Savo Milošević

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Savo Milošević
Саво Милошевић
Savo-milosevic-2009-ds.jpg
Informações pessoais
Data de nasc. 2 de setembro de 1973 (44 anos)
Local de nasc. Bijeljina, Iugoslávia
Altura 1,87 m
Informações profissionais
Posição Atacante Aposentado
Clubes de juventude
1989-1991
1991-1992
Radnik Bijeljina
Partizan
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos e gol(o)s
1992–1995
1995–1998
1998–2000
2000–2001
2002
2002–2003
2003–2004
2004–2007
2008
Partizan
Aston Villa
Real Zaragoza
Parma
Real Zaragoza (emp.)
Espanyol (emp.)
Celta Vigo (emp.)
Osasuna
Rubin Kazan
98 (64)
90 (29)
72 (38)
31 (9)
16 (6)
34 (12)
37 (14)
92 (24)
16 (3)
Seleção nacional
1994-2003
2003-2006
2008
Iugoslávia
Sérvia e Montenegro
Sérvia
72 (33)[1][2]
29 (3)[2]
1 (2)[2]

Savo Milošević - em sérvio, Саво Милошевић (Bijeljina, 2 de setembro de 1973) - é um ex-futebolista sérvio que atuava como atacante.

Carrega a ironia de ter o mesmo sobrenome (embora nenhum parentesco) com o ex-presidente iugoslavo Slobodan Milošević, responsável indireto por milhares de mortes na Bósnia, onde Savo nasceu.

Carreira em Clubes[editar | editar código-fonte]

Na Iugoslávia[editar | editar código-fonte]

Milošević iniciou a carreira no Partizan, da capital sérvia Belgrado, em 1992, quando o campeonato iugoslavo teria sua primeira edição sem clubes da Eslovênia, Bósnia e Croácia - ainda reuniria clubes da Macedônia, que só disputariam uma liga independente no ano seguinte, além dos sérvios e montenegrinos.

O campeonato foi vencido pelo Partizan, que seria bicampeão no ano seguinte, em que Milošević terminaria também como artilheiro da competição, com 22 gols. Em 1994, o título iria para o rival Estrela Vermelha, mas nova artilharia, desta vez com 30 tentos, levaram o jovem atacante para o Aston Villa, da Premier League.

No estrangeiro[editar | editar código-fonte]

Passou três temporadas no clube de Birmingham, onde conquistou a FA Cup de 1996. Após bom início, deixou a equipe inglesa pela porta dos fundos rumo ao futebol espanhol. Na Espanha, teve boas passagens pelo Real Zaragoza e, com mais destaque, no Osasuna, participando da campanha que classificou o pequeno clube basco para a fase preliminar da Liga dos Campeões da UEFA de 2006.

Deixou o Osasuna na janela de transferências de final de 2007, rumo ao pequeno clube russo Rubin Kazan. Em seu primeiro ano, participou da grande campanha da equipe no campeonato russo. O clube liderou a competição desde o início e sacramentou o título (o primeiro de sua história, no ano da comemoração de seu 50º aniversário) com três rodadas de antecedência. Milošević marcou o gol do título, aos 44 minutos do segundo tempo, em vitória de virada por 2 x 1, fora de casa.

No clube tártaro, encerrou a carreira, ao final da temporada russa de 2008.

Seleção[editar | editar código-fonte]

Estreou pela Iugoslávia em amistoso contra o Brasil em 1994, na partida que marcava o retorno do selecionado, banido pela FIFA devido às guerras de independência do país. Tornou-se o maior artilheiro do país, contando-se juntamente seus números pela Sérvia e Montenegro.

Ao lado de Dejan Stanković, foi o único a participar de Copas do Mundo por ambas as seleções (os dois foram às de 1998 e 2006), consideradas pela FIFA como a mesma. Seu auge fora na Eurocopa 2000: estava vindo de boa fase no Zaragoza e terminou como artilheiro (ao lado do holandês Patrick Kluivert) da Euro e maior referência da Seleção Iugoslava. Já atuando pela Seleção Servo-Montenegrina, anunciou sua despedida do selecionado após o último jogo da equipe no mundial de 2006, onde teve um desempenho fraco junto com o restante do time, o pior da Copa.

Despedida em seu único jogo pela Sérvia[editar | editar código-fonte]

Entretanto, foi anunciado para 19 de dezembro de 2008 que Milošević enfim jogaria pela Seleção Sérvia, no que seria seu jogo-despedida (ironicamente no que seria também sua estréia pela nova seleção). Na partida, um amistoso contra a Bulgária em Belgrado, retirou-se dignamente: embora tenha perdido um pênalti no início da partida e outro posteriormente, conseguiu marcar dois gols, e o jogo terminou em goleada de 6 x 1 sobre os búlgaros.

Em sua primeira e única partida com a camisa vermelha da Sérvia (no lugar da tradicional azul iugoslava e servo-montenegrina), utilizou a faixa de capitão com a inscrição Саво - 102, uma referência ao seu pré-nome em cirílico e ao total de partidas em que jogou pelas três seleções. O presidente do país, Boris Tadić, e outras estrelas do esporte sérvio, como os tenistas Ana Ivanović e Nenad Zimonjić.[3]

Referências

  1. MILADINOVICH, Misha (21 de setembro de 2004). «Yugoslavia National Team List of Results 1990-1999» (em inglês). RSSSF. Consultado em 9 de agosto de 2014. 
  2. a b c NIKOLIC, Sinisha (11 de dezembro de 2009). «Serbia National Team List of Results 2000-2009» (em inglês). RSSSF. Consultado em 9 de agosto de 2014. 
  3. Juntaram-se a Milošević nos festejos