Trácia Ocidental

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Localização da Trácia (azul) na Grécia.

Trácia Ocidental (em grego: [Δυτική] Θράκη , [Dytikí] Thráki; em turco: Batı Trakya ; em búlgaro: Западна Тракия , Zapadna Trakiya ou Беломорска Тракия, Belomorska Trakiya) é uma região geográfica e histórica da Grécia, localizada entre os rios Nestos e Evros, no nordeste do país. Juntamente com as regiões da Macedônia, Epiro e às vezes Tessália, é muitas vezes referida informalmente como norte da Grécia. É também chamada de Trácia grega para a distinguir da Trácia Oriental, que fica a leste do rio Evros e constitui a parte europeia da Turquia, e da área ao norte, na Bulgária, conhecida como Trácia Setentrional.

Habitada desde o período paleolítico, tem estado sob a influência política, cultural e linguística do mundo grego desde a era clássica; [1][2] os gregos das ilhas do mar Egeu colonizaram extensivamente a região (especialmente a parte costeira) e construíram cidades prósperas tais como Abdera (casa de Demócrito, o filósofo do século V que desenvolveu a teoria da partícula atômica, e de Protágoras, um líder sofista) e Sale (perto da atual Alexandrópolis). [1] Sob o Império Bizantino, a Trácia Ocidental beneficiou de sua posição próxima ao coração imperial e se tornou um centro do comércio e da cultura grega medieval; mais tarde, sob o Império Otomano, diversos muçulmanos se estabeleceram ali, marcando o nascimento da minoria muçulmana da Grécia.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Thrace - Encyclopædia Britannica
  2. D. C. Samsaris, The Hellenization of Thrace during the Greek and Roman Antiquity (in Greek), Thessaloniki 1980

Bibliografia[editar | editar código-fonte]