Blanc. Posteriormente, em março de 2011, Blanc deu-lhe a faixa de capitão da equipe.

Já em 2014, o treinador Didier Deschamps não o convocou para a Copa do Mundo FIFA realizada no Brasil.[25] Assim, o meia se aposentou da Seleção com apenas 27 anos.[26]

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Atualizadas até 14 de abril de 2013

Clubes[editar | editar código-fonte]

Ainda no Olympique de Marseille, clube que o revelou
Clube Temporada Liga Copa Competições
europeias
Total
Jogos Gols Assist. Jogos Gols Assist. Jogos Gols Assist. Jogos Gols Assist.
Olympique de Marseille 2004–05 24 1 2 1 0 0 0 0 0 25 1 2
2005–06 30 1 2 5 0 0 14 1 1 49 2 3
2006–07 37 3 6 7 0 1 6 0 0 50 3 7
2007–08 30 6 10 4 0 2 8 0 3 42 6 15
Total 121 11 20 17 0 3 28 1 4 166 12 27
Arsenal 2008–09 29 6 2 5 0 3 10 1 0 44 7 5
2009–10 26 2 5 2 0 1 6 3 0 34 5 6
2010–11 30 10 1 8 3 1 8 2 3 46 15 5
2011–12 1 0 0 0 0 0 0 0 0 1 0 0
Total 86 18 8 15 3 5 23 6 3 125 27 16
Manchester City 2011–12 31 5 9 5 1 0 9 0 0 45 6 9
2012–13 25 2 5 3 2 2 6 1 0 34 5 7
Total 56 7 14 8 3 2 15 1 0 79 11 16
Total na carreira 263 36 42 40 6 10 66 8 7 370 50 59

Seleção Francesa[editar | editar código-fonte]

Ano
Jogos Gols Assist.
2006–07 3 1 1
2007–08 9 1 1
2008–09 3 0 0
2009–10 0 0 0
2010–11 7 0 1
2011–12 13 2 1
2013–14 6 1 0
Total 41 5 4
Gols marcados
# Data Local Adversário Gol Resultado Competição
1. 6 de junho de 2007 Auxerre, França Flag of Georgia.svg Geórgia 1–0 1–0 Elim. Euro 2008
2. 16 de novembro de 2007 Paris, França Flag of Morocco.svg Marrocos 2–1 2–2 Amistoso
3. 11 de outubro de 2011 Paris, França Flag of Bosnia and Herzegovina.svg Bósnia e Herzegovina 1–1 1–1 Elim. Euro 2012
4. 11 de junho de 2012 Donetsk, Ucrânia Flag of England.svg Inglaterra 1–1 1–1 Euro 2012
5. 10 de setembro de 2013 Gomel, Bielorrússia Flag of Belarus.svg Bielorrússia 3–2 4–2 Elim. Copa do Mundo 2014

Títulos[editar | editar código-fonte]

Olympique de Marseille
Manchester City
Seleção Francesa

Prêmios individuais[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b "Craque-nouveau", Paulo Passos, Placar número 1310, setembro de 2007, Editora Abril, pág. 46
  2. Nathália Almeida (23 de junho de 2020). «6 jogadores que um dia foram chamados de 'o novo Zidane'». 90min. Consultado em 28 de setembro de 2021 
  3. «Nasri assina pelo Arsenal, Gunners pagam 16,8 milhões ao Marselha». Record. 23 de junho de 2008. Consultado em 28 de setembro de 2021. Arquivado do original em 7 de julho de 2008 
  4. «França mantém Gallas e anuncia os 23 convocados para a Copa». Terra. 24 de maio de 2010. Consultado em 28 de setembro de 2021 
  5. «Liderado por Fábregas, Arsenal não toma conhecimento do Braga: 6 a 0». GloboEsporte.com. 15 de setembro de 2010. Consultado em 28 de setembro de 2021 
  6. Rob Smyth (21 de setembro de 2010). «Tottenham Hotspur 1-4 Arsenal – as it happened» (em inglês). The Guardian. Consultado em 28 de setembro de 2021 
  7. «Arsenal consegue virada eletrizante e fica em vantagem sobre o Barcelona». GloboEsporte.com. 16 de fevereiro de 2011. Consultado em 28 de setembro de 2021 
  8. «Mais um jogão e show de Messi: Barça elimina o Arsenal nas oitavas». GloboEsporte.com. 8 de março de 2011. Consultado em 28 de setembro de 2021 
  9. «Arsenal anuncia venda de Nasri ao Manchester City e aumenta 'debandada'». ESPN.com.br. 23 de agosto de 2011. Consultado em 28 de setembro de 2021 
  10. Paul Vinnell (1 de setembro de 2016). «Samir Nasri joins Sevilla from Manchester City on season-long loan» (em inglês). Sky Sports. Consultado em 28 de setembro de 2021 
  11. «Manchester City anuncia empréstimo de Samir Nasri ao Sevilla». Terra. 31 de agosto de 2016. Consultado em 28 de setembro de 2021 
  12. «Nasri conclui transferência do Manchester City para turco Antalyaspor». Terra. 21 de agosto de 2017. Consultado em 28 de setembro de 2021 
  13. «Nasri deixa o Manchester City e acerta com equipe da Turquia». Gazeta Esportiva. 21 de agosto de 2017. Consultado em 28 de setembro de 2021 
  14. «Samir Nasri given six-month ban for doping violation over drip treatment» (em inglês). The Guardian. 27 de fevereiro de 2018. Consultado em 28 de setembro de 2021 
  15. «Nasri doping ban extended to 18 months». BBC Sport (em inglês). 1 de agosto de 2018. Consultado em 28 de setembro de 2021 
  16. Ken Dyer (12 de novembro de 2018). «Nasri undergoes West Ham medical ahead of £80,000-a-week deal» (em inglês). Standard. Consultado em 28 de setembro de 2021 
  17. «West Ham sign Nasri as doping ban ends» (em inglês). BBC Sport. 31 de dezembro de 2018. Consultado em 28 de setembro de 2021 
  18. «Samir Nasri explique pourquoi il a décidé d'arrêter le football» (em francês). RMC SPORT. 26 de setembro de 2021 
  19. Simon Stone (29 de maio de 2019). «Carroll, Adrian & Nasri to leave West Ham» (em inglês). BBC Sport. Consultado em 28 de setembro de 2021 
  20. «Nasri assina por clube belga». oGol. 5 de julho de 2019. Consultado em 28 de setembro de 2021 
  21. «Aos 34 anos, Samir Nasri coloca ponto final na carreira». O Jogo. 26 de setembro de 2021 
  22. Leandro Stein (27 de setembro de 2021). «Aos 34 anos, Nasri anuncia o fim precoce de uma carreira que nunca chegou a ser o que prometia». Trivela 
  23. «Técnico da França deixa Trezeguet fora de pré-lista da Euro-2008». UOL. 18 de maio de 2008. Consultado em 28 de setembro de 2021 
  24. «Domenech exclui Benzema, Vieira e Nasri da lista de 30 pré-convocados da França». UOL. 11 de maio de 2010. Consultado em 28 de setembro de 2021 
  25. «França divulga a lista de jogadores para a Copa do Mundo». O Globo. 13 de maio de 2014. Consultado em 28 de setembro de 2021 
  26. «Descontente, Nasri dá adeus à seleção francesa aos 27 anos». Terra. 10 de agosto de 2014. Consultado em 28 de setembro de 2021 
  27. «The 100 best footballers in the world - interactive» (em inglês). The Guardian 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Samir Nasri