República da Macedónia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de República da Macedônia)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Република Македонија
Republika Makedonija

República da Macedónia / Macedônia
Bandeira da Macedónia
Emblema
Bandeira Emblema
Lema: Слобода или смрт
("Liberdade ou morte")
Hino nacional: Денес над Македонија
"Hoje sobre a Macedónia"
Gentílico: macedónios

Localização da Macedónia

Localização da República da Macedónia (em verde)
No continente europeu (em cinza escuro)
Capital Escópia
41º39'N 21º43'E
Cidade mais populosa Escópia
Língua oficial Macedónio1
Governo República parlamentarista
 - Presidente Gjorge Ivanov
 - Primeiro-ministro Zoran Zaev
Independência da Iugoslávia 
 - Declarada 8 de setembro de 1991 
 - Reconhecida 8 de abril de 1993 
Área  
 - Total 25 713 km² (148.º)
 - Água (%) 1,9%
 Fronteira Cosovo, Sérvia, Bulgária, Grécia e Albânia
População  
 - Estimativa para 2006 2 038 154 hab. (143.º)
 - Censo 2002 2 022 547 hab. 
 - Densidade 79 hab./km² (111.º)
PIB (base PPC) Estimativa de 2006
 - Total US$ : 16,94 bilhões (121.º)
 - Per capita US$ : 7 645 
PIB (nominal) Estimativa de 2016
 - Total US$ : 10.899.583,15 
IDH (2015) 0,748 (80.º) – elevado[1]
Moeda Dinar macedónio (денар) (MKD)
Fuso horário CET (UTC+1)
 - Verão (DST) CEST (UTC+2)
Cód. ISO MKD
Cód. Internet .mk
Cód. telef. +389

Mapa da Macedónia

1. O albanês também é falado nas províncias do Oeste da Macedónia. Em algumas áreas também é falado o turco, o sérvio, o romeno e o aromeno.

A República da Macedónia (português europeu) ou República da Macedônia (português brasileiro) (em macedônio: Република Македонија, transl. Republika Makedonija, pronunciado AFIrɛˈpublika makɛˈdɔnija ( ouvir)) ou República de Vardar[2] é um país localizado na península balcânica, no sudeste da Europa. É um dos estados sucessores da antiga Iugoslávia, da qual declarou independência em 1991. A Macedônia ingressou na Organização das Nações Unidas (ONU) em 1993, mas, como resultado de uma disputa com a Grécia sobre o uso do nome "Macedônia", foi admitida sob a designação provisória de Antiga República Jugoslava da Macedónia (ARJM)[3] (português europeu) ou Antiga República Iugoslava da Macedônia (ARIM) (português brasileiro) (em macedónio Поранешна Југословенска Република Македонија — ПЈРМ),[4] termo também utilizado por organizações internacionais como a União Europeia;[5] o Conselho da Europa,[6] e a Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN).[7] Em 17 de junho de 2018, a Macedônia e a Grécia assinaram o Acordo de Prespes, que estabelece a mudança do nome do país para "República da Macedônia do Norte",[8][9] enquanto se aguarda um referendo nacional sobre a questão e a legislação que passa pelo Parlamento.[10][11]

A República da Macedônia é um país sem litoral que faz fronteira com o Kosovo ao noroeste, com a Sérvia ao norte, com a Bulgária ao leste, com a Grécia ao sul e com a Albânia a oeste. Constitui aproximadamente a terceira maior região geográfica da Macedónia, que também inclui as partes vizinhas do norte da Grécia e uma parcela menor na Bulgária. A geografia do país é caracterizada principalmente por montanhas, vales e rios; a Macedônia possui mais de 50 lagos, além de dezesseis montanhas com mais de 2 000 metros de altura. A sua capital é a cidade de Escópia, que também é sua maior e mais populosa cidade, abriga cerca de um quarto dos 2,06 milhões de habitantes do país. A maioria dos habitantes são de etnia macedônia, um povo eslavo do sul. Os albaneses formam uma minoria significativa, em torno de 25%, seguidos pelos turcos, ciganos, sérvios, búlgaros e outros.

A história desta região remonta à antiguidade, começando com o Reino de Peônia, provavelmente um estado misto de traco-ilíria.[12] No final do século VI a.C., a área foi incorporada ao Império Aquemênida Persa, depois anexada pelo Reino da Macedônia no século IV a.C.. Os romanos conquistaram a região no século II a.C. e fizeram dela parte da muito maior província da Macedônia. A área permaneceu parte do Império Bizantino (Império Romano do Oriente), e por várias vezes foi invadida e colonizada por povos eslavos a partir do sexto século da era cristã. Após séculos de disputa entre os impérios Búlgaro, Bizantino e Sérvio, gradualmente caiu sob domínio otomano a partir do século XIV. Entre o final do século XIX e início do século XX, uma identidade macedônica distinta emergiu, embora seguindo as Guerras dos Bálcãs de 1912 e 1913, o território moderno da Macedônia ficou sob domínio sérvio. Como resultado da Primeira Guerra Mundial (1914-1918), ela foi incorporada ao Reino da Iugoslávia, dominado pelos sérvios, que após a Segunda Guerra Mundial foi restabelecido como uma república (1945) e que se tornou a República Socialista Federativa da Iugoslávia em 1963. A Macedônia permaneceu como uma república socialista constituinte dentro da Iugoslávia até sua independência pacífica em 1991.

A Macedônia é membro das Nações Unidas e do Conselho da Europa. Desde 2005, também é candidata a ingressar na União Europeia e solicitou a adesão à OTAN.[13][14] Embora seja um dos países mais pobres da Europa, a Macedônia fez progressos significativos no desenvolvimento de uma economia aberta e baseada no mercado.

Etimologia do nome Macedônia[editar | editar código-fonte]

O nome Macedônia/Macedónia é muito antigo. De acordo com a etimologia, a palavra Macedónia deriva do grego μάκος (Makos), e o adjetivo μακεδνός (Makednos), o que significa alta.

Existem três teorias sobre a origem do nome "Macedónia". De acordo com a mitologia grega , Macedônia foi o nome do chefe da tribo que se instalou na região e fundaria o Reino da Macedônia. De acordo com Heródoto, os ´makednoí eram uma tribo dória.

O nome também pode derivar o adjetivo μακεδνός (makednós), que significa "alto" e é usado por Homero para designar uma árvore em Odisseia. Segundo o gramático Hesíquio de Alexandria, seria uma palavra do dialeto dórico, significando "grande" ou "pesado". Acredita-se geralmente que tanto os macedónios como os seus antecessores makednoí fossem pessoas de grande estatura.

Controvérsia[editar | editar código-fonte]

Ao proclamar sua independência da República Socialista Federal da Jugoslávia, em 1991, a República da Macedónia enfrentou forte oposição da Grécia, que considera o nome "Macedónia" como parte do passado cultural grego. Além disso, a Grécia já possui uma região com o mesmo nome. Desta forma, a Grécia só concordou com a admissão da República da Macedônia (nome constitucional) na Organização das Nações Unidas sob o nome provisório de "antiga República jugoslava da Macedónia" (em inglês "the former Yugoslav Republic of Macedonia" — FYROM; em macedônio: Поранешна Југословенска Република Македонија — ПЈРМ) e, assim, a República da Macedónia tornou-se membro da organização em 1993.[15]

A maioria das organizações internacionais adoptou a mesma convenção de nome, inclusive a Organização do Tratado do Atlântico Norte,[16] o Fundo Monetário Internacional e o Comité Olímpico Internacional. Porém, um número crescente de países tem abandonado a referência provisória da Organização das Nações Unidas, inclusive três dos cinco membros permanentes do conselho de segurança da organização: Estados Unidos, Rússia e República Popular da China. Noventa países já reconhecem o país como "República da Macedónia" ou simplesmente "Macedónia".

A posição oficial do governo grego é a de que a palavra "Macedónia" é grega e só deveria ser usada para designar a região do histórico reino da Macedónia, que se encontra quase inteiramente no território da Grécia. No entanto, a Bulgária[17] e a "República da Macedônia" referem-se à parte da Macedónia que integra o território grego como Macedónia Grega ou “Egeia”, implicando que a parte grega é apenas uma porção da Macedónia e não a sua totalidade.

Em 12 de Junho de 2018 o primeiro-ministro da República da Macedónia, Zoran Zaev, e o primeiro-ministro da Grécia, Alexis Tsipras, em comum acordo decidem alterar o nome da República da Macedónia para "Macedónia do Norte", e com isso a Macedónia Grega ou "Egeia" passaria a ser conhecida como "Macedónia do Sul". Entretanto, tal acordo ainda não foi ratificado e há forte oposição ao mesmo dentro dos dois países.[18]

A Grécia e a Macedônia assinaram o Acordo de Prespes, em 17 de junho de 2018, sendo este um documento preliminar sobre a discutida mudança no nome do país para República do Norte da Macedônia (em macedônio: Република Северна Македонија).[19][20] Entretanto, o acordo precisa ser aprovado pelo parlamento dos dois países para ser ratificado, sendo que o presidente da Macedônia, Gjorge Ivanov, afirmou que não assinará tal documento histórico com os gregos (que visa a mudança na nomenclatura do seu país).[21] Um referendo entre os macedônios será realizado em 30 de setembro de 2018, tendo como tema a mudança de nome para a sua nação.[10][11]

História[editar | editar código-fonte]

A seguir segue-se um breve resumo da história da Macedónia:

Geografia[editar | editar código-fonte]

A Macedónia se situa na península Balcânica, fazendo fronteira ao sul com a Grécia, a oeste com a Albânia, a leste com a Bulgária, ao norte com a Sérvia e Kosovo. Sua região é montanhosa, com vales férteis excelentes para culturas temperadas.

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

Rio Vardar em Skopje.

Na República da Macedónia, existem 1 100 grandes fontes de água. Os rios correm em três bacias diferentes: Do mar Egeu, mar Adriático e o mar Negro.[23]

A bacia do mar Egeu é a maior. Ele cobre 87% do território do país, que é 22 075 quilômetros quadrados. Vardar, o maior rio da bacia, drena 80% do território, ou 20 459 quilômetros quadrados. Seu vale desempenha um papel importante na economia e no sistema de comunicação do país. O projeto chamado The Valley Vardar é considerado crucial para o desenvolvimento estratégico do país.

O rio Drin Negro forma a bacia do Adriático, que abrange uma área de cerca de 3 320 km², ou seja, 13% do território. Ele recebe as águas dos lagos Prespa e Ohrid. A bacia do mar Negro é a menor, com apenas 37 km². Ela cobre o lado norte do monte Skopska Crna Gora. Esta é a nascente do rio Morava Binachka, que se junta a Morava, e mais tarde ao Danúbio, que desagua no mar Negro. A Macedónia tem cerca de cinquenta lagoas e três lagos naturais: lago Ohrid, Prespa e Doiran.

Demografia[editar | editar código-fonte]

Os últimos dados do censo de 2002 registraram uma população de 2 022 547 habitantes.[24] A última estimativa oficial, datada de 2009 e sem alteração significativa, dá uma população de 2 050 671 habitantes.[25] De acordo com os últimos dados do censo, o maior grupo étnico no país são os macedônios. O segundo maior grupo étnico são os albaneses, que dominam grande parte da região noroeste do país. Depois deles, os turcos são o terceiro maior grupo étnico do país, onde os dados oficiais do censo os colocam em torno de 80 000 e estimativas não oficiais sugerem números entre 170 000 e 200 000. Algumas estimativas não oficiais indicam que, na República da Macedônia, há possivelmente até 260 000 ciganos.[26]


Religião[editar | editar código-fonte]

Religião na Macedônia
Religião % aprox.
Macedônios Ortodoxos
  
61%
Muçulmanos
  
31%
Outras religiões Cristãs da Macedônia
  
0,37%
Judeus
  
0,01%
Outras não especificadas
  
1,63%

O cristianismo ortodoxo é a religião predominante na República da Macedónia, representando 64,7% da população religiosa do país, a grande maioria dos quais pertencem à Igreja Ortodoxa da Macedónia. Várias outras denominações cristãs estão presentes no país e representam 0,37% da população. Os muçulmanos constituem 33,3% da população, sendo que a Macedónia tem a quinta maior proporção de muçulmanos na Europa, após os da Turquia (96%), Kosovo (90%), Albânia (56,7%), e Bósnia e Herzegovina (45%).[27] A maioria dos muçulmanos são albaneses, turcos, ou ciganos, embora alguns sejam muçulmanos macedônios. O restante (1,63%) é registrado como "não especificado" no censo nacional de 2002.[28]

Ao todo, existem 1 842 igrejas e 580 mesquitas no país, registradas no final de 2011.[29] Os ortodoxos e comunidades religiosas islâmicas têm escolas secundárias de religião em Skopje. Existe uma faculdade de teologia ortodoxa na capital. A Igreja Ortodoxa da Macedónia tem jurisdição sobre 10 províncias (sete no país e três no exterior), 10 bispos e cerca de 350 sacerdotes. Aproximadamente 30 000 pessoas são batizadas em todas as províncias a cada ano.

Há uma tensão entre a Igreja Ortodoxa Macedônia e a Igreja Ortodoxa Sérvia, que surgiram a partir da separação anterior e autodeclarada autocefalia em 1967. Após as negociações entre as duas igrejas terem sido suspensas, a Igreja Ortodoxa Sérvia reconheceu um grupo liderado por Zoran Vraniškovski (também conhecido como arcebispo Jovan de Ohrid), um ex-bispo da igreja macedónia, como o arcebispo de Ohrid.

A reação da Igreja Ortodoxa da Macedónia foi cortar todas as relações com o novo Arcebispado de Ohride evitar que bispos da Igreja Ortodoxa Sérvia entrassem na Macedónia. O bispo Jovan foi preso por 18 meses por "difamar a igreja ortodoxa macedónia e prejudicar os sentimentos religiosos dos cidadãos locais", distribuindo calendários sérvios ortodoxos da igreja e panfletos.[30]

Línguas[editar | editar código-fonte]

A língua oficial e mais falada é o macedônio, que pertence ao ramo oriental do grupo das línguas eslavas do sul. Nos municípios em que os grupos étnicos estão representados com mais de 20% da população total, a língua desse grupo étnico é cooficial.[31]

O macedônio está intimamente relacionado e é mutuamente inteligível com o búlgaro padrão. Ele também tem algumas semelhanças com o sérvio padrão e com os dialetos intermediários torlakiano e shop, falados principalmente no sul da Sérvia e no oeste da Bulgária (e pelos falantes no norte e leste da Macedônia). A língua padrão foi normalizada no período após a Segunda Guerra Mundial e acumulou uma tradição literária próspera. Embora seja a única língua explicitamente designada como língua nacional oficial na constituição, em municípios onde pelo menos 20% da população faz parte de outra minoria étnica, essas línguas individuais são usadas para fins oficiais no governo local, juntamente com o macedônio.

Política[editar | editar código-fonte]

A Macedónia tem em seu território uma minoria albanesa, que se queixa de discriminação e exige que a região onde vivem seja autônoma. Em 1991 houve um plebiscito em todo o país, e dois anos mais tarde o país passou a ter uma representação na Organização das Nações Unidas.

Em 1998, os sérvios iniciaram uma intervenção militar na província sérvia de Kosovo, com o objetivo de combater o Exército de Libertação do Kosovo. Com isso, milhares de refugiados cossovares migraram e se refugiaram em acampamentos provisórios na Macedónia.

Em 2001, tropas terroristas albanesas avançaram sobre o solo da Macedónia, a qual contra-atacou violentamente, diminuindo a popularidade do governo.

A Organização do Tratado do Atlântico Norte chegou a propor apoio ao governo macedónio em julho de 2001, mas, três meses depois, o governo propôs uma trégua aos rebeldes, o que promoveu um cessar-fogo e a retirada das tropas das cidades.

Subdivisões[editar | editar código-fonte]

Economia[editar | editar código-fonte]

A renda per capita da República da Macedónia é de 1 900 dólares estadunidenses. Com o boicote imposto pela Organização das Nações Unidas contra a Jugoslávia em decorrência da Guerra da Iugoslávia e do genocídio promovido contra a população bósnia, a Macedónia foi impedida de conduzir comércio bilateral com esse país vizinho, o que prejudicou sua economia. Também a Grécia impôs boicote devido à questão do nome do novo país.

Cultura[editar | editar código-fonte]

Academia do Humanismo da Macedónia[editar | editar código-fonte]

A Academia de Humanismo de Ohrid, é uma instituição República da Macedónia. O seu presidente é Jordan Plevnes. Atribui anualmente o Prémio Mundial do Humanismo, que homenageia personalidades que tenham contribuído para a defesa dos ideais do humanismo e da paz.

O Prémio Mundial do Humanismo é um galardão atribuído pela Academia do Humanismo da República da Macedónia, e que homenageia personalidades que tenham contribuído para a defesa dos ideais do humanismo e da paz.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Human Development Report 2015» (PDF) (em inglês). Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 14 de dezembro de 2015. Consultado em 24 de dezembro de 2015. 
  2. Georges Castellan, History of the Balkans from Mohammed the Conqueror to Stalin, New York: Columbia University Press, 1992, P. 381
  3. Código de Redacção Interinstitucional da União Europeia
  4. Igor Janev, Legal Aspects of the Use of a Provisional Name for Macedonia in the United Nations System, AJIL, Vol. 93. no 1. 1999.
  5. «The former Yugoslav Republic of Macedonia». Consultado em 6 de agosto de 2018. 
  6. «The former Yugoslav Republic of Macedonia – 47 States, one Europe». Consultado em 6 de agosto de 2018. 
  7. «NATO's relations with the former Yugoslav Republic of Macedonia». Consultado em 6 de agosto de 2018. 
  8. «Grécia e Macedônia encerram impasse de 27 anos, e país poderá trocar de nome». EXAME. 18 de julho de 2018. Consultado em 6 de agosto de 2018. 
  9. «Grécia e Macedônia encerram impasse de 27 anos, e país poderá trocar de nome». The Rank News. 18 de julho de 2018. Consultado em 6 de agosto de 2018. 
  10. a b «Macedônia fará referendo sobre mudança de nome em 30 de setembro». G1. 30 de julho de 2018. Consultado em 6 de agosto de 2018. 
  11. a b «Parlamento da Macedônia convoca referendo sobre acordo de mudança de nome». UOL. 30 de julho de 2018. Consultado em 6 de agosto de 2018. 
  12. «Paeonia – historical region». Consultado em 6 de agosto de 2018. 
  13. «Otan convida Macedônia para iniciar negociações de adesão ao grupo após mudança de nome». G1. 11 de julho de 2018. Consultado em 6 de agosto de 2018. 
  14. «Otan convida Macedônia para iniciar negociações de adesão». EXAME. 11 de julho de 2018. Consultado em 6 de agosto de 2018. 
  15. «ONU - Former Yugoslav Republic of Macedonia - FYROM». Consultado em 8 de abril de 2008. 
  16. «North Atlantic Treaty Organization» (em inglês). Consultado em 10 de maio de 2009.. Os membros da Organização do Tratado do Atlântico Norte. com exceção da Turquia, reconhecem a República da Macedônia como a antiga República iugoslava da Macedônica. A Turquia reconhece a República da Macedônia pelo seu nome constitucional. 
  17. L. Ivanov et al. Bulgarian Policies on the Republic of Macedonia. Sofia: Manfred Wörner Foundation, 2008. 80 pp. (Trilingual publication with English, Bulgarian and Macedonian versions.) ISBN 978-954-92032-2-6
  18. Presidente da Macedônia rejeita mudança no nome do país - Terra Noticias (13 de Junho de 2018)
  19. «Vem aí a Macedônia do Norte». www.uol. Consultado em 25 de junho de 2018. 
  20. «UPDATE: Macedonia, Greece sign historic name change deal». www.enca.com (em inglês). 17 de junho de 2018. Consultado em 20 de junho de 2018. 
  21. «Presidente da Macedônia rejeita mudança no nome do país». Terra. 13 de junho de 2018. Consultado em 20 de junho de 2018. 
  22. «Grécia e Macedônia encerram impasse de 27 anos, e país poderá trocar de nome». Folha de S.Paulo. 17 de junho de 2018 
  23. «Macedonia». Mymacedonia.net. Consultado em 28 de novembro de 2014. 
  24. «Census of Population, Households and Dwellings in the Republic of Macedonia, 2002 – Book XIII, Skopje, 2005.» (PDF). State Statistical Office of the Republic of Macedonia 
  25. «Macedonia – State Statistical Office». www.stat.gov.mk 
  26. [1]UNDP's Regional Bureau for Europe
  27. «Field Listing: Religions». CIA - The World Factbook. Consultado em 30 de agosto de 2014. 
  28. «Macedonia: Religions». CIA - The World Factbook. Consultado em 30 de agosto de 2014. 
  29. «Во Македонија има 1.842 цркви и 580 џамии» (em macedônio). Dnevnik. 28 de dezembro de 2011. Consultado em 30 de agosto de 2014. 
  30. «MACEDONIA: ORTHODOX ARCHBISHOP JAILED - WITHOUT THE GOSPELS» (em inglês). Kosovo News. 27 de julho de 2005. Consultado em 30 de agosto de 2014. 
  31. «Basic Facts». president.gov.mk. Arquivado do original em 25 de fevereiro de 2012 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre República da Macedónia


Flag map of the Republic of Macedonia.svg República da Macedónia
História • Política • Forças Armadas • Subdivisões • Geografia • Economia • Demografia • Cultura • Turismo • Portal • Imagens