Unione Sportiva Cremonese

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Cremonese
Cremonese.jpg
Nome Unione Sportiva Cremonese
Alcunhas Grigiorossi (Cinza-vermelhos), Tigri (Os tigres),
La Cremo, Violini Grigiorossi
Fundação 24 de março de 1913 (105 anos)
Estádio Estádio Giovanni Zini
Capacidade 20.641
Localização Cremona, Itália
Presidente Michelangelo Rampulla
Treinador Attilio Tesser
Patrocinador Iltainox
Material (d)esportivo Garman
Competição Lega Pro (Grupo A)
Website www.uscremonese.it
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
titular
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
editar

Unione Sportiva Cremonese é uma agremiação esportiva italiana, fundada em 1903, e sediada em Cremona. Atualmente disputa a Série B, equivalente à segunda divisão do futebol italiano. Manda as suas partidas no estádio Giovanni Zini.

História[editar | editar código-fonte]

1903-1912: a fundação[editar | editar código-fonte]

A origem da Cremonese remonta a 24 de março de 1903, no restaurante La Varesina, da praça Sant'Angelo, em Cremona. Fundada por um grupo de amigos como sociedade poliesportiva, com o objetivo de difundir e facilitar entre a juventude a educação física, o amor ao exercícios esportivos, à disciplina e à concórdia, onde possa ser útil a si e à pátria, teve como primeiro presidente Emilio Faia. As cores sociais escolhidas foram o branco e o lilás. De fato, o futebol começa a ser praticado, em 1900, em nível amador. Naqueles anos nascem na cidade outras equipes de futebol que começam a difundir os primeiros torneios dedicados a esse esporte.

Em 1911, Nino Gandelli é escolhido o primeiro treinador da Cremonese tendo o objetivo de reunir um elenco que possa ser competitivo. Ele recolhe em torno de si o melhor da experiência citadina, entre os quais Zini, Defendi, Lanfritto, "Bay" Bonazzoli, Ardigò, os irmãos Mainardi, Lombardi, Bonzio, Cottarelli, Leida, os irmãos Bignamini e muitos outros.

1913-1926: primeiros êxitos[editar | editar código-fonte]

Em 1913, após a fusão com a Associazione Calcio Cremona, a Cremonese decide se filiar à Federação Italiana para o campeonato de promoção. A primeira formação oficial é: Zini, Mainardi, Lanfritto, Curtabili, Tornetti, Talamazzini, Costa, Albertoni, Bignamini, Lombardi, Defendi.

A primeira temporada se revelou logo formidável. Na sua estréia no mundo do futebol oficial, o time de Cremona venceu o campeonato de promoção 1913-1914 e foi promovido à primeira categoria. Nessa ocasião a sociedade decidiu mudar as cores oficiais para cinza e vermelho, que ainda hoje representam um sinal distinto da equipe.

Nos anos sucessivos, porém o time, embora não retrocedendo nunca, não almejou superar as eliminatórias regionais. Mas o advento da Primeira Guerra Mundial atingiu também a equipe e seus jogadores, dos quais muitos foram convocados para o fronte de guerra. Entre eles o goleiro Giovanni Zini, ídolo da torcida, morrerá em Cividale del Friuli, por conta de uma infecção.

Terminada a guerra, em 1918, a Cremonese, sob a guia do presidente Ferdinando Arcari, tenta reconstruir uma equipe que possa novamente participar de competições oficiais. Em 1919, disputa a Copa das Províncias Lombardas e a vence. No entanto, a sociedade transfere o próprio campo de jogo e decide de nomeá-lo Estádio Giovanni Zini. Na temporada 1919-1920, se classificou em quinto na chave eliminatória em Lombardo na Primeira Categoria. Na sucessiva temporada consegue alcançar o terceiro lugar no Grupo "B". Na temporada 1921-1922, aproveita-se da falta de inscrição para o campeonato federal das 24 maiores equipes do norte, que se inscreveram no concorrente campeonato CCI, a primeira divisão. A Cremonese obteve a sua melhor posição em campeonatos regionais de Primeira Categoria com um ótimo segundo lugar na chave lombarda. Essa posição lhe permitiu de permanecer na máxima série, renomeada Primeira Divisão, após a reunificação da FIGC e Confederação Italiana sem precisar passar por repescagens.

O jogo de futebol já havia começado a suscitar o interesse dos jornais. Os times começam a se organizar. Começa o mercado dos jogadores e a Cremonese tenta se adequar. O presidente Luigi Gabbi engaja o treinador profissional Eugen Payer e os atacantes Jezmas e Wilhelm, todos provenientes da Hungria. Na temporada 1925-1926 o time chegou ao segundo lugar, embora distanciada de 12 puntos da Juventus, campeã italiana.

1927-1945: o declínio[editar | editar código-fonte]

A perda dos melhores jogadores, transferidos para equipes mais competitivas, além da disponibilidade econômica limitada, levam a Cremonese em direção a um inevitável declínio. Justo na temporada da primeira Copa do Mundo, 1929-1930, a equipe caiu para a Série B.

Desse momento, por um longo período, a Cremonese participa com resultados alternantes em campeonatos de Série B e C, com exceção dos anos em que o certame foi suspenso devido à Segunda Guerra Mundial. Todavia, é naqueles anos que emerge na companhia um jogador de grande talento, Giacomo Mari.

1945-1970: os anos obscuros[editar | editar código-fonte]

Logo após o fim da guerra, com o reinício oficial dos campeonatos, o novo presidente, Gianni Zucchi, deseja que a equipe volte a ser competitiva. Com efeito, a Cremonese, treinada por Renato Bodini, se classificou em primeiro lugar no Grupo "B" do campeonato da Alta Itália, mas declinou diante da Alessandria, perdendo a oportunidade de ser promovida à Série A.

Nos anos sucessivos disputou alguns campeonatos de Série B, pontuados por honoráveis colocações. Foi nesse período que se revelou outro grande talento, Pasquale Vivolo.

Seguiu um longo período de resultados ruins. A equipe chegou a ser rebaixada à Série D. A sociedade demonstra, no entanto, revelar vários jogadores como Franco Zaglio, na metade dos anos 1950, e Erminio Favalli, na primeira fase da década de 1960.

O evento seguramente mais importante naqueles anos foi a posse do presidente Domenico Luzzara na temporada 1970-1971. Nos sucessivos 33 anos a história da Cremonese se identificará com o seu presidente. Sob a sua gestão, os resultados começam a melhorar. Desde então a equipe não cairá mais para a Série D. São os anos de Aristide Guarnieri, o qual endossará a camisa cinza e vermelha somente no fim da sua carreira.

1971-1980: o retorno[editar | editar código-fonte]

Nos anos seguintes, Luzzara tenta à escalada rumo à Série B, onde Emiliano Mondonico, já em final de carreira, e Antonio Cabrini são destaques. Na temporada 1976-1977, o capitão da equipe era um ainda jovem Cesare Prandelli. O time consegue a tão esperada promoção à Série B, ainda que a experiência tenha durado somente um ano. Após algumas participações inexpressivas, o retorno só ocorrerá na temporada 1980-1981.

1981-1996: volta à Série A[editar | editar código-fonte]

Neste período, a Cremonese revela outro jogador em suas categorias de base: Gianluca Vialli fez sua estreia como profissional com apenas 16 anos de idade, e Mondonico, que iniciou e encerrou a carreira no clube, era o treinador dos juniores desde 1979. Na temporada 1981-1982 a equipe se salva graças à chegada de Mondonico a sete rodadas para o término do campeonato. No ano sucessivo, o time nutre a esperança de retornar à máxima série até a última rodada. A equipe perde a disputa contra Catania e Como na luta pelo acesso à máxima série.

Finalmente na temporada 1983-1984 a Cremonese retorna à Série A após 54 anos de espera. Em sua primeira temporada na elite, a equipe, órfã de Vialli, que se transferira à Sampdoria, será protagonista de uma participação desiludente que a rebaixou novamente à Série B, apesar do reforço de alguns atletas, como o atacante Juary, ex-Santos.

Sob a batuta de Bruno Mazzia, já na temporada 1985-1986, o time conseguiu novamente o retorno à Série A, na temporada 1988-1989, vencendo a disputa contra a Reggina, com o gol decisivo de Attilio Lombardo.

Sob o comando de Tarcisio Burgnich, novamente o rebaixamento é imediato, embora tenha contado com os gols da revelação argentina Gustavo Dezotti.

Com a chegada de Gigi Simoni, no verão de 1992, a equipe viveu anos mais gloriosos. Consegue a promoção à Série A, em 1992-1993 com o recorde de vitórias consecutivas para um time profissional italiano (8). Permanece três temporadas consecutivas na Série A, obtendo um décimo lugar na classificação como seu melhor alcance, em 1993-1994. Conquista, em 27 de março de 1993, o Troféu Anglo-Italiano, com uma espetacular vitória sob o Derby County, por 3 a 1, na final disputada no lendário estádio de Wembley. Era a segunda equipe italiana a pisar no templo mundial da história do futebol, após o Milan na final da Copa dos Campeões, em maio de 1963.

1997-2007: fim da Era Luzzara[editar | editar código-fonte]

Depois das exultantes três temporadas na Série A, a equipe começou um período difícil. No fim de duas temporadas afunda da Série A à Série C1 (1996-1997), chegando até mesmo à Série C2, em 1999-2000. São anos do abandono do histórico presidente Luzzara. Se inicia um período difícil, durante o qual a presidência da sociedade é regida por Luigi Gualco. Após quatro campeonatos em Série C2, em duas temporadas a Cremonese consegue o retorno à Série B, para voltar, porém, no ano seguinte, à Série C1. Esses anos são caracterizados por uma série de problemas financeiros que farão com que os sócios tenham o desejo de vender a sociedade.

2007-2012: série C e a Primeira Divisão[editar | editar código-fonte]

No verão de 2007 a sociedade, em grave crise financeira, é adquirida pelo empreendedor Arvedi que deseja levar a equipe a postos mais gloriosos. O diretor esportivo Erminio Favalli leva para Cremona jogadores como Lamberto Zauli, Leonardo Colucci, Gabriele Graziani e muitos outros atletas de categoria para a escalada rumo à Série B. Em 18 de abril de 2008 a sociedade lamenta a trágica perda de um dos seus representantes mais amados e conhecidos: Erminio Favalli, histórico diretor esportivo, faleceu com 64 anos, vitimado por um infarto. No campeonato, alcança o segundo lugar, atrás do Sassuolo, e nos play-offs elimina o Foggia na semifinal. No jogo de ida da decisão vence por 1 a 0 o Cittadella, mas vê escapar o acesso por conta da derrota em casa por 3 a 1 em uma partida marcada pela polêmica. A perda foi causada pela não marcação de um pênalti em Ferrarese, na ocasião do 3 a 1 de Carteri, além da anulação de um gol completamente regular de Cozzolino, que foi anulado misteriosamente aos 93 minutos. No caso de paridade de gols assinalados nas duas partidas da final, teria sido promovida a Cremonese, melhor posicionada na classificação ao término da temporada regular.

No ano sucessivo, a equipe participou da Lega Pro Prima Divisione, a antiga Série C1. Após um início bastante positivo, 19 pontos nas primeiras 11 partidas, o time sofreu quatro derrotas nas sucessivas cinco partidas e de fato se distanciou da zona de classificação aos play-offs. Por isso, foi chamado Emiliano Mondonico, o treinador do campeonato anterior, para procurar levar a Cremonese à subida na tábua de classificação. Mas o objetivo não é alcançado, embora tenha havido mais uma mudança de treinador com a saída de Mondonico e a chegada do lombardo Roberto Venturato. O time termina o campeonato em nono lugar, obtendo, embora, uma tranquila salvação. Na temporada 2009-2010, foi confirmado o mesmo técnico. O time conclui a temporada em terceiro, se qualificando para os play-offs. Superada a semifinal, o adversário é o Arezzo. A Cremonese vence por 2 a 0, na Toscana, e é derrotada por 2 a 1, em casa. Na final enfrenta o Varese. Após o sucesso na partida de ida com o triunfo por 1 a 0, o Varese a derrota por 2 a 0 e termina com as esperanças da Cremonese de retornar à Série B.

Em um comunicado, em 12 de julho de 2010 no site do clube, o presidente Arvedi declara a sua própria demissão, para conhecimento da Lega Pro e do vice-presidente da FIGC, a partir de 7 de julho.[1]

Elenco[editar | editar código-fonte]

Legenda
  • Capitão: Capitão
  • Lesionado: Lesão


Goleiros
Jogador
1 Itália Nicola Ravaglia
12 Itália Giacomo Volpe
22 Sérvia Boris Radunovic Vindo de Empréstimo
Defensores
Jogador Pos.
3 Brasil Claiton Z
5 Croácia Anton Kresic Vindo de Empréstimo Z
15 Itália Ivan Marconi Z
23 Itália Davide Cinaglia Z
24 Itália Dario Del Fabro Vindo de Empréstimo Z
26 Itália Emanuele Terranova Z
14 Romênia Vasile Mogos LD
17 Itália Francesco Migliore LE
33 Itália Francesco Renzetti LE
Meio-campistas
Jogador Pos.
4 Itália Mariano Arini V
11 Itália Daniele Croce V
18 Itália Michele Castagnetti V
19 Itália Leandro Greco V
8 Itália Gaetano Castrovilli Vindo de Empréstimo M
20 Itália Giampietro Perrulli M
21 Brasil Gabriel Strefezza Vindo de Empréstimo M
27 Bélgica Xian Emmers Vindo de Empréstimo M
34 Países Baixos Reda Boultam M
Atacantes
Jogador
7 Itália Antonio Piccolo
9 Itália Andrea Brighenti
10 Brasil Paulinho
30 Itália Mirko Carretta
32 Itália Adriano Montalto
Comissão técnica
Nome Pos.
Itália Andrea Mandorlini T

Títulos[editar | editar código-fonte]

Competições internacionais[editar | editar código-fonte]

  • Copa Anglo-Italiana: 1

Competições nacionais[editar | editar código-fonte]

  • Campeonato de Promoção: 1
  • Copa das Províncias Lombardas: 1

Competições juvenis[editar | editar código-fonte]

  • Troféu Dossena: 1

Participações em campeonatos nacionais[editar | editar código-fonte]

Categoria Participações Estreia Última temporada

A

7 Primeira Divisão 1922-1923 Série A 1995-1996

B

27 Série B 1930-1931 Série B 2005-2006

C

42 Série C 1935-1936 Lega Pro Prima Divisione 2011-2012

D

5 IV Série 1952-1953 Série D 1970-1971

Em 86 temporadas esportivas disputadas a partir da estreia em nível nacional, a 8 de outubro de 1922, incluídos 7 campeonatos de Primeira Divisão e Divisão Nacional (A), 1 campeonato de Série B (Alta Itália - 1945-1946 e 4 campeonatos de Série C2. Anteriormente a Cremonese havia participado de quatro torneios de Primeira Categoria e um de Segunda Categoria do Comitê Regional Lombardo.

Cronologia[editar | editar código-fonte]

Retrospecto da Cremonese
  • 1903: Em 24 de março nasce a Unione Sportiva Cremonese.
  • 1912: Início da atividade futebolística. Filia-se à FIGC.
  • 1913: Absorve a recém-nascida Associazione Calcio Cremona mantendo a própria denominação originária e se filia à FIGC.
  • Consegue a promoção na temporada 1913-1914: 1ª no Grupo "A" da Promoção Lombarda. Promovida à Primeira Categoria.
  • Primeira Categoria 1914-1915: 5ª no Grupo lombardo da Primeira Categoria.
  • Copa Federal 1915-1916 Se inscreve à Copa Federal mas renuncia em disputar o torneio antes do início.
  • 1916-1917: 3ª no Grupo "A" da Copa da Lombardia (reservada aos times reservas).
  • 1917/1919: Não desenvolve nenhuma atividade oficial.
  • 1919: Absorve o Football Club Aurora de Cremona.
  • Prima Categoria 1919-1920: 6ª no Grupo "A" lombardo da Primeira Categoria depois de perder por 0-2 o confronto de Brescia contra a Libertas de Milão. É rebaixada da Promoção, mas é sucessivamente readmitida. Vence a Copa das Províncias Lombardas por ela organizada.
  • Primeira Categoria 1920-1921: 3ª no Grupo "B" lombardo da Primeira Categoria. Permanece fiel à FIGC boicotando em Assembleia Federal o Progeto Pozzo.
  • Prima Categoria 1921-1922: 1ª no Grupo "B" da 1ª Categoria lombarda FIGC, 2ª no grupo do final da Primeira Categoria lombarda.
  • Primeira Divisão 1922-1923: 6ª no Grupo "B" da Primeira Divisão Norte.
  • Primeira Divisão 1923-1924: 6ª no Grupo "B" della Primeira Divisão Norte.
  • Primeira Divisão 1924-1925: 7ª no Grupo "A" della Primeira Divisão Norte.
  • Primeira Divisão 1925-1926: 2ª no Grupo "B" da Primeira Divisão Norte.
  • Divisão Nacional 1926-1927: 9ª no Grupo "B" da Divisão Nacional. Readmitida graças ao posto vacante criado pela fusão da Sociedade Ginnastica Andrea Doria com a Ginnastica Sampierdarenese. (= A.C. La Dominante).
  • Divisão Nacional 1927-1928: 7ª no Grupo "A" della Divisão Nacional.
  • Divisão Nacional 1928-1929: 7ª no Grupo "B" da Divisão Nacional.
  • Série A 1929-1930: 18ª na Serie A. Rebaixada à Série B.
  • Série B 1930-1931: 6ª na Série B.
  • Série B 1931-1932: 6ª na Série B.
  • Série B 1932-1933: 12ª na Série B.
  • Série B 1933-1934: 8ª no Grupo "B" da Série B.
  • Série B 1934-1935: 9ª no Grupo "B" da Série B. Rebaixada à Série C depois de perder o confronto contra a Foggia.
  • Série C 1935-1936: 1ª no Grupo "B" da Série C. Promovida para a Série B.
  • Série B 1936-1937: 5ª na Série B.
  • Série B 1937-1938: 14ª na Série B. Rebaixada para a Série C.
  • Série C 1938-1939: 2ª no Grupo "B" da Série C.
  • Série C 1939-1940: 3ª no Grupo "B" da Série C.
  • Série C 1940-1940: 8ª no Grupo "B" da Série C.
  • Série C 1941-1942: 1ª no Grupo "B", 1ª no Grupo final "A" da Série C. Promovida à Série B.
  • Série B 1942-1943: 7ª na Série B.
  • Campeonato Alta Itália 1944-1943: 7ª no grupo único lombardo do Campeonato Alta Itália.
  • Torneio Benéfico Lombardo 1944-1945: Não é convidada a participar do "Torneio Benéfico Lombardo". Atividade suspensa por causas bélicas.
  • Série B-C Alta Itália 1945-1946: 1ª no Grupo "B" da Série mista B-C, 5ª no grupo finale da Alta Itália.
  • Série B 1946-1947: 6ª no Grupo "B" da Série B.
  • Série B 1947-1948: 6ª no Grupo "B" da Série B vencendo os confrontos contra Parma e Prato.
  • Série B 1948-1949: 11ª na Série B.
  • Série B 1949-1950: 13ª na Série B.
  • Série B 1950-1951: 20ª na Série B. Rebaixada à Série C.
  • Série C 1951-1952: 9ª no Grupo "B" da Série C. Rebaixada à IV Serie.
  • IV Série 1952-1953: 4ª no Grupo "B" da IV Série.
  • IV Série 1953-1954: 1ª no Grupo "C" da IV Série. Promovida à Série C.
  • Série C 1954-1955: 3ª no grupo único da Série C.
  • Série C 1955-1956: 4ª no grupo único da Série C.
  • Série C 1956-1957: 5ª no grupo único da Série C.
  • Série C 1957-1958: 12ª no grupo único da Série C.
  • Série C 1958-1959: 19ª no Grupo "A" da Série C.
  • Série C 1959-1960: 15ª no Grupo "A" da Série C.
  • Série C 1960-1961: 12ª no Grupo "A" da Série C.
  • Série C 1961-1962: 10ª no Grupo "A" da Série C.
  • Série C 1962-1963: 10ª no Grupo "A" da Série C.
  • Série C 1963-1964: 6ª no Grupo "A" da Série C.
  • Série C 1964-1965: 12ª no Grupo "A" da Série C.
  • Série C 1965-1966: 14ª no Grupo "A" da Série C.
  • Série C 1966-1967: 18ª no Grupo "A" da Série C. Rebaixada à Série D.
  • Série D 1967-1968: 1ª no Grupo "B" da Série D. Promovida à Série C.
  • Série C 1968-1969: 18ª no Grupo "A" da Série C, depois de ter perdido o confronto contra a Marzotto. Rebaixada à Série D.
  • Série D 1969-1969: 5ª no Grupo "B" da Série D.
  • Série D 1970-1971: 1ª no Grupo "B" da Série D. Promovida à Série C.
  • Série C 1971-1972: 5ª no Grupo "A" da Série C.
  • Série C 1972-1973: 6ª no Grupo "A" da Série C.
  • Série C 1973-1974: 7ª no Grupo "B" da Série C.
  • Série C 1974-1975: 6ª no Grupo "A" da Série C.
  • Série C 1975-1976: 2ª no Grupo "A" da Série C.
  • Série C 1976-1977: 1ª no Grupo "A" da Série C. Promovida à Série B.
  • Série B 1977-1978: 18ª na Série B. Retrocessa in Série C1.
  • Série C1 1978-1979: 9ª no Grupo "A" da Série C1.
  • Série C1 1979-1980: 5ª no Grupo "A" da Série C1.
  • Série C1 1980-1981: 1ª no Grupo "A" da Série C1. Promovida à Série B.
  • Série B 1981-1982: 10ª na Série B.
  • Série B 1982-1983: 4ª na Série B após os confrontos contra Catania e Como.
  • Série B 1983-1984: 3ª na Série B. Promovida à Série A.
  • Série A 1984-1985: 16ª na Série A. Rebaixada à Série B.
  • Série B 1985-1986: 9ª na Série B.
  • Série B 1986-1987: 5ª na Série B após os confrontos contra Cesena e Lecce. Semifinalista da Copa Itália
  • Série B 1987-1988: 6ª na Série B.
  • Série B 1988-1989: 4ª na Série B, depois de vencer o confronto contra a Reggina. Promovida à Série A.
  • Série A 1989-1990: 17ª na Série A. Rebaixada à Série B.
  • Série B 1990-1991: 3ª na Série B. Promovida à Série A.
  • Série A 1991-1992: 17ª na Série A. Rebaixada à Série B.
  • Série B 1992-1993: 2ª na Série B. Promovida à Série A. Vence a Copa Anglo-Italiana.
  • Série A 1993-1994: 10ª na Série A.
  • Série A 1994-1995: 13ª na Série A.
  • Série A 1995-1996: 17ª na Série A. Rebaixada à Série B.
  • Série B 1996-1997: 20ª na Série B. Rebaixada à Série C1.
  • Série C1 1997-1998: 2ª no Grupo "A" da Série C1. Vence o play-off contra o Livorno. Promovida à Série B.
  • Série B 1998-1999: 20ª à Serie B. Rebaixada à Série C1.
  • Série C1 1999-2000: 16ª no Grupo "A" da Série C1. Perde o play-out para o Lecco. Rebaixada à Série C2.
  • Série C2 2000-2001: 7ª no Grupo "A" da Série C2.
  • Série C2 2001-2002: 10ª no Grupo "A" da Série C2.
  • Série C2 2002-2003: 6ª no Grupo "A" da Série C2.
  • Série C2 2003-2004: 2ª no Grupo "A" da Série C2. Vence o play-off contra o Südtirol. Promovida à Série C1.
  • Série C1 2004-2005: 1ª no Grupo "A" da Série C1. Promovida à Série B.
  • Série B 2005-2006: 21ª na Serie "B". Rebaixada à Série C1.
  • Série C1 2006-2007: 10ª no Grupo "A" da Série C1.
  • Série C1 2007-2008: 2ª no Grupo "A" da Série C1. Perde o play-off para a Cittadella.
  • Lega Pro Prima Divisione 2008-2009: 9ª no Grupo "A" da Lega Pro Prima Divisione.
  • Lega Pro Prima Divisione 2009-2010: 3ª no Grupo A da Lega Pro Prima Divisione. Perde o play-off para o Varese.
  • Lega Pro Prima Divisione 2010-2011: 11ª no Grupo "A" da Lega Pro Prima Divisione.
  • Lega Pro Prima Divisione 2011-2012: Participa do Grupo "B" da Lega Pro Prima Divisione.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]