Racing Club de Avellaneda

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Racing (desambiguação).
Racing
Escudo de Racing Club (2014).svg
Nome Racing Club
Alcunhas La Academia
Principal rival Independiente
Fundação 25 de março de 1903 (118 anos)
Estádio Presidente Perón
Capacidade 51.389 pessoas
Localização Avellaneda, Província de Buenos Aires, Argentina
Presidente Víctor Blanco
Treinador Juan Antonio Pizzi
Patrocinador Aeroset
Banco Ciudad
Cabify
EA Sports
Material (d)esportivo Kappa
Competição Campeonato Argentino
Copa Argentina
Copa Libertadores da América
Website racingclub.com.ar
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
titular
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
editar

Racing Club, Racing Club de Avellaneda ou simplesmente Racing, é um dos clubes de futebol mais tradicionais da Argentina e da América do Sul. Tem uma das cinco maiores torcidas do país e, juntamente com Boca Juniors, River Plate, San Lorenzo de Almagro e Independiente (seu rival mais tradicional, com quem faz o famoso Clássico da Avellaneda), é um dos "cinco grandes" do futebol argentino. Sua sede fica na cidade de Avellaneda, na Província de Buenos Aires.

História[editar | editar código-fonte]

A primeira equipe do Racing Club, em 1906
A histórica equipe do Racing de 1913 que ganhou 4 titulos no ano.

Fundado em 25 de março de 1903, ganhou dezoito campeonatos nacionais (1913, 1914, 1915, 1916, 1917, 1918, 1919, 1921, 1925, 1949, 1950, 1951, 1958, 1961, 1966, 2001, 2014 e 2019), seis campeonatos internacionais (Copa de Honor de 1913, Copa Aldao de 1917, Copa Aldao de 1918, Copa Libertadores de 1967, Copa Intercontinental de 1967, Supercopa Libertadores de 1988 e Supercopa Interamericana de 1988) e treze taças nacionais.[1]

Em setembro de 1950, o novo estádio foi inaugurado, e nomeado em homenagem ao então presidente Juan Domingo Perón. O estádio recebeu o apelido de "Cilindro de Avellaneda", por conta de seu formato, tendo capacidade para 51.389 espectadores.

O Racing foi o primeiro time a ganhar sete campeonatos locais seguidos no amadorismo, o primeiro time a ganhar três campeonatos locais seguidos no profissionalismo, o primeiro time de futebol da Argentina a ganhar a Copa Intercontinental de 1967 e o primeiro a ganhar a Supercopa Libertadores de 1988.

Em 1983 La Academia foi rebaixado para a divisão Primera División B, ficando lá até 1985.

Em 1999 o Racing Club abriu falência, mas seus torcedores ajudaram o time a se recuperar. É o primeiro clube argentino a ser administrado por uma empresa: Blanquiceleste S.A., dirigida por Fernando Martín.

Em dezembro de 2001, o Racing ganhou o campeonato Apertura, quebrando um jejum de 35 anos sem títulos nacionais.

Em junho de 2008, devido a seus poucos pontos nos últimos 3 anos, quase foi rebaixado em partidas de ida e volta contra Belgrano de Cordoba, conseguindo um empate em Córdoba (1 a 1) e ganhando de 1 a 0 em Avellaneda para seguir na série principal na temporada 2008-09.

Em dezembro de 2008 a empresa Blanquiceleste S.A. parou de administrar o Racing e Rodolfo Molina se tornou o novo presidente do clube.

Em agosto de 2012, o Racing alcançou a final da final da Copa Argentina de 2012, embora o time tenha perdido para o Boca Juniors por 2–1.[2]

Em junho de 2014, Diego Cocca foi contratado como treinador principal. Poucos dias depois de Cocca assinar seu contrato, o ex-jogador e favorito dos fãs Diego Milito deixou o Inter de Milão e voltou ao clube para jogar o Torneo de Transición de 2014.[3]

Em dezembro de 2014, o Racing ganhou seu 17.º título no último jogo do torneio. A equipe derrotou Godoy Cruz por 1–0 para garantir o primeiro lugar e campeão coroado.[4]

Em março de 2019, o Racing obteve seu 18.º título ao conquistar o Campeonato 2018-19.[5] Lisandro López foi o artilheiro do torneio com 17 gols, e aos 36 anos era o jogador mais velho a ser artilheiro da liga.[6]

Em dezembro de 2019, o Racing sagrou-se campeão do Troféu de Campeões da Superliga Argentina ao vencer por 2 a 0 o último campeão da Copa da Superliga Argentina, o Tigre, com dois gols de Matías Rojas.[7]

A equipe do Racing de 1967 que alcançou sucesso internacional, vencendo a Libertadores e a Copa Intercontinental.

Títulos[editar | editar código-fonte]

MUNDIAIS
Competição Títulos Temporadas
Copa Intercontinental 1 1967
INTERCONTINENTAIS
Competição Títulos Temporadas
Americas (orthographic projection) Supercopa Interamericana 1 1988
CONTINENTAIS
Competição Títulos Temporadas
Copa Libertadores da América 1 1967
Supercopa Libertadores 1 1988
Uruguai AUF x AFA Argentina
Competição Títulos Temporadas
Copa Aldao trophy.jpg Copa Aldao 2 1917 e 1918
Copa de Honor 2.png Copa de Honor 1 1913
NACIONAIS
Competição Títulos Temporadas
Trofeo-mini-copa-alumni.png Campeonato Argentino 18 9 1913, 1914, 1915, 1916, 1917, 1918, 1919, 1921 e 1925 Era Amadora
6 1949, 1950, 1951, 1958, 1961 e 1966 Primera Division
1 2001 Apertura
1 2014 Transición
1 2018–19 Primera Division
Trofeo-mini-copa-alumni.png Copas Nacionais 13

5 1913, 1914, 1916, 1917 e 1918 Copa Dr. Carlos Ibarguren
4 1912, 1913, 1915 e 1917 Copa de Honor
1 1932 Copa Beccar Varela
1 1933 Copa de Competencia
1 1945 Copa de Competencia Británica George “VI”
1 2019 Trofeo de Campeones de la Superliga Argentina
[8]

Trofeo-mini-copa-alumni.png Campeonato Argentino - Primera B 1 1910

Elenco[editar | editar código-fonte]

Soccerball current event.svg Última atualização: 9 de junho de 2021.[9]

  • Capitão: Capitão
  • Lesionado: Lesão


Goleiros
N.º Jogador
1 Chile Gabriel Arias
13 Argentina Matías Tagliamonte
25 Argentina Gastón Gómez
Defensores
N.º Jogador Pos.
6 Argentina Lucas Orbán Z
16 Argentina Mauricio Martínez Z
23 Argentina Nery Domínguez Z
30 Argentina Leonardo Sigali Z
40 Argentina Joaquín Novillo Z
2 Argentina Juan José Cáceres LD
4 Argentina Iván Pillud Capitão LD
18 Argentina Ezequiel Schelotto LD
3 Argentina Alexis Soto LE
5 Chile Eugenio Mena LE
Meio-campistas
N.º Jogador Pos.
8 Uruguai Fabricio Domínguez V
19 Argentina Leonel Miranda V
21 Chile Marcelo Díaz V
24 Argentina Julián López V
31 Argentina Kevin Gutiérrez V
10 Paraguai Matías Rojas M
26 Argentina Carlos Alcaráz M
28 Argentina Tomás Chancalay M
29 Argentina Aníbal Moreno M
35 Paraguai Lorenzo Melgarejo M
Atacantes
N.º Jogador
7 Argentina Héctor Fértoli
9 Argentina Enzo Copetti
11 Argentina Maximiliano Cuadra
15 Argentina Ignacio Piatti
17 Argentina Benjamín Garré
20 Argentina Darío Cvitanich
22 Argentina Nicolás Reniero
34 Argentina Maximiliano Lovera
44 Argentina Iván Maggi
Comissão técnica
Nome Pos.
Argentina Juan Antonio Pizzi T

Transferências[editar | editar código-fonte]

Legenda

Jogadores destacados[editar | editar código-fonte]

Os jogadores que mais atuaram com a camisa do Racing:

Rank. Player Position Tenure Games
1 Argentina Natalio Perinetti Atacante 1917–1933 405
2 Argentina Gustavo Costas Zagueiro 1982–1989, 1992–1996 337
3 Argentina Agustín Cejas Goleiro 1962–1969, 1977–1980 334
4 Argentina Claudio Ubeda Zagueiro 1995–2003, 2005–2007 329
5 Argentina Juan Carlos Cárdenas Atacante 1964–1972, 1976 321
6 Argentina Ezra Sued Atacante 1943–1954 308
7 Argentina Carlos Squeo Zagueiro 1969–1972, 1974–1977, 1984 303

Treinadores[editar | editar código-fonte]

Esses são os principais treinadores:

Uniformes[editar | editar código-fonte]

Uniformes atuais[editar | editar código-fonte]

  • 1º - Camisa listrada em azul-celeste e branco, calção e meias brancas;
  • 2º - Camisa preta, calção e meias pretas;
  • 3º - Camisa azul, calção e meias azuis.
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Primeiro
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Segundo
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Terceiro
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Especial

Uniformes anteriores[editar | editar código-fonte]

2018
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Primeiro
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Segundo
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Terceiro
2017
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Primeiro
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Segundo
2016
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Primeiro
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Segundo
2015
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Primeiro
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Segundo
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Terceiro
2014
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Primeiro
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Segundo
2013
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Primeiro
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Segundo
2012
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Primeiro
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Segundo
2011
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Primeiro
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Segundo
2010
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Primeiro
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Segundo

Torcida[editar | editar código-fonte]

O Racing tem uma das cinco maiores torcidas da Argentina, entre a terceira e a quinta dependendo da pesquisa, na maioria das vezes a quarta. Sua "barra brava" principal é a La Guardia Imperial, mas também há outras barras como La 95 e os Racing Stones.

O Racing Club tem cerca de 3.500.000 torcedores, ficando atrás de Boca Juniors, River Plate (estes dois com mais de 10.000.000 de torcedores) e na mesma faixa de número de torcedores de Independiente e San Lorenzo.

A torcida do Racing é conhecida como a mais fiel torcida do futebol Argentino e certamente uma das mais fiéis do mundo. Nos 2 anos em que o clube esteve na Série B, sua torcida obteve todos os recordes de públicos, considerando todas as divisões nacionais argentinas.

Durante todos os anos em que o Racing ficou em um longo jejum de títulos, a torcida do Racing seguiu fiel, culminando com os resultados atuais de estar atrás apenas de Boca Juniors, River Plate e Independiente em número total de torcedores.

Panoramica Cilindro.jpg

Rivalidades[editar | editar código-fonte]

Seu maior e mais tradicional rival é o Independiente, cuja sede fica na mesma cidade, em Avellaneda, e seus estádios ficam separados por poucos metros, com quem faz o Clássico de Avellaneda. Outros rivais da Academia são o San Lorenzo de Almagro, River Plate e o Boca Juniors, os três últimos da cidade de Buenos Aires. Essas rivalidades são explicadas por eles serem considerados grandes clubes do futebol argentino, assim como o Racing e o Independiente, fechando assim o grupo dos cinco grandes do futebol argentino.

Amizade[editar | editar código-fonte]

O Racing possui uma grande amizade com o Gimnasia La Plata, sendo que esta chegou a ser denominada pela imprensa argentina e pelos torcedores dos dois clubes como A Amizade do Século.

Tem também uma grande amizade com a barra brava Geral do Grêmio do clube brasileiro Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense da cidade de Porto Alegre. Além de ótima relação de amizade com a torcida da Sociedade Esportiva Palmeiras em São Paulo.

Referências

  1. «Palmarés». Racing Club - Sitio Oficial (em espanhol). Consultado em 4 de abril de 2021 
  2. de 2012, 8 de Agosto. «Boca derrotó a Racing en San Juan y se quedó con la Copa Argentina». infobae (em espanhol). Consultado em 4 de abril de 2021 
  3. de 2014, 17 de Junio. «Milito arregló su vuelta a Racing y hoy será presentado». infobae (em espanhol). Consultado em 4 de abril de 2021 
  4. Olé (15 de dezembro de 2014). «Brilla Blanca y Celeste». www.ole.com.ar (em espanhol). Consultado em 4 de abril de 2021 
  5. «Palmarés». Racing Club - Sitio Oficial (em espanhol). Consultado em 4 de abril de 2021 
  6. «Nuevo récord para Licha López: El goleador más veterano del fútbol argentino». MARCA Claro Argentina (em espanhol). 8 de abril de 2019. Consultado em 4 de abril de 2021 
  7. «Palmarés». Racing Club - Sitio Oficial (em espanhol). Consultado em 4 de abril de 2021 
  8. «Troféu dos campeões: Racing fatura a taça na despedida de técnico». Torcedores.com. 15 de dezembro de 2019. Consultado em 28 de dezembro de 2019 
  9. «Plantel Profesional» (em espanhol). Racing Club de Avellaneda. Consultado em 9 de junho de 2021 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]