Fernando Gago

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Fernando Gago
Fernando Gago
Gago em 2010
Informações pessoais
Nome completo Fernando Rubén Gago
Data de nasc. 10 de abril de 1986 (35 anos)
Local de nasc. Ciudadela, Argentina
Altura 1,77 m
destro
Informações profissionais
Equipa atual Racing
Posição ex-volante
Função treinador
Clubes de juventude
1991–2004 Boca Juniors
Clubes profissionais
Anos Clubes
2004–2007
2007–2012
2011–2012
2012–2013
2013
2013–2019
2020
Boca Juniors
Real Madrid
Roma (emp.)
Valencia
Vélez Sarsfield (emp.)
Boca Juniors
Vélez Sarsfield
Seleção nacional
2003
2005
2008
2007–2017
Argentina Sub-17
Argentina Sub-20
Argentina Sub-23
Argentina
Times/Equipas que treinou
2021
2021–
Aldosivi
Racing
Medalhas
Jogos Olímpicos
Ouro Pequim 2008 Equipe

Fernando Rubén Gago (Ciudadela, 10 de abril de 1986) é um treinador ex-futebolista argentino que atuava como volante. Atualmente comanda o Racing.

Destacou-se por ter uma forte marcação no meio-campo, pela qualidade no passe e elegância na saída de jogo, o que já acabou lhe rendendo, através da imprensa espanhola, comparações com Fernando Redondo.[1][2]

Carreira como jogador[editar | editar código-fonte]

Boca Juniors[editar | editar código-fonte]

Seus primeiros passos antes de tornar-se jogador de futebol começaram cedo. Gago iniciou sua carreira nos juvenis do modesto Clube Social do Parque. Anos depois, o jogador foi para as categorias de base do Boca Juniors, onde ganhou projeção, amadurecimento e evolução em sua carreira profissional.

Sua estreia no Boca Juniors aconteceu no dia 5 de dezembro de 2004, com uma vitória de 1 a 0 diante do Quilmes, pelo Campeonato Argentino. Porém, suas atuações regulares só começaram a aparecer em 2005, com a chegada do técnico Alfio Basile, substituindo o demitido Raúl Cascini. Foi a partir desse momento que Gago entrou para a lista de craques argentinos.

Depois de ajudar o Boca Juniors a conquistar o quinto título nacional consecutivo de forma brilhante, só faltava Gago marcar seu primeiro gol como profissional. Esse momento aconteceu no dia 1 de outubro de 2006, contra o Vélez Sarsfield, no estádio La Bombonera.

Real Madrid[editar | editar código-fonte]

Porém, Gago mal sabia que estava sendo observado desde a época das categorias de base por grandes clubes europeus. Os dirigentes do Boca Juniors sabiam que não poderiam segurá-lo por muito tempo, e no dia 21 de dezembro de 2006, o Real Madrid conseguiu concluir a contratação do argentino por 27 milhões de dólares após longas negociações.[3]

A estreia de Gago com a camisa de número 16 no Real Madrid aconteceu no dia 7 de janeiro de 2007, início da segunda parte da temporada 2006–07. No entanto, o jogador sentiu o peso da estreia, não conseguiu realizar uma boa partida e viu sua equipe perder para o Deportivo La Coruña por 2 a 0.

Nos primeiros meses de Real Madrid, o volante acabou se adaptando à Espanha e alternou, em vários momentos, como titular e reserva na equipe branca. Com o treinador alemão Bernd Schuster, Gago foi bastante utilizado na temporada 2007–08 e se firmou como titular do clube merengue, o que se seguiu também na temporada 2008–09.

Roma[editar | editar código-fonte]

No dia 31 de agosto de 2011, último dia da janela de transferências na Europa, foi anunciado que a Roma havia adquirido o jogador por empréstimo de um ano, com alternativa de compra por 7 milhões de euros no fim da temporada.[4]

Após uma temporada de sucesso atuando pela Roma, Gago voltou ao Real Madrid em junho de 2012. Seu futuro, no entanto, era incerto no clube Merengue, já que o treinador José Mourinho afirmou que o volante não estava em seus planos para a temporada.

No dia 16 de julho de 2012, Fernando Gago iniciou a pré-temporada com o Real, mas foi obrigado a treinar separado dos demais jogadores e no dia seguinte não apareceu em Valdebebas para o segundo dia de treino.

Valencia e Vélez Sarsfield[editar | editar código-fonte]

Em julho de 2012 transferiu-se para o Valencia.[5] Pouco mais de 18 jogos vestindo a camisa dos Los Che, sentiu-se desmotivado em continuar na equipe após a demissão do treinador e seu compatriota Mauricio Pellegrino. E com a chegada do treinador Ernesto Valverde, o argentino começou a forçar sua saída do clube (não comparecendo na tribuna nos jogos da equipe quando não fora convocado para a partida ou não voltando de Buenos Aires no dia previsto, quando fora tratar de uma lesão em solo argentino).

Como a torcida e todo o elenco não confiavam mais em seu caráter, em janeiro de 2013 Gago foi cedido por empréstimo até o fim da temporada ao Vélez Sarsfield.[6][7]

Aposentadoria[editar | editar código-fonte]

No dia 11 de novembro de 2020, aos 34 anos, anunciou sua aposentadoria.[8]

Seleção Nacional[editar | editar código-fonte]

Como todo grande jogador argentino, Fernando Gago teve suas primeiras aparições com a camisa da Seleção Argentina em categorias inferiores à principal. O momento de consagração veio em 2005, quando conquistou a Copa do Mundo FIFA Sub-20 disputada nos Países Baixos, ao lado dos companheiros Lionel Messi, Sergio Agüero e Oscar Ustari.

Sua estreia pela Seleção principal aconteceu no dia 7 de fevereiro de 2007. Coincidências à parte, o técnico Alfio Basile decidiu convocá-lo pela primeira vez e não ficou decepcionado. O atleta entrou em campo no segundo tempo do amistoso contra a França, disputado no Stade de France, e a Argentina venceu por 1 a 0.[9]

Gago fez parte do grupo de convocados de Alfio Basile que disputou a Copa América de 2007, na Venezuela. O jogador teve poucas aparições entre os titulares e viu do banco de reservas a Argentina perder a final da competição para o Brasil por 3 a 0.

Em 2008, ao lado de grandes jogadores como Lionel Messi, Sergio Agüero, Juan Román Riquelme e Javier Mascherano, conquistou a medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Pequim.[10]

Em 2011 participou da Copa América e não atuou na estreia da Seleção Argentina, que empatou em 1 a 1 com a Bolívia.[11] No segundo jogo da fase de grupos, Gago entrou no segundo tempo contra a Colômbia e se destacou com a maneira que conduziu o meio-campo, colocando a bola, literalmente, nos pés de seus companheiros de equipe. Jogou os noventa minutos do jogo contra a Costa Rica e mais uma vez foi protagonista, participando diretamente do primeiro gol de Sergio Agüero e começando a jogada que resultou no segundo gol do mesmo. Além disso, teve grande atuação no meio-campo com passes precisos e uma marcação forte, bloqueando as tentativas de ataque dos costarriquenhos.[12] Também atuou como titular no jogo contra o Uruguai, nas quartas de final. Acabou se lesionando e teve de sair do jogo no início da prorrogação, não conseguindo, desta maneira, evitar a eliminação precoce de sua seleção no torneio onde a Argentina era a anfitriã.[13][14]

Foi convocado para a Copa do Mundo FIFA de 2014.[15]

Carreira como treinador[editar | editar código-fonte]

Após ter iniciado a carreira de técnico no Aldosivi, em janeiro de 2021, em outubro do mesmo ano foi anunciado como novo treinador do Racing.[16]

Títulos[editar | editar código-fonte]

Como jogador[editar | editar código-fonte]

Boca Juniors
Real Madrid
Vélez Sársfield
Seleção Argentina

Referências

  1. Pablo Brotóns (5 de abril de 2006). «Gago, el clon de Redondo» (em espanhol). MARCA. Consultado em 22 de outubro de 2021 
  2. «Gago é apontado como o novo Redondo». GloboEsporte.com. 6 de fevereiro de 2007. Consultado em 22 de outubro de 2021 
  3. «Fernando Gago é apresentado no Real Madrid». Portal A Tarde. 22 de dezembro de 2006. Consultado em 22 de outubro de 2021 
  4. «Volante argentino Gago acerta com a Roma por empréstimo». Trivela. 31 de agosto de 2011. Consultado em 22 de outubro de 2021 
  5. «Valencia anuncia acordo por Fernando Gago». Trivela. 19 de julho de 2012. Consultado em 22 de outubro de 2021 
  6. «Valencia empresta Fernando Gago ao Vélez Sarsfield para Libertadores». Terra. 31 de janeiro de 2013. Consultado em 22 de outubro de 2021 
  7. «Volante Fernando Gago, ex-Real Madrid, reforça o Vélez, da Argentina, na Libertadores». UOL. 31 de janeiro de 2013. Consultado em 22 de outubro de 2021 
  8. «Argentino Fernando Gago anuncia aposentadoria do futebol aos 34 anos». UOL. 11 de novembro de 2020. Consultado em 22 de outubro de 2021 
  9. «Saviola dá vitória à Argentina contra a França». Trivela. 7 de fevereiro de 2007. Consultado em 17 de maio de 2021 
  10. «Argentina conquista bicampeonato olímpico com vitória sobre a Nigéria». UOL. 23 de agosto de 2008. Consultado em 22 de outubro de 2021 
  11. «Brasileiro faz para Bolívia, mas golaço de Agüero evita vexame argentino». GloboEsporte.com. 1 de julho de 2011. Consultado em 22 de outubro de 2021 
  12. «Messi desperta, Argentina bate Costa Rica e evita fiasco». Terra. 11 de julho de 2011. Consultado em 22 de outubro de 2021 
  13. «Tevez perde pênalti, goleiro Muslera brilha e Uruguai elimina a Argentina». GloboEsporte.com. 16 de julho de 2011. Consultado em 22 de outubro de 2021 
  14. «Uruguai elimina Argentina nos pênaltis e avança na Copa América». GZH. 16 de julho de 2011. Consultado em 22 de outubro de 2021 
  15. Carolina Juliano (2 de junho de 2014). «Argentina define os 23 para Copa e corta zagueiro do Atlético-MG». UOL. Consultado em 22 de outubro de 2021 
  16. Rubens Melo (18 de outubro de 2021). «Mercado da bola: Ex-Real Madrid é confirmado como novo técnico de gigante argentino». Torcedores.com 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]