Jens Lehmann

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Jens Lehmann
Jens Lehmann
Informações pessoais
Nome completo Jens Lehmann
Data de nasc. 10 de novembro de 1969 (47 anos)
Local de nasc. Essen, Alemanha Ocidental
Altura 1,90 m
Destro
Apelido Crazy Jens
Informações profissionais
Clube atual Aposentado
Posição Goleiro
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos e gol(o)s
1988–1998
1998–1999
1999–2003
2003–2008
2008–2010
2011
Alemanha Schalke 04
Itália Milan
Alemanha Borussia Dortmund
Inglaterra Arsenal
Alemanha VfB Stuttgart
Inglaterra Arsenal
0274 0000(2)
0005 0000(0)
0129 0000(0)
0147 0000(0)
0065 0000(0)
0001 0000(0)
Seleção nacional
1989–1990
1998–2008
Alemanha Alemanha Ocidental Sub-21
Bandeira da Alemanha Alemanha
0006 0000(0)
0061 0000(0)

Jens Lehmann (Essen, 10 de Novembro de 1969) é um ex-futebolista alemão que atuava como goleiro.

Representou durante dez anos a Seleção Alemã, e foi o titular da posição na Copa do Mundo FIFA de 2006, realizada em território alemão, torneio onde a equipe terminou na terceira colocação.

Carreira[editar | editar código-fonte]

O início[editar | editar código-fonte]

Jens Lehmann começou a carreira profissional no Schalke 04, em 1988, onde consagrou-se campeão da Taça UEFA (atual UEFA Europa League) de 1996-97. No Schalke, Lehmann viveu um momento incomum na vida de um goleiro: na temporada 1997-98, marcou um gol numa partida contra o Borussia Dortmund, time que viria a defender pouco tempo depois.

Acabou sendo contratado pelo AC Milan, onde não demonstrou boas partidas e acabou retornando à Alemanha em 1999 para defender o Borussia Dortmund.[1]

Arsenal[editar | editar código-fonte]

Lehmann em ação pelo Arsenal.

Em 25 de julho de 2003, foi contratado pelo Arsenal para ser substituto de David Seaman, goleiro em fim de carreira e até então titular absoluto, há 13 anos atuando pelos Gunners. No clube londrino, Lehmann alcançou o ápice de sua carreira. Fez parte do elenco campeão da Premier League de forma invicta na temporada 2003-04, venceu também a FA Cup e a FA Community Shield. Foi apelidado de Crazy Jens pelos torcedores do clube, por sua várias defesas surpreendentes e saídas do gol pouco comuns.

Na temporada 2005-06, foi titular também na campanha do Arsenal rumo ao vice-campeonato da Champions League, fazendo defesas destacáveis e sendo o principal protagonista da vitória sobre o Villarreal, na semi-final, quando defendeu um pênalti do argentino Juan Román Riquelme. Na final, os ingleses terminaram derrotados pelo Barcelona comandado por Ronaldinho Gaúcho, que vivia o melhor momento de sua carreira. Nesta partida, Lehmann acabou expulso ainda no primeiro tempo, após interceptar de forma violenta uma arrancada do camaronês Samuel Eto'o na entrada da área. O Arsenal foi derrotado de virada por 2-1 e permaneceu com o tabu de nunca ter vencido o torneio. Apesar da derrota, Lehmann foi eleito o melhor goleiro daquela temporada pela UEFA.

Os anos se passaram e Lehmann ia se aproximando do final de sua carreira, e no primeiro jogo da Premier League 2007-08, cometeu uma falha após apenas 52 segundos de jogo, permitindo a David Healy abrir o placar para o Fulham, num dos gols mais rápidos da história da liga. Em 24 de agosto de 2007, Lehmann foi à Alemanha para tratar de uma lesão no tendão de Aquiles, e o espanhol Manuel Almunia, então goleiro reserva, assumiu sua posição. Quatro meses depois, Lehmann retornou numa partida pela Champions League, contra o Steaua Bucareste. Entretanto, Almunia havia ganho espaço, e Lehmann, ainda sem totais condições de atuar em várias partidas num curto intervalo de tempo, acabou sendo preterido e tornou-se reserva.

Após uma lesão de Almunia no início de abril de 2008, Lehmann estava de volta à meta do Arsenal para um importante jogo contra o Manchester United, em 13 de abril. O Arsenal perdeu o jogo por 2-1, dando adeus às suas chances de conquista do título da Premier League 2007-08, e finalizando a sua terceira temporada consecutiva sem títulos importantes. Houve especulações de que este havia sido o último jogo de Lehmann nos Gunners, mas ele retornou em 19 de abril, num jogo contra o Reading, em que o Arsenal venceu por 2-0. Fez outra aparição num jogo contra o Everton em 4 de maio. Neste jogo, foi aplaudido de pé pelos torcedores após o apito final. Pouco tempo depois, foi oficialmente confirmado que aquela havia sido a última partida de Lehmann pelo Arsenal.

VfB Stuttgart[editar | editar código-fonte]

Em junho do mesmo ano, foi anunciado que Lehmann havia assinado um contrato de curto prazo com o VfB Stuttgart. O contrato era de um ano, e o mais provável é que ele se aposentaria ao final do mesmo.

Fez sua estréia oficial pelo Stuttgart em 10 de agosto pela DFB-Pokal, a Copa da Alemanha, numa vitória por 5-0 sobre o Hansa Lüneburg, e sua estreia pelo clube na Bundesliga viria uma semana depois, na vitória por 3-1 sobre o Borussia Mönchengladbach.

Em 3 de abril de 2009, contrariando as expectativas, o contrato de Lehmann foi renovado até o final da temporada 2009-10, e ele atuaria pelo Stuttgart por mais uma temporada. Sua passagem pelo Stuttgart foi marcada também por um episódio incomum, e até cômico: em dezembro de 2009, pela Champions League, foi flagrado urinando atrás de uma placa de publicidade numa partida contra o Unirea, da Romênia. Entretanto, quando sua equipe sofreu um ataque, o goleiro interrompeu seu ato e rapidamente pulou para dentro do campo. O time alemão venceu por 3 a 1 e se classificou para as oitavas-de-final.

Pouco mais de um ano depois, em 30 de junho de 2010, anunciou oficialmente sua aposentadoria aos 40 anos de idade.

Retorno da aposentadoria[editar | editar código-fonte]

Apesar de se ter aposentado oficialmente do futebol no final da temporada 2009-10. No entanto Lehmann retornou aos gramados a pedido de Arsene Wenger que sofre com as contusões de três dos goleiros do Arsenal, Manuel Almunia, Łukasz Fabiański e Wojciech Szczęsny levaram o clube a convencer Lehmann a assinar um contrato de seis meses, que terminará ao final da temporada 2010-11.

Após o retorno, fez sua estreia em 10 de abril de 2011, na vitória por 3-1 sobre o Blackpool. Apesar de estar há cerca de um ano afastado do futebol profissional, Lehmann apresentou-se em boa forma nesta partida, fazendo algumas boas defesas. Ao final da temporada, aposentou-se em definitivo.


Lehmann durante treinamento pela Seleção Alemã.

Seleção Alemã[editar | editar código-fonte]

Estreou pela Seleção Alemã em 1998, num amistoso contra a Omã, mas foi durante muitos anos reserva do consagrado Oliver Kahn, soberano na posição e eleito o melhor goleiro da Copa do Mundo de 2002, onde a Alemanha foi derrotada pelo Brasil.

Ao mesmo tempo que se destacava cada vez mais no Arsenal, Lehmann também passou a ser elogiado pelos alemães, que o pediam na posição de titular da seleção nacional. Oliver Kahn, de quem Lehmann era reserva havia muito tempo, vivia seus últimos anos de carreira e estava caindo numa decadência. Em meados de 2004, Lehmann teve algumas chances como titular e agradou aos torcedores alemães. Com Jens em grande fase, parecia claro que Kahn perderia sua vaga entre os titulares para a Copa do Mundo que aconteceria dois anos depois em território alemão.

Copa do Mundo de 2006[editar | editar código-fonte]

Aconteceu o mais provável, e em 7 de abril de 2006 o então treinador Jürgen Klinsmann confirmou Lehmann como o titular da Alemanha no Mundial. Os dois gols sofridos na partida de estreia da Copa do Mundo contra a Costa Rica puseram a capacidade de Lehmann em questão, apesar da Alemanha ter vencido o jogo por 4-2. Apesar das dúvidas, Klinsmann manteve-o como titular. A decisão obteve êxito, já que Lehmann não sofreu mais nenhum gol na fase de grupos, com a Alemanha vencendo a Polônia por 1-0 e o Equador por 3-0, e classificando-se na primeira colocação do grupo A com 100% de aproveitamento.

Nas oitavas-de-final, os alemães passaram facilmente pela Suécia, 2-0 e mais uma partida sem sofrer gols. Mas a grande partida de Lehmann na Copa viria no jogo das quartas-de-final. A partida histórica contra a Argentina, que também estava invicta no torneio, é apontada por muitos como um dos grandes jogos em Copas do Mundo, não só pela emoção da partida, mas também pelo empenho e raça demonstrado pelos jogadores em campo. O jogo terminou empatado por 1-1 após 90 minutos. Após uma prorrogação sem gols, cabia a Lehmann manter a Alemanha viva no Mundial numa disputa por pênaltis, e ele o fez. Após defender duas cobranças, uma de Roberto Ayala e a outra de Esteban Cambiasso, Jens havia colocado os alemães na semi-final, e agora estava mais consagrado do que nunca no posto de titular.

Após a classificação, no caminho da Seleção Alemã estava a Itália. Os italianos tiveram muitas oportunidades de marcar o gol que lhes daria a classificação, mas Lehmann fez várias boas defesas. A Alemanha iria mais uma vez para a prorrogação, e com a Itália melhor no jogo, era cada vez mais difícil evitar a eliminação. Nos dois últimos minutos da prorrogação, aos 119 e 120, os italianos marcaram dois gols, com Fabio Grosso e Alessandro Del Piero, este último num lance de tremendo "apagão" do setor defensivo alemão. Na decisão pelo terceiro lugar, Oliver Kahn, que se aposentaria da seleção após a Copa, recebeu uma homenagem e foi posto na posição de titular, fazendo sua despedida do Nationalelf. Os alemães venceram por 3-1 e ficaram com a terceira colocação do torneio.

Pós-Copa[editar | editar código-fonte]

Permaneceu como titular após a Copa do Mundo, ajudando a Alemanha na classificação para a Euro 2008. Na Eurocopa, os alemães novamente apresentaram-se em grande forma, sendo finalistas do torneio. Na final, foram derrotados por 1-0 pela Espanha, apontada por muitos como a melhor seleção do mundo e que viria a ser campeã mundial dois anos depois.

Em 8 de agosto de 2008, logo após a Euro, Lehmann anunciou oficialmente sua aposentadoria da Seleção Alemã.

Títulos[editar | editar código-fonte]

Schalke 04
Milan
Borussia Dortmund
Arsenal

Prêmios individuais[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Perfil na Transfermarkt». Consultado em 20 de março de 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]