Benevento Calcio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Benevento
Benevento Calcio.png
Nome Benevento Calcio S.r.l.
Alcunhas Stregoni (Feiticeiros)
Strega (Bruxa)
Giallorossi (Amarelo e Vermelho)
Torcedor/Adepto Giallorossi
Mascote Bruxa
Fundação 1929 Refundado em (1953, 1990 e 2005)
Estádio Ciro Vigorito
Capacidade 25.000 (pode ser limitado a 17.554 por razões de segurança)
Localização Benevento, Campânia, Itália
Presidente Oreste Vigorito
Treinador Filippo Inzaghi
Material (d)esportivo Nike
Competição Serie B
Copa da Itália
Website [1]
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
titular
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
editar

O Benevento Calcio, conhecido simplesmente como Benevento, é um clube de futebol italiano com sede na cidade de Benevento. Na temporada de 2021-22, ele jogará na Serie B.

O clube foi fundado em 1929 e foi refundada várias vezes, a última em 2005 com o nome atual. Nas temporadas de 2015-16 e 2016-17, o clube alcançou os seus maiores sucessos, conseguindo primeiro o acesso à Serie B e posteriormente à Serie A, em ambos os casos pela primeira vez em sua história, representando um feito inédito na história do futebol italiano: nunca aconteceu de um time recém-promovido na Serie B fosse promovido à primeira divisão já na primeira temporada.[1]

História[editar | editar código-fonte]

As origens[editar | editar código-fonte]

O futebol do Benevento nasceu em 6 de setembro de 1929, data da fundação da Società Sportiva Littorio Benevento, que jogava no Santa Maria degli Angeli (mais tarde denominado Meomartini) construído por Don Francesco Minocchia com a ajuda de jogadores de futebol residentes na cidade de Benevento e no bairro Libertà della città delle Streghe.[2][3]

Em sua primeira década de vida, o Benevento conquistou os títulos da Terceira, Segunda e Primeira Categoria. Na temporada de 1934-35, o clube participou pela primeira vez da Serie C, fazendo um excelente torneio sendo guiado pelo técnico hungaro Armand Halmos.

Três anos depois, na temporada de 1938-39, eles venceram o "Targa Capocci" (torneio em que participaram 22 equipas), vencendo na final o Scafatese por 5-1.

Imediatamente após a guerra, a renomeada Associazione Calcio Benevento fez bons campeonatos na Serie C, sendo campeões na temporada de 1945-46 e ganhando a promoção para a Serie B, mas desistindo devido a problemas financeiros. Nas temporadas seguintes, os Giallorossi alcançaram as primeiras posições sem, contudo, obter a promoção.[4]

Dos anos 1950 aos 1970[editar | editar código-fonte]

Nos anos 50, destaca-se a figura folclórica de Oronzo Pugliese, que treinou a equipe em 1952. Depois de um ano, porém, o clube ficou sobrecarregado de dívidas e faliu. Os amadores do Sanvito Benevento,[5] que tinham o vermelho-preto como cores e após sete anos chegaram à Serie C como o Benevento Sports Club, adotaram as cores vermelho e amarelo.

A equipe disputou a Serie C na temporada de 1960-61, terminando em quarto lugar, e a Serie D na temporada de 1961-62, onde permaneceram por três anos.[6] Em 1965, a Polisportiva Benevento nasceu da fusão entre a Sportiva Benevento e a Fiamma Sannita. Em 1967, o clube voltou para a Serie D.

Após sete campeonatos consecutivos na Série D, em 1974, sob a presidência de Bocchino, ocorreu a volta a Série C, passando a disputar treze campeonatos consecutivos.

Temporada de 1975-76[editar | editar código-fonte]

Na temporada de 1975-76, o Benevento teve Pietro Santin no comando técnico. A equipe começou a temporada com onze vitórias (das quais nove consecutivas) e um empate, conquistando a liderança da classificação. A equipe não conseguiu o acesso a Serie B devido a um declínio na final, quando eles tiveram três empates seguidos e depois duas derrotas fora de casa que decretaram o fim do sonho do acesso.

Nessa temporada, o Benevento participou da quinta edição da Taça Anglo-Italiana, competição realizada entre clubes ingleses e italianos na primavera de 1976, e foi eliminada na fase de grupos.

SSC Benevento e novo estádio[editar | editar código-fonte]

Na temporada de 1978-79, em conjunto com a reestruturação da Serie C, nasceu o Società Sportiva Calcio Benevento, e no ano seguinte foi inaugurado o Stadio Santa Colomba.

Os anos oitenta[editar | editar código-fonte]

Sob a presidência do advogado Ernesto Mazzoni, auxiliado ocasionalmente por empresários locais, o SSC Benevento disputou nove campeonatos ininterruptos na Serie C1. Destacam-se o quinto lugar alcançado com a orientação técnica de Gastone Bean na temporada de 1981-82 e o sexto lugar com o técnico Francesco Liguori na temporada de 1983-84.[7]

Após um primeiro rebaixamento em 1986, que foi seguido por uma repescagem milagrosa, o Benevento foi rebaixado para a Série C2 em 1987, apesar do excelente plantel de jogadores.[8]

Após um rebaixamento para o Campeonato Interregional por problemas financeiros, o Benevento foi forçado a abandonar o futebol profissional.[9] O resultado foi um campeonato inter-regional disputado por uma equipe composta em sua maioria por jogadores da região.[10]

Os anos noventa[editar | editar código-fonte]

O Sporting FC Benevento nasceu na temporada de 1990-91. O nome do novo clube foi escolhido pelos torcedores na sequência de uma enquete telefônica feita durante um programa de tv. A presidência ficou a cargo de Mário Peca, que não cumpriu as promessas, mas teve o mérito de despertar a paixão dos adeptos do Benevento. As cores clássicas sofreram uma nova variação com a adição do vermelho e prata, em homenagem ao brasão heráldico do Município de Benevento.

O Grupo I do Campeonato Inter-Regional foi vencido, mas o clube perdeu nos play-offs de promoção contra a Juve Stabia. Após a derrota, o clube foi adquirido por um grupo de empresários napolitanos que após um semestre, perante o total descontentamento e hostilidade dos torcedores, o venderam a família Cotroneo que trouxe de volta as tradicionais cores vermelhas e amarelas.

O retorno à Série C2[editar | editar código-fonte]

Luigi Boccolini, treinador da promoção à Série C2 na temporada de 1993-94

Depois de duas temporadas em que eles terminaram em oitavo e sexto lugar, o clube montou uma equipe de alto nível para a temporada de 1993-94, começando com o estimado Luigi Boccolini como treinador. Liderado por uma formidável dupla de ataque formada por Nicola D'Ottavio e Silvio Paolucci, o Benevento venceu o torneio com oito pontos de vantagem e garantiu o retorno à Serie C2 após cinco temporadas.

Na temporada de 1994-95, com o retorno aos torneios profissionais, o elenco teve algumas adições. A equipe, apesar de não brilhar, conquistou a terceira colocação, empatada com o Savoia, que lhe valeu a qualificação para os playoffs pela primeira vez na história. A equipe de Boccolini foi imediatamente eliminada pelo Savoia (2-0 e 3-3).

A temporada seguinte, 1995-96, foi particularmente conturbada e culminou com a salvação do rebaixamento sendo conquistada na última partida.

Em 1996-97, a equipe comandada por Massimo Silva começou muito bem o campeonato mas acabou perdendo a liderança para o Battipagliese. Classificado em segundo lugar, Benevento foi para os playoffs como favorito. No entanto, depois de eliminar o Catanzaro nas semifinais, eles foram derrotados na final pelo Turris.

Na temporada seguinte, 1997-98, o clube fortaleceu ainda mais o elenco. Num campeonato muito equilibrado, o Benevento não encontrou oportunidade de vencer o torneio diretamente, tendo que tentar novamente a promoção através dos playoffs. Como na temporada anterior, após eliminar o Sora, a equipe cedeu na final: derrota para o Crotone por 2-1. Foi o último jogo da família Cotroneo que vendeu o controle do clube a Renato Pedicini.

O retorno à Série C1[editar | editar código-fonte]

Na temporada de 1998-99, a equipe comandada por Francesco Dellisanti terminou na quarta colocação e se classificou para os playoff. Depois de eliminar o Catanzaro, o Benevento chegou à final pelo terceiro ano consecutivo. Em 13 de junho de 1999, no Stadio Via del Mare, em Lecce, a equipe derrotou o Messina por 2-1. O gol de Rosario Compagno deu ao clube seu primeiro triunfo em uma liga profissional e um retorno à Série C1 após doze temporadas.

Anos 2000[editar | editar código-fonte]

O Benevento disputou seis campeonatos consecutivos da Serie C1, da temporada 1999-2000 à temporada 2004-05.

Nas duas primeiras temporadas da década, os Giallorossi ficaram em décimo segundo e conseguiram permanecer na divisão na última rodada, graças a duas vitórias em casa por 2-1 (em 1999-2000 contra o Arezzo; em 2000-01 contra o Fidelis Andria).

Na temporada de 2001-02, o Benevento ficou em décimo quarto lugar e a salvação veio apenas após os playoffs contra o Nocerina.

Na temporada de 2003-04, os Samnites chegaram aos playoffs de promoção após uma longa recuperação. Na semifinal, eles perderam para o Crotone por 3-2 no agregado.[11]

Falência e o retorno à Série C2[editar | editar código-fonte]

Na temporada de 2004-05, os Samnites ficaram em oitavo lugar no campeonato, tendo lutado até o final por uma vaga nos playoffs de promoção. No entanto, devido as graves inadimplências fiscais que surgiram, o clube foi rebaixado para a Série C2. Assim foi escrita a palavra final do capítulo do Sporting Futebol Clube.

No verão de 2005, foi fundada a sociedade anônima Benevento Calcio, dirigida por um empresário de Biella, Older Tescari.[12]

Na Série C2 de 2005-06, o time estava em queda livre na classificação e fora da área de playoff, quando foi comprado pelos irmãos Ciro e Oreste Vigorito.[13][14] O clube conseguiu terminar em quarto lugar, mas foi eliminado na semifinal dos playoffs pelo Sansovino.

Na temporada de 2006-07, a equipe começou a Serie C2 com o técnico Danilo Pileggi, mas após apenas onze pontos em nove jogos, ele foi substituído por Gianni Simonelli. Os Samnites conseguiram recuperar os pontos e ficaram apenas um ponto atrás dos líderes. Nos playoffs de promoção, depois de superar o Monopoli, o Benevento perdeu para o Potenza.

O retorno à Série C1[editar | editar código-fonte]

Na temporada de 2007-08, a equipe de Simonelli teve uma vida fácil e venceu o campeonato com nove pontos à frente do segundo colocado e dando à cidade um retorno à Serie C1. Nesta temporada, o Benevento pela primeira vez na sua história também chegou à final da Coppa Italia Serie C, mas foi derrotado pelo Bassano Virtus por 6-1 no agregado.

Nas temporadas seguintes, o clube fez contratação caras visando a promoção à Serie B. Os irmãos Vigorito logo demonstram uma habilidade gerencial de alto nível, investindo muito no setor juvenil e nas estruturas do clube.

Na temporada de 2008-09, o clube lutou pela promoção direta até a última rodada mas não conseguiu por apenas um ponto. Nos playoffs, a equipe venceu o Foggia mas foi eliminado pelo Crotone.[15]

A temporada de 2009-10 foi conturbada para o Benevento. A equipe teve várias mudanças técnicas: o técnico Leonardo Acori foi demitido na 17 rodada por Andrea Camplone mas foi chamado de volta na 31 rodada. No último mês, a equipe conquistou dez pontos que os levaram para os playoffs. A equipe acabou sendo eliminado pelo Varese.

Anos 2010[editar | editar código-fonte]

Os altos e baixos na Série C[editar | editar código-fonte]

A temporada de 2010-11 começa com uma novidade, a nomeação do treinador Agatino Cuttone. Depois de somar apenas quatro pontos, a equipe teve uma sequência de sete vitórias e três empates que lhes renderam o segundo lugar. No entanto, as últimas três partidas do primeiro turno viram a equipe de Cuttone em dificuldades, ele foi demitido quando a equipe estava a sete pontos da líder Nocerina. Nem mesmo o novo treinador, Giuseppe Galderisi, conseguiu dar uma marcha a mais e o campeonato terminou com o Benevento na segunda posição, a 11 pontos do líder. Tal como no passado, a equipa foi eliminada nos playoffs: a Juve Stabia venceu por 2-1 no agregado. A citada temporada será especialmente lembrada pelo falecimento do CEO, Ciro Vigorito, ocorrida no dia 26 de outubro de 2010. A nomeação do estádio em homenagem ao falecido gestor ocorreu por resolução da Câmara Municipal sete dias após sua morte.

A temporada de 2011-12, que viu o Benevento começar pela primeira vez com uma punição (seis pontos que foram reduzidos depois a dois),[16] começa com o regresso de Gianni Simonelli, que foi substituído depois por Carmelo Imbriani. O Benevento terminou o campeonato na sexta posição, perdendo assim a oportunidade de participar dos playoffs.

Na temporada de 2012-13, o treinador Imbriani foi forçado a renunciar ao cargo por motivos graves de saúde, dando lugar ao seu auxiliar Jorge Martínez. Após maus resultados alcançados (três vitórias e quatro derrotas), ele pediu demissão.[17] No lugar do técnico uruguaio, o clube contratou Guido Ugolotti mas ele durou apenas 12 rodadas, dando lugar a Guido Carboni.[18] Após perder por 2-0 para o Pisa na penúltima rodada do campeonato, o Benevento perdeu o acesso aos playoffs desta temporada.

A temporada de 2013-14 começa com Carboni no comando da equipe, que visava ao menos se classificar para os playoffs de promoção à Serie B. Após um início difícil, o treinador foi demitido em 20 de janeiro de 2014. Em seu lugar entra Fabio Brini, que levou o Benevento aos playoffs, após ter terminado o torneio na sétima colocação. A equipe eliminou o Catanzaro mas foram derrotados pelo Lecce.

A temporada de 2014-15 começa com a confirmação de Brini como técnico da equipe. A equipe terminou a temporada em segundo lugar com 76 pontos, ganhando o direito de participar dos playoff, onde foram eliminados nas quartas-de-final pelo Como.

Da Serie C para a Serie A[editar | editar código-fonte]

Gaetano Auteri, treinador da promoção à Série B na temporada 2015-16

Na temporada de 2015-16, Oreste Vigorito deixou a presidência do clube e foi substituído por Fabbrocini-Pallotta.[19] A equipa comandada por Gaetano Auteri ficou invicta por dezoito jogos e ao vencer o Lecce por 3-0 na penúltima rodada conseguiu uma promoção histórica para a Serie B.[20]

Diante da temporada de 2016-17 da Serie B, Vigorito retomou o comando do clube, que sofreu uma penalidade por pendência econômica.[21] A equipe terminou o campeonato em uma surpreendente quinta colocação.[22] A colocação é válida para o acesso aos playoffs, onde o time eliminou o Spezia (preliminares), o Perugia (semifinal) e o Carpi (final).

O Benevento é, portanto, o quarto clube da Campânia a obter a promoção à Serie A (depois de Napoli, Salernitana e Avellino), bem como o primeiro, em toda a história do futebol italiano, a alcançar a primeira divisão no ano de estreia na Serie B. O idealizador do feito foi o técnico Marco Baroni, que a direção havia contratado no verão de 2016.[23]

2017-2018: Estreia na Serie A[editar | editar código-fonte]

A temporada de 2017-18 da Serie A revelou-se muito difícil para o Benevento: desde a estreia, em 20 de agosto, até 22 de outubro a equipa sofreu nove derrotas consecutivas.[24] Baroni foi demitido em 23 de outubro de 2017[25] e foi substituído por Roberto De Zerbi, que em novembro piorou o recorde para quatorze derrotas consecutivas desde o início do torneio.[26] Em dezembro, a equipe conquistou o seu primeiro ponto na primeira divisão, empatando com o Milan graças a um gol do goleiro Alberto Brignoli feito nos acréscimos do segundo tempo.[27] Em seguida, a equipe conseguiu a sua primeira vitória na Serie A, derrotando o Chievo.[28] O segundo turno viu a equipe alternando inúmeras derrotas com alguns sucessos. Eles acabaram sendo rebaixados com 4 jogos ainda a disputar.

Entre a Serie B e a Serie A[editar | editar código-fonte]

Para o campeonato da Série B de 2018-19, o presidente Vigorito confia o time ao técnico Cristian Bucchi. A equipe terminou em quarto lugar na temporada, se classificando para as semifinais dos playoffs. Eles foram eliminados pelo Cittadella por 5-1 no agregado.

Para a temporada de 2019-20 da Serie B, Bucchi foi substituído por Filippo Inzaghi. A equipe imediatamente subiu ao topo da classificação da Serie B e se manteve firme, acumulando uma grande vantagem sobre seus perseguidores e batendo vários recordes antes da suspensão do campeonato devido à pandemia de COVID-19.[29] Na retomada da temporada, o Benevento conquistou o título do campeonato e foi promovido à Serie A com sete rodadas de antecedência, igualando assim o recorde do Ascoli de 1977-78.[30]

O campeonato da Serie A de 2020-21 viu o Benevento fechar o primeiro turno com 22 pontos. Porém, um colapso no segundo turno, em que os samnitas conquistam apenas uma vitória, os levou ao rebaixamento para a Serie B.

Elenco atual[editar | editar código-fonte]

Atualizado em 15 de setembro de 2021 [31]

Goleiros
N.º Jogador
1 Itália Gaspare Muraca
12 Itália Nicolò Manfredini
29 Itália Alberto Paleari Vindo de Empréstimo
Defensores
N.º Jogador Pos.
14 Itália Alessandro Vogliacco Vindo de Empréstimo Z
15 Polónia Kamil Glik Z
58 Itália Christian Pastina Z
93 Itália Federico Barba Z
3 Itália Gaetano Letizia LD
18 Bélgica Daam Foulon LE
32 Itália Edoardo Masciangelo LE
Meio-campistas
N.º Jogador Pos.
4 Itália Gennaro Acampora V
5 Itália Giacomo Calò Vindo de Empréstimo V
6 Gana Abdallah Basit V
8 Colômbia Andrés Tello V
24 Itália Mattia Viviani V
29 Moldávia Artur Ioniță V
38 Itália Angelo Talia V
7 Itália Salvatore Elia Vindo de Empréstimo M
10 Eslovénia Dejan Vokić M
16 Itália Riccardo Improta M
Atacantes
N.º Jogador
9 Peru Gianluca Lapadula
19 Itália Roberto Insigne
20 Itália Giuseppe Di Serio
21 Itália Gabriele Moncini
25 Itália Marco Sau
99 Itália Enrico Brignola Vindo de Empréstimo
Comissão técnica
Nome Pos.
Itália Fabio Caserta T

Temporada 2016-2017[editar | editar código-fonte]

Na temporada 2016-2017, a primeira na Série B, o Benevento fez investimentos razoáveis para disputar o torneio. Trouxe vários jogadores por empréstimo e confiou em nomes experientes, bem como em vários jogadores estrangeiros.[32] Dirigido por Marco Baroni, campeão nacional com o Napoli em seus tempos de jogador, a estréia giallorossi foi com uma vitória por 2-0 em casa contra o SPAL, com gols de George Amato Ciciretti e Puşcaş.

A primeira temporada na Serie B termina com um excelente quinto lugar empatado com Perugia, indo, assim, disputar o acesso à Série A pelos playoffs.

Nos playoffs, o Benevento bate o Spezia por 2-1 com gols de Fabio Ceravolo e George Puscas. Após eliminar o Spezia, o Benevento surpreendeu o Perugia nas semifinais. Ganhou em casa (1x0), e garantiu o empate fora, classificando-se assim, para a final contra o Carpi. Depois do 0-0 na casa do adversário, Benevento vence o jogo de volta, no Estádio Ciro Vigorito, por 1x0 e conquista, pela primeira vez em sua história, a promoção para a Série A.[33][34]

Referências

  1. Strada, Fiorenzo Radogna e Maria (6 de setembro de 2017). «Dal triplo salto del Parma a quello possibile del Venezia, quelle risalite imperiose nel calcio». Corriere della Sera (em italiano). Consultado em 24 de maio de 2021 
  2. «La Storia». web.archive.org. 4 de março de 2016. Consultado em 24 de maio de 2021 
  3. «La storia del Calcio a Benevento». web.archive.org. 13 de fevereiro de 2016. Consultado em 24 de maio de 2021 
  4. «La Storia - Pagina 2». web.archive.org. 23 de setembro de 2015. Consultado em 24 de maio de 2021 
  5. «C'era una volta la Sanvito. Un mito mai sopito nella memoria dei tifosi beneventani». Emozioninrete.com (em italiano). Consultado em 24 de maio de 2021 
  6. «La Storia - Pagina 3». web.archive.org. 15 de julho de 2015. Consultado em 24 de maio de 2021 
  7. «La Storia - Pagina 4». web.archive.org. 15 de julho de 2015. Consultado em 24 de maio de 2021 
  8. «La Storia - Pagina 5». web.archive.org. 23 de setembro de 2015. Consultado em 24 de maio de 2021 
  9. «Il cappotto verde». Realtà Sannita (em inglês). Consultado em 24 de maio de 2021 
  10. «La Storia - Pagina 6». web.archive.org. 4 de março de 2016. Consultado em 24 de maio de 2021 
  11. www.striscialanotizia.mediaset.it https://www.striscialanotizia.mediaset.it/video/video.shtml?3659. Consultado em 24 de maio de 2021  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  12. «BENEVENTO CALCIO | L'AVVERSARIO...». provanuova.myblog.it. Consultado em 24 de maio de 2021 
  13. «Benevento Calcio: i fratelli Vigorito rilevano le quote Tescari». il Quaderno (em italiano). Consultado em 24 de maio de 2021 
  14. «CALCIO, SERIE C2: RISOLTA LA CRISI DEL BENEVENTO - Sport - Repubblica.it». sport.repubblica.it (em italiano). Consultado em 24 de maio de 2021 
  15. «Calcio: play off, Crotone batte Benevento 1-0 al Santa Colomba. Calabresi in serie B». il Quaderno (em italiano). Consultado em 24 de maio de 2021 
  16. «Scommesse, ridotta penalita' Benevento - Calcio - ANSA.it». www.ansa.it. Consultado em 24 de maio de 2021 
  17. «MARTINEZ SI E' DIMESSO. AL SUO POSTO RITORNA SULLA PANCHINA GIANNI SIMONELLI :: BENEVENTOFREE.it - Quotidiano sportivo online di Benevento Calcio Attualità Cronaca Spettacoli». web.archive.org. 16 de outubro de 2012. Consultado em 24 de maio de 2021 
  18. «UFFICIALE: Benevento, è Carboni il nuovo allenatore - Tutto Lega Pro». web.archive.org. 29 de março de 2013. Consultado em 24 de maio de 2021 
  19. «Fabbrocini-Pallotta: ecco chi sono i proprietari del Benevento Calcio». benevento.iamcalcio.it (em italiano). Consultado em 24 de maio de 2021 
  20. «Lega Pro: Pisa si assicura il 2° posto, Alessandria ai playoff, Catania a un passo dai playout». la Repubblica (em italiano). 1 de maio de 2016. Consultado em 24 de maio de 2021 
  21. «Vigorito si riprende il Benevento, ma non può evitare la penalizzazione». SportAvellino.it (em italiano). Consultado em 24 de maio de 2021 
  22. «Benevento - Frosinone 2-1, al 93' il gol di Ceravolo apre la porta ai play-off». la Repubblica (em italiano). 13 de maio de 2017. Consultado em 24 de maio de 2021 
  23. «Benevento, Baroni: "Umiltà e coraggio le chiavi per la salvezza"». la Repubblica (em italiano). 18 de julho de 2017. Consultado em 24 de maio de 2021 
  24. «Benevento, esonerato Baroni: arriva De Zerbi». la Repubblica (em italiano). 23 de outubro de 2017. Consultado em 24 de maio de 2021 
  25. «Benevento, Baroni esonerato: al suo posto arriva De Zerbi fino a giugno». La Gazzetta dello Sport - Tutto il rosa della vita (em italiano). Consultado em 24 de maio de 2021 
  26. «Il Benevento è ufficialmente la squadra europea più scarsa di sempre». VanityFair.it (em italiano). 20 de novembro de 2017. Consultado em 24 de maio de 2021 
  27. «Match Report | 2017-18 | 15ª Giornata | Lega Serie A». www.legaseriea.it (em italiano). Consultado em 24 de maio de 2021 
  28. «Benevento-Chievo 1-0: decide la zampata di Coda». La Gazzetta dello Sport - Tutto il rosa della vita (em italiano). Consultado em 24 de maio de 2021 
  29. «Tanti i record battuti dal Benevento di Pippo Inzaghi». Il Napoli Online - News sul Calcio Napoli (em italiano). 11 de abril de 2020. Consultado em 24 de maio de 2021 
  30. «Il Benevento vola in Serie A! Inzaghi da record e ora festa in pullman». La Gazzetta dello Sport (em italiano). Consultado em 24 de maio de 2021 
  31. «Giocatori» 
  32. Benevento vence os playoffs e, pela primeira vez, leva a sua apaixonada torcida à Serie A. - Portal Uol
  33. Benevento in Serie A, che favola: tutta la città in festa! - Corriere dello Sport (italiano)
  34. Com gol de Puscas, 'time das bruxas' vence e está na Serie A italiana pela 1ª vez em 88 anos de história - ESPN

Ligações Externas[editar | editar código-fonte]