Gianluigi Buffon

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Gianluigi Buffon
Gianluigi Buffon
Buffon pela Juventus em 2016
Informações pessoais
Nome completo Gianluigi Buffon Masocco
Data de nasc. 28 de janeiro de 1978 (43 anos)
Local de nasc. Carrara, Itália
Nacionalidade italiano
Altura 1,92 m
destro
Apelido Gigi
Informações profissionais
Clube atual Parma
Número
Posição goleiro
Clubes de juventude
1984–1986
1986–1990
1990–1991
1991–1995
Canaletto
Perticata
Bonascola
Parma
Clubes profissionais
Anos Clubes
1995–2001
2001–2018
2018–2019
2019–2021
2021–
Parma
Juventus
Paris Saint-Germain
Juventus
Parma
Seleção nacional
1993–1994
1995
1994–1995
1995–1997
1997
1997–2018
Itália Sub-16
Itália Sub-17
Itália Sub-18
Itália Sub-21
Itália Olímpica
Itália

Gianluigi Buffon Masocco[1] (Carrara, 28 de janeiro de 1978) é um futebolista italiano que atua como goleiro. Atualmente joga pelo Parma.

Ele é amplamente considerado como o maior e melhor goleiro de sua geração e como um dos melhores da história, alguns o colocando como o melhor de todos os tempos.[2][3][4] Um dos maiores ídolos da torcida da Juventus, sua maior virtude fora dos campos é o carisma, sendo querido até mesmo por jogadores adversários.[5] É primo em segundo grau do ex-goleiro Lorenzo Buffon, goleiro da Azzurra na Copa do Mundo FIFA de 1962, disputa no Chile.

Iniciou sua carreira no Parma, tendo estreado profissionalmente com dezessete anos, fez parte de um dos elencos mais vitoriosos da história do clube, conquistando a Copa da UEFA, a Copa da Itália e a Supercopa do país.[6] Em 2001, Buffon foi vendido para a Juventus por 54,2 milhões de euros, o que fez dele o goleiro mais caro da história do futebol, recorde que deteve por dezessete anos até ser superado em 2018 pelo goleiro brasileiro Alisson, que foi vendido da Roma para o Liverpool por 72,5 milhões de euros e, posteriormente, por Kepa Arrizabalaga.[7][8] Na equipe de Turim, venceu dez campeonatos italianos, quatro copas nacionais e cinco supercopas nacionais, sendo a Liga dos Campeões da UEFA, o único título que não conseguiu obter, apesar de já ter sido escolhido para a Equipe do Ano da UEFA em cinco ocasiões.[9]

Também conhecido como Gigi, é um dos quatro jogadores a participar de cinco Copas do Mundo FIFA, assim como o goleiro mexicano Antonio Carbajal, o meia alemão Lothar Matthäus e o zagueiro mexicano Rafa Márquez.[10] Sagrou-se recordista de partidas realizadas pela Seleção Italiana, superando nomes históricos como Paolo Maldini, Fabio Cannavaro e Dino Zoff nas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2014.[11] O atleta ainda fez parte do elenco titular da Seleção Italiana que foi campeã da Copa do Mundo FIFA de 2006. Nesta competição, Buffon sofreu gols em apenas dois jogos e denunciou ao árbitro a cabeçada de Zinédine Zidane em seu companheiro Marco Materazzi, o que acarretou a expulsão do então meio-campista da França. Após a denúncia, pediu desculpas a Zidane, mas explicou-lhe que aquela cabeçada merecia um cartão vermelho. Os dois amigos conheceram-se na passagem do francês pela Juventus.[12]

Foi considerado pela IFFHS, em 2013, o melhor goleiro dos últimos 25 anos, principalmente por seu bom desempenho contra os principais jogadores da história, entre eles estão Ronaldo, Ibrahimović, Inzaghi e Messi; o último só marcou gol em Buffon em uma partida durante toda a sua carreira. Foi envolvido, em dezembro de 2011, no escândalo de manipulação de jogos na Itália.[13] No dia 20 de março de 2016, em clássico local contra o Torino, Buffon superou o recorde de 929 minutos de Sebastiano Rossi sem sofrer gols na Serie A, chegando a 974 minutos consecutivos sem sofrer qualquer gol. Andrea Belotti finalmente terminou sua série sem gols num pênalti aos 48 minutos do jogo. A partida terminou em goleada para a Juventus por 4 a 1.[14]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Parma[editar | editar código-fonte]

Buffon começou sua carreira nas categorias de base do Parma em 1991 com apenas 13 anos de idade. Graduou-se nos juniores do Parma em 1995 e com a idade de apenas 17 anos, Buffon fez sua estreia na Serie A na equipe do Parma, em um empate em casa 0 a 0 contra a equipe do Milan em 19 de novembro de 1995. Ele passou a fazer mais 8 aparições nessa temporada. Em 1996, sua segunda temporada completa com o clube, Buffon foi nomeado como o goleiro principal e iria fazer mais de 200 partidas pelo clube em todas as competições. Em sua quarta temporada com o clube, ele conquistou a Copa da UEFA. Foi por esta altura, já considerado uma perspectiva importante e no verão de 2001, foi anunciado pela Juventus como um recorde mundial para uma transferência de um goleiro, por uma quantia de cerca de 45 milhões de euros.[15]

Juventus[editar | editar código-fonte]

Buffon transferiu-se para a Juventus no verão de 2001. Dizia-se que o goleiro quase assinou com a Roma, após sua saída do Parma, mas Francesco Sensi, então presidente do clube, optou por Ivan Pelizzoli, goleiro da Atalanta. Posteriormente Buffon comentou:

Em sua primeira temporada com a Juventus, Buffon foi imediatamente inserido no time titular e apareceu em 45 jogos oficiais, ajudando sua equipe na conquista da Serie A. Ele jogou em 47 jogos na temporada seguinte e também ajudou a Juventus na Liga dos Campeões, em que sua equipe perdeu a final numa disputa de pênaltis para o Milan. Apesar do vice na competição europeia, celebraram o Scudetto nessa temporada mais uma vez. Em 2003, ele recebeu a UEFA Most Valuable Player e prêmios de Melhor Goleiro, e foi nomeado por Pelé para a FIFA 100 como um dos 125 maiores jogadores em 2004.[16] Em sua terceira temporada com o clube, Buffon foi novamente escolha indiscutível de 38 jogos, e em sua quarta temporada na Juventus, ele jogou mais de 48 jogos, bem como o seu terceiro Scudetto em quatro anos com os gigantes de Turim. Em agosto de 2005, durante o Luigi Berlusconi correspondem título contra o Milan, Buffon colidiu com o meia Kaká, do Milan, enquanto perseguia uma bola perdida, e sofreu uma luxação no ombro que necessitou de cirurgia. Sua operação foi bem sucedida e ele retornou aos relvados em novembro, mas jogou apenas uma vez, pois outra lesão obrigou-o a parar até janeiro. Christian Abbiati foi transferido para o clube, para o preenchimento de Buffon que sofreu uma lesão, porém ele recuperou a tempo de ajudar a levar a Juventus ao seu segundo Scudetto consecutivo na sua carreira pelo clube.[17]

Buffon atuando na Juventus pela temporada 2012–13

Durante 2011–12, Buffon fez uma boa temporada na Juventus. Buffon fez inúmeras defesas importantes incluindo uma cobrança de pênalti de Francesco Totti num jogo contra a Roma.[18] Buffon terminou bem a sua temporada, sendo até eleito pelos torcedores o melhor jogador da Juventus.[19] Após a partida, ele foi descrito como "o melhor goleiro na Itália".[20] A Juventus acabou a temporada invicta, ganhando seu primeiro Scudetto desde o escândalo Calciopoli, permitindo-lhes participar mais uma vez em a Liga dos Campeões na temporada seguinte, depois de uma ausência de dois anos. Buffon descreveu-o como o segundo ponto mais alto de sua carreira, após a conquista da Copa do Mundo FIFA de 2006.[21] Ele totalizou 21 partidas sem sofrer gols[22] e apenas sofreu 16 gols em 35 partidas com isso a Juventus tornou-se o time europeu com a segunda melhor defesa da temporada, depois do Porto.[23] Devido às boas atuações e performances, Buffon foi incluído na lista dos melhores da Serie A de 2011–12. A Juventus também fez a Copa da Itália final daquela temporada, embora Buffon não tenha jogado nesta competição, com Marco Storari sendo titular. A Juventus, no entanto, foi vice-campeã após perder para o Napoli na final.[24]

Buffon com a equipe da Juventus na temporada 2012–13
Buffon em 2016

Em 11 de agosto de 2012, Buffon levantou seu primeiro troféu como o novo capitão da Juventus, após Alessandro Del Piero. A Juve derrotou o Napoli por 4 a 2 na prorrogação da Supercopa da Itália, disputada em Pequim. Buffon sofreu uma pequena lesão e não foi capaz de participar da primeira partida da Serie A da temporada 2012–13, contra o Parma, no dia 25 de agosto.[25] Ele foi substituído por Marco Storari e a Juventus venceu a partida por 2 a 0.[26] Ele voltou a ser titular na próxima partida, contra a Udinese, em Udine, no dia 2 de setembro, usando a braçadeira de capitão.[27] A Juventus venceu por 4 a 1.[28]

No dia 19 de setembro, a Juventus estreou na Liga dos Campeões contra o então atual campeão Chelsea, em Londres. As equipes empataram em 2 a 2 e o jogo foi o de número 400 de Buffon pelo clube em todas as competições.[29][30] No dia 22 de setembro, após a vitória de 2 a 0 sobre o Chievo, Buffon obteve sua primeira partida sem sofrer gols na temporada.[31]

Em 23 de janeiro de 2013, Buffon renovou seu contrato com a Juventus, mantendo-o no clube até 2015. No dia 27 de janeiro, Buffon foi premiado com o goleiro Serie A da concessão do ano pela nona vez em sua carreira, por sua performances durante a temporada 2011–12.[32] No segundo clássico contra a Internazionale, válido pela Serie A, disputado no dia 30 de março, sua equipe venceu por 2 a 1 fora de casa.[33] A Juventus conquistou o título italiano pela 29ª vez no dia 5 de maio, após vencer o Palermo por 1 a 0, com gol do chileno Arturo Vidal.[34]

Paris Saint-Germain[editar | editar código-fonte]

Foi anunciado oficialmente pelo Paris Saint-Germain no dia 6 de julho de 2018.[35] O goleiro assinou por apenas uma temporada.[36]

No total, atuou em 25 partidas com a camisa do PSG e conquistou os títulos da Supercopa da França e do Campeonato Francês. O goleiro também disputou a Liga dos Campeões, no entanto, o gigante de Paris foi eliminado pelo Manchester United no dia 6 de março de 2019, nas oitavas de final.[37]

Anunciou sua saída do PSG no dia 5 de junho, e dessa forma não renovou o contrato que se encerraria no dia 30 de junho.[38][39][40][41]

Retorno a Juventus[editar | editar código-fonte]

Em 4 de julho de 2019, após uma temporada na França, acertou seu retorno a Juventus até o fim da temporada.[42]

Em sua segunda partida na temporada, na vitória por 2 a 0 sobre o SPAL, tornou-se o futebolista italiano com mais partidas disputadas por clubes, chegando a 903 partidas e superando Paolo Maldini, que disputou 902.[43]

Retorno ao Parma[editar | editar código-fonte]

Após duas décadas, teve seu retorno ao Parma anunciado no dia 17 de junho de 2021.[44]

Seleção Nacional[editar | editar código-fonte]

Início[editar | editar código-fonte]

Buffon recebeu sua primeira convocação para a Seleção Italiana no dia 29 de outubro de 1997, com apenas 19 anos de idade. Devido a uma lesão de Gianluca Pagliuca, Buffon foi chamado para um jogo contra a Rússia pelas eliminatórias para a Copa do Mundo de 1998.[45]

Copa do Mundo de 1998, Euro 2000 e Copa de 2002[editar | editar código-fonte]

Ele foi convocado para a Copa do Mundo FIFA de 1998, mas não jogou um único jogo; Pagliuca foi o titular. Buffon também foi convocado pela Seleção Italiana para os Jogos Olímpicos de Verão de 1996, a Copa do Mundo FIFA de 2002 e a Euro 2004. Ele seria titular na Euro 2000, mas quebrou a mão em um amistoso contra a Noruega, oito dias antes do início do torneio, e foi substituído por Francesco Toldo.[46]

Copa do Mundo de 2006[editar | editar código-fonte]

Buffon com a Seleção Italiana em 2006

Durante a Copa do Mundo FIFA de 2006, Buffon atuou em grande nível. Como ele sofreu apenas dois gols e ficou cinco jogos sem ter as redes balançadas, alcançou a marca de 453 minutos sem tomar gols.[47] Os únicos tentos sofridos foram um gol contra de seu companheiro Cristian Zaccardo, contra os Estados Unidos, e um pênalti de Zinédine Zidane na final contra a França. A partida chegou a ir para a prorrogação, terminou em 1 a 1 e levou a uma disputa de pênaltis em que nem Buffon e nem Fabien Barthez conseguiram realizar defesas. O único a desperdiçar uma cobrança foi David Trezeguet, que chutou a bola no travessão, o que permitiu a Fabio Grosso cobrar e converter o pênalti decisivo para selar o título da Azzuri.[48] Devido às grandes atuações, Buffon recebeu o Prêmio Lev Yashin pelas suas defesas ao longo da competição. Em sete partidas na Copa, o goleiro sofreu apenas dois gols.[49]

Euro 2008[editar | editar código-fonte]

Dois anos depois, após Fabio Cannavaro ser cortado da Euro 2008 por conta de uma lesão no joelho, Buffon foi nomeado capitão da Itália na competição.[50] No segundo jogo da fase de grupos, contra a Romênia, no dia 13 de junho, ele defendeu um pênalti aos 81 minutos cobrado por Adrian Mutu; o jogo terminou 1 a 1 e manteve vivas as esperanças da Itália. No jogo final da fase de grupos, Buffon teve uma grande atuação contra a França. A Itália foi eliminada nove dias depois, nas quartas-de-final, após uma derrota por 4 a 2 nos pênaltis contra a Espanha, em que Buffon defendeu uma cobrança.[51][52]

Copa do Mundo de 2010[editar | editar código-fonte]

Em novembro de 2009 o goleiro corria o risco de ficar fora[53], mas no ano seguinte foi um dos 23 convocados para a Copa do Mundo FIFA de 2010.[54] No dia 14 de junho, durante a estreia da Itália na competição, contra o Paraguai, Buffon foi substituído no intervalo do empate em 1 a 1 realizado no Estádio da Cidade do Cabo.[55] Depois que teve diagnosticado um problema no nervo ciático, o italiano não voltou a atuar no torneio disputado na África do Sul.[56]

Euro 2012 e Copa das Confederações de 2013[editar | editar código-fonte]

Buffon na disputa da Eurocopa de 2012

Em 6 de junho de 2012, Buffon esteve na lista dos convocados para a Euro 2012.[57][58] Ele realizou grandes defesas e ajudou a levar a Itália até a final da Euro, mas não conseguiu evitar a derrota por 4 a 0 contra a Espanha.[59][60]

Um ano depois, esteve presente na Seleção Italiana que disputou a Copa das Confederações de 2013 no Brasil.[61] A Itália foi novamente eliminada nos pênaltis pela Espanha, dessa vez nas semifinais, após um empate em 0 a 0 no dia 27 de junho.[62]

Últimos anos[editar | editar código-fonte]

Em 13 de novembro de 2017, após o empate em 0 a 0 com a Suécia[63] que deixou a Itália fora da Copa do Mundo FIFA de 2018, Buffon anunciou sua despedida da seleção.[64]

Em 2018, a pedido do treinador Luigi Di Biagio, foi anunciado o retorno de Buffon para alguns amistosos da Seleção Italiana.[65]

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Atualizadas até 9 de fevereiro de 2021.[66]

Clubes[editar | editar código-fonte]

Clube Temporada Liga Copas UEFA Outros[c] Total
Jogos Gols Jogos Gols Jogos Gols Jogos Gols Jogos Gols
Parma 1995–96 9 0 0 0 0 0 9 0
1996–97 27 0 0 0 1 0 0 0 28 0
1997–98 32 0 6 0 8 0 46 0
1998–99 34 0 6 0 11 0 51 0
1999–00 32 0 0 0 9 0 2 0 43 0
2000–01 34 0 2 0 7 0 43 0
Total 168 0 14 0 36 0 2 0 220 0
Juventus 2001–02 34 0 1 0 10 0 45 0
2002–03 32 0 0 0 15 0 1 0 48 0
2003–04 32 0 0 0 6 0 1 0 39 0
2004–05 37 0 0 0 11 0 48 0
2005–06 18 0 2 0 4 0 0 0 24 0
2006–07 37 0 3 0 40 0
2007–08 34 0 1 0 35 0
2008–09 23 0 2 0 5 0 30 0
2009–10 27 0 1 0 7 0 35 0
2010–11 16 0 1 0 17 0
2011–12 35 0 0 0 35 0
2012–13 32 0 1 0 10 0 1 0 44 0
2013–14 33 0 0 0 14 0 1 0 48 0
2014–15 33 0 0 0 13 0 1 0 47 0
2015–16 35 0 0 0 8 0 1 0 44 0
2016–17 30 0 0 0 12 0 1 0 43 0
2017–18 21 0 3 0 9 0 1 0 34 0
2019–20 9 0 5 0 1 0 0 0 15 0
2020–21 4 0 4 0 1 0 0 0 9 0
Total 518 0 24 0 126 0 8 0 676 0
Paris Saint-Germain 2018–19 17 0 2 0 5 0 1 0 25 0
Total 17 0 2 0 5 0 1 0 25 0
Total na carreira 707 0 40 0 167 0 12 0 923 0

Seleção[editar | editar código-fonte]

Itália
Ano Jogos Gols
1997 1 0
1998 3 0
1999 8 0
2000 4 0
2001 7 0
2002 12 0
2003 7 0
2004 12 0
2005 3 0
2006 15 0
2007 8 0
2008 9 0
2009 11 0
2010 2 0
2011 10 0
2012 12 0
2013 16 0
2014 8 0
2015 8 0
2016 13 0
2017 8 0
2018 1 0
Total 176 0

Títulos[editar | editar código-fonte]

Parma
Juventus
Paris Saint-Germain
Seleção Italiana

Prêmios individuais[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Gianluigi Buffon». Juventus.com. Consultado em 14 de outubro de 2017. Arquivado do original em 2 de junho de 2017 
  2. «Sem brasileiros, revista relembra lista de 10 melhores goleiros da história». 26 de abril de 2020 
  3. «Gianluigi Buffon Number One In Goalkeeper Rankings | Goal.com» 
  4. Antonelli, Rodrigo (6 de julho de 2018). «O último voo: Gianluigi Buffon deixa a Itália para ratificar que é o melhor da história» 
  5. «Italy penpix». Consultado em 1 de julho de 2012 
  6. Paolo Menicucci (28 de janeiro de 2020). «O que talvez não saiba sobre Buffon». UEFA.com. Consultado em 9 de junho de 2021 
  7. «Com Buffon e Ederson, confira os goleiros mais caros da história». Gazeta Esportiva. Consultado em 9 de junho de 2021 
  8. «Oficializado no Chelsea, Kepa Arrizabalaga se torna goleiro mais caro da história - Esportes». Estadão. 8 de agosto de 2018. Consultado em 9 de junho de 2021 
  9. «Equipa do Ano Ideal: melhor de sempre». UEFA.com. 20 de janeiro de 2021. Consultado em 9 de junho de 2021 
  10. «Rafa Márquez iguala Buffon, Matthaus e Carbajal em Copas». Folha de Pernambuco. 17 de junho de 2018. Consultado em 15 de junho de 2021 
  11. «Buffon se torna o jogador que mais atuou pela Azurra». Futebol.com. 11 de outubro de 2013. Consultado em 9 de junho de 2021 
  12. «Juventus' Buffon best goalkeeper in history». Consultado em 13 de junho de 2010 
  13. «Buffon, Cannavaro e Gattuso são citados em escutas sobre manipulação de jogos na Itália». UOL. 28 de dezembro de 2011. Consultado em 9 de junho de 2021 
  14. «Buffon bate recorde, e Juventus goleia Torino com erro de arbitragem». GloboEsporte.com. 20 de março de 2016. Consultado em 9 de junho de 2021 
  15. «BBC SPORT EUROPE». Consultado em 6 de abril de 2010 
  16. «Kaka hails AC Milan fans». Consultado em 25 de dezembro de 2007 
  17. «The Times». Consultado em 16 de maio de 2006 
  18. «Juventus' Gianluigi Buffon: Saving Francesco Totti's penalty against Roma was down to hard work in training». Consultado em 14 de dezembro de 2006 
  19. «Juventus vs. Inter Milan: 5 Lessons Learned from Derby D'Italia». Consultado em 25 de março de 2012 
  20. «Juventus vs. Inter Milan: 5 Lessons Learned from Derby D'Italia». Consultado em 27 de março de 2012 
  21. «Juventus 2-0 Inter – Post Mortem: Del Piero's Goal And Conte's Formation Bury The Nerazzurri». Consultado em 30 de março de 2012 
  22. «TheHardTackle Award #1: Goalkeeper Of The Season – Petr Cech, Gianluigi Buffon, Joe Hart, Marc-André ter Stegen, Manuel Neuer». Consultado em 21 de maio de 2012 
  23. «Moment of the Season». Consultado em 18 de maio de 2012 
  24. «Napoli bate Juventus, vence Copa da Itália e volta a conquistar título após era Maradona». UOL. 20 de maio de 2012. Consultado em 9 de junho de 2021 
  25. «TEAM NEWS: Buffon out of Serie A curtain-raiser for champions Juventus». Consultado em 26 de maio de 2012 
  26. «Juventus 2 vs 0 Parma - SERIE A». Consultado em 25 de agosto de 2012 
  27. «TEAM NEWS: Buffon returns to action for Juventus' clash with Udinese». Consultado em 29 de agosto de 2012 
  28. «Udinese 1-4 Juventus: Giovinco double helps sink 10-man hosts». Consultado em 2 de agosto de 2012 
  29. «Oscar faz gol de cinema, mas Chelsea vacila e cede empate à Juventus em Londres». ESPN.com.br. 19 de setembro de 2012. Consultado em 9 de junho de 2021 
  30. «Chelsea 2 - 2 Juventus - BBC SPORT». Consultado em 29 de agosto de 2012 
  31. «ESPN FC - JUVENTUS». Consultado em 4 de Outubro de 2012 
  32. «Gran Gala Del Calcio 2012 – Winners». Consultado em 28 de Janeiro de 2013 
  33. «Italiano: Juventus vence clássico diante da Inter e caminha rumo ao título». oGol. 30 de março de 2013. Consultado em 9 de junho de 2021 
  34. Paulo Eduardo Dias (5 de maio de 2013). «Juventus vence Palermo e conquista Campeonato Italiano pela 29ª vez». oGol. Consultado em 9 de junho de 2021 
  35. «Gianluigi Buffon s'engage avec le Paris Saint-Germain». psg.fr. 6 de julho de 2018. Consultado em 6 de julho de 2018 
  36. «PSG anuncia a contratação do goleiro Buffon». UOL. 6 de julho de 2018. Consultado em 9 de junho de 2021 
  37. «United faz milagre e elimina PSG na Champions League». ESPN.com.br. 6 de março de 2019. Consultado em 9 de junho de 2021 
  38. «Após uma temporada, PSG anuncia a saída de Buffon». GaúchaZH. 5 de junho de 2019. Consultado em 9 de junho de 2021 
  39. «Paris Saint-Germain anuncia a saída do goleiro Buffon». VEJA. 5 de junho de 2019. Consultado em 9 de junho de 2021 
  40. «Diretoria do Paris Saint-Germain anuncia saída de Buffon». Gazeta Esportiva. 5 de junho de 2019. Consultado em 9 de junho de 2021 
  41. «Depois de uma temporada, Paris Saint-Germain anuncia saída de Buffon». GloboEsporte.com. 5 de junho de 2019. Consultado em 9 de junho de 2021 
  42. «Após uma temporada no PSG, Juventus acerta o retorno de Buffon». LANCE!. 4 de julho de 2019. Consultado em 9 de junho de 2021 
  43. Amanda Bernardi (4 de julho de 2020). «Buffon supera Paolo Maldini e se torna atleta com mais jogos na Serie A». VAVEL Brasil. Consultado em 9 de junho de 2021 
  44. «Aos 43 anos, Buffon acerta retorno ao Parma e é chamado de "Super-Homem"». ge. 17 de junho de 2021 
  45. «Pearce is prepared to learn but he needs to teach England that winning habit». Consultado em 3 de junho de 2009 
  46. «Italy's number one priority». Consultado em 12 de abril de 2002 
  47. «Itália iguala melhor defesa da história de um time campeão». UOL. 9 de julho de 2006. Consultado em 9 de junho de 2021 
  48. «Itália conquista tetra e Zidane dá adeus com expulsão e vexame». UOL. 9 de julho de 2006. Consultado em 9 de junho de 2021 
  49. «FIFA World Cup Fair Play Award». Consultado em 15 de outubro de 2004 
  50. «Itália anuncia convocados para Eurocopa de 2008». UOL. 28 de maio de 2008. Consultado em 9 de junho de 2021 
  51. «Espanha elimina a Itália nos pênaltis». GloboEsporte.com. 22 de junho de 2008. Consultado em 9 de junho de 2021 
  52. «Espanha vence Itália nos pênaltis e está nas semifinais da Euro». UOL. 22 de junho de 2008. Consultado em 9 de junho de 2021 
  53. «Gianluigi Buffon: Italy star player at World Cup 2010». The Telegraph. 20 de novembro de 2009. Consultado em 9 de junho de 2021 
  54. «Itália anuncia 23 convocados para a Copa sem Borriello e Rossi». ESPN.com.br. 1 de junho de 2010. Consultado em 9 de junho de 2021 
  55. «Itália se 'falsifica' de ofensiva, mas empata com Paraguai em jogo feio». GloboEsporte.com. 14 de junho de 2010. Consultado em 9 de junho de 2021 
  56. «Sob risco de ficar fora da Copa, Buffon sofre com sequência de lesões». GloboEsporte.com. 16 de junho de 2010. Consultado em 9 de junho de 2021 
  57. «Itália divulga lista da Euro e inclui zagueiro suspeito em escândalo». Terra. 29 de maio de 2012. Consultado em 9 de junho de 2021 
  58. «BUFFON DEFUSES NAZI ROW». Consultado em 4 de novembro de 2005 
  59. «À la Barça, Espanha arrasa Itália, leva o tri e mostra quem manda na Europa». GloboEsporte.com. 1 de julho de 2012. Consultado em 9 de junho de 2021 
  60. «Espanha dá show, faz 4 a 0 na Itália e leva 1º bi da Eurocopa». Terra. 1 de julho de 2012. Consultado em 9 de junho de 2021 
  61. «Itália divulga lista final de convocados para a Copa das Confederações». GloboEsporte.com. 3 de junho de 2013. Consultado em 9 de junho de 2021 
  62. «Pacto com a bola: Espanha bate Itália nos pênaltis e pega Brasil na final». GloboEsporte.com. 27 de junho de 2013. Consultado em 9 de junho de 2021 
  63. «Faltou futebol: Itália pressiona, mas para na Suécia e está fora da Copa». GloboEsporte.com. 13 de novembro de 2017. Consultado em 9 de junho de 2021 
  64. «Emocionado, Buffon deixa a seleção italiana: "Difícil terminar assim"». GloboEsporte.com. 13 de novembro de 2017. Consultado em 9 de junho de 2021 
  65. «Buffon confirma retorno à seleção italiana para amistosos com Argentina e Inglaterra». GloboEsporte.com. 27 de fevereiro de 2018. Consultado em 9 de junho de 2021 
  66. «Perfil do Gianluigi Buffon». Soccerway. Consultado em 5 de maio de 2017 
  67. «Gianluigi Buffon named #UCL goalkeeper of the season» (em inglês). UEFA 
  68. «The 100 best footballers in the world 2016 – interactive» (em inglês). The Guardian 
  69. «Gianluigi Buffon» (em espanhol). Marca 
  70. «IFFHS ALL TIME WORLD MEN'S DREAM TEAM». Consultado em 15 de junho de 2021 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Gianluigi Buffon