Fabio Cannavaro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Fabio Cannavaro
Fabio Cannavaro
Cannavaro em 2011
Informações pessoais
Nome completo Fabio Cannavaro
Data de nasc. 13 de setembro de 1973 (48 anos)
Local de nasc. Nápoles, Itália
Altura 1,75 m[1]
destro
Apelido Capitano
Informações profissionais
Equipa atual Guangzhou Evergrande
Posição ex-zagueiro
Função treinador
Clubes de juventude
1988–1992 Napoli
Clubes profissionais
Anos Clubes
1992–1995
1995–2002
2002–2004
2004–2006
2006–2009
2009–2010
2010–2011
Napoli
Parma
Internazionale
Juventus
Real Madrid
Juventus
Al-Ahli
Seleção nacional
1993–1997
1997–2010
Itália Sub-21
Itália
Times/Equipas que treinou
2014–2015
2015–2016
2016–2017
2017–
2019
Guangzhou Evergrande
Al-Nassr
Tianjin Quanjian
Guangzhou Evergrande
China

Fabio Cannavaro (Nápoles, 13 de setembro de 1973) é um treinador e ex-futebolista italiano que atuava como zagueiro. Atualmente comanda o Guangzhou Evergrande.

Considerado um dos maiores defensores da história do futebol italiano, foi o capitão da Seleção Italiana que conquistou a Copa do Mundo FIFA de 2006.[2]

É irmão de Paolo Cannavaro, ex-futebolista que também atuava como zagueiro.

Carreira como jogador[editar | editar código-fonte]

Melhor do Mundo em 2006[editar | editar código-fonte]

O jogador recebeu no dia 27 de novembro de 2006 a Bola de Ouro, entregue pela revista France Football para o melhor jogador do futebol europeu. Além do título mundial da Itália naquele ano, acredita-se que este título deveu-se também à sua grande exibição pela temporada no Campeonato Italiano pela Juventus, apesar dos escândalos envolvendo manipulação de resultados. Foi o primeiro jogador na posição de zagueiro a vencer o prêmio desde 1996, quando o alemão Matthias Sammer foi o vencedor.[3] O último italiano a ser prestigiado havia sido Roberto Baggio em 1993, também jogador da Juventus na época.

Ainda em 2006, no dia 18 de dezembro, foi eleito o melhor jogador do mundo pela FIFA naquele ano pela excelente performance na Copa do Mundo daquele ano.

Doping[editar | editar código-fonte]

No dia 8 de outubro de 2009, foi anunciado que o futebolista foi pego no exame antidoping realizado após a partida entre Juventus e Roma, no dia 30 de agosto.[4][5] Segundo informações, ele havia tomado uma injeção de cortisona no dia anterior a partida, para evitar uma reação alérgica a uma picada de uma abelha. Os médicos da Juventus comunicaram o caso a Seleção Italiana, que decidiu escalar o zagueiro contra a Geórgia e a Bulgária, nos dias 5 e 9 de setembro, respectivamente, pelas partidas das eliminatórias europeias. Somente após ouvir a versão do futebolista e o médico responsável, o Escritório de Procuradoria Antidoping da UEFA divulgará quais serão as punições aplicadas nesse caso.[6]

Saída da Juventus[editar | editar código-fonte]

Ao final da temporada 2009–10, foi dispensado melancolicamente pela Juventus. No dia 2 de junho de 2010 foi contratado pelo Al-Ahli, e atuou no futebol dos Emirados Árabes.[7]

Cannavaro foi convocado pelo treinador Marcello Lippi para disputar a Copa do Mundo FIFA de 2010, a quarta Copa consecutiva (e última) de sua carreira.[8]

Aposentadoria[editar | editar código-fonte]

Aposentou-se do futebol no dia 9 de julho de 2011, após a frustrante participação da Seleção Italiana na Copa do Mundo de 2010.[9][10][11] Na ocasião, a Itália foi eliminada ainda na fase de grupos com dois empates com Paraguai e Nova Zelândia (ambos por 1 a 1) e uma derrota para a Eslováquia por 3 a 2.[12] Em dezembro, foi implicado em escândalo de manipulação de jogos na Itália.[13]

Jogo pelo New York Cosmos[editar | editar código-fonte]

Cannavaro disputou um amistoso contra o Manchester United no dia 5 de agosto de 2011. O amistoso disputado marcou a despedida de Paul Scholes, lenda dos Diabos Vermelhos, e também marcou a volta para o futebol do New York Cosmos.[14]

Barasat[editar | editar código-fonte]

Em janeiro de 2012, Cannavaro foi "contratado" pelo Barasat, da Índia, para disputar apenas um torneio amistoso, juntamente com Hernán Crespo e Robert Pirès.[15]

Carreira como treinador[editar | editar código-fonte]

No dia 5 de novembro de 2014, foi indicado por seu ex-comandante na Seleção Italiana, Marcello Lippi, como novo técnico do Guangzhou Evergrande,[16] de onde saiu após 13 jogos para a entrada do brasileiro Luiz Felipe Scolari, deixando a equipe na liderança da Superliga Chinesa.

Em 2016, assinou com o Tianjin Quanjian.[17]

Títulos[editar | editar código-fonte]

Como jogador[editar | editar código-fonte]

Parma
Real Madrid
Seleção Italiana

Como treinador[editar | editar código-fonte]

Tianjin Quanjian
Guangzhou Evergrande

Gols pela Seleção Italiana[editar | editar código-fonte]

# Data Local Adversário Placar Resultado Competição
1 30 de maio de 2004 Radès, Tunísia Tunísia 0–4 Vitória Amistoso
2 6 de fevereiro de 2008 Zurique, Suíça Portugal 3–1 Vitória Amistoso

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Ano Filme Papel Ref.
2008 Porque hay cosas que nunca se olvidan Ele mesmo [18]

Referências

  1. «Fabio Cannavaro - Player Profile». Eurosport. Consultado em 10 de junho de 2021 
  2. «Os melhores jogadores de futebol da história da Itália, parte 1». OneFootball. 4 de março de 2021. Consultado em 10 de junho de 2021 
  3. Gabriel Menezes (22 de abril de 2018). «Lendas da Copa do Mundo: Fabio Cannavaro, o único zagueiro a ser escolhido como melhor do mundo». VAVEL.com. Consultado em 6 de outubro de 2019 
  4. «Cannavaro é pego no antidoping e poderá sofrer punição». Terra. 8 de outubro de 2009. Consultado em 6 de outubro de 2019 
  5. «Cannavaro é pego no exame antidoping». Jornal O Globo. 8 de outubro de 2009. Consultado em 6 de outubro de 2019 
  6. «Melhor do mundo em 2006, italiano Cannavaro é pego no exame antidoping». Blog do Arivaldo Maia. 9 de outubro de 2009. Consultado em 6 de outubro de 2019 
  7. «Al Ahli apresenta Cannavaro e anuncia novo técnico». iG. 4 de julho de 2010. Consultado em 6 de outubro de 2019 
  8. «Itália anuncia 23 convocados para a Copa sem Borriello e Rossi». ESPN.com.br. 1 de junho de 2010. Consultado em 10 de junho de 2021 
  9. «Cannavaro surpreende e anuncia sua aposentadoria do futebol». GloboEsporte.com. 9 de julho de 2011. Consultado em 6 de outubro de 2019 
  10. «Cinco anos após título mundial, Cannavaro anuncia aposentadoria». Terra. 9 de julho de 2011. Consultado em 6 de outubro de 2019 
  11. «Fabio Cannavaro anuncia aposentadoria do futebol». EXAME. 9 de julho de 2011. Consultado em 6 de outubro de 2019 
  12. «Itália perde para Eslováquia, é eliminada e fracassa no Mundial». Terra. 24 de junho de 2010. Consultado em 6 de outubro de 2019 
  13. «Buffon, Cannavaro e Gattuso são citados em escutas sobre manipulação de jogos na Itália». UOL Esporte. 28 de dezembro de 2011. Consultado em 6 de outubro de 2019 
  14. «United e Cosmos farão um amistoso em homenagem a Scholes». Trivela. 10 de junho de 2011. Consultado em 10 de junho de 2021 
  15. «Veterano Crespo vai a leilão na Índia junto com Cannavaro e Okocha». GloboEsporte.com. 30 de janeiro de 2012. Consultado em 10 de junho de 2021 
  16. «Cannavaro substitui Lippi como treinador do Guangzhou Evergrande». GloboEsporte.com. 5 de novembro de 2014. Consultado em 6 de outubro de 2019 
  17. «Cannavaro substitui Luxemburgo no comando de time da 2ª divisão da China». UOL Esporte. 7 de junho de 2016. Consultado em 6 de outubro de 2019 
  18. elpais.com/ Sesión ELPAÍS.com: "Porque hay cosas que nunca se olvidan"

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Fabio Cannavaro

Precedido por
Ronaldinho
2005
Melhor Jogador do Mundo
Fabio Cannavaro

2006
Sucedido por
Kaká
2007
Precedido por
Marcello Lippi
Luiz Felipe Scolari
Treinador do Guangzhou Evergrande
2014–2015
2017–
Sucedido por
Luiz Felipe Scolari
Precedido por
Vanderlei Luxemburgo
Treinador do Tianjin Quanjian
2016–2017
Sucedido por
Paulo Sousa
Precedido por
Marcello Lippi
Treinador da China
2019
Sucedido por
Marcello Lippi