Língua bósnia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Bósnio (bosanski/босански)
Falado em: Bósnia e Herzegovina, Sérvia, Croácia, Montenegro, Macedônia, Eslovênia, Kosovo e a Diáspora bósnia
Total de falantes: 2,5 a 3,5 milhões
Família: Indo-europeia
 Balto-eslávica
  Eslava
   Eslava meridional
    Meridional
     Servo-croata
      Shtokaviano
       Neo-Shtokaviano
        Herzegovino oriental
         Bósnio
Escrita: latino (alfabeto latino croata)
cirílico (Alfabeto sérvio)[Note 1]
Braille iugoslavo
Códigos de língua
ISO 639-1: bs
ISO 639-2: bos
ISO 639-3: bos

A língua bósnia /ˈbɒzniən/ (bosanski/босански; [bɔ̌sanskiː]) é a norma culta de uma variante do servo croata usado pricipalmente pelos bósnios.[2][3][4] O bósnio é uma das três línguas oficiais da Bósnia e Herzegovina,[5] junto com o croata e o sérvio, e também uma língua regional ou minoritária reconhecida oficialmente na Sérvia,[6] Montenegro,[7] e na República do Kosovo.[8]

Os bósnios usam ambos os alfabetos, o latino e o cirílico,[Note 1] com o latino sendo usado no cotidiano.[9] É notável dentre as variedades do servo-croata o número de palavras emprestadas do árabe, turco otomano e do persa, principalmente devido a interação da língua com estas culturas através das ligações com o Islã.[10][11][12]

O bósnio é baseado no muito difundido dialeto servo-croata, shtokaviano, mais especificamente no herzegovino oriental, que é também a base do croata, sérvio, e montenegrino. Até a dissolução da Iugoslávia, elas foram tratadas como uma única língua servo-croata, e este termo é ainda usado em inglês para classificar a base comum (vocabulário, gramática e sintaxe) do que são hoje, oficialmente, quatro línguas nacionais, embora este termo seja polêmico para os falantes nativos,[13] e paráfrases como "Servo-Croata-Bósnio" (SCB) ou "Bósnio-Croata-Sérvio" (BCS) são algumas vezes usadas em vez disso, especialmente em círculos diplomáticos.

História[editar | editar código-fonte]

Livro escolar de Latim e Bósnio, 1827
Gramática Bósnia, 1890

Ver também

Padronização[editar | editar código-fonte]

Antigos alfabetos bósnios: bosančica (1ª linha) e arebica (3ª linha), comparados com o latinica contemporâneo (2ª linha)

Embora os bósnios sejam, no nível da língua coloquial, linguisticamente mais homogêneos do que sérvios ou croatas, ao contrário destas nações, eles falharam em codificar uma norma culta no século XIX, com no mínimo dois fatores sendo decisivos:

  • A elite bósnia, como intimamente entrelaçada com a vida otomana, escreveu predominantemente em línguas estrangeiras (turco, árabe, persa).[14] Vernacular literature escrita em bósnio com a escrita Arebica foi relativamente tênue e escassa.
  • A emancipação nacional dos bósnios ficou pra trás dos sérvios e croatas, e por causa confessional do que questões culturais ou linguísticas jogadas no papel central, um projeto de língua bósnia não despertou muito interesse ou suporte dentre os intelectuais da época.

A literatura do chamado "Renascimento bósnio" no início do século XX foi escrito em um idioma que próximo a norma culta croata do que do sérvio: foi um dialeto shtokaviano ocidental com um acento ijekaviano e usado uma escrita latina, mas tinha traços léxicos reconhecíveis. Os principais autores foram o polímata, político e poeta Safvet-beg Bašagić e o contador de histórias Edhem Mulabdić.

A norma culta bósnia moderna tomou forma nos anos 1990 e 2000. Lexicamente, as palavras emprestadas orientais islâmicas estão se tornando mais frequentes; foneticamente: o fonema /x/ (letra h) é restabelecido em muitas palavras com um destaque distinto da fala bósnia vernacular e tradição da língua; também, há algumas mudanças na gramática, morfologia e ortografia que reflete a tradição literária bósnia pré-Primeira Guerra Mundial, principalmente que a renascença bósnia no início do século XX.

Galeria[editar | editar código-fonte]

Controvérsia e reconhecimento[editar | editar código-fonte]

Uma advertência de cigarro "Fumar prejudica seriamente você e outras pessoas ao seu redor", ostensivamente em três línguas. As versões "bósnia" e "croata" são idênticas e a "sérvia" é uma transliteração da mesma.

O nome "língua bósnia" é uma questão controversa para os mesmos croatas e sérvios, que se referem a ela como a língua "bosníaca" (em servo-croata: bošnjački / бошњачки; [bǒʃɲaːtʃkiː]). Linguistas bósnios, contudo, insistem que o único nome legítimo é língua "bósnia" (bosanski), e que este é o nome que ambos, croatas e sérvios devem usar. A controvérsia surge porque o nome "bósnio" deve parecer indicar que esta é a língua de todos os bósnios, enquanto croatas bósnios e sérvios rejeitam esta designação para seus idiomas.

A língua é chamada língua bósnia no Acordo de Dayton em 1995[15] e é concluído pelos observadores que têm recebido legislação e reconhecimento internacional na época.[16]

A Organização Internacional para Padronização (ISO),[17] United States Board on Geographic Names (BGN), e o Permanent Committee on Geographical Names (PCGN) reconhecem a língua bósnia.

Além disso, o status da língua bósnia é também reconhecido por corpos como a ONU, UNESCO, e tradução e interpretação de agências de acreditação,[18] incluindo serviços de tradução da internet.

Muitas enciclopédias em língua inglesa (Routledge, Glottolog,[19] Ethnologue,[20] etc.[21]) registram a língua unicamente como língua "bósnia". A Biblioteca do Congresso dos EUA registrou a língua como "bósnia" e deu a ela um número-ISO. Os institutos de língua eslava nos países falantes de inglês oferecem cursos em "bósnio" ou língua "bósnia/croata/sérvia", não como língua "bosníaco" (por exemplo, Columbia,[22] Cornell,[23] Chicago,[24] Washington,[25] Kansas[26]). A mesma coisa ocorre nos países falantes de alemão, onde a língua é ensinada sob o nome Bosnisch, e não Bosniakisch (por exemplo, Viena,[27] Graz,[28] Trier[29]) com muito poucas exceções.

Alguns linguistas croatas (Zvonko Kovač, Ivo Pranjković, Josip Silić) apoiam o nome língua "bósnia", enquanto que outros (Radoslav Katičić, Dalibor Brozović, Tomislav Ladan) defendem que o termo língua bósnia é o único apropriado[necessário esclarecer] e que consequentemente os termos língua bósnia e língua bosníaco se referem a duas coisas diferentes[necessário esclarecer]. As instituições de Estado croatas, como o Central Bureau of Statistics, usam ambos os termos: língua "bosníaca" foi usada no censo de 2001,[30] enquanto que o censo de 2011 usou o termo língua "bósnia".[31]

A maioria dos linguistas sérvios defendem que o termo língua bosníaco é o único apropriado,[32] que foi concordado no início de 1990.[33]

A forma original da Constituição da Federação da Bósnia e Herzegovina chamou a língua de "bosníaca",[34] até 2002 quando ela foi mudada pela Emenda XXIX da Constituição da Federação por Wolfgang Petritsch.[35] O texto original da Costituição da Federação da Bósnia e Herzegovina foi combinado em Viena, e foi assinado por Krešimir Zubak e Haris Silajdžić em 18 de março de 1994.[36]

A constituição da Republika Srpska, a entidade dominada por sérvios dentro da Bósnia e Herzegovina, não reconhece outra língua ou grupo étnico diferente do sérvio.[37] Bosníacos foram expulsos de seu território controlado pelos sérvios em 1992, mas imediatamente após a guerra eles exigiram a restauração de seus direitos civis nestes territórios. Os sérvios bósnios rejeitaram fazer referência a língua bósnia em sua constituição e como resultado tinha emendas constitucionais impostas pelo Alto Representante Wolfgang Petritsch. Contudo, a constituição de Republika Srpska se refere a ela como a língua falada pelos bosníacos,[38] porque dos sérvios foi exigido reconhecer a língua oficialmente, mas desejaram evitar o reconhecimento deste nome.[39]

A Sérbia inclui a língua bósnia como um assunto eletivo nas escolas primárias.[40]

Montenegro oficialmente reconhece a língua bósnia: sua Constituição de 2007 especificamemente declara que, embora o montenegrino seja a língua oficial, sérvio, bósnio, albanês e croata são também de uso oficial.[7][41]

Diferenças entre bósnio, croata, montenegrino e sérvio[editar | editar código-fonte]

As diferenças entre os padrões literários bósnio, sérvio e croata são mínimas. Embora o bósnio empregue muitas palavras emprestadas do turco, persa e árabe - frequentemente chamado de orientalismos - ela é muito semelhante a ambos, sérvio e croata, em sua forma escrita e falada.[42]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Portal A Wikipédia possui o portal:

Notas[editar | editar código-fonte]

a. O Kosovo é objeto de uma disputa territorial entre Sérvia e a República do Kosovo. Esta última declarou a sua independência, em 17 de fevereiro de 2008, em um movimento que, até fevereiro de 2014, era reconhecido por 108 dos 193 estados membros das Nações Unidas e pela República Popular da China (Taiwan). A Sérvia, no entanto, continua a sustentar que o Kosovo é parte do seu território soberano.
  1. a b O cirílico é um alfabeto usado oficialmente, mas, na prática, é usado principalmente na Republika Srpska, enquanto que na Federação da Bósnia e Herzegovina, principalmente o latino é usado.[1]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Alexander 2006, pp. 1–2.
  2. David Dalby, Linguasphere (1999/2000, Linguasphere Observatory), pg. 445, 53-AAA-g, "Srpski+Hrvatski, Serbo-Croatian".
  3. Benjamin V. Fortson, IV, Indo-European Language and Culture: An Introduction, 2nd ed. (2010, Blackwell), pg. 431, "Because of their mutual intelligibility, Serbian, Croatian, and Bosnian are usually thought of as constituting one language called Serbo-Croatian."
  4. Václav Blažek, "On the Internal Classification of Indo-European Languages: Survey" retrieved 20 Oct 2010, pp. 15–16.
  5. Ver Art. 6 da Constituição da Federação da Bósnia e Herzegovina, disponíveis no site oficial do Office of the High Representative na Bósnia e Herzegovina
  6. «European charter for regional or minority languages: Application of the charter in Serbia» (PDF). Council of Europe. 2009. 
  7. a b «Archived copy». Arquivado desde o original em 2009-06-17. Consultado em 2009-03-18.  See Art. 13 of the Constitution of the Republic of Montenegro, adopted on 19 October 2007, available at the website of the Ministry of Justice of the Republic of Montenegro
  8. Driton Muharremi and Samedin Mehmeti (2013). Handbook on Policing in Central and Eastern Europe Springer [S.l.] p. 129. 
  9. Tomasz Kamusella (15 January 2009). The Politics of Language and Nationalism in Modern Central Europe Palgrave Macmillan [S.l.] ISBN 978-0-230-55070-4. «In addition, today, neither bosníacos nor Croats, but only Serbs use Cyrillic in Bosnia.» 
  10. Algar, Hamid (2 July 1994). Persian Literature in Bosnia-Herzegovina (Oxford: Journal of Islamic Studies (Oxford)). pp. 254–68. 
  11. Balic, Smail (1978). Die Kultur der bosníacoen, Supplement I: Inventar des bosnischen literarischen Erbes in orientalischen Sprachen (Vienna: Adolf Holzhausens, Vienna). p. 111. 
  12. Balic, Smail (1992). Das unbekannte Bosnien: Europas Brücke zur islamischen Welt (Cologne, Weimar and Vienna: Bohlau). p. 526. 
  13. Radio Free Europe – Serbian, Croatian, Bosnian, Or Montenegrin? Or Just 'Our Language'? Živko Bjelanovic: Similar, But Different, Feb 21, 2009, accessed Oct 8, 2010
  14. «Collection of printed books in Arabic, Turkish and Persian». Gazi Husrev-begova biblioteka. 2014-05-16. Consultado em 2014-05-16. 
  15. Alexander, Ronelle (2006). Bosnian, Croatian, Serbian, a Grammar: With Sociolinguistic Commentary Univ of Wisconsin Press [S.l.] p. 409. 
  16. Greenberg, Robert D. (2004). Language and Identity in the Balkans: Serbo-Croatian and Its Disintegration Oxford University Press [S.l.] p. 136. 
  17. «ISO 639-2 Registration Authority – Library of Congress». loc.gov. 
  18. Sussex, Roland (2006). The Slavic Languages Cambridge University Press [S.l.] p. 76. ISBN 0-521-22315-6. 
  19. «Glottolog 2.5 – Bosnian». glottolog.org. 
  20. «Bosnian». Ethnologue. 
  21. Bernard Comrie (ed.): The World's Major Languages. Second Edition. Routledge, New York/London, 2009
  22. columbia.edu http://www.columbia.edu/cu/bulletin/uwb/subj/BCRS/W1202-20161-001/.  Falta o |titulo= (Ajuda)
  23. «BCS 1133 – Continuing Bosnian-Croatian-Serbian I – Acalog ACMS™». cornell.edu. 
  24. «Courses». uchicago.edu. 
  25. «Bosnian Croatian Serbian». washington.edu. 
  26. «Why Study Bosnian, Croatian, Serbian (BCS) with the KU Slavic Department?». ku.edu. 
  27. «Institut für Slawistik » Curricula». univie.ac.at. 
  28. «Bosnisch/Kroatisch/Serbisch». uni-graz.at. 
  29. «Universität Trier: Slavistik – Bosnisch-Kroatisch-Montenegrinisch-Serbisch». uni-trier.de. 28 July 2015. 
  30. Central Bureau of Statistics of the Republic of Croatia Census of 2001, Population by native language
  31. Central Bureau of Statistics of the Republic of Croatia, Census of 2011, Population by native language, http://www.dzs.hr/Hrv/censuses/census2011/results/htm/H01_01_09/H01_01_09.html, visitado em January 19, 2014 
  32. «[Projekat Rastko] Odbor za standardizaciju srpskog jezika». rastko.rs. 
  33. Svein Mønnesland, »Language Policy in Bosnia-Herzegovina«, (pp 135. – 155.). In: Language : Competence–Change–Contact = Sprache : Kompetenz – Kontakt – Wandel, edited by: Annikki Koskensalo, John Smeds, Rudolf de Cillia, Ángel Huguet; Berlin ; Münster : Lit Verlag, 2012., ISBN 978-3-643-10801-2, p. 143. "Already in 1990 the Committee for the Serbian language9 decided that only the term 'Bosniac language' should be used officially in Serbia, and this was confirmed in 1998."
  34. «Constitution of the Federation of Bosnia and Herzegovina». Office of the High Representative. Consultado em 3 June 2010. 
  35. Decision on Constitutional Amendments in the Federation, http://www.ohr.int/decisions/statemattersdec/default.asp?content_id=7475, visitado em January 19, 2014 
  36. Washington Agreement, http://www.usip.org/sites/default/files/file/resources/collections/peace_agreements/washagree_03011994.pdf, visitado em January 19, 2014 
  37. «The Constitution of the Republika Srpska». U.S. English Foundation Research. Consultado em 3 June 2010. 
  38. «Decision on Constitutional Amendments in Republika Srpska». Office of the High Representative. Arquivado desde o original em 18 January 2012. Consultado em 3 June 2010. 
  39. Greenberg, Robert David (2004). Language and Identity in the Balkans: Serbo-Croatian and its Disintegration Oxford University Press [S.l.] p. 156. ISBN 0-19-925815-5. 
  40. Rizvanovic, Alma (2 August 2005). «Language Battle Divides Schools». Institute for War & Peace Reporting [S.l.: s.n.] Consultado em 3 June 2010. 
  41. CDM : CafedelMontenegro
  42. «Serbian, Croatian, Bosnian, Or Montenegrin? Or Just 'Our Language'?». Radio Free Europe. 

Leitura adicional[editar | editar código-fonte]

.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Língua bósnia