Club Atlético Talleres

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Talleres
Escudo Talleres 2015.svg
Nome Club Atlético Talleres
Alcunhas La "T"
Albiazul
El Matador
Tallarín
Torcedor(a)/Adepto(a) Los Tallarines
Principal rival Belgrano
Instituto
Racing de Córdoba
Fundação 12 de outubro de 1913 (109 anos)
Estádio Mario Alberto Kempes
Capacidade 57.000
Localização Córdoba, Argentina
Presidente Andrés Fassi
Treinador(a) Pedro Caixinha
Patrocinador(a) ICBC
Material (d)esportivo Givova
Competição Primera División
Copa Libertadores da América
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
titular
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo

O Club Atlético Talleres, também conhecido como Talleres de Córdoba (Oficinas de Córdoba), é um clube esportivo argentino da cidade de Córdoba. Fundada em 12 de outubro de 1913, a instituição é conhecida principalmente por seu time de futebol, que atualmente joga na Primera División do Campeonato Argentino.

O clube pertence atualmente a mais de 50 000 sócios e é a associação poliesportiva cordobesa com o maior número de sócios vigentes.[1]

Sua sede formal é o, de propriedade do Talleres, localizado no Bairro Jardín Espinosa, com capacidade para receber 13 mil espectadores. Por conta disso, o clube costuma mandar suas partidas no Estadio Olímpico Chateau Carreras (oficialmente conhecido como Estádio Mario Alberto Kempes), de propriedade provincial e com capacidade para 57 mil torcedores.[2] O maior rival do Talleres no futebol é o Club Atlético Belgrano, da mesma cidade, cuja rivalidade é conhecida como o Clássico Cordobês.

História[editar | editar código-fonte]

O clube foi fundado em 1913, como "Atlético Talleres Central Córdoba", por trabalhadores da e com apoio da empresa. Um de seus fundadores, o inglês Tomas Lawson, baseou-se no Blackburn Rovers, em seu ex-clube, para criar as listras albicelestes do escudo do time argentino. Pouco antes de estrear no de 1914, o clube ferroviário fundiu-se com o Olimpo Infaltil, uma equipe formada por jovens jogadores participantes da segunda e terceira divisões que havia sido expulsa da liga cordobesa.[3] Como o nome de Club Atlético Central Córdoba, "La T" venceu os campeonatos locais de 1915 e 1916. Na temporada seguinte, o clube envolveu-se em um incidente numa partida da liga cordobesa contra o Belgrano, em novembro de 1917.[4] Perdendo por 1 a 0, o atacante Horacio Salvatelli dividiu uma bola com o goleiro adversário, quando o agrediu para marcar o gol de empate. O tento foi anulado pelo árbitro e Salvatelli saiu de campo preso. Como sanção, o Central Córdoba acabaria desvinculado da Liga, mas alguns dias, seria aceito novamente desde que mudasse de nome, surgindo o Club Atlético Talleres (como tinha sido originalmente batizado).[4] Salvatelli também seria perdoado e voltaria a defender seu clube até 1926.[4] Nesse período, o Talleres venceu os campeonatos locais de 1918, 1921, 1922, 1923 e 1924.

Em 1931, o clube recebeu um terreno no Barrio Jardín para construir seu próprio estádio. O projeto foi realizado pelos engenheiros Allende Posse e Agenor Villagra, a um custo de US$ 70 000. O foi inaugurado em 12 de outubro de 1931, com um amistoso entre Talleres e o time uruguaio Rampla Juniors. Entre 1934 e 1969, conquistou mais 14 títulos cordobeses. Também neste ano, o Talleres disputou pela primeira veza divisão de elite do Campeonato Nacional Argentino ao garantir uma das cinco vagas destinadas aos times do interior do país.

A equipe que sagrou-se vice-campeã do Campeonato Argentino de 1977

Com participações regulares no campeonato nacional durante a década de 1970, o Talleres viveu seus melhores momentos no período entre os anos de 1976 e 1978. Na edição do, o clube fez uma excelente campanha, tendo sido campeão de seu grupo e se qualificado como um dos quatro semifinalistas do certame. Tendo superado o Newell's Old Boys na semifinal, o Talleres enfrentou o Independiente na grande final, mas terminou como vice-campeão após dois empates (1-1 e 2-2) pelo critério do gol fora de casa.[5] O Talleres também contribuiu com três jogadores para a seleção argentina que venceu a Copa do Mundo de 1978, com Luis Galván (capitão de Talleres) como titular na final e Miguel Oviedo e José Daniel Valencia suplentes. Em 1980, o clube tallarine terminou em terceiro lugar no Campeonato Metropolitano.

A equipe que conquistou a Primera B Nacional de 1997-98

O Talleres participou da Primera División argentina até o, quando foi rebaixado para a Primera B Nacional, a segunda divisão nacional do país. A partir daí, tornaram-se frequentes os acessos e descensos da equipe cordobesa no futebol argentino. Em 1998, "La T" conquistou o título da ao superar o grande rival Belgrano nos pênaltis, resultado que garantiu não apenas o primeiro título nacional do Talleres, como também a promoção para a Divisão Principal do Campeonato Argentino do ano seguinte.

A equipe que conquistou a Copa Conmebol de 1999.

Em 1999, o clube conquistou seu primeiro e único título internacional, a Copa Conmebol de 1999 (precursora da atual Copa Sul-Americana contra o CSA.[4] Na temporada seguinte, o bom desempenho de Talleres na primeira divisão argentina qualificou o time para disputar, pela primeira vez em sua história, a Copa Mercosul de 2001 e a Copa Libertadores de 2002, sendo o primeiro e único time de Córdoba a se classificar para esses torneios continentais. O time tallarine chegou às oitavas de final do Mercosul, mas perdeu para o Grêmio. Na Copa Libertadores, Talleres teve um desempenho ruim, sendo eliminado na primeira fase. Apesar de terminar em terceiro lugar durante o e ficar na zona de classificação para a Libertadores, o Talleres, devido aos maus resultados nas duas temporadas anteriores, disputou e perdeu um playoff de acesso-descenso contra os Argentinos Juniors, sendo rebaixado e perdendo sua vaga na Libertadores.

Em 2008-09, Talleres caiu para o Torneo Argentino A – a terceira divisão nacional do país –, tendo retornado à Primera B Nacional somente na temporada 2014, quando caiu novamente. Entre 2015 e 2016, conquistou dois acessos seguindos, alcançando a divisão de elite argentina após 12 temporadas de ausência. O herói do acesso foi Pablo Guiñazú, que marcou o gol da vitória por 2 a 1 sobre o All Boys aos 49 do 2º tempo.[6]

Em 2019, Talleres disputou mais uma vez a Copa Libertadores e, em 2021, a Copa Sul-Americana. Depois de um desempenho muito bom na Copa Argentina, em que "la T" chegou à final, e no campeonato nacional, em que terminou na terceira posição, o clube tallarine voltou à Copa Libertadores do ano seguinte.

Títulos[editar | editar código-fonte]

Continentais
Competição Títulos Temporadas
CopaCnmbl1992-1999.png Copa Conmebol 1 1999
Nacionais
Competição Títulos Temporadas
Primera B Nacional 2 1997-98, 2016
Torneo Federal A 2 2012-13, 2015
Copa Hermandad 1 1977
Regionais
Competição Títulos Temporadas
Liga Cordobesa 27 1915, 1916, 1918, 1921, 1922, 1923, 1924, 1934, 1938, 1939, 1941, 1944, 1945, 1948, 1949, 1951, 1953, 1958, 1960, 1963, 1969, 1974, 1975, 1976, 1977, 1978, 1979

Campanhas de destaque[editar | editar código-fonte]

Jogadores históricos[editar | editar código-fonte]

O defensor Luis Galván era jogador do Talleres quando conquistou com a Seleção Argentina a Copa do Mundo de 1978

Técnicos destacados[editar | editar código-fonte]

Elenco[editar | editar código-fonte]

Atualizado em 2 de dezembro de 2021.[7]

Legenda
  • Capitão: Capitão
  • Lesionado: Jogador lesionado


Goleiros
N.º Jogador
33 Argentina Joaquín Blázquez
22 Argentina Guido Herrera
Defensores
N.º Jogador Pos.
2 Colômbia Rafael Pérez Z
3 Argentina Julián Velázquez Z
39 Argentina Renzo Paparelli Z
6 Argentina Juan Komar Capitão Z
25 Argentina Federico Torres LD
14 Argentina Nahuel Tenaglia LD
15 Argentina Enzo Díaz LE
21 Argentina Ángelo Martino LE
Meio-campistas
N.º Jogador Pos.
26 Argentina Carlos Villalba V
16 Argentina Francis Mac Allister V
18 Argentina Rodrigo Villagra V
8 Argentina Juan Ignacio Méndez M
10 Argentina Héctor Fértoli M
50 Uruguai Diego García M
28 Argentina Carlos Auzqui M
7 Colômbia Diego Valoyes M
Atacantes
N.º Jogador
30 Argentina Juan Cruz Esquivel
11 Argentina Matías Sosa
9 Uruguai Michael Santos
19 Argentina Mauro Ortiz
23 Argentina Mateo Retegui
77 Brasil Guilherme Parede
38 Argentina Matías Córdoba Lesionado
Comissão técnica
Nome Pos.
Portugal Pedro Caixinha T

Referências

  1. «¡Talleres llegó a los 50 mil socios!». www.mundod.lavoz.com.ar. Consultado em 1 de fevereiro de 2019 
  2. Estadio Mario Kempes on Córdoba Turismo
  3. «Aquel club que en sus comienzos se llamó "Central Córdoba"». www.cadena3.com. Consultado em 26 de julho de 2016. Arquivado do original em 29 de setembro de 2013 
  4. a b c d Douglas Ceconello (6 de fevereiro de 2019). «O pontapé que refundou o Talleres». Globoesporte.com. Consultado em 4 de agosto de 2022 
  5. Douglas Ceconello (25 de janeiro de 2018). «Há 40 anos, o Independiente vivia uma jornada épica em Córdoba». Globoesporte.com. Consultado em 4 de agosto de 2022 
  6. Douglas Ceconello (6 de junho de 2016). «Talleres: um gigante retorna à elite argentina». Globoesporte.com. Consultado em 4 de agosto de 2022 
  7. «Talleres live score, schedule and results - Football - SofaScore». www.sofascore.com. Consultado em 2 de dezembro de 2021 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Club Atlético Talleres
Bandeira de ArgentinaSoccer icon Este artigo sobre clubes de futebol argentinos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.