Marcello Lippi

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Marcello Lippi
Marcello Lippi.jpg
Informações pessoais
Nome completo Marcello Lippi
Data de nasc. 11 de abril de 1948 (71 anos)
Local de nasc. Viareggio, Itália
Nacionalidade italiano
Altura 1,83 m
Informações profissionais
Período em atividade Como jogador: 1969-1982 (13 anos)
Como técnico: 1982-presente (33 anos)
Equipa atual Sem clube
Posição Ex-líbero
Função Técnico
Clubes de juventude
1963–1969 Stella Rossa Viareggio
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos)
1969
1969–1970
1970–1980
1980–1982
Sampdoria
Savona
Sampdoria
Pistoiese
0000 0000(1)
0021 0000(2)
000? 0000(?)
000? 0000(?)
Seleção nacional
1976–1982 Itália 0002 0000(0)
Times/Equipas que treinou
1982–1985
1985–1986
1986–1987
1987–1988
1988–1989
1989–1991
1991–1992
1992–1993
1993–1994
1994–1999
1999–2000
2001–2004
2004–2006
2008–2010
2012–2014
2016–2019
2019
Sampdoria B
Pontedera
Siena
Pistoiese
Carrarese
Cesena
Lucchese
Atalanta
Napoli
Juventus
Internazionale
Juventus
Itália
Itália
Guangzhou Evergrande
China
China
Última atualização: 3 de julho de 2017

Marcello Lippi (Viareggio, 11 de abril de 1948) é um técnico e ex-futebolista italiano que atuava como líbero. Foi o técnico da Seleção Italiana campeã da Copa do Mundo de 2006, na Alemanha.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Ganhou destaque internacional como treinador ao assumir a Seleção Italiana em 2004, substituindo Giovanni Trapattoni após a campanha do time na Eurocopa daquele ano. Seu nome foi indicado pela imprensa e pela torcida, dado o excelente trabalho desenvolvido nos dois períodos em que treinou a Juventus, onde ficou conhecido por levar uma equipe que vivia à sombra do Milan a voltar aos dias de glória, conquistando vários Campeonatos Italianos e era presença constante na Liga dos Campeões da UEFA.

Na Copa do Mundo de 2006 viveu um drama: vários de seus jogadores convocados para a Seleção Italiana atuavam em clubes que foram denunciados pela compra e manipulação de resultados na Loteria Esportiva da Itália. Clubes como a Juventus foram rebaixados para a Segunda Divisão, enquanto o Milan começou o campeonato com 12 pontos a menos. Coube a Lippi mexer com os brios dos atletas, para que estivessem com ânimo para jogar a Copa do Mundo de 2006. Conseguiu de tal modo que a Azzurra embarcou para o torneio para conquistar o título, mesmo não sendo uma das favoritas. Nem o confronto diante da dona da casa, a Alemanha, nas semifinais, fez a equipe perder o foco na conquista do título.

Deixou a Seleção Italiana no dia 12 de julho de 2006, três dias após a conquista da Copa do Mundo. Foi substituído pelo ex-jogador Roberto Donadoni.

Em junho de 2008, após o Eurocopa, foi anunciado novamente como técnico da Azzurra.[1]

No entanto, na Copa do Mundo de 2010, realizada na África do Sul, a Seleção Italiana teve um pífio desempenho. Foram eliminados logo na primeira fase da competição, sendo a pior campanha na história da Azzurra.

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Atualizadas até o dia 2 de novembro de 2014.

Clube Jogos Vitórias Empates Derrotas
Pontedera 34 10 17 7
Siena 34 5 14 15
Pistoiese 34 10 15 9
Carrarese 34 10 16 8
Cesena 72 13 25 34
Lucchese 42 9 22 11
Atalanta 36 14 9 13
Napoli 36 12 13 11
Juventus 244 137 65 42
Internazionale 50 25 11 14
Juventus 161 90 39 32
Itália 26 11 10 5
Guangzhou Evergrande 126 82 23 21
Total 958 445 289 224

Títulos[editar | editar código-fonte]

Atalanta
Juventus
Guangzhou Evergrande
Seleção Italiana

Referências