Alessandro Del Piero

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Alessandro Del Piero
Alessandro Del Piero
Del Piero em 2013.
Informações pessoais
Nome completo Alessandro Del Piero
Data de nasc. 9 de novembro de 1974 (48 anos)
Local de nasc. Conegliano, Itália
Altura 1,73 m
ambidestro
Apelido Pinturicchio
Ale
Il Capitano
Principe di Turin
Informações profissionais
Clube atual aposentado
Posição atacante
Clubes de juventude
1982–1988
1988–1991
San Vendemiano
Padova
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos e gol(o)s
1991–1993
1993–2012
2012–2014
2014
Padova
Juventus
Sydney FC
Odisha
00014 0000(1)
00706 00(290)
00048 000(24)
00010 0000(1)
Seleção nacional
1991
1992–1993
1993–1996
1995–2008
Itália Sub-17
Itália Sub-18
Itália Sub-21
Itália
00003 0000(1)
00014 000(12)
00011 0000(3)
00091 000(27)

Alessandro Del Piero (Conegliano, 9 de novembro de 1974) é um ex-futebolista italiano que atuava como atacante.

É considerado, inclusive por outros jogadores, como um dos maiores jogadores italianos de todos os tempos.[1] Também se destaca como um dos maiores cobradores de falta da história do futebol mundial, com 53 gols de falta em toda sua carreira profissional.[2]

Atuou a maior parte de sua carreira na Juventus, onde jogou por dezenove anos e conquistou dezesseis títulos oficias. Ele é considerado por muitos torcedores e pela imprensa, como o maior ídolo da história do clube.[3] Del Piero detém os recordes de maior artilheiro e de jogador com o maior número de partidas disputadas pela Juventus. Também defendeu a Seleção Italiana e fez parte do grupo que conquistou a Copa do Mundo FIFA de 2006.[4]

Em 2012, após o seu contrato com a Juventus ter encerrado, o experiente jogador anunciou sua ida para o modesto Sydney, da Austrália. Atuou por duas temporadas e tornou-se o segundo maior artilheiro da história do clube, com 24 gols em 48 jogos.

Após deixar o Sydney, Del Piero aceitou outro desafio na carreira, indo jogar no Delhi Dynamos, da Superliga Indiana. Em 2014 se aposentou e atualmente exerce a função de comentarista esportivo na Itália.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Início no Padova[editar | editar código-fonte]

Em 1991, com apenas 16 anos de idade, Alessandro Del Piero passava a receber a sua primeira chance de estar entre os profissionais do Padova. O jovem atacante só estrearia na metade da temporada, já em março de 1992, contra a Messina, em partida válida pela Serie B.[5]

Assim como em sua temporada inicial, em 1992–93, Del Piero ficou muito mais vezes como opção no banco de reservas. No entanto, em suas poucas oportunidades com a camisa do clube, o jogador se destacou. Em partida contra o Ternana, pela Serie B, Del Piero marcou seu primeiro gol como profissional, numa goleada por 5 a 0. O maior detalhe é que nesse duelo o atacante esteve em campo por apenas 17 minutos e mostrou muito futebol.

As boas atuações pelo Padova despertaram o interesse de um lendário ídolo da Juventus, Giampiero Boniperti, que agilizou a contratação do jogador para o clube de Turim. Assim, Del Piero apenas encerrou a temporada 1992–93 e já deixou a equipe de Vêneto. No total, o atacante atuou em 14 partidas pelo Padova e anotou um gol.[6]

Juventus[editar | editar código-fonte]

Foi contratado pela Juventus em julho de 1993, clube da qual viria a defender fielmente por dezenove anos seguidos. O atacante rapidamente se integrou à nova equipe e, ainda que não fosse titular, conseguiu ganhar espaço logo na primeira temporada.

O jovem Alessandro Del Piero marcou seu primeiro gol na sua segunda partida pela Juventus, uma semana após estrear contra o Foggia. Foi dele o último gol da goleada por 4 a 0 sobre a Reggiana, no Estádio delle Alpi. Em sua capa, a revista semanal Guerín Sportivo cravou: "É nata una stella (Nasce uma estrela)." A publicação não poderia estar mais certa. Com um bom inicio, a expectativa era de que Del Piero continuasse no elenco profissional da Juventus, mas não foi isso o que aconteceu. Mesmo contra a vontade do técnico Giovanni Trapattoni, o jogador foi repassado para a equipe Sub-20 da Velha Senhora. Dessa forma, enquanto esteve na base, o atacante brilhou e venceu o Torneo di Viareggio de 1994 e o Campeonato Italiano Sub-20 do mesmo ano.

Na temporada seguinte, sob o comando de Marcello Lippi, Del Piero recebeu uma oportunidade temporária de estar entre os titulares da Juventus, após lesão de Roberto Baggio. Assim, ele conseguiu desempenhar um bom papel em um ataque com Gianluca Vialli e Fabrizio Ravanelli. Naquele ano, ele ajudou sua equipe a faturar o Campeonato Italiano e a Copa da Itália.

Já na temporada 1995–96, Del Piero tornou-se protagonista e faturou o título mais importante de sua equipe, a Liga dos Campões da UEFA. A partir dali, começava sua era de triunfos, sobretudo em nível nacional, quando o jogador venceu os títulos da Serie A nas temporadas de 1996-97, 1997–98, 2001–02, 2002–03 e 2011–12. O atacante foi fundamental em todas essas conquistas, marcando gols decisivos ou distribuindo assistências para os seus companheiros, sempre estando entre os melhores jogadores de cada competição.[7]

Camisa comemorativa dos 500 jogos de Del Piero pela Juventus

O atacante não abandonou a Juventus quando a mesma caiu para a Serie B em 2005–06 e fez uma grande temporada 2006–07, marcando vinte gols na Serie B, sendo artilheiro do campeonato e ajudando no retorno à Serie A após a Juve ter sido rebaixada no escândalo de manipulações de jogos conhecido como Calciopoli.[8] Apesar da sua idade já avançada, a sua experiência e talento eram fundamentais na equipe de Turim, com destaque. Del Piero marcou 25 gols na temporada 2007–08, sendo 21 deles na Serie A, sagrando-se artilheiro do campeonato mesmo após estar muitos gols atrás de Marco Borriello e David Trezeguet, que disputavam a artilharia desde o começo e acabaram sendo ultrapassados.

Del Piero atuando pela Juventus na Serie B

No dia 5 de novembro de 2008, em jogo válido pela fase de grupos da Liga dos Campeões da UEFA, Del Piero marcou dois gols contra o Real Madrid em pleno Santiago Bernabéu.[9] O atacante foi aplaudido de pé pela torcida de Madrid, feito que aconteceu apenas com Diego Maradona, Ronaldinho Gaúcho, Andrés Iniesta e Lionel Messi.[10]

Del Piero atuando pela Juventus em 2009

No dia 30 de outubro de 2010, na vitória por por 2 a 1 contra o Milan, Del Piero chegou ao gol de número 179 na história do Campeonato Italiano e se tornou o maior artilheiro do clube na competição.[11] Bandeira da Juventus, jogador mais querido da torcida Juventina, Del Piero sempre demonstrou muita garra dentro de campo. Um verdadeiro 10, mágico em campo e exemplo de pessoa dentro e fora dele.

Na temporada 2011–12, aos 36 anos, Del Piero afirmou que sonhava em encerrar a carreira na Juventus, mas foi anunciado pelo presidente Andrea Agnelli que não teria seu contrato renovado.[12] Assim, o atacante fez sua despedida diante da torcida no dia 13 de maio de 2012, no Juventus Stadium, contra a Atalanta.[13] O atacante marcou um gol aos 22 minutos do primeiro tempo e ajudou na vitória por 3 a 1, confirmando de vez o título invicto da Serie A.[14] Foi uma despedida merecida, levantando o troféu de ouro e trazendo a terceira estrela para a camisa bianconera.[15] Já no dia 20 de maio, na final da Copa da Itália, contra o Napoli, Del Piero realizou sua última partida pela Juventus.[16] No entanto, o atacante não teve uma boa atuação e a equipe de Turim acabou perdendo por 2 a 0.[17]

Sydney[editar | editar código-fonte]

Em setembro anunciou sua ida para o futebol australiano, sendo contratado pelo Sydney.[18] Por lá atuou por duas temporadas, se tornando o segundo maior artilheiro do clube, com 24 gols em 48 jogos.

Delhi Dynamos[editar | editar código-fonte]

No final do seu contrato, Del Piero aceitou outro desafio na carreira, indo jogar no no Delhi Dynamos, que disputa a Superliga Indiana.[19] Atuou na equipe por apenas quatro meses, se aposentando no final de 2014.

Seleção Nacional[editar | editar código-fonte]

Após representar a Itália nas categorias de base, recebeu sua primeira convocação para a Seleção Italiana principal em 1995. O atacante foi importantíssimo na Euro 96, na Copa do Mundo FIFA de 1998 e na Euro 2000 (onde chegou à final). Del Piero também marcou presença na Euro 2004, onde jogou as três partidas da fase final.[20] Dois anos depois, na Copa do Mundo FIFA de 2006, foi super útil à Seleção, marcando gols decisivos como na semifinal contra a Alemanha, na segunda etapa da prorrogação, liquidando de vez qualquer chance de reação dos alemães.[21] Já na final contra a França, converteu um dos pênaltis e ajudou o seu país na conquista do tetracampeonato.[4]

Nas eliminatórias para a Euro de 2008, Del Piero não foi tão importante para a Seleção, muito por culpa do treinador Roberto Donadoni, que não gostava dele. Apesar disso, Donadoni convocou-o para a disputa da Eurocopa em junho, pois ele tinha sido artilheiro da Serie A com 21 gols.[22][23]

Estilo de jogo[editar | editar código-fonte]

Um dos jogadores mais queridos pelos italianos, Del Piero podia jogar como um segundo atacante, numa posição que intermedeia o meio-campista e o centroavante. Além de ótimo finalizador, Del Piero tinha várias características interessantes, dada a forma como batia faltas, sempre perigosas (era considerado um dos maiores batedores de faltas da sua geração).[24] Já marcou muitos gols de bola parada devido a esta sua habilidade para a cobrança de faltas.[2] Finalizador nato, tinha um bom instinto de matador que, junto com a técnica aperfeiçoada que possuía, lhe valiam muitos gols.

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Atualizadas até 19 de outubro de 2014

Clubes[editar | editar código-fonte]

Clube Temporada Campeonato
nacional
Copa
nacional
Competições
internacionais¹
Supercopa
nacional
Total
Jogos Gols Jogos Gols Jogos Gols Jogos Gols Jogos Gols
Padova 1991–92 4 0 4 0
1992–93 10 1 10 1
Total 14 1 14 1
Juventus 1993–94 11 5 1 0 2 0 14 5
1994–95 29 8 10 1 11 1 50 10
1995–96 29 6 2 1 11 6 1 0 43 13
1996–97 22 8 4 0 9 7 35 15
1997–98 32 21 4 1 10 10 1 0 47 32
1998–99 8 2 1 0 4 0 1 1 14 3
1999–00 34 9 2 1 9 2 45 12
2000–01 25 9 2 0 6 0 33 9
2001–02 32 16 4 1 10 4 46 21
2002–03 24 16 13 5 1 2 38 23
2003–04 22 8 4 3 4 3 1 0 31 14
2004–05 30 14 1 0 10 3 41 17
2005–06 33 12 4 5 7 3 1 0 45 20
2006–07 35 20 2 3 37 23
2007–08 37 21 4 3 41 24
2008–09 31 13 3 2 9 6 43 21
2009–10 23 9 1 2 5 0 29 11
2010–11 33 8 2 0 10 3 45 11
2011–12 23 3 5 2 28 5
Total 513 208 56 25 130 53 6 4 705 290
Sydney 2012–13 24 14 24 14
2013–14 24 10 24 10
Total 48 24 48 24
Delhi Dynamos 2014 2 0 2 0
Total 2 0 2 0
Total na carreira 563 232 56 25 130 53 6 4 755 314

¹Na categoria Competições internacionais estão incluídos jogos da Liga dos Campeões da UEFA, Copa da UEFA, Supercopa da UEFA, Copa Intertoto da UEFA e Copa Intercontinental

Títulos[editar | editar código-fonte]

Juventus
Seleção Italiana

Prêmios individuais[editar | editar código-fonte]

Artilharias[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Carlos Ramos. «Del Piero: o cavalheiro da Velha Senhora». oGol. Consultado em 5 de novembro de 2021 
  2. a b Leandro Stein (9 de novembro de 2015). «Nos 41 anos de Del Piero, veja todos os gols de falta do maestro da Juve». Trivela. Consultado em 5 de novembro de 2021 
  3. Lucas Dias Ferreira (12 de setembro de 2013). «20 anos da estreia de Alessandro Del Piero, o maior ídolo da história da Juventus». Yahoo. Consultado em 6 de agosto de 2022 
  4. a b Felipe Lobo (9 de julho de 2016). «Há 10 anos, a Itália tornava real o sonho do tetra contra a França na Copa 2006». Trivela. Consultado em 5 de novembro de 2021 
  5. «Alessandro Del Piero: maior ídolo da Juventus e um dos melhores jogadores da última geração italiana campeã». Lendas do Futebol. Consultado em 6 de agosto de 2022 
  6. «Del Piero - Copa do Mundo 2006». UOL. Consultado em 5 de novembro de 2021 
  7. Leonardo Bertozzi (18 de outubro de 2011). «Del Piero, lenda, merecia mais respeito». ESPN Brasil. Consultado em 6 de agosto de 2022 
  8. Rodrigo Antonelli (9 de janeiro de 2017). «Alessandro Del Piero, o campeão que acatou a Serie B». Calciopédia. Consultado em 5 de novembro de 2021 
  9. «Em noite de Del Piero, Juventus bate Real e passa para as oitavas-de-final». GloboEsporte.com. 5 de novembro de 2008. Consultado em 5 de novembro de 2021 
  10. «Cristiano Ronaldo, Ronaldinho e mais. Doze jogadores que foram aplaudidos pela torcida rival». Goal.com. 6 de abril de 2018. Consultado em 5 de novembro de 2021 
  11. «De forma sofrida, Juventus leva a melhor no clássico contra o Milan». GloboEsporte.com. 30 de outubro de 2010. Consultado em 5 de novembro de 2021 
  12. «Del Piero diz que sonha em encerrar carreira na Juventus». Terra. 17 de abril de 2012. Consultado em 5 de novembro de 2021 
  13. «Em domingo de despedidas, Juve e Milan encerram Italiano com vitórias». GloboEsporte.com. 13 de maio de 2012. Consultado em 5 de novembro de 2021 
  14. «Lendas: Inzaghi e Del Piero marcam em dia de despedidas». Trivela. 13 de maio de 2012. Consultado em 5 de novembro de 2021 
  15. «Del Piero se emociona: 'Não poderia imaginar uma despedida melhor'». GloboEsporte.com. 14 de maio de 2012. Consultado em 5 de novembro de 2021 
  16. «VÍDEO: Maior ídolo do clube, Del Piero se despede da Juventus; relembre gols marcantes». ESPN Brasil. 21 de maio de 2012. Consultado em 5 de novembro de 2021 
  17. «Em despedida de Del Piero, Napoli é quem faz a festa e leva a Copa da Itália». GloboEsporte.com. 20 de maio de 2012. Consultado em 5 de novembro de 2021 
  18. «Após 19 anos na Juventus, Del Piero é contratado por clube da Austrália». UOL. 5 de setembro de 2012. Consultado em 5 de novembro de 2021 
  19. «Del Piero anuncia que jogará na Índia e se juntará a outros veteranos no país». GloboEsporte.com. 28 de agosto de 2014. Consultado em 5 de novembro de 2021 
  20. «Sem Inzaghi e Maldini, Itália é convocada para a Eurocopa». UOL. 18 de maio de 2004. Consultado em 5 de novembro de 2021 
  21. «Itália abandona cautela, foge dos pênaltis e elimina a anfitriã». UOL. 4 de julho de 2006. Consultado em 5 de novembro de 2021 
  22. «Donadoni convoca Del Piero e deixa Inzaghi fora da Eurocopa». NSC Total. 20 de maio de 2008. Consultado em 19 de julho de 2022 
  23. «Itália anuncia convocados para Eurocopa de 2008». UOL. 28 de maio de 2008. Consultado em 5 de novembro de 2021 
  24. «11 dos maiores cobradores de falta da história do futebol». 90min. 13 de março de 2019. Consultado em 19 de julho de 2022 
  25. «Lista de craques de Pelé para Fifa tem maioria brasileira». BBC Brasil. 4 de março de 2004. Consultado em 5 de novembro de 2021 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]