Guerras dos Balcãs

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Mapa com os territórios ocupados pela liga dos Balcãs após a Primeira Guerra Balcânica. O Império Otomano aparece em cor mais escura, no sudeste.

Designam-se Guerra dos Balcãs (português europeu) ou Bálcãs (português brasileiro) (ou ainda Guerras Balcânicas) os conflitos bélicos que ocorreram na região do sudeste europeu dos Bálcãs, no início do século XX. Consistiram de duas guerras curtas, entre Sérvia, Montenegro, Grécia, Romênia, Turquia (sucessor do Império Otomano) e Bulgária pela posse dos territórios remanescentes do Império Otomano. Em 1912, Grécia, Sérvia, Bulgária e Montenegro formaram a Liga Balcânica, oficialmente para reivindicar melhor tratamento aos cristãos na Macedônia turca, mas na realidade para cercar o território turco remanescente na Europa enquanto a Turquia estava enredada em uma guerra com a Itália; iniciou-se então a Primeira Guerra dos Balcãs.

Em outubro de 1912 os exércitos da Liga, vitoriosos nas batalhas de Kumanovo, Kirk-Kilisse e Lule Burgas, capturaram esses territórios, exceto Constantinopla (hoje Istambul). Embaixadores europeus intervieram (Tratado de Londres (1913)) para redesenhar o mapa dos Bálcãs com vantagem para a Bulgária e em detrimento da Sérvia. Um mês depois, o governo de Sófia lançou um ataque preventivo contra os sérvios e gregos, que cobiçavam as conquistas búlgaras. Embora vitoriosos contra os sérvios em Kalimantsi (18 de julho), a Bulgária sofreu um ataque inesperado. A Romênia, até então neutra, ocupou o território litigioso da Dobrudja e ameaçou marchar para Sófia. E para tornar as coisas piores, os otomanos aproveitaram a ocasião para retomar Andrinopla (hoje Edirne, na Turquia). A Bulgária viu-se perdida.

No Tratado de Bucareste (agosto de 1913), Grécia e Sérvia dividiram a Macedônia, e a Romênia ganhou parte da Bulgária. A Albânia, que estava sob suseranato turco, tornou-se um principado muçulmano independente. A Grande Sérvia agora representava uma ameaça à Áustria-Hungria. A Rússia prometeu apoiar a Sérvia em seu esforço nacionalista, e a Alemanha prometeu ajuda militar à Austria-Hungria. O assassinato do herdeiro do trono austro-húngaro em Sarajevo (1914) deu à Áustria-Hungria o pretexto para invadir a Sérvia, levando à deflagração da Primeira Guerra Mundial, seis meses depois.

Outras guerras na região balcânica[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]


Wiki letter w.svg Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.