Associazione Calcio Pisa 1909

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Pisa
AC Pisa 1909.png
Nome Associazione Calcio Pisa 1909
Alcunhas Nerazzurri
Fundação 1909 (109 anos) (refundado em 1994 e 2009)
Estádio Arena Garibaldi – Stadio Romeo Anconetani
Capacidade 17.000
Localização Pisa, Itália
Presidente Fabio Petroni
Treinador Gennaro Gattuso
Patrocinador Sorgente Tesorino Acqua Minerale Naturale
Material (d)esportivo Adidas
Competição Serie C (chamada de Lega Pro Girone A)
Website http://pisachannel.tv/
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
titular
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
editar

A Associazione Calcio Pisa 1909 conhecida simplesmente como Pisa, é um clube italiano de futebol, da cidade de Pisa, na Toscana. Encontra-se atualmente a disputar a Lega Pro, terceira divisão italiana.

Foi fundado no ano de 1909 com o nome de Pisa Sporting Club, mas, devido à problemas financeiros, ganharia novo nome, em julho de 1994, passando a se chamar Associazione Calcio Pisa, nome trocado pouco depois para Pisa Calcio, se inscrevendo para a Eccellenza da Toscana. Em julho de 2009, a esquadra foi refundada novamente e adotaria o nome atual, porém a partir da temporada 2017-18, o nome fantasia, usado inclusive no escudo, passou a ser Pisa Sporting Club.

O Pisa conta com 7 participações na Série A e 32 na Série B. Na temporada 1920-21 o Pisa participou da final do campeonato nacional contra a Pro Verceli em 24 de julho de 1921, na cidade de Torino, mas a incrível performance dos Nerazzurri não foi suficiente: a Pro Vercelli venceu o Pisa por 2 a 1.[1]

Os maiores títulos do Pisa são duas Copa Mitropa, nos anos de 1986 e 1988. O estádio do time, cujas cores são azul e preto, é a Arena Garibaldi (atualmente Arena Garibaldi – Stadio Romeo Anconetani), nome do ex-presidente que levou o time aos seus maiores trunfos, participações da Série A, um título da Série B e a conquista de dois torneios internacionais. Atualmente o Pisa participa da Lega Pro Girone A (terceira divisão), tendo estado pela última vez na Série A no ano de 1991.

História[editar | editar código-fonte]

O nascimento e a finalíssima do scudetto[editar | editar código-fonte]

O futebol na cidade de Pisa surgiu pela primeira vez no inverno de 1908, no gramado da Praça da Igreja de San Paolo a Ripa d'Arno, onde alguns jovens começaram a chutar uma bola feita de trapos, entre duas traves, balizas improvisadas, feitas com jaquetas e casacos. Esses mesmos rapazes logo fundaram a Società Sportiva Etruria, que tinha algumas camisas brancas e vermelhas em homenagem às cores da bandeira da cidade, e começaram a usar o gramado da Catedral de Pisa e a Piazza d'Arme como um campo improvisado para os jogos. O primeiro jogo "oficial" da Società Sportiva Etruria ocorreu no mesmo ano contra uma equipe de Livorno, a Libertas: no campo da Piazza Orlando, os donos da casa venceram o Etruria por 5 a 0.[2][3]

Em abril do ano seguinte, 1909, esse mesmo grupo de jovens universitários de Pisa fundaram um novo clube, o Pisa Sporting Club.[4] O nome da nova equipe foi proposto por Marino Scotti, um dos fundadores, já as cores sociais, inicialmente o vermelho e o branco, era em homenagem às cores da bandeira da cidade, porém em 1910 passaram a usar as cores preto e azul, por sugestão do então secretário e jogador Ferruccio Giovannini.[1]

Os primeiros jogadores do Pisa foram, portanto, inicialmente, jovens universitários que dividiram seu tempo entre os estudos e a atividade esportiva [5]. A equipe começou a participar de competições contra representantes de cidades vizinhas, obtendo o primeiro sucesso em 1911 em um torneio quadrangular, derrotando o extinto SPES Livorno (Società Per Esercizi Sportivi Livorno), o extinto Virtus de Livorno e o também extinto Lucca FBC. Na cidade havia naquela época outra equipe de futebol [6 ], o Pisa FootBall Club, formado também por alguns jovens universitários, foi a primeira equipe da cidade a se juntar à FIGC, participando de alguns torneios da terceira divisão toscana da época. Para evitar confusão de identificação entre os Pisas, o Pisa FootBall Club mudou o nome para Alfea FootBall Club. Uma forte rivalidade nasceu imediatamente, até que se decidiu organizar uma disputa épica entre as duas equipes para se escolher a única equipe que teria a honra de representar a cidade de Pisa. 28 de janeiro de 1912 ganhou o Pisa, o Alfea então foi dissolvido e alguns de seus jogadores foram completar a equipe do Pisa[5][6]. Em 1913, criou-se um campo de treinamento e de jogo adequado, pelos próprios jogadores perto da Citadella[7]: era o Campo de Abetone[3] [10], que será usado anos mais tarde pela equipe feminina do Pisa.

As temporadas 1912-1913 e 1913-1914 terminaram respectivamente com um terceiro e um sexto lugar na tabela da Copa Toscana[5]. Em novembro de 1914, sob a orientação do novo presidente do Pisa Giacomo Picchiotti, os primeiros sucessos chegaram, o Pisa se impôs sobre outros times toscanos, conquistando a Copa da Toscana na temporada de 1914-1915, mas na segunda fase do torneio, na fase de disputa intitulada Centro-Meridional, o campeonato foi interrompido com os Nerazzurri em segundo lugar, devido ao início da Primeira Guerra Mundial[8]. Nos quatro anos seguintes, o Pisa participou de Torneios realizados durante a guerra, ganhou a Copa Federal da Toscana em 1916 e ficou em terceiro lugar em 1917[9]. Nos primeiros meses de 1919, a guerra terminou, mas a federação ainda não estava reorganizada (os campeonatos foram retomados em novembro de 1919), foi decidido chamar o Terceiro Torneio da Guerra na Toscana, que estava em disputa, de Coppa Olivo, que foi novamente conquistado por Pisa[10].

Na temporada 1919-1920 do que hoje equivale à Serie A , os Nerazzurri ganharam novamente a Coppa Toscana e precisamente em 26 de outubro de 1919, o novo estádio foi inaugurado, a Arena Garibaldi. Na temporada seguinte, 1920-1921, o Pisa apresentou-se com uma equipe fortíssima, tendo como aliados uma instalação desportiva moderna e espaçosa[5] e, sobretudo, o envolvimento do grande treinador József Ging, ex-capitão da seleção húngara. Embora a equipe favorecida para a vitória do título regional fosse a U.S. Livorno, que permaneceu na primeira posição na maior parte do campeonato, no jogo decisivo disputado na Arena Garibaldi, o Pisa venceu o Livorno por 3 a 0, ganhando a Taça da Toscana pela quinta vez. De qualquer modo ambas as equipes avançaram para a fase inter-regional com o Naples e o Bagnolese e provaram ser significativamente mais fortes que essas equipes, encontrando-se na final para o título Centro-Sul. Em 3 de julho de 1921, em Bologna, o Pisa vence o Livorno por 1 a 0. O Pisa, agora com o título de Campeão Centro-Sul avançou para a final do título italiano contra o Pro Vercelli, mas em 24 de julho de 1921, em Torino, a performance excepcional do goleiro Gianni não foi suficiente para combater os piemoneses: Pro Vercelli venceu o Pisa por 2 a 1 . A derrota pode ser compreendida pelo fato de que os Nerazzurri, ainda estavam em clima de celebração, devido a comemoração realizada na Arena Garibaldi no dia anterior, o que influenciou o desempenho geral da equipe. Por exemplo, Poggetti, um full-back, sentiu-se mal durante toda a viagem de trem até a cidade de Torino e desfalcou a equipe. Gnerucci sofreu uma séria falta de Rampini, do Pro Vercelli, e teve que deixar o jogo com uma tíbia fraturada[11].

Essa é a formação do Pisa que por muito pouco não levantou o caneco do título nacional de 1920-1921: Gianni, Bartoletti, Giuntoli, Gnerucci, Tornabuoni, Viale, Merciai, Colombari, Corsetti, Sbrana, Pera.

Títulos[12][editar | editar código-fonte]

Nacionais
Competição Títulos Temporadas
Itália Serie B 1 1984-1985
Coccarda Coppa Italia LegaPro.svg Coppa Italia Lega Pro 1 1999-2000
Internacionais
Competição Títulos Temporadas
Flag of Europe.svg Mitropa Cup 2 1985-1986 e 1987-1988

Escudos e símbolos[editar | editar código-fonte]

O símbolo imediatamente associado aos nerazzurri é a Torre inclinada de Pisa, presente de diferentes formas estilizadas no escudo do time com o decorrer dos anos.

Também é usado como símbolo (muito comum entre os torcedores) a bandeira vermelha com uma cruz branca no centro, é um símbolo histórico da cidade de Pisa, legado do período de independência da cidade como uma república marítima. Essa cruz (comumente chamada de "Pisana") também está presente no brasão do clube, comumente essa cruz aparece na camisa de jogo como um brasão à parte no lado oposto ao do escudo completo do Pisa.

Evolução dos escudos[13][editar | editar código-fonte]

Recordes Individuais[editar | editar código-fonte]

Abaixo está uma lista com os jogadores que mais atuaram pela equipe do Pisa e os maiores artilheiros do clube.

Recordes de partidas
Maiores Artilheiros

Rivais[editar | editar código-fonte]

Seu maior rival é o Associazione Sportiva Livorno Calcio. Também protagoniza rDunga em ação pelo Pisa na temporada 1987-88ivalidades com outros clubes toscanos como Fiorentina, Empoli e Lucchese.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Goleiros
Jogador
' Itália Giacomo Bindi
' Itália Matteo Brunelli
' Itália Raffaele Giacobbe
Defensores
Jogador Pos.
' Itália Dario Alberto Polverini Z
' Itália Luca Crescenzi Z
' Itália Andrea Lisuzzo Z
' Itália Paolo Rozzio Capitão Z
' Sérvia Petar Golubovic LD
' Itália Stefano Dicuonzo LD
' Itália Stefano Avogadri LD
' Itália Simone Fautario LE
' Hungria Dávid Fórgacs LE
Meio-campistas
Jogador Pos.
' Itália Alessandro Provenzano V
' Grécia Georgios Makris V
' Itália Iacopo Gianardi V
' Itália Giacopo Gianardi M
' Itália Francesco Di Tacchio M
' Itália Matteo Ricci M
' Itália Luca Verna M
' Itália Daniele Mannini M
' Itália Giulio Sanseverino M
Atacantes
Jogador
' Itália Antonio Montella
' Uruguai Espanha Ignacio Flores
' Argentina Itália Diego Peralta
' Itália Ernesto Starita
' Itália Alessandro Provenzano
' Albânia Itália Edgar Çani
' Itália Arturo Lupoli
' Itália Diego Frugoli
Comissão técnica
Nome Pos.
Itália Gennaro Gattuso T

Jogadores famosos[14][editar | editar código-fonte]

Ficheiro:Dunga in azione al Pisa nel 1987-88.jpg
Dunga em ação pelo Pisa SC na temporada 1987-88
Bandeira de ItáliaSoccer icon Este artigo sobre clubes de futebol italianos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.


O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Associazione Calcio Pisa 1909
  1. a b «Storia - Dalle origini alla finale scudetto (1909-1921)». Pisa Channel.TV. Consultado em 6 de março de 2018. 
  2. Palmieri, Lorenzo (18 de janeiro de 2014). «Pisa, una nobile del calcio italiano. La sua storia nel segno di Romeo Anconetani». Contra Ataque. Consultado em 6 de março de 2018. 
  3. a b VASSARELLI, CASTELLANO, Fabio, Marco (2014). 105 Pisa, 1909-1924. Pisa: Il Campano. pp. 256 páginas 
  4. 100 Pisa, Na lista de fundadores encontramos: Enrico Canti (presidente), Bruno Caprili, Giuseppe Curradi, Antonio Eschini, Gino Fanucci, Fabiano Ferrucci, Gastone Galletti, Alberto Garzella, Vittorio Gazzera, Alfredo Giovannini, Ferruccio Giovannini (secretário), Ernesto Logli, Cafiero Maggini, Aldo Saggini, Mario Salvestroni, Giuseppe Scotti, Leo Scotti, Marino Scotti, Stefano Scotti, Gino Simoni, Igino Tonini, Pergentino Valori (finanças), Antonio Zoppi. 100 Pisa p.10-11
  5. a b c BUFALINO, PIOTTO, Michele, Jacopo (2009). 100Pisa - Il libro del centenario. Pontedera: CLD Libri. 512 páginas 
  6. DOG, Black (9 de abril de 2014). «105 anni di Pisa, l'universo parallelo di Etruria, Pisa Fbc, Alfea e Gerbi Pisa». Tutto Pisa. Consultado em 6 de março de 2018. 
  7. A Citadella de Pisa é uma antiga fortaleza construída ao extremo dos muros de Pisa.
  8. C.Fontanelli, p. 63
  9. C:Fontanelli p. 65-69
  10. C.Fontanelli, p. 70
  11. BUFALINO, Michele (2 de setembro de 2008). «PRIMA DEL 1921: LA FONDAZIONE». Pisa Nella Storia. Consultado em 6 de março de 2018. 
  12. «Storia - L'era Anconetani (1978-1994)». Pisa Channel.TV. Consultado em 6 de março de 2018. 
  13. «La storia dei loghi». Associazione Cento Pisa. Consultado em 6 de março de 2018. 
  14. «Lo "straniero" più amato dai tifosi del Pisa». Associazione Cento Pisa. Consultado em 6 de março de 2018.