Jorge Jesus

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Jorge Jesus
ComIH
Jorge Jesus ComIH
Jorge Jesus em 2020
Informações pessoais
Nome completo Jorge Fernando Pinheiro de Jesus
Data de nasc. 24 de julho de 1954 (67 anos)
Local de nasc. Amadora, Portugal
Nacionalidade Português
Altura 1,78 m
Apelido Mister[1]
JJ
Messias
Informações profissionais
Equipa atual Benfica
Posição ex-meia
Função treinador
Clubes de juventude
1970–1971
1971–1973
Estrela da Amadora
Sporting
Clubes profissionais
Anos Clubes
1973–1976
1973–1974
1974–1975
1976–1977
1977–1978
1978–1979
1979–1980
1980–1983
1983–1984
1984–1987
1987–1988
1988–1989
1989–1990
Sporting
Peniche (emp.)
Olhanense (emp.)
Belenenses
Riopele
Juventude
União de Leiria
Vitória de Setúbal
Farense
Estrela da Amadora
Atlético
Benfica e Castelo Branco
Almancilense
Times/Equipas que treinou
1990–1993
1993–1996
1997–1998
1998
1998–2000
2000–2002
2002–2003
2003–2004
2005
2005–2006
2006–2008
2008–2009
2009–2015
2015–2018
2018–2019
2019–2020
2020–
Amora
Felgueiras
Felgueiras
União da Madeira
Estrela da Amadora
Vitória de Setúbal
Estrela da Amadora
Vitória de Guimarães
Moreirense
União de Leiria
Belenenses
Braga
Benfica
Sporting
Al-Hilal
Flamengo
Benfica
Última atualização: 30 de setembro de 2021

Jorge Fernando Pinheiro de Jesus ComIH (Amadora, 24 de julho de 1954) é um treinador e ex-futebolista português que atuava como meio-campista. Atualmente comanda o Benfica.[2]

Foi considerado por duas vezes um dos 10 melhores treinadores de clubes do mundo pela IFFHS, em 2013 (8º lugar)[3] e em 2019 (7º lugar).[4]

Começou a sua carreira como futebolista em 1973, no Sporting, atuando depois noutros doze clubes ao longo de dezessete anos, incluindo nove temporadas na Primeira Liga.

Estreou como treinador em 1990 com o Amora, levando o clube à Segunda Liga, conseguindo a subida de divisão na temporada 1991–92 e chegando ao primeiro escalão do futebol português com o Felgueiras, na temporada 1995–96. Depois de não conseguir manter o clube de Felgueiras na primeira divisão e uma curta passagem no União da Madeira, teve duas passagens pelo Estrela da Amadora, orientando pelo meio o Vitória de Setúbal. Jesus treinou outros clubes da Primeira Liga como o Vitória de Guimarães, o Moreirense e o União de Leiria. Entre 2006 e 2008 foi técnico do Belenenses, levando o clube do Restelo à final da Taça de Portugal na sua primeira temporada. Na temporada 2008–09 treinou o Braga, vencendo até agora o único título internacional do clube minhoto, a Copa Intertoto.[5]

De 2009 a 2015 foi treinador do Benfica, ganhando dez títulos (recorde do clube) e alcançando duas finais da Liga Europa.

Em junho de 2019 foi contratado pelo Flamengo, onde conquistou os títulos da Copa Libertadores da América e do Campeonato Brasileiro daquele ano. Com a conquista do título continental, tornou-se o segundo técnico europeu campeão da competição, sendo o primeiro português. É também o primeiro técnico estrangeiro a receber o Prêmio Bola de Prata da Placar/ESPN.[6]

Em julho de 2020 regressou ao Benfica, sendo apresentado no dia 3 de agosto de 2020.[7]

Carreira como jogador

Filho de Virgolino de Jesus, Jorge Jesus foi um jogador de futebol. Ele iniciou sua carreira no Sporting em 1973 e ficou na equipe até 1976, período em que realizou 12 jogos e marcou um gol. Jorge Jesus representou, entre outros emblemas, o Belenenses, o União Leiria e o Vitória de Setúbal.

Jogou no Juventude Évora na temporada 1978–79, na equipe treinada por Fernando Peres que acabou em segundo lugar da Segunda Divisão.

Jorge Jesus retirou-se em 1989, com 35 anos, depois de passagens na Segunda (no Estrela da Amadora) e na Terceira divisão.[8]

Carreira como treinador

Primeiros anos

O primeiro clube que treinou foi o Amora, tendo-se sagrado campeão nacional da 3ª Divisão. Seguidamente, orientou o Felgueiras que subiu desde a 2ª Divisão B até à primeira liga do futebol português (primeira participação deste clube no principal campeonato). Os seus serviços foram recrutados sucessivamente por Estrela da Amadora, Vitória de Setúbal e Vitória de Guimarães (todos no escalão principal).

No entanto, Jorge Jesus teve também alguns momentos menos felizes, como as descidas de divisão com o Felgueiras (1995–96), o clube que tinha subido, e com o Moreirense (2004–05).

Belenenses

Comandou a equipe principal do Belenenses, tendo conseguido, na temporada de 2006–07, o 5º lugar na Liga, a presença na final da Taça de Portugal e a qualificação para a Copa da UEFA (atual Liga Europa da UEFA). Na temporada seguinte voltou a repetir os bons resultados, sendo eliminado pelo poderoso Bayern de Munique na Copa da UEFA, numa exibição muito elogiada pela imprensa.[9] Fruto do caso Meyong, a equipe sofreu uma penalização de seis pontos e terminou a temporada no 8º lugar da Liga.[10]

Braga

No dia 20 de maio de 2008, foi oficialmente contratado pelo Braga como treinador para a temporada 2008–09. O treinador conseguiu levar a equipe até as oitavas de final da Copa da UEFA, ganhando inclusivamente a última edição da Taça Intertoto da UEFA.[5] Ficou no 5º lugar da Liga.

Benfica

2009–10

Jorge Jesus no comando do Benfica

No final da temporada 2008–09, após várias especulações, foi anunciado um princípio de acordo entre o Benfica e o Braga para a contratação do treinador por 700 mil euros em compensação.[11] O acordo foi confirmado e Jorge Jesus substituiu Quique Flores no comando do Sport Lisboa e Benfica, sendo contratado por um período de dois anos, mais um de opção.[12] Durante a apresentação oficial como treinador do Benfica, mostrou-se bastante confiante no seu trabalho ao dizer que chegava ao clube com a certeza de que iria ser campeão.

No seu primeiro ano, levou o Benfica ao Campeonato Nacional a 9 de maio de 2010, dando assim ao clube lisboeta o seu 32º título na mais importante prova do futebol português, derrotando o Rio Ave em casa por 2 a 1 (apenas com duas derrotas na Primeira Liga e 78 gols marcados), também chegando aos quartas de final da Liga Europa da UEFA, perdendo para o Liverpool num resultado agregado de 5 a 3.

Jorge Jesus como treinador do Benfica

No dia 5 de outubro de 2009, Jorge Jesus alcançou a vitória de número 100 na Primeira Liga, com um 3 a 1 contra o Paços de Ferreira. No mês seguinte, teve o seu primeiro Derby de Lisboa, que terminou com um empate fora 0 a 0. No final daquela temporada vitoriosa, que também trouxe a Taça da Liga (conseguindo a primeira dobradinha da Primeira Liga e da Taça da Liga do futebol português), o treinador foi recompensado com uma extensão de contrato, sendo prolongado até 2013.[13]

2010–11

Em 2011, o treinador alcançou a primeira vitória do Benfica na Alemanha, após um 2 a 0 contra o Stuttgart. Esta vitória permitiu a Jesus bater o recorde de Jimmy Hogan em 1972–73, com 16 vitórias consecutivas.[14] No entanto, esta temporada foi de menos sucesso do que a anterior, o clube conquistou a segunda Taça da Liga consecutiva e realizou um bom trajeto na Liga Europa, chegando até às meias-finais.

2011–12

No dia 7 de dezembro de 2011, na última rodada da fase de grupos da Liga dos Campeões, num jogo disputado no Estádio da Luz contra o Oţelul Galaţi, tornou-se o treinador benfiquista com mais vitórias nas competições da UEFA, batendo a marca de 20 vitórias de Sven-Göran Eriksson.[15]

No dia 12 de janeiro de 2012, levou o Benfica ao 8º lugar do ranking dos melhores clubes do mundo na temporada 2011–12, segundo a IFFHS, tornando-se a melhor equipe portuguesa nesse período. Já no dia 11 de fevereiro, após o triunfo por 4 a 1 sobre o Nacional da Madeira pelo Campeonato Português, conquistou a centésima vitória no comando dos encarnados em competições oficiais.[16]

Terminou a temporada 2011–12 com a terceira vitória consecutiva na Taça da Liga, o segundo lugar no campeonato nacional e os quartas-de-final da Liga dos Campeões, tendo sido eliminado pelo Chelsea, que viria a sagrar-se campeão europeu.

2012–13

No dia 10 de dezembro de 2012, após vitória do Benfica por 3 a 1 na casa do rival Sporting, Jorge Jesus tornou-se no treinador português com mais vitórias no Derby da Capital, ao vencer sete jogos em nove, ultrapassando Toni (seis em dez).

No dia 2 de maio de 2013, Jorge Jesus chegou à nona final europeia do Benfica (recorde nacional) reafirmando o prestígio do clube na Europa.[17] Ao vencer por 3 a 1 o Fenerbahçe, o Benfica apurou-se para a final da Liga Europa da UEFA, algo festejado dado que o clube não atingia uma final europeia desde a Taça dos Clubes Campeões Europeus de 1989–90.[18] Na final, entretanto, perderam de 2 a 1 para o Chelsea, com um gol de Branislav Ivanović aos 48 minutos do segundo tempo, acabando, assim, como vice-campeão.[19]

2013–14

Após a temporada anterior, a primeira rodada desta nova temporada começou com uma derrota contra o Marítimo (2 a 1). A partir daí, o Benfica não voltou a perder no Campeonato por 28 jogos, conseguindo a maior sequência de vitórias (11).

No dia 11 de fevereiro de 2014, Jorge Jesus conseguiu a sua décima vitória (2 a 0) contra o Sporting, que empatou dois e ganhou um. Já no dia 20 de abril, Jesus conquistou o segundo campeonato português da sua carreira e o 33º título de campeão nacional do Benfica, estabelecendo um novo recorde nacional. Em 7 de maio, Jesus venceu a sua quarta Taça da Liga (a quinta do Benfica), por 2 a 0, contra o Rio Ave (conseguindo a segunda e única juntamente com a primeira dobradinha da Primeira Liga e da Taça da Liga do futebol português), outro recorde nacional. No dia 14 de maio, disputou a final da Liga Europa contra o Sevilla (após eliminar a Juventus em Turim) e, após perder nos pênaltis, terminou, pela segunda vez consecutiva, como vice-campeão.

No dia 18 de maio, Jorge Jesus fez a décima dobradinha do clube (recorde nacional) vencendo a sua primeira Taça de Portugal (a 25ª do Benfica) e tornou-se no primeiro treinador português a fazê-lo e no sétimo treinador em termos gerais a conquistar as duas competições, ao vencer o Rio Ave por 1 a 0[20] (conseguindo a primeira e única dobradinha de taça doméstica do futebol português). Assim, a temporada 2013–14 terminou com a tríplice coroa no futebol português, pois o treinador conquistou a Primeira Liga, a Taça de Portugal e a Taça da Liga.

2014–15

No dia 10 de agosto de 2014, Jorge Jesus ganhou a sua primeira Supertaça Cândido de Oliveira, superando János Biri como o treinador com mais jogos no Benfica (273) e também empatou com Cosme Damião no número de troféus ganhos pelo Benfica (8), ultrapassando o número de troféus ganhos por János Biri e Otto Glória pelo Benfica e tornando-se no segundo treinador em Portugal com o maior número de troféus, à frente de Artur Jorge (9).[21] Tornou-se no único treinador a ganhar todas as 4 competições portuguesas (ainda por cima num ano).[22][23] Continuou a quebrar recordes, tornando-se no treinador com mais vitórias (195) no dia 27 de setembro de 2014, numa vitória contra o Estoril.[24]

No dia 18 de janeiro de 2015, Jorge Jesus alcançou o tricentésimo jogo no Benfica, com a maior percentagem de vitórias desde Jimmy Hogan no início da década de 70 do século passado.[25]

Sporting

Na temporada 2015–16, o Sporting terminou a Primeira Liga com a maior pontuação da sua história e ganhou cinco clássicos, mas ainda assim terminou como vice-campeão português. Em 9 de agosto, após vencer o Benfica por 1 a 0, a equipe conquistou a Supertaça Cândido de Oliveira.

Jesus deixou o clube leonino em junho de 2018, depois de ambas as partes terem chegado a um acordo.[26]

Flamengo

2019

No início de junho, o presidente do Flamengo, Rodolfo Landim confirmou a contratação de Jesus, com duração de um ano.[27] Durante esse ano, o Mister, como era chamado pelos adeptos e jogadores de equipe, se tornou, para muitos, um dos maiores treinadores da história do Flamengo. Tendo obtido nesse tempo mais títulos (6) que derrotas (4).

Em outubro, nas semifinais da Copa Libertadores contra o Grêmio, Jorge Jesus deu uma "aula de tática" no técnico gremista, Renato Gaúcho, nas duas partidas, onde o placar agregado ficou 6 a 1 para o Flamengo.[28][29] Assim, levou o clube da Gávea à final da competição depois de 38 anos.[30]

Na estreia da final única da Libertadores, Jorge Jesus sagrou-se campeão pelo rubro-negro carioca com o placar de 2 a 1 de virada nos últimos minutos em cima do River Plate, da Argentina.[31] Foi o segundo título internacional em sua carreira, sendo o primeiro esportista português a conquistar uma Copa Libertadores da América e o segundo europeu a conquistar essa competição como treinador.[32] Em 1991, o título da Libertadores daquele ano foi conquistado pelo clube chileno Colo-Colo, então treinado pelo técnico croata Mirko Jozić.[33]

Apenas um dia após conquistar o troféu da Libertadores, Jorge Jesus entrou para a história do Flamengo ao conquistar o Campeonato Brasileiro, após a derrota do Palmeiras para o Grêmio por 2 a 1. Foi a primeira vez desde 1963, com o Santos de Pelé, que um clube brasileiro conquistou o campeonato nacional e a Libertadores no mesmo ano.[34] Com a conquista do Brasileirão, o treinador conseguiu seu terceiro título fora de Portugal, já que em agosto de 2018 havia conquistado a Supertaça da Arábia Saudita, quando era técnico do clube saudita Al-Hilal.[35] No dia 25 de novembro, foi agraciado com o título de cidadão honorário do Rio de Janeiro pela Câmara de Vereadores da cidade.[36]

2020

Jorge Jesus pelo Flamengo em 2020.

No dia 16 de fevereiro, ganhou seu terceiro titulo pelo rubro-negro: a Supercopa do Brasil, disputada pelo campeão do Campeonato Brasileiro de 2019 (o próprio Flamengo) e o campeão da Copa do Brasil (Athletico Paranaense). Em jogo único realizado no Estádio Mané Garrincha, o Flamengo venceu o Furacão por 3 a 0.[37]

Alguns dias depois ganharia seu quarto título (o segundo de âmbito internacional) ao vencer o Independiente del Valle por um somatório de 5 a 2 (2 a 2 na ida[38] e 3 a 0 na volta) pela Recopa Sul-Americana que colocava frente a frente os atuais campeões da Copa Libertadores da América e o da Sul-Americana.[39]

No dia 5 de junho, teve o seu contrato renovado até junho de 2021.[40] Já no dia 15 de julho, após vencer o Fluminense (2 a 1 na ida[41] e 1 a 0 na volta), ganhou seu quinto título, o Campeonato Carioca. Ambos os jogos foram no Maracanã, mas com o Flamengo sendo mandante na última partida.[42]

Rescindiu seu contrato com o Flamengo no dia 17 de julho, rumo ao Benfica. Despediu-se do rubro-negro com a incrível marca de cinco títulos e apenas quatro derrotas em pouco mais de um ano de trabalho, tornando-se assim um dos maiores treinadores da história do Flamengo.[43]

Retorno ao Benfica

Em julho de 2020 foi anunciado o seu regresso.[44] Foi apresentado no dia 3 de agosto, tendo assinado um contrato de duas épocas. Na cerimônia de apresentação mostrou-se, tal como em 2009, bastante confiante que vai fazer voltar o clube aos títulos e ao bom futebol.[7] Sua reestreia oficial pelo Benfica se deu no dia 15 de setembro, frente ao PAOK, da Grécia, pela fase de qualificação da Liga dos Campeões da UEFA. Sua equipe foi derrotada por 2 a 1 e desclassificada da competição.[45]

Nos primeiros onze jogos ao comando do Benfica, a equipe comandada por Jorge Jesus sofreu 16 gols, sendo que nove deles foram na Primeira Liga. O desempenho constitui o pior arranque do clube lisboeta, em termos defensivos, desde 2001.[46]

Conquistou um grande triunfo no dia 29 de setembro de 2021, após o Benfica vencer o Barcelona em casa por 3 a 0, pela fase de grupos da Liga dos Campeões.[47] Após a partida, o treinador afirmou que segue acompanhando o futebol brasileiro e cravou o Flamengo na final da Copa Libertadores da América.[48]

Vida pessoal

Jesus é filho do também futebolista Virgolino de Jesus, já falecido, e de sua mulher Maria Elísia Pinheiro[49], além de ser tio do jogador Bruno Sales.[50] É casado com Ivone de Jesus e possui três filhos, Jorge Gonçalo, Tânia e Mauro de Jesus, este último com sua atual esposa. Jorge Jesus possui ascendência brasileira por parte de sua avó materna, que nasceu em Pernambuco.[51] Em novembro de 2019, visitou o Instituto Nacional de Câncer (INCA) e declarou que doaria o dinheiro arrecadado com a venda de sua biografia, o livro "Mister Jesus, Quebrando Paradigmas no Futebol", do escritor Rui Pedro Braz (da editora AllBook) para a instituição.[52]

Em 29 de janeiro de 2021, depois de duas semanas em que assumiu sofrer duma infeção respiratória, foi confirmado pelo Benfica que havia sido diagnosticado no oitavo teste, realizado no início dessas duas semanas, como positivo para COVID-19, "num caso atípico, de índole rara", durante a pandemia de COVID-19 em Portugal, o que, inclusivamente, o impediu de estar presente no Dérbi da Capital contra o Sporting fora.[53]

Características como treinador

Estilo de jogo

Não há um bom treinador sem bons jogadores, e não há uma boa equipe sem um bom treinador. (...) O treinador é como o jogador: nasce, desenvolve e potencializa. A minha escola, a minha faculdade foi a prática, o treino, foi o jogador. Aí é onde você se cria treinador. Mas nem todos conseguem ser treinadores. Para isso é preciso ter criatividade, como existe em outras atividades. Aqueles que copiam muito dos outros nunca vão ser treinadores top. Temos que estar ligados em tudo o que se passa, mas você tem que ser um criador. Não tenho medo nenhum de assumir que eu e minha equipe técnica criamos uma metodologia de treinos e a desenvolvemos”.[54]
Jorge Jesus

Técnico disciplinador e linha dura[55], Jorge Jesus gosta que suas equipes atuem com uma posse de bola agressiva (seus times circulam rápido a bola, com muitos jogadores à frente da linha da bola), e com uma defesa sincronizada e sempre alta, quase na linha do meio de campo.[56][57] Ele gosta também do chamado "perde-pressiona": Perdeu a bola? Avança rápido, mata a jogada e não deixa o jogador adversário escapar.

Seu esquema de jogo preferido é o 4-1-3-2.[58][59] A ideia é sair para o ataque através de passes curtos, trazendo o volante para fazer a saída de bola entre os zagueiros, projetando os laterais num primeiro momento, e utilizando os cinco jogadores mais ofensivos em constantes movimentos de apoio ao companheiro com a bola, ou atacando espaços em profundidade.[59]

Rei do blefe

Se pensarmos em cartas, o jogador pode fazer um blefe nas cartas.
Jorge Jesus, em 2015, após uma partida em que divulgou a imprensa que o meia Bryan Ruiz e o atacante Islam Slimani não tinham condições de jogo, e escalar ambos como titulares, numa partida da Taça de Portugal daquele ano.

Jorge Jesus costuma blefar sobre a escalação de atletas para enganar os rivais. Quando comandava o Benfica, ele informava para a imprensa que alguns jogadores estavam vetados ou que teriam poucas chances de atuar. Conforme o jornalista Rui Miguel Gomes, do site "O Jogo", em 37 clássicos disputados pelo Benfica, ele não cumpriu o que falava em 22, surpreendendo a todos.[60] No Flamengo, ele usou deste mesmo expediente no jogo entre Flamengo e Internacional, pela Copa Libertadores da América, ao não relacionar Gabigol para o jogo no dia anterior, mas escalá-lo como titular na partida.[61]

Por conta de episódios como esse, ele ficou conhecido em Portugal como "Pôquer Face".[62]

Títulos

Fonte: oGol[63]

Braga
Benfica
Sporting
Al-Hilal
  • Supercopa da Arábia Saudita: 2018[35]
Flamengo[64]

Prêmios individuais

Portugal
Arábia Saudita
Brasil

Condecorações e honrarias

Estatísticas

Atualizadas até 20 de janeiro de 2020

Clube País Início Até Jogos
J V E D Vitórias % GM GS +/-
Felgueiras Portugal 1 de novembro de 1993 12 de maio de 1996 98 38 28 32 38.78 119 107 +12
Felgueiras 23 de fevereiro de 1997 11 Janeiro de 1998 34 17 6 11 50 43 34 +9
União da Madeira 11 de abril de 1998 17 de maio de 1998 6 2 2 2 33.33 8 7 +1
Estrela da Amadora 1 de julho de 1998 14 de maio de 2000 73 23 28 22 31.51 79 79 0
Vitória de Setúbal 4 de outubro de 2000 22 de janeiro de 2002 30 18 5 7 60 58 40 +18
Estrela da Amadora 2 de fevereiro de 2002 4 de março de 2003 41 21 9 11 51.22 50 41 +9
Vitória de Guimarães 10 de dezembro de 2003 10 de maio de 2004 22 7 6 9 31.82 17 22 -5
Moreirense 5 de abril de 2005 24 de maio de 2005 7 2 3 2 28.57 9 7 +2
União Leiria 26 de setembro de 2005 11 de maio de 2006 30 13 6 11 43.33 43 34 +9
Belenenses 12 de maio de 2006 19 de maio de 2008 75 33 15 27 44 94 78 +16
Braga 20 de maio de 2008 16 de junho de 2009 53 27 14 12 50.94 77 35 +42
Benfica 17 de junho de 2009 5 de junho de 2015 321 225 51 45 70.09 674 249 +425
Sporting 5 de junho de 2015 Junho de 2018 103 70 13 20 67.96 212 96 +116
Al-Hilal Arábia Saudita 5 de junho de 2018 31 de janeiro de 2019 20 16 3 1 80 44 17 +27
Flamengo Brasil 1 de junho de 2019 17 de julho de 2020 58 44 10 4 75.86 129 47 +82
Benfica Portugal 3 de agosto de 2020 presente 27 16 6 5 59.26 59 30 +29
Total 999 562 209 228 56.26 1704 934 +770

Desempenho como treinador em Portugal

Temporada 2006–07 2007–08 2008–09 2009–10 2010–11 2011–12 2012–13 2013–14 2014–15 2015–16 2016–17 2017–18
Clube Belenenses Braga Benfica Sporting
Competições
Liga
Taça F 4ªE 4ªE 4ªE 1/2 1/8 F V 1/8 1/8 1/4 F
Taça da Liga 3ªE 1ªFG V V V 1/2 V V FG FG V
Supertaça - - - - F - - - V V - -
Liga dos Campeões da UEFA - - - - FG 1/4 FG FG FG RQ FG FG
Liga Europa - 1ªF 1/8 1/4 1/2 - F F - 1/16 - 1/4

Referências

  1. «Aula do português: didático, "Mister" Jesus implementa treino de sala no Flamengo». GloboEsporte.com. 25 de junho de 2019. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  2. André Hernan, Felipe Schmidt, Fred Huber e Ivan Raupp (17 de julho de 2020). «Jorge Jesus chega a acordo com o Benfica e irá comunicar saída ao Flamengo». GloboEsporte.com. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  3. «THE WORLD'S BEST CLUB COACH» (em inglês). IFFHS. 14 de janeiro de 2014. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  4. «Klopp é eleito o melhor técnico do mundo em 2019 pela IFFHS; Jorge Jesus é o 7º». Extra. 26 de novembro de 2019. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  5. a b «Braga fica com título da última Copa Intertoto». Trivela. 27 de fevereiro de 2009. Consultado em 24 de dezembro de 2020 
  6. Igor Resende (9 de dezembro de 2019). «Bola de Prata: Jorge Jesus transforma Flamengo (e o Brasil) e é 1º técnico estrangeiro premiado». ESPN.com.br. Consultado em 21 de dezembro de 2020 
  7. a b «Jorge Jesus é apresentado no Benfica e se emociona ao falar do Flamengo: "Vim ganhar menos dinheiro"». GloboEsporte.com. 3 de agosto de 2020. Consultado em 23 de setembro de 2020 
  8. «Jorge Jesus». Zerozero. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  9. «Bayern de Munique bate Belenenses pela Copa da Uefa». Estadão. 20 de setembro de 2007. Consultado em 24 de dezembro de 2020 
  10. «Por 'caso Meyong', Belenenses perde seis pontos». Trivela. 3 de março de 2008. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  11. «COMUNICADO - Princípio de acordo entre Benfica e Braga» (PDF). SLBenfica.pt e CMVM.pt. 15 de Junho de 2009 
  12. «COMUNICADO - Contratação do treinador Jorge Jesus pelo Benfica» (PDF). SLBenfica.pt e CMVM.pt. 16 de Junho de 2009 
  13. «Jorge Jesus signs new Benfica deal» (em inglês). UEFA. 14 de Maio de 2010 
  14. «Benfica estabelece recorde de vitórias consecutivas». Jornal Record. 24 de Fevereiro de 2011. Arquivado do original em 17 de janeiro de 2013 
  15. «Jesus bate recorde de Eriksson». MaisFutebol. 7 de dezembro de 2011. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  16. «Jorge Jesus conseguiu 100ª vitória ao comando das "águias"». SIC Notícias. 11 de fevereiro de 2012. Consultado em 11 de fevereiro de 2012. Arquivado do original em 13 de fevereiro de 2012 
  17. Marco Vaza e Hugo Daniel Sousa (2 de maio de 2013). «A primeira final europeia de Jorge Jesus será a nona para o Benfica». Público. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  18. João Miguel Nunes (3 de maio de 2013). «Benfica festeja a ida à final da Liga Europa». RTP Notícias. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  19. «Heroico, Chelsea supera Benfica no fim e volta a ser campeão europeu». GloboEsporte.com. 15 de maio de 2013. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  20. João Ruela (18 de maio de 2014). «Benfica faz a "dobradinha" no Jamor 27 anos depois». Diário de Noticias. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  21. Nuno Madureira (28 de maio de 2014). «Os recordes que Jesus tem para bater». Maisfutebol. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  22. «Benfica vence Rio Ave por 3-2 nos penáltis e conquista Supertaça». SIC Notícias. 10 de agosto de 2014. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  23. «Benfica seal Super Cup win on penalties» (em inglês). UEFA.com. 10 de agosto de 2014. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  24. «Jorge Jesus já é o mais vitorioso da história». Record. 8 de outubro de 2014. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  25. «Jorge Jesus é o melhor na Luz do pós-1974». Jornal SOL. 18 de janeiro de 2015. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  26. «Jesus sai do Sporting por mútuo acordo». Jornal de Notícias. 3 de junho de 2018. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  27. Raphael de Angeli (1 de junho de 2019). «Rodolfo Landim fecha acordo, e Jorge Jesus é o novo técnico do Flamengo». GloboEsporte.com. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  28. Renato Maurício Prado (3 de outubro de 2019). «Jesus batiza Renato na Arena». UOL. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  29. «Portugueses enaltecem Jesus após "2º tempo de sonho" do Fla». Terra. 24 de outubro de 2019. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  30. Davi Saboya (23 de outubro de 2019). «Flamengo massacra Grêmio e chega à final da Libertadores após 38 anos». Blog do Torcedor. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  31. «Flamengo vira com dois de Gabigol, vence o River e conquista o bi da Libertadores». Terra. 23 de novembro de 2019. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  32. «Jorge Jesus consagra-se internacionalmente aos 65 anos». TSF Rádio Notícias. 23 de novembro de 2019. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  33. «"Título mais importante da minha carreira", vibra Jesus, o 2º técnico europeu campeão da Libertadores». GloboEsporte.com. 23 de novembro de 2019. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  34. «Flamengo é campeão brasileiro e se torna primeiro time desde 1963 a ganhar o Nacional e a Libertadores no mesmo ano». GloboEsporte.com. 24 de novembro de 2019. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  35. a b «Jesus leva o Al Hilal à conquista da Supertaça e festeja com bandeira portuguesa». Correio da Manhã. 18 de agosto de 2018. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  36. «Jorge Jesus é homenageado com título de cidadão honorário do Rio». VEJA. 25 de novembro de 2019. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  37. «É campeão! Trio decide, Flamengo domina o Athletico-PR e conquista a Supercopa». GloboEsporte.com. 16 de fevereiro de 2020. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  38. «Flamengo leva gol do Del Valle aos 45 do 2º tempo em pênalti polêmico e empata na ida da Recopa». ESPN.com.br. 20 de fevereiro de 2020. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  39. «É campeão! Flamengo vence o Independiente del Valle com brilho de Gabigol e Gerson e conquista a Recopa». GloboEsporte.com. 26 de fevereiro de 2020. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  40. «Flamengo oficializa renovação, e Jorge Jesus mira Mundial: "Ficou atravessado na garganta"». GloboEsporte.com. 5 de junho de 2020. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  41. Caio Blois (12 de julho de 2020). «Flamengo vence Fluminense e pode até empatar para ser campeão do Carioca». UOL. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  42. «Flamengo vence Fluminense, é bicampeão do Campeonato Carioca e fatura 5ª taça com Jorge Jesus». ESPN.com.br. 15 de julho de 2020. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  43. Leandro Stein (17 de julho de 2020). «Jorge Jesus deixa o Fla como um técnico inesquecível: cabe ao clube trabalhar por seu legado, e não achar que vai repeti-lo». Trivela. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  44. «Notícia TVI: Jorge Jesus regressa ao Benfica». TVI24. 17 de julho de 2020. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  45. «PAOK vence o Benfica e elimina time de Jorge Jesus da Liga dos Campeões da Europa». GloboEsporte.com. 15 de setembro de 2020. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  46. Francisco Amaral Santos (10 de novembro de 2020). «Os números não mentem: Esta é a pior defesa da era Jesus no Benfica». Notícias ao Minuto. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  47. «Champions League: Benfica de Jorge Jesus massacra o Barcelona e amplia crise no clube catalão». ESPN.com.br. 29 de setembro de 2021 
  48. «Jorge Jesus crava Flamengo na final da Libertadores e afirma que clubes brasileiros disputariam a Champions». Terra. 29 de setembro de 2021 
  49. «Homenagem Quim Barreiros deixa mensagem emocionada a Jorge Jesus». Impala. 26 de novembro de 2019. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  50. «Família da bola: Jorge Jesus é filho de ex-jogador português e tem sobrinho na segunda divisão». Torcedores.com. 24 de julho de 2020. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  51. Gustavo Rotstein e Kiko Menezes (17 de novembro de 2019). «Futebol, família e a "malta" da Amadora: EE mostra raízes e histórias de Jorge Jesus». GloboEsporte.com. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  52. «Jorge Jesus visita o INCA, distribui presentes e promete doações com vendas de sua biografia». LANCE!. 29 de novembro de 2019. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  53. Bruno Roseiro (29 de janeiro de 2021). «Jorge Jesus está infetado com Covid-19, "num caso atípico, de índole rara", e vai falhar também dérbi com o Sporting». Observador. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  54. globoesporte.globo.com/ "Você tem que ser um criador": conheça Jorge Jesus, alvo do Flamengo, por suas frases
  55. «Linha dura, futebol ofensivo e reforços 'alternativos': conheça o novo técnico do Flamengo». WSCOM. 1 de junho de 2019. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  56. «Renato Rodrigues detalha como trabalha taticamente Jorge Jesus, técnico na mira do Flamengo». ESPN.com.br 
  57. Leonardo Miranda (1 de junho de 2019). «As ideias táticas de Jorge Jesus, novo treinador do Flamengo». GloboEsporte.com. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  58. «Como jogam os times de Jorge Jesus? Rafa Oliveira explica estilo de treinador cotado para assumir o Flamengo». ESPN.com.br 
  59. a b Rodrigo Coutinho (29 de maio de 2019). «Abel e Jesus são diferentes, mas representam "padrão" do Flamengo». Yahoo. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  60. Marcello Neves (22 de agosto de 2019). «'Rei do blefe' em Portugal, Jorge Jesus repete estratégia com Gabigol no Flamengo». Extra. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  61. «Blefe na escalação funciona? Mauro Cezar opina sobre estratégia de Jorge Jesus». ESPN.com.br. 22 de agosto de 2019. Consultado em 18 de julho de 2020 
  62. «Blefe de Jorge Jesus com Gabigol no Flamengo x Inter não foi o primeiro: veja outras situações». GloboEsporte.com. 22 de agosto de 2019. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  63. «Jorge Jesus enganou-se ao afirmar no Brasil que é "o treinador da história de Portugal" com mais títulos? (COM VÍDEO)». Polígrafo. 26 de junho de 2019. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  64. «Relembre os 5 títulos e as 4 derrotas de Jorge Jesus no Flamengo». Folha de S.Paulo. 17 de julho de 2020. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  65. «Rosa Mota e Carlos Lopes premiados pelo CNID». Record. 26 de maio de 2010. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  66. «Liga PT: Melhor Treinador». oGol. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  67. Marco Gonçalves (28 de fevereiro de 2015). «Jesus, Gaitán e João Teixeira galardoados com os Cosme Damião». O Jogo. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  68. «Jorge Jesus vence o Globo de Ouro». SAPO. 24 de maio de 2015. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  69. «Globos de Ouro 2016: Os vencedores». Caras. 16 de maio de 2016. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  70. «Jorge Jesus ganha prêmio de melhor técnico do Português em setembro e outubro». Jovem Pan. 11 de novembro de 2020. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  71. Marco Gonçalves (15 de abril de 2021). «Jorge Jesus eleito o melhor treinador no mês na Liga NOS: "É um bom indicador"». O Jogo. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  72. «Sérgio Conceição e Jorge Jesus recebem prémios antes da Supertaça». O Jogo. 23 de dezembro de 2020. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  73. «Jorge Jesus eleito melhor treinador do mês na Arábia Saúdita». SAPO. 2 de outubro de 2018. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  74. «Jorge Jesus, do Flamengo, recebe de Zagallo o prêmio de melhor técnico do Brasileirão 2019». GloboEsporte.com. 9 de dezembro de 2019. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  75. Leo Burlá e Pedro Ivo Almeida (9 de dezembro de 2019). «Fla tem 9 em seleção do Brasileiro da CBF; Bruno Henrique é eleito craque». UOL. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  76. «Confira os vencedores da 16ª edição do Troféu Mesa Redonda». Gazeta Esportiva. 15 de dezembro de 2019. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  77. «Flamengo monopoliza equipa ideal da Libertadores e Jesus foi o melhor treinador». Diário de Notícias. 25 de dezembro de 2019. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  78. «A equipa ideal da Libertadores é sinónimo de Flamengo». SAPO. 25 de dezembro de 2019. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  79. «Seleção do Carioca 2020». Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro. 20 de julho de 2020. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  80. Isaura Almeida (30 de dezembro de 2019). «Jorge Jesus condecorado com a Ordem do Infante D.Henrique: "Esta condecoração vai para além do futebol"». Diário de Notícias. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  81. «Cidadãos Nacionais Agraciados com Ordens Portuguesas». Resultado da busca de "Jorge Fernando Pinheiro de Jesus". Presidência da República Portuguesa. Consultado em 29 de janeiro de 2021 
  82. João Vítor Castanheira (12 de dezembro de 2019). «Jesus recebe Medalha Tiradentes na Alerj; Gabigol falta a cerimônia». LANCE!. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  83. Jorge Jesus é homenageado com título de cidadão honorário do Rio
  84. Rodrigo Castro (3 de março de 2020). «Jorge Jesus é homenageado por vereador flamenguista de Petrópolis (RJ)». O Globo. Consultado em 30 de setembro de 2021 

Ligações externas

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Wikiquote Citações no Wikiquote
Commons Categoria no Commons
Wikinotícias Notícias no Wikinotícias
Wikinotícias Categoria no Wikinotícias