Marco Materazzi

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Marco Materazzi
Marco Materazzi
Materazzi em 2020
Informações pessoais
Nome completo Marco Materazzi
Data de nasc. 19 de agosto de 1973 (49 anos)
Local de nasc. Lecce, Itália
Nacionalidade italiano
Altura 1,93 m
canhoto
Apelido Matrix
Informações profissionais
Clube atual aposentado
Posição zagueiro
Clubes de juventude
1988–1990 Lazio
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos)
1990–1991
1991–1993
1993–1994
1994–1995
1995–1998
1996–1997
1998–1999
1999–2001
2001–2011
2014
Messina
Tor di Quinto
Marsala
Trapani
Perugia
Carpi (emp.)
Everton
Perugia
Internazionale
Chennaiyin
0001 0000(0)
0012 0000(0)
0025 0000(4)
0013 0000(2)
0049 0000(7)
0018 0000(7)
0033 0000(2)
0057 000(15)
0302 000(21)
0007 0000(0)
Seleção nacional
2001–2008 Itália 0041 0000(2)
Times/clubes que treinou
2014–2016 Chennaiyin (jogador-treinador)

Marco Materazzi (Lecce, 19 de agosto de 1973) é um ex-futebolista italiano que atuava como zagueiro.

Teve boa passagem pela Internazionale, atuou por dez anos na equipe e conquistou diversos títulos, com destaque para a Liga dos Campeões da UEFA de 2009–10.[1] Já pela Seleção Italiana, ficou famoso mundialmente quando recebeu uma cabeçada no peito do craque francês Zinédine Zidane, na final da Copa do Mundo FIFA de 2006. Na ocasião, a Itália de Materazzi venceu a França na decisão por pênaltis e conquistou o tetracampeonato.

Carreira como jogador[editar | editar código-fonte]

Início[editar | editar código-fonte]

Começou sua carreira nas divisões mais baixas do Campeonato Italiano, jogando pelo Messina (1990–91), passando pelos modestos Tor di Quinto (1991–92) e Marsala (1993–94), até chegar ao Trapani (1994–95). O Perugia, então na Serie B, contratou Materazzi em 1995.

Everton e Perugia[editar | editar código-fonte]

Na temporada 1998–99, Materazzi foi contratado pelo Everton, da Inglaterra, mas não se adaptou ao futebol inglês e acabou voltando ao Perugia na temporada seguinte. O zagueiro foi o goleador da equipe na temporada 2000–01, com 12 gols, e tornou-se o defensor com mais gols feitos numa edição da Serie A, quebrando o recorde de Daniel Passarella.[2]

Internazionale[editar | editar código-fonte]

Foi contratado pela Internazionale em 2001, por 10 milhões de euros. Com os Nerazzurri, ganhou a Copa da Itália duas vezes, em 2005 e em 2006. Durante esse período, foi capitão da equipe por diversas vezes devido às lesões do então capitão do time, o argentino Javier Zanetti.

Materazzi também se envolveu em diversos incidentes durante seu tempo na Inter. Na temporada 2002–03, num clássico contra o Milan, em jogo válido pela Liga dos Campeões da UEFA, o zagueiro fez uma marcação individual no astro Andriy Shevchenko, chegando a provocar o atacante ucraniano. Já na temporada seguinte, foi suspenso por dois meses[3] depois de dar um soco em Bruno Cirillo, do Siena, no dia 1 de fevereiro de 2004, na goleada da Inter por 4 a 0.[4] Voltou a envolver-se numa polêmica no dia 4 de abril de 2006, na Liga dos Campeões da UEFA, após dar uma cotovelada no rosto do lateral Juan Pablo Sorín, do Villarreal, que o fez sangrar. Na ocasião, a Inter perdeu por 1 a 0 e foi eliminada da competição.[5]

Na temporada 2005–06 do Calcio, a Internazionale herdou o título da Juventus, graças aos escândalos de manipulação de resultados. Já na temporada 2006–07, Marco foi bi campeão do Calcio. Sagrou-se tricampeão na temporada 2007–08, tetra na temporada 2008–09 e penta em 2009–10.

O seu maior feito foi sob o comando do técnico português José Mourinho: ter vencido a Liga dos Campeões da UEFA de 2009–10.[6] Mourinho fez Materazzi entrar em campo na final contra o Bayern de Munique, faltando apenas alguns minutos para o fim da partida, dando ao zagueiro o reconhecimento e o prazer de jogar uma final da Champions.

No dia 20 de junho de 2011, rescindiu seu contrato com a Inter. A decisão foi tomada em consenso, após uma reunião do jogador com o presidente do clube, Massimo Moratti.[7] Assim, Materazzi anunciou a sua aposentadoria do futebol.

Chennaiyin[editar | editar código-fonte]

Voltou atrás na decisão da aposentadoria em 2014, ao ser contratado pelo Chennaiyin, da Índia, para ser jogador-treinador da equipe.

Seleção Nacional[editar | editar código-fonte]

Materazzi com a Seleção Italiana em junho de 2006

Pela Seleção Italiana, Materazzi foi um dos 23 jogadores convocados pelo técnico Marcello Lippi para a Copa do Mundo FIFA de 2006, realizada na Alemanha.[8] Inicialmente seria reserva na competição, até que a lesão de Alessandro Nesta permitiu que ele fosse titular.[9]

Substituindo Nesta no jogo contra a República Tcheca, Materazzi marcou o primeiro gol do jogo, de cabeça, após cobrança de escanteio de Francesco Totti. A Itália ampliou com Filippo Inzaghi e venceu por 2 a 0.[10] Depois da partida, o zagueiro defendeu seu companheiro Daniele De Rossi, que havia dado uma cotovelada em Brian McBride no jogo contra os Estados Unidos, e que havia tomado quatro jogos de suspensão. Já no jogo seguinte, contra a Austrália, Materazzi foi expulso aos 5 minutos do segundo tempo[11] e não pôde atuar contra a Ucrânia de Andriy Shevchenko, seu adversário no Campeonato Italiano.

O zagueiro voltou a atuar contra a Alemanha nas semifinais, na vitória por 2 a 0, e foi titular na final contra a França. No entanto, logo aos 7 minutos de jogo, Materazzi cometeu um pênalti, que foi convertido por Zinédine Zidane. Logo depois, o zagueiro a partida com um gol de cabeça após um escanteio cobrado por Andrea Pirlo. Posteriormente, durante a prorrogação, Materazzi envolveu-se em mais uma polêmica. Após proferir algumas palavras para Zidane, foi agredido pelo meio-campista e recebeu uma cabeçada bem na altura do peito.[12] Zidane foi expulso, o jogo terminou empatado em 1 a 1, mas a Itália sagrou-se tetracampeã mundial após vencer nos pênaltis.[13] O zagueiro marcou na disputa por pênaltis, vencida por 5 a 3, e foi um dos artilheiros da equipe ao lado de Luca Toni, com dois gols marcados na competição.

Estilo de jogo[editar | editar código-fonte]

Materazzi sempre foi conhecido por sua refinada técnica, apesar de ser zagueiro. Também ficou conhecido por suas entradas fortes, que lhe acarretaram vários cartões amarelos e vermelhos,[14] além de ter o hábito de provocar seus adversários.[15]

Carreira como treinador[editar | editar código-fonte]

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Clube Jogos Vitórias Empates Derrotas
Chennaiyin 47 19 12 16

Títulos[editar | editar código-fonte]

Como jogador[editar | editar código-fonte]

Internazionale
Seleção Italiana

Como treinador[editar | editar código-fonte]

Chennaiyin

Referências

  1. «Inter de Milão vence Bayern e conquista a Liga dos Campeões». GZH. 22 de maio de 2010. Consultado em 3 de junho de 2022 
  2. João Azeredo (24 de julho de 2020). «Os 10 zagueiros que mais fizeram gols em uma só temporada neste século». 90min. Consultado em 3 de junho de 2022 
  3. «Cirillo: "Prima gli insulti, poi il pugno" | Materazzi rischia una lunga squalifica» (em italiano). La Repubblica. 2 de fevereiro de 2004. Consultado em 3 de junho de 2022 
  4. «Match Report | 2003-04 | 19ª Giornata» (em inglês). Lega Serie A. 1 de fevereiro de 2004. Consultado em 3 de junho de 2022 
  5. «Argentinos do Villarreal eliminam a Inter da Liga dos Campeões». UOL. 4 de abril de 2006. Consultado em 3 de junho de 2022 
  6. «Após 45 anos e com show de Milito, Inter de Milão conquista a Liga». GloboEsporte.com. 22 de maio de 2010. Consultado em 3 de junho de 2022 
  7. «Famoso por episódio com Zidane em 2006, Materazzi rescinde com o Inter». GloboEsporte.com. 20 de junho de 2011. Consultado em 3 de junho de 2022 
  8. «Dos 23 campeões do mundo com a Itália em 2006, 11 viraram técnicos e um foi condenado à prisão; veja onde estão todos». ESPN Brasil. 21 de setembro de 2018. Consultado em 3 de junho de 2022 
  9. «Zagueiro Nesta sofre por desfalcar Itália na final». UOL. 7 de julho de 2006. Consultado em 3 de junho de 2022 
  10. Thiago Barros Ribeiro (22 de junho de 2006). «Itália faz 2 a 0 na República Tcheca e fica em primeiro no Grupo E». Folha de S.Paulo. Consultado em 3 de outubro de 2022 
  11. «Única falta causa expulsão do 'açougueiro' italiano». 26 de junho de 2006. Consultado em 3 de outubro de 2022 
  12. «Zidane diz que Materazzi xingou mãe e irmã». UOL. 12 de julho de 2006. Consultado em 3 de junho de 2022 
  13. Felipe Lobo (9 de julho de 2016). «Há 10 anos, a Itália tornava real o sonho do tetra contra a França na Copa 2006». Trivela. Consultado em 3 de junho de 2022 
  14. Nelson Oliveira (28 de julho de 2016). «Os 10 anos de Marco Materazzi na Inter de Milão». Calciopédia. Consultado em 3 de junho de 2022 
  15. «Schweinsteiger, sobre Materazzi: "Entendo a cabeçada do Zidane"». Superesportes. 16 de março de 2011. Consultado em 3 de junho de 2022 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Marco Materazzi