Alejandro Sabella

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Alejandro Sabella
Alejandro Sabella
Alejandro Sabella em 2012
Informações pessoais
Nome completo Alejandro Javier Sabella
Data de nasc. 5 de novembro de 1954
Local de nasc. Buenos Aires, Argentina
Nacionalidade argentino
Falecido em 8 de dezembro de 2020 (66 anos)
Local da morte Buenos Aires, Argentina
Altura 1,71 m
destro
Informações profissionais
Posição meio-campista
Função treinador
Clubes profissionais
Anos Clubes
1974–1978
1978–1980
1980–1981
1982–1985
1985–1986
1987–1988
1988–1989
River Plate
Sheffield United
Leeds United
Estudiantes
Grêmio
Ferro Carril Oeste
Irapuato
Seleção nacional
1983 Argentina
Times/Equipas que treinou
2009–2011
2011–2014
Estudiantes
Argentina
Última atualização: 3 de fevereiro de 2015

Alejandro Javier Sabella (Buenos Aires, 5 de novembro de 1954 — Buenos Aires, 8 de dezembro de 2020) foi um treinador e futebolista argentino que atuou como meio-campista.[1]

Como técnico, conquistou a Copa Libertadores de 2009 no comando do Estudiantes[2] e foi vice-campeão da Copa do Mundo FIFA de 2014 com a Seleção Argentina. Depois do Mundial, não assumiu mais nenhuma equipe. Embora tenha recebido vários convites em 2014, Sabella viu sua saúde piorar a partir de 2015 e não conseguiu retornar ao trabalho no futebol.

Carreira como jogador[editar | editar código-fonte]

Início[editar | editar código-fonte]

Começou no River Plate em 1974, onde demonstrou boa técnica individual no meio-de-campo e um futebol de passes curtos. Largou o curso de Direito para dedicar-se ao clube, mesmo sendo normalmente relegado ali em favor do já ídolo Norberto Alonso, que ocupava a mesma posição. Um ano após o debute, esteve na equipe que quebrou em dose dupla o jejum de dezoito anos sem títulos vivido pelos millonarios: o River foi campeão tanto do Nacional quanto do Metropolitano, os distintos torneios que dividiam o Campeonato Argentino na época.[3] Entre 1974 e 1978, atuou num total de 133 partidas pelo clube de Núñez, com 12 gols marcados.[3] Ele ainda conquistou outro título argentino, em 1977.

Sheffield United e Leeds[editar | editar código-fonte]

A concorrência com Alonso fez com que Sabella fosse vendido ao Sheffield United, sendo um dos primeiros argentinos a atuarem na Grã-Bretanha.

Foi anunciado como novo reforço do Leeds no dia 8 de maio de 1980, pelo valor de 400 mil euros. Disputou apenas uma temporada no clube, onde atuou em 23 partidas e marcou dois gols.

Estudiantes[editar | editar código-fonte]

Em dezembro de 1981 voltou ao seu país natal para jogar no Estudiantes, onde foi bicampeão seguido, emendando o Metropolitano 1982 com o Nacional 1983.

Grêmio[editar | editar código-fonte]

Atuou no Grêmio entre 1985 e 1986 e foi duas vezes campeão gaúcho.[4] Fez 60 jogos com a camisa da equipe brasileira e marcou cinco gols.

Aposentou-se em 1989, passando a compor comissões técnicas.

Carreira como treinador[editar | editar código-fonte]

Foi assistente de Daniel Passarella quando este treinou a Seleção Argentina, Seleção Uruguaia, Parma, Monterrey, River Plate e Corinthians.[5]

Na breve passagem na comissão técnica do clube brasileiro, Sabella demonstrou comunicar-se satisfatoriamente em português e possuir conhecimento sobre o futebol brasileiro, revelando sua admiração por Roberto Rivellino.[6][7]

Estudiantes[editar | editar código-fonte]

Sabella no comando do Estudiantes em 2009

Sua estreia como treinador ocorreu no Estudiantes, em março de 2009, quando substituiu Leonardo Astrada.[8] Levou a equipe aos títulos da Copa Libertadores da América, vencendo o Cruzeiro na final[9], e do Apertura de 2010.

Seleção Argentina[editar | editar código-fonte]

Foi efetivado como treinador da Seleção Argentina no dia 6 de agosto de 2011, no lugar de Sergio Batista.[5] Nas eliminatórias para a Copa do Mundo FIFA de 2014, classificou a equipe em primeiro lugar. Já na fase de grupos da Copa do Mundo, sua equipe contou com o brilho do craque Lionel Messi e obteve o primeiro lugar do Grupo F com folga. Alcançou a semifinal contra a Holanda, vencendo-a somente na disputa por pênaltis, após empate de 0–0 no tempo normal e na prorrogação.[10] Na final, porém, a Argentina foi derrotada pela Alemanha por 0–1, com gol de Mario Götze na prorrogação.[11]

Sabella deixou o cargo após a Copa, apesar do desejo da AFA para que permanecesse.[12] Foi muito questionado pela mídia e pelos torcedores argentinos por jamais ter convocado o atacante Carlos Tévez durante a sua passagem.[13][14]

Morte[editar | editar código-fonte]

Sabella morreu no dia 8 de dezembro de 2020, aos 66 anos.[15][16] Ele estava internado no Instituto Cardiovascular, em Buenos Aires, após apresentar um quadro de arritmia.[17]

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Clube Jogos Vitórias Empates Derrotas Aproveitamento
Estudiantes 97 58 21 18 59,79%
Argentina 40 25 10 5 62,50%

Títulos[editar | editar código-fonte]

Como jogador[editar | editar código-fonte]

River Plate
Estudiantes
Grêmio

Como treinador[editar | editar código-fonte]

Estudiantes

Referências

  1. Túlio Nassif. «Alejandro Sabella - Que fim levou?». Terceiro Tempo. Consultado em 9 de dezembro de 2020 
  2. «Cruzeiro perde para o Estudiantes de virada e vê o fim do sonho do tri». GloboEsporte.com. 15 de julho de 2009. Consultado em 8 de dezembro de 2020 
  3. a b PERUGINO, Elías (novembro de 2010). Alejandro Sabella. El Gráfico Especial n. 29 - "100 Ídolos de River". Revistas Deportivas, p. 20
  4. Jeferson Marques (8 de dezembro de 2020). «Foto de 1985 resgata time do Grêmio com Alejandro Sabella antes de amistoso, em Cabo Frio». GloboEsporte.com. Consultado em 20 de maio de 2021 
  5. a b «Sabella: Quiero respeto, generosidad y un trato cordial» (em espanhol). La Voz. 6 de agosto de 2011 
  6. Alex Sabino (21 de maio de 2014). «Mais um loco». Folha UOL. Consultado em 8 de dezembro de 2020 
  7. «Campeão no Grêmio, auxiliar no Corinthians e quase técnico do São Paulo: o histórico de Alejandro Sabella no futebol brasileiro». ESPN.com.br. 8 de dezembro de 2020 
  8. «Alejandro Sabella es el nuevo entrenador de Estudiantes de La Plata» (em espanhol). El Economista. 15 de março de 2009 
  9. «Cruzeiro leva a virada do Estudiantes e deixa escapar título da Libertadores». UOL. 15 de julho de 2009. Consultado em 8 de dezembro de 2020 
  10. «Goleiro brilha, Argentina despacha Holanda nos pênaltis e faz final da Copa no Brasil». ESPN.com.br. 9 de julho de 2014. Consultado em 8 de dezembro de 2020 
  11. «Alemanha vence Argentina na prorrogação, é tetracampeã mundial e consagra geração». ESPN.com.br. 13 de julho de 2014. Consultado em 8 de dezembro de 2020 
  12. «Grondona confirma que Sabella deja la Selección Argentina» (em espanhol). Terra. 29 de julho de 2014 
  13. Alejandro Rebossio (13 de maio de 2014). «Tévez queda excluido del Mundial» (em espanhol). El País. Consultado em 8 de dezembro de 2020 
  14. «Tévez ainda sofre por não ter sido convocado para a seleção argentina». Terra. 11 de junho de 2014. Consultado em 8 de dezembro de 2020 
  15. «Morre Alejandro Sabella, técnico vice-campeão do mundo pela Argentina». GloboEsporte.com. 8 de dezembro de 2020 
  16. «Ex-técnico da Argentina, Alejandro Sabella morre aos 66 anos». GZH Esportes. 8 de dezembro de 2020 
  17. «Alejandro Sabella é internado com urgência, diz jornal». GloboEsporte.com. 26 de novembro de 2020. Consultado em 8 de dezembro de 2020 

Precedido por
Sergio Batista
Treinador da Seleção Argentina
2011-2014
Sucedido por
Gerardo Martino
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Alejandro Sabella