Gian Piero Gasperini

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Gian Piero Gasperini
Gian Piero Gasperini
Gasperini em 2019.
Informações pessoais
Nome completo Gian Piero Gasperini
Data de nasc. 26 de janeiro de 1958 (66 anos)
Local de nasc. Grugliasco, Itália
Nacionalidade italiano
Altura 1,77 m
Informações profissionais
Período em atividade Jogador: (1976–1993)
Treinador: (1994–presente)
Clube atual Atalanta
Posição Ex-meio-campista
Função Técnico
Clubes de juventude
1967–1976 Juventus
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos)
1976–1977
1977–1978
1978–1983
1983–1984
1984–1985
1985–1990
1990–1991
1991–1993
Juventus
Reggina (emp.)
Palermo
Cavese
Pistoiese
Pescara
Salernitana
Vis Pesaro
003 000(0)
016 000(0)
128 00(11)
034 000(2)
034 000(4)
160 00(21)
035 000(1)
061 000(3)
Times/clubes que treinou
1994–2003
2003–2004
2005–2006
2006–2010
2011
2012–2013
2013–2016
2016–
Juventus sub-20
Crotone
Crotone
Genoa
Internazionale
Palermo
Genoa
Atalanta

0069
0053
0186
0005
0023
0111
0359
Última atualização: 18 de janeiro de 2024

Gian Piero Gasperini (Grugliasco, 26 de Janeiro de 1958) é um técnico e ex-futebolista italiano que atuava como meio-campista. Atualmente comanda a Atalanta.

Carreira como jogador[editar | editar código-fonte]

Gasperini ingressou nas divisões de base da Juventus aos 9 anos; durante a permanência nas categorias de base, ele integrou o elenco da Primavera, que incluía Paolo Rossi e Sergio Brio, que foi vice-campeão em 1976.[1] Depois de ter disputado algumas partidas da Coppa Italia com a equipe principal, ele foi emprestado ao Reggiana e depois vendido ao Palermo, clube da Serie B, em 1978. Ele permaneceu cinco temporadas no Palermo, todas na Série B, mas chegou à final da Coppa Italia em 1979, perdida para a Juventus.

Depois de duas temporadas no Cavese (Serie B) e no Pistoiese (Serie C1), Gasperini mudou-se para o Pescara, onde finalmente teve sua primeira oportunidade de jogar na Serie A após a promoção em 1987. Ele fez sua estreia na Serie A em uma vitória por 2-1 contra o Pisa. Em 1990, ele deixou o Pescara para ingressar no Salernitana. Ele se aposentou em 1993 aos 35 anos, após duas temporadas no Vis Pesaro.

Carreira como treinador[editar | editar código-fonte]

Juventus[editar | editar código-fonte]

Em 1994, Gasperini voltou às divisões de base da Juventus, desta vez como treinador.[2] Ele foi inicialmente técnico do Giovanissimi (Sub-14) por dois anos, seguido por outros dois anos com o Allievi (Sub-17).

Em 1998, ele se tornou treinador da Primavera (Sub-20).

Crotone[editar | editar código-fonte]

Em 2003, ele deixou a Juventus para se tornar o técnico do Crotone, da Serie C1, onde prontamente guiou sua equipe para a promoção à Série B através dos play-offs. Ele permaneceu no Crotone por mais duas temporadas na Serie B e foi demitido durante a temporada de 2004-05.

Genoa[editar | editar código-fonte]

Em 2006, ele foi o treinador do ambicioso Genoa e levou sua equipe à promoção à Serie A em sua primeira temporada.

Na temporada de 2008-09, Gasperini levou o Genoa ao quinto lugar da Serie A, a melhor colocação da equipe em 19 anos, garantindo assim uma vaga na Europa League, relançando jogadores como Diego Milito e Thiago Motta com um estilo de futebol que foi elogiado em toda a Itália,[3] tanto que José Mourinho, treinador da Internazionale que foi campeã da Serie A, afirmou que Gasperini foi o treinador que o colocou em maior dificuldade.

Um início ruim na temporada de 2010-11, com 11 pontos em 10 jogos, apesar de contratações como Luca Toni, Rafinha, Miguel Veloso e Kakha Kaladze, causou a demissão de Gasperini em 8 de novembro.[4]

Internazionale[editar | editar código-fonte]

Em 24 de junho de 2011, Massimo Moratti confirmou que Gasperini iria substituir Leonardo como treinador da Internazionale.[5][6] No entanto, em 21 de setembro de 2011, Gasperini foi demitido após uma série de cinco jogos sem vitórias, incluindo quatro derrotas.

Gasperini começou sua passagem pela Inter com uma derrota por 2-1 contra o Milan na Supercoppa Italiana de 2011. No primeiro jogo da Serie A, a Inter foi surpreendido pelo Palermo e perdeu por 4–3 na Sicília.

Uma derrota por 1–0 para o Trabzonspor na Liga dos Campeões piorou as coisas e Moratti demitiu Gasperini após uma derrota por 3–1 para o Novara.

Palermo[editar | editar código-fonte]

Em 16 de setembro de 2012, Gasperini foi anunciado como o novo treinador do Palermo, sua ex-equipe como jogador, substituindo Giuseppe Sannino.

Em 4 de fevereiro de 2013, ele foi demitido do cargo após uma derrota por 2-1 em casa para a Atalanta.[7]

Em 24 de fevereiro de 2013, Gasperini foi recontratado como treinador do Palermo, substituindo Alberto Malesani após três jogos no comando. Em 11 de março de 2013, Gasperini foi novamente destituído do cargo.[8]

Volta para o Genoa[editar | editar código-fonte]

Em 29 de setembro de 2013, o Genoa anunciou que recontratou Gasperini depois de quase três anos desde o fim de seu mandato anterior.[9]

Atalanta[editar | editar código-fonte]

Em 14 de junho de 2016, Gasperini foi nomeado treinador da Atalanta.[10] Durante sua gestão na equipe, Gasperini levou o clube que buscava não ser rebaixado a Serie B as primeira posições da Serie A e a participação constante nas competições europeias.[11] Sua primeira temporada no comando teve um começo difícil, com Gasperini prestes a ser despedido após 5 rodadas que viram a Atalanta na penúltima colocação após uma derrota por 1-0 para o Palermo. Porém, a partir daí, os resultados da equipe melhoraram continuamente, levando-os a vencer Inter, Roma e Napoli, com uma sequência de 6 vitórias consecutivas na Serie A, deixando-os na 6ª colocação durante a pausa de inverno. A Atalanta continuou a ser a surpresa da temporada e terminou em quarto na Serie A, qualificando-se assim para a Liga Europa.

Na temporada seguinte, retornando à Europa após 26 anos de ausência, a Atalanta conseguiu liderar o grupo da Liga Europa com Lyon, Everton e Apollon Limassol e avançaram para as oitavas de final, onde foram eliminados pelo Borussia Dortmund. Na Serie A, a equipe conseguiu um sétimo lugar, conquistando assim mais uma qualificação para a Liga Europa, desta vez na segunda pré-eliminatória, enquanto na Coppa Itália avançou para as semi-finais, onde foram eliminado pela Juventus.

Na temporada de 2018-19, a Atalanta terminou em terceiro na Serie A e se classificou para a Liga dos Campeões pela primeira vez em sua história. A equipe também chegou à final da Coppa Itália mas perderam por 2-0 para a Lazio.[12][13]

Em 9 de setembro de 2019, Gasperini foi eleito cidadão honorário de Bérgamo.

A Atalanta se classificou pela primeira vez para as oitavas de final da Liga dos Campeões depois de terminar na segunda colocação do grupo com Manchester City, Shakhtar Donetsk e Dinamo Zagreb. A primeira partida de Gasperini nas rodadas eliminatórias da Liga dos Campeões terminou com uma vitória em casa por 4-1 contra o Valencia.[14] A Atalanta avançou para as quartas-de-final após uma vitória por 4-3 sobre o Valencia na segunda partida em 10 de março de 2020.[15] Eles foram eliminados pelo Paris Saint-Germain nas quartas de final.

Estilo[editar | editar código-fonte]

Taticamente, Gasperini é conhecido por usar o 3-4-3 e um sistema baseado na posse de bola hiperofensiva, que depende da versatilidade de seus meio-campistas e da linha de frente. O estilo de jogo de sua equipe coloca mais foco em fazer gols com passes rápidos e curtos. As suas equipas são conhecidas por jogarem numa linha defensiva alta e por serem muito compactas defensivamente, com pouca distância entre o ataque e a defesa. Ao defender, suas equipes são conhecidas pelo uso de pressão forte, mas também aplicam elementos de marcação fluida em todo o campo e frequentemente mudam para uma formação 5–4–1 defensivamente.

Durante a década de 1990, a filosofia tática de Gasperini e os estilos de jogo das suas equipes foram inspirados no Ajax de Louis van Gaal.

Apesar da sua fama pelo seu estilo de jogo ofensivo, o que o leva a obter resultados exitosos em times menores, ele também tem recebido críticas pelo seu jeito desequilibrado e pela tendência do seu time em sofrer gols. Como tal, certos especialistas questionaram se seu sistema seria igualmente eficaz com equipes maiores.[16][17][18]

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Atualizada em 18 de janeiro de 2024.[19]

Time Entrada Saida Recorde
J V E D GF GS SG %
Crotone 1 de julho de 2003 8 de dezembro de 2004 69 32 17 20 112 76 +36 46.38
Crotone 17 de abril de 2005 10 de julho de 2006 53 24 13 16 73 55 +18 45.28
Genoa 10 de julho de 2006 8 de novembro de 2010 186 82 42 62 265 236 +29 44.09
Internazionale 24 de junho de 2011 21 de setembro de 2011 5 0 1 4 5 10 −5 6.66
Palermo 16 de setembro de 2012 4 de feveireiro de 2013 21 3 7 11 20 32 −12 14.29
Palermo 24 de fevereiro de 2013 11 março de 2013 2 0 1 1 1 2 −1 0.00
Genoa 29 de setembro de 2013 14 de junho de 2016 111 40 28 43 145 139 +6 36.04
Atalanta 14 de junho de 2016 presente 359 185 86 88 692 430 +262 51.53
Total 806 366 195 245 1,313 980 +333 45.41

Títulos[editar | editar código-fonte]

Como jogador[editar | editar código-fonte]

Pescara

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «J1897.com is for sale». HugeDomains (em inglês). Consultado em 22 de maio de 2021 
  2. «Gasperini, ottimo settore giovanile Juve - Calcio - Tuttosport». web.archive.org. 4 de março de 2016. Consultado em 22 de maio de 2021 
  3. «Genoa put new slant on second-season syndrome, writes Rob Smyth». the Guardian (em inglês). 14 de abril de 2009. Consultado em 23 de maio de 2021 
  4. «Genoa: news di oggi e ultim'ora». La Gazzetta dello Sport (em italiano). Consultado em 23 de maio de 2021 
  5. «Moratti: "Gasperini, fully satisfied"». Inter Official Site. Consultado em 23 de maio de 2021 
  6. «Inter name Gasperini as new coach». BBC Sport (em inglês). Consultado em 23 de maio de 2021 
  7. «Palermo confirm Gasperini dismissal | Football Italia». www.football-italia.net. Consultado em 23 de maio de 2021 
  8. «Palermo announce Sannino return | Football Italia». www.football-italia.net. Consultado em 23 de maio de 2021 
  9. «Official: Genoa recall Gasperini | Football Italia». www.football-italia.net. Consultado em 23 de maio de 2021 
  10. «Official: Atalanta appoint Gasperini | Football Italia». www.football-italia.net. Consultado em 23 de maio de 2021 
  11. «From Bergamo to Lisbon: The rise and rise of Gian Piero Gasperini's Atalanta». The Indian Express (em inglês). 13 de agosto de 2020. Consultado em 23 de maio de 2021 
  12. «No VAR decision a scandal - Gasperini». BBC Sport (em inglês). Consultado em 23 de maio de 2021 
  13. «Lazio bring Atalanta down to earth with Coppa Italia triumph». the Guardian (em inglês). 16 de maio de 2019. Consultado em 23 de maio de 2021 
  14. «Ilicic the icon of Atalanta | Football Italia». www.football-italia.net. Consultado em 23 de maio de 2021 
  15. «Valencia vs. Atalanta score: Josip Ilicic makes Champions League history with four goals as Atalanta advances». CBSSports.com (em inglês). Consultado em 23 de maio de 2021 
  16. «Gian Piero Gasperini: the mastermind who's turned Atalanta into a bastion of young talent and attacking prowess». These Football Times (em inglês). 3 de setembro de 2018. Consultado em 23 de maio de 2021 
  17. «Blog Calciomercato.com: Gasp, respiro e profumo di bel calcio». Vivo Per Lei - Tutti Giornalisti con CalcioMercato.com - Community per Tifosi (em italiano). Consultado em 23 de maio de 2021 
  18. «Gasperini: 'Atalanta got the hang of it' | Football Italia». www.football-italia.net. Consultado em 23 de maio de 2021 
  19. www.footballdatabase.eu https://www.footballdatabase.eu/en/player/details/21830-gian_piero-gasperini. Consultado em 22 de maio de 2021  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
Precedido por
Giovanni Vavassori
Fabio Liverani
Técnico do Genoa
2006–2010
2013–2016
Sucedido por
Davide Ballardini
Ivan Jurić
Precedido por
Leonardo
Técnico da Internazionale
2011
Sucedido por
Claudio Ranieri
Precedido por
Edoardo Reja
Técnicos da Atalanta
2016–Presente
Sucedido por