Diego Milito

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Diego Milito
Diego Milito (22677058983).jpg
Informações pessoais
Nome completo Diego Alberto Milito
Data de nasc. 12 de junho de 1979 (42 anos)
Local de nasc. Bernal, Argentina
Altura 1,83 m
destro
Apelido El Príncipe
Informações profissionais
Clube atual aposentado
Posição centroavante
Clubes de juventude
1998 Racing
Clubes profissionais
Anos Clubes
1999–2003
2004–2005
2005–2008
2008–2009
2009–2014
2014–2016
Racing
Genoa
Zaragoza
Genoa
Internazionale
Racing
Seleção nacional
2003–2011 Argentina

Diego Alberto Milito (Bernal, 12 de junho de 1979) é um ex-futebolista argentino que atuava como centroavante. Atualmente é diretor de futebol do Racing.[1]

Ficou mundialmente conhecido depois de brilhar com a camisa da Internazionale, onde tornou-se ídolo e foi fundamental na conquista da tríplice coroa na temporada 2009–10.[2]

Recebeu o apelido de El Príncipe ("O Príncipe" em espanhol) por causa de sua semelhança física com o uruguaio Enzo Francescoli, que tinha o mesmo apelido.[3]

É irmão mais velho de Gabriel Milito, treinador e ex-futebolista que atuava como zagueiro.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Racing[editar | editar código-fonte]

Iniciou a carreira no Racing, da Argentina, em 1999. Curiosamente, no mesmo período seu irmão Gabriel atuou justamente no arquirrival Independiente.

Genoa e Zaragoza[editar | editar código-fonte]

Diego permaneceu no Racing até 2004, quando foi contratado pelo Genoa por 8 milhões de euros. Jogou uma temporada e meia no clube e foi o artilheiro da equipe nos dois Campeonatos Italianos que disputou.

Chamou a atenção do Zaragoza, que o contratou em 2005. Nas três temporadas em que atuou na Espanha, onde chegou a jogar ao lado do irmão Gabriel, foi mais uma vez o artilheiro da equipe, marcando mais de 50 gols em três edições do Campeonato Espanhol.

Retorno ao Genoa[editar | editar código-fonte]

Após não evitar o rebaixamento do Zaragoza na temporada 2007–08, acertou seu retorno para o Genoa.

Fez um excelente Campeonato Italiano na temporada 2008–09, sendo vice artilheiro da competição, com 24 gols, ao lado de Marco Di Vaio. Dado ao fato, Milito e seu companheiro de equipe Thiago Motta foram negociados com a Inter antes mesmo do término do campeonato.

Internazionale[editar | editar código-fonte]

Foi anunciado oficialmente pela Internazionale no dia 29 de junho de 2009. Os Nerazzurri pagaram ao Genoa aproximadamente 16 milhões de euros e cederam 50% do passe do atacante Robert Acquafresca.[4]

Logo na sua primeira temporada, cravou seu nome na história do clube conquistando a tríplice coroa (Campeonato Italiano, Copa da Itália e Liga dos Campeões da UEFA) sob o comando do português José Mourinho. Dos 100 gols da equipe, Milito marcou 32, sendo que quatro deles decidiram os títulos da equipe. Diego marcou o único gol da vitória da Inter sobre a Roma, que garantiu o sexto título da Copa da Itália, o gol da vitória por 1 a 0 sobre o Siena, que coroou o quinto Scudetto consecutivo da Inter e os dois da vitória por 2 a 0 sobre o Bayern de Munique, na final da Liga dos Campeões.[5][6][7] No dia 26 de agosto de 2010, Milito foi eleito o melhor atacante e melhor jogador do futebol europeu na temporada 2009–10. Ele recebeu o prêmio na cerimônia de sorteio dos grupos da Liga dos Campeões 2010–11.[8] Marcou também um gol na vitória sobre o Barcelona por 3 a 1, na semifinal da Liga dos Campeões.[9]

Ainda em 2010, foi campeão do Mundial de Clubes da FIFA. Era esperada uma inédita final contra o Internacional, mas a equipe brasileira foi eliminada pelo Mazembe. Na final, a Inter venceu facilmente o Mazembe por 3 a 0.[10]

Na temporada 2010–11, porém, foi muito prejudicado por lesões e não pôde repetir o excelente futebol apresentado na temporada anterior. No dia 29 de maio de 2011, marcou mais um importante gol, na decisão da Copa da Itália, contra o Palermo. Aos 39 do segundo tempo, fechou o placar em 3 a 1 e garantiu o título dos Nerazzurri.[11]

Retorno ao Racing[editar | editar código-fonte]

Em junho de 2014, após deixar a Internazionale, acertou seu retorno ao Racing de Avellaneda.[12] Recebeu a braçadeira de capitão e foi decisivo na conquista do Campeonato Argentino, seu segundo título nacional pelo clube.

Realizou seu último jogo pelo Racing no dia 21 de maio de 2016, marcando de pênalti na vitória por 2 a 0 sobre o Temperley.[13] No dia seguinte anunciou sua aposentadoria.[14]

Seleção Nacional[editar | editar código-fonte]

Entre 2003 e 2011, representou a Seleção Argentina em 25 oportunidades, marcando apenas quatro gols. Disputou a Copa América de 2007, sendo reserva de Hernán Crespo, e a Copa do Mundo FIFA de 2010, onde foi reserva de Gonzalo Higuaín.[15]

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Atualizadas até 3 de novembro de 2012.

Clubes[editar | editar código-fonte]

Milito na Internazionale em 2009
Clube Temporada Campeonato
nacional
Copa
nacional
Competições
continentais¹
Outros² Total
Jogos Gols Jogos Gols Jogos Gols Jogos Gols Jogos Gols
Racing 1999–00 11 1 11 1
2000–01 35 2 35 2
2001–02 38 9 38 9
2002–03 35 14 11 3 46 17
2003–04 18 8 18 8
Total 137 34 0 0 11 3 0 0 148 37
Genoa 2003–04 20 12 - 0 20 12
2004–05 39 21 3 1 42 22
Total 59 33 3 1 0 0 0 0 62 34
Zaragoza 2005–06 36 15 8 6 44 21
2006–07 37 23 3 0 40 23
2007–08 35 15 4 2 2 0 41 17
Total 108 53 15 8 2 0 0 0 125 61
Genoa 2008–09 31 24 1 2 32 26
Total 31 24 1 2 0 0 0 0 32 26
Internazionale 2009–10 35 22 5 2 11 6 1 0 52 30
2010–11 23 5 3 1 7 2 1 0 34 8
2011–12 33 24 1 0 7 2 41 26
2012–13 11 7 0 0 5 0 16 7
Total 102 58 9 3 30 10 2 0 143 71
Total na Carreira 437 202 28 14 43 13 2 0 510 229

¹Na categoria Competições continentais estão incluídos jogos da Liga dos Campeões da UEFA, Liga Europa da UEFA, Copa Libertadores, Copa Sul-Americana, Supercopa da UEFA e Mundial de Clubes da FIFA.

²Na categoria Outros estão incluídos jogos da Supercopa da Itália.

Seleção Argentina[editar | editar código-fonte]

Ano
Jogos Gols
2003 5 3
2004 2 0
2005 0 0
2006 0 0
2007 6 1
2008 2 0
2009 5 0
2010 4 0
2011 1 0
Total 25 4

Títulos[editar | editar código-fonte]

Milito atuando pela Internazionale em 2009
Racing Club
Internazionale

Prêmios individuais[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Ídolos: Diego Milito». Site oficial do Racing Club. Consultado em 30 de março de 2020 
  2. Nelson Oliveira (24 de maio de 2016). «Bastou um ano para Diego Milito entrar para a história da Inter». Calciopédia. Consultado em 30 de março de 2020 
  3. «Diego Milito, o Príncipe, completa 41 anos». Futebol na Veia. 12 de junho de 2020. Consultado em 29 de abril de 2021 
  4. «Finalmente, Diego Milito troca o Genoa pela Inter de Milão». ESPN.com.br. 29 de junho de 2009. Consultado em 30 de março de 2020 
  5. «Após 45 anos e com show de Milito, Inter de Milão conquista a Liga». GloboEsporte.com. 22 de maio de 2010. Consultado em 30 de março de 2020 
  6. «Ficha técnica de Inter-Bayern». UOL Esporte. 22 de maio de 2010. Consultado em 30 de março de 2020 
  7. «Inter de Milão vence Bayern e conquista a Liga dos Campeões». GaúchaZH. 22 de maio de 2010. Consultado em 30 de março de 2020 
  8. «Inter leva todos os prêmios individuais dos melhores da última temporada». GloboEsporte.com. 26 de agosto de 2010. Consultado em 1 de setembro de 2019 
  9. «Na garra, Inter vence o Barça e consegue boa vantagem para o jogo de volta». GloboEsporte.com. 20 de abril de 2010. Consultado em 30 de março de 2020 
  10. Alexandre Alliatti (18 de dezembro de 2010). «Em estádio colorado, Inter de Milão bate Mazembe e é campeão mundial». GloboEsporte.com. Consultado em 30 de março de 2020 
  11. «Eto'o faz dois, Inter acaba com sonho do Palermo e conquista a Copa Itália». GloboEsporte.com. 29 de maio de 2011. Consultado em 30 de março de 2020 
  12. «Para encerrar a carreira, atacante Diego Milito acerta retorno ao Racing». GloboEsporte.com. 20 de junho de 2014. Consultado em 30 de março de 2020 
  13. «Racing vence no adeus de Milito, que faz de pênalti e chora com torcida». GloboEsporte.com. 21 de maio de 2016. Consultado em 30 de março de 2020 
  14. Douglas Ceconello (22 de maio de 2016). «A despedida de Diego Milito». Blog Meia Encarnada. Consultado em 30 de março de 2020 
  15. «Maradona convoca Argentina para Copa sem Zanetti, Gago e Cambiasso». UOL. 11 de maio de 2010. Consultado em 29 de abril de 2021 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]