Final da Copa Libertadores da América de 2019

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Final da Copa Libertadores da América de 2019
EstadioUniversitario.jpg
Sede do confronto foi o Estádio Monumental
Evento Copa Libertadores da América de 2019
Data 23 de novembro, 15:00 (UTC−5)
Local Estádio Monumental, Lima, Peru
Árbitro ChileCHI Roberto Tobar
Público 59 000[1]

A final da Copa Libertadores da América de 2019 foi a 60.ª final desta competição, organizada anualmente pela Confederação Sul-Americana de Futebol (CONMEBOL). Foi vencida pela equipe brasileira do Flamengo, que sagrou-se campeã pelo placar de 2–1 sobre a equipe argentina do River Plate.[2]

Foi a décima quinta vez que um clube do Brasil e um da Argentina se enfrentaram em uma final de Copa Libertadores.[3] Até então, a vantagem era dos clubes argentinos que haviam vencido nove dessas quinze decisões, com os brasileiros levando vantagem em cinco.[4] Em campo neutro, foram quatro destes 15 confrontos, com vantagem argentina por 3 a 1.[4]

Pela primeira vez na história, foi disputada em jogo único no dia 23 de novembro de 2019. Estava originalmente previsto para ocorrer no Estádio Nacional, em Santiago, no Chile,[5] mas devido às manifestações no país, a partida foi transferida para o Estádio Monumental, em Lima, no Peru.[6]

O Flamengo saiu-se vencedor pela segunda vez na história, exatos 38 anos após a conquista de 1981.[7] Como vencedor, garantiu o direito de participar das Copas do Mundo de 2019, no Catar, e 2021, na China,[8] além do direito de disputar a Recopa Sul-Americana de 2020 contra o Independiente del Valle, do Equador, campeão da Copa Sul-Americana de 2019.[9][10] Com a conquista do título continental, o técnico da equipe, Jorge Jesus, tornou-se o segundo técnico europeu campeão da competição, sendo o primeiro português.[11]

Escolha do local[editar | editar código-fonte]

Em 2017, a CONMEBOL propôs que a final da Copa Libertadores fosse disputada em uma única partida, em vez de uma disputa de ida e volta.[12] Assim, em 23 de fevereiro de 2018, a entidade máxima do futebol sul-americano confirmou que, a partir da edição de 2019, a final seria disputada em um único local previamente escolhido.[13] Em 11 de junho de 2018, após a reunião do Conselho em Moscou, a confederação confirmou que a final iria ser jogada em 23 de novembro.[14]

Com o processo seletivo aberto, três cidades se candidataram para receber a disputa: Santiago, no Chile, Lima, no Peru, e Montevidéu, no Uruguai. Contudo, pouco antes da decisão, Montevidéu retirou sua candidatura.[5]

Com apenas Santiago e Lima na disputa, a CONMEBOL realizou verificações nos dois estádios e em 14 de agosto de 2018 definiu o Estádio Nacional de Chile, em Santiago, como sede da final da Libertadores e o Estádio Nacional do Peru, em Lima, como sede da final da Copa Sul-Americana,[15] com esta última sendo movida para Assunção em maio de 2019,[16] e a primeira movida para o Estádio Monumental, em Lima, devido às grandes ondas de protestos contra o atual presidente do Chile, Sebastián Piñera.[17]

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

Foi a primeira vez que Flamengo e River Plate se enfrentaram em uma final de Libertadores, mas eles já foram finalistas do torneio em outras ocasiões. O Flamengo chegou a final em 1981, na qual ganhou o título. Já os argentinos alcançaram a decisão em seis chances anteriores, saindo com o título em 1986, 1996, 2015 e 2018.[18]

Equipe Aparições em finais anteriores (negrito indica vencedores)
Brasil Flamengo 1 (1981)
Argentina River Plate 6 (1966, 1976, 1986, 1996, 2015, 2018)

Caminhos até à final[editar | editar código-fonte]

Brasil Flamengo Fase Argentina River Plate
Oponente Resultados Grupos Oponente Resultados
Bolívia San José 1–0 (F) 6–1 (C) Peru Alianza Lima 1–1 (F) 3–0 (C)
Equador LDU Quito 3–1 (C) 1–2 (F) Brasil Internacional 2–2 (C) 2–2 (F)
Uruguai Peñarol 0–0 (F) 0–1 (C) Chile Palestino 2–0 (F) 0–0 (C)
Grupo D
Pos. Equipe Pts J V E D GP GC SG
1 Brasil Flamengo 10 6 3 1 2 11 5 +6
2 Equador LDU Quito 10 6 3 1 2 12 8 +4
3 Uruguai Peñarol 10 6 3 1 2 7 5 +2
4 Bolívia San José 4 6 1 1 4 7 19 –12
Grupo A
Pos. Equipe Pts J V E D GP GC SG
1 Brasil Internacional 14 6 4 2 0 11 6 +5
2 Argentina River Plate 10 6 2 4 0 10 5 +5
3 Chile Palestino 7 6 2 1 3 7 7 0
4 Peru Alianza Lima 1 6 0 1 5 2 12 –10
Oponente Resultados Fase final Oponente Resultados
Equador Emelec 0–2 (F) 2–0 (C)
4–2 (pen.)
Oitavas Brasil Cruzeiro 0–0 (C) 0–0 (F)
4–2 (pen.)
Brasil Internacional 2–0 (C) 1–1 (F) Quartas Paraguai Cerro Porteño 2–0 (C) 1–1 (F)
Brasil Grêmio 1–1 (F) 5–0 (C) Semifinal Argentina Boca Juniors 2–0 (C) 0–1 (F)

Legenda: (C) casa; (F) fora

A partida[editar | editar código-fonte]

O River Plate iniciou o jogo em uma formação 2–3–3–2, o que permitiu ao seu meio-campo dominar boa parte da partida.[19] Esse esquema conquistou uma vantagem inicial, quando o colombiano Rafael Santos Borré marcou aos 14 minutos, após um cruzamento de Ignacio Fernández. A equipe argentina teve inúmeras chances de marcar um segundo gol ainda no primeiro tempo: Borré perdeu uma oportunidade por centímetros, Nicolás De La Cruz perdeu uma boa chance aos 21 minutos, e Exequiel Palacios teve dois chutes de longa distância que quase entraram. Completamente dominado pelas ações defensivas do River Plate,[20] a equipe carioca só conseguiu dar um chute a gol no primeiro tempo. Assim, ao final dos primeiros 45 minutos, o placar permaneceu 1–0.[21][22]

O segundo tempo continuou com domínio do River Plate. No entanto, o Flamengo começou a se afirmar no contra-ataque, com Gabriel e Éverton Ribeiro quase marcando enquanto Borré estava lesionado. A partida começou a mudar de figura após a entrada de Diego, que substituiu Gerson aos 66 minutos.[23] Diego passou a ser a melhor opção para o Flamengo atacar. Todos os ataques passavam por ele, que escolhia entre voltar para a defesa, ou acelerar o jogo.[24] O Flamengo foi assim, aos poucos, ganhando terreno. O placar, porém, permaneceu inalterado até os 43 minutos do segundo tempo, quando Diego e Giorgian De Arrascaeta interceptaram um passe de Lucas Pratto, com o uruguaio iniciado um contra-ataque, que passou ainda por Bruno Henrique, que devolveu a Arrascaeta já dentro da área chutar cruzado para Gabigol empatar o placar.[25]

Três minutos depois, Diego fez um lançamento em profundidade para Gabigol, que disputou a bola com os dois zagueiros do River Plate, que bateram cabeça, e a bola sobrou a feição para o atacante colocar a equipe carioca em vantagem no placar.[23]

Dois minutos após o gol, Palacios chutou Bruno Henrique e recebeu um cartão vermelho. Ainda no minuto 95, Gabriel fez gestos obscenos para a torcida e para o banco adversário, e também foi expulso.[26] A partida terminou pouco depois, com o Flamengo sagrando-se campeão numa virada em três minutos para conquistar seu segundo título da Copa Libertadores.[27]

Pela forma dramática como o Flamengo conseguiu chegar a vitória, este jogo foi chamado por alguns jornalistas e veículos da imprensa como "milagre"[28][29] e "milagre de Jesus", em alusão ao sobrenome do técnico português Jorge Jesus.[30][31] Alguns também compararam a partida com a final da Liga dos Campeões da UEFA em 1999, por conta dos dois gols da virada do Manchester United contra o Bayern de Munique que saíram depois dos 90 minutos.[32][33]

Ficha técnica[editar | editar código-fonte]

23 de novembro Flamengo Brasil 2 – 1 Argentina River Plate Estádio Monumental, Lima
15:00 (UTC−5)
Gabriel Gol marcado aos 89 minutos de jogo 89', Gol marcado aos 90+2 minutos de jogo 90+2' Relatório Borré Gol marcado aos 14 minutos de jogo 14' Público: 59 000[1]
Árbitro: ChileCHI Roberto Tobar
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Flamengo
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
River Plate
G 1 Brasil Diego Alves
LD 18 Brasil Rafinha Penalizado com cartão amarelo após 80 minutos 80'
Z 3 Brasil Rodrigo Caio
Z 24 Espanha Pablo Marí Penalizado com cartão amarelo após 54 minutos 54'
LE 21 Brasil Filipe Luís
M 5 Brasil Willian Arão Substituído após 86 minutos de jogo 86'
M 15 Brasil Gerson Substituído após 66 minutos de jogo 66'
M 14 Uruguai Giorgian De Arrascaeta Substituído após 90+4 minutos de jogo 90+4'
A 7 Brasil Éverton Ribeiro Capitão
A 27 Brasil Bruno Henrique
A 9 Brasil Gabriel Penalizado com cartão amarelo após 90+3 minutos 90+3' Expulso a 90+5 minutos 90+5'
Substitutos:
G 12 Brasil César
LD 2 Brasil Rodinei
Z 4 Brasil Rhodolfo
Z 26 Brasil Matheus Thuler
LE 6 Brasil Renê
M 10 Brasil Diego Entrou em campo após 66 minutos 66'
M 13 Brasil Vinícius Souza
M 19 Brasil Reinier
M 25 Paraguai Robert Piris Da Motta Entrou em campo após 90+4 minutos 90+4'
A 11 Brasil Vitinho Entrou em campo após 86 minutos 86'
A 20 Brasil Lincoln
A 28 Colômbia Orlando Berrío
Treinador:
Portugal Jorge Jesus
Flamengo vs River Plate 2019-11-23.svg
G 1 Argentina Franco Armani
LE 29 Argentina Gonzalo Montiel
Z 28 Argentina Lucas Martínez Quarta
Z 22 Argentina Javier Pinola Capitão Penalizado com cartão amarelo após 7 minutos 7'
LD 20 Argentina Milton Casco Penalizado com cartão amarelo após 30 minutos 30' Substituído após 77 minutos de jogo 77'
M 24 Argentina Enzo Pérez Penalizado com cartão amarelo após 71 minutos 71'
M 26 Argentina Ignacio Fernández Substituído após 69 minutos de jogo 69'
M 15 Argentina Exequiel Palacios Expulso a 90+5 minutos 90+5'
M 11 Uruguai Nicolás De La Cruz
A 19 Colômbia Rafael Santos Borré Substituído após 75 minutos de jogo 75'
A 7 Argentina Matías Suárez Penalizado com cartão amarelo após 45+2 minutos 45+2'
Substitutos:
G 14 Argentina Germán Lux
G 25 Argentina Enrique Bologna
Z 2 Paraguai Robert Rojas
LE 4 Argentina Fabrizio Angileri
Z 6 Chile Paulo Díaz Entrou em campo após 77 minutos 77'
M 5 Argentina Bruno Zuculini
M 10 Colômbia Juan Quintero
M 21 Argentina Cristian Ferreira
M 23 Argentina Leonardo Ponzio
A 9 Argentina Julián Álvarez Entrou em campo após 69 minutos 69'
A 27 Argentina Lucas Pratto Entrou em campo após 75 minutos 75'
A 30 Argentina Ignacio Scocco
Treinador:
Argentina Marcelo Gallardo

Homem do Jogo:[34]
Brasil Gabriel

Árbitros assistentes:[35]
ChileCHI Christian Schiemann
ChileCHI Claudio Ríos
Quarto árbitro:
ColômbiaCOL Andrés Rojas
Árbitro de vídeo:
UruguaiURU Esteban Ostojich
Árbitro assistente de vídeo 1:
ChileCHI Piero Maza
Árbitro assistente de vídeo 2:
ColômbiaCOL Alexander Guzmán
Árbitro assistente de vídeo 3:
PeruPER Víctor Carrillo

Regulamento:[9]

  • 90 minutos.
  • 30 minutos de prorrogação caso haja empate no tempo normal.
  • Persistindo o empate, o vencedor será decidido nas penalidades máximas.
  • Doze jogadores substitutos.
  • Máximo de três substituições, com uma quarta sendo permitida em caso de prorrogação.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b «Copa Libertadores 2019 » Final » Flamengo RJ - River Plate 2:1». Worldfootball.net. 23 de novembro de 2019. Consultado em 30 de novembro de 2019 
  2. «River Plate segura pressão no alto do Boca Juniors, perde, mas avança para a final da Libertadores». GloboEsporte.com. 22 de outubro de 2019. Consultado em 23 de outubro de 2019 
  3. «Flamengo e River fazem 15ª final entre Brasil e Argentina na Libertadores; veja retrospecto». GloboEsporte.com. 23 de outubro de 2019. Consultado em 13 de novembro de 2019 
  4. a b «Copa Libertadores: curiosidades das decisões - com três jogos, dois e agora com uma única partida». GloboEsporte.com. 22 de novembro de 2019. Consultado em 25 de novembro de 2019 
  5. a b «Histórica decisión: Final Única de la Libertadores 2019 en Santiago y Final Única de la Sudamericana 2019 en Lima» (em espanhol). CONMEBOL. 14 de agosto de 2018. Consultado em 5 de novembro de 2018 
  6. Fernandez, Martín; Sibilla, Raphael (5 de novembro de 2019). «Conmebol, Flamengo e River Plate decidem: final da Libertadores sai de Santiago e será em Lima no dia 23 de novembro». GloboEsporte.com. Consultado em 5 de novembro de 2019 
  7. «De geração para geração: 38 anos depois, Flamengo vence River Plate e volta a pintar a América do Sul de vermelho e preto». GloboEsporte.com. 23 de novembro de 2019. Consultado em 25 de novembro de 2019 
  8. «¡Flamengo campeón de la CONMEBOL Libertadores 2019!» (em espanhol). CONMEBOL. 23 de novembro de 2019. Consultado em 25 de novembro de 2019 
  9. a b «Reglamento CONMEBOL Libertadores 2019» (PDF) (em espanhol). CONMEBOL. 30 de dezembro de 2018. Consultado em 5 de outubro de 2019 
  10. «Independiente Del Valle celebra su primera gran conquista» (em espanhol). CONMEBOL. 9 de novembro de 2019. Consultado em 13 de novembro de 2019 
  11. «Late goals give Flamengo dramatic Copa Libertadores title» (em inglês). The Washington Post. 23 de novembro de 2019. Consultado em 2 de dezembro de 2019 
  12. «Así cambiará la Copa Libertadores desde el 2019». publimetro.co. 3 de outubro de 2017 
  13. «La CONMEBOL Libertadores se definirá en final única a partir de 2019 con mayores beneficios a los clubes y la competencia». CONMEBOL. 23 de fevereiro de 2018 
  14. «Definida la fecha de la final de la Copa Conmebol Libertadores 2019» (em espanhol). El Tiempo. 11 de junho de 2018 
  15. «Final da Libertadores 2019 será em Santiago; Sul-Americana também será decidida em jogo único». GloboEsporte.com. Consultado em 17 de outubro de 2019 
  16. «Conmebol troca a sede da final da Copa Sul-Americana de 2019: sai Lima, entra Assunção». GloboEsporte.com. Consultado em 17 de outubro de 2019 
  17. «Conmebol, Flamengo e River Plate decidem: final da Libertadores sai de Santiago e será em Lima no dia 23 de novembro». GloboEsporte.com. 5 de novembro de 2019. Consultado em 25 de novembro de 2019 
  18. «River Plate es el primero en anotarse para la final de Santiago» (em espanhol). CONMEBOL. 23 de outubro de 2019. Consultado em 13 de novembro de 2019 
  19. «Libertadores: Hofman analisa como substituições de Flamengo e River mudaram o rumo de final». ESPN.com.br. ESPN. Consultado em 25 de novembro de 2019 
  20. Coelho, Paulo Vinícius (23 de novembro de 2019). «Flamengo vira no volume de jogo e é bi da Libertadores». UOL. Consultado em 25 de novembro de 2019 
  21. Ellerby, Nick (23 de novembro de 2019). «Flamengo stage incredible comeback to beat River Plate and become champions of South America». copalibertadores.com (em inglês). CONMEBOL. Consultado em 24 de novembro de 2019 
  22. Chowdhury, Saj (23 de novembro de 2019). «Copa Libertadores: Flamengo beat River Plate with two late goals». BBC (em inglês). BBC. Consultado em 24 de novembro de 2019 
  23. a b «Símbolo dos bons e maus momentos, Diego muda o rumo do jogo e de sua trajetória no Flamengo: "Conseguimos"». GloboEsporte.com. 25 de novembro de 2019. Consultado em 25 de novembro de 2019 
  24. Miranda, Leonardo (24 de novembro de 2019). «Como a entrada de Diego ajudou o Flamengo a retomar o controle no jogo do bi da Libertadores». GloboEsporte.com. Consultado em 25 de novembro de 2019 
  25. «Téo Benjamin: um raio-X do gol do título da Libertadores». Mundo Rubro-Negro. 30 de novembro de 2019. Consultado em 2 de dezembro de 2019 
  26. «Libertadores: Vídeo mostra gesto que fez Gabigol ser expulso; assista». UOL. 25 de novembro de 2019. Consultado em 25 de novembro de 2019 
  27. «Dois gols em três minutos! Gabigol é o grande herói da final da Libertadores». iG. 23 de novembro de 2019. Consultado em 25 de novembro de 2019 
  28. Rocha, André (23 de novembro de 2019). «Flamengo campeão no "milagre" de Lima em mais uma decisão mental». UOL. Consultado em 25 de novembro de 2019 
  29. «Mauro Cezar, após título do Flamengo na Libertadores: 'Milagre, virada de fábula, melhor invenção do homem!'». ESPN.com.br. ESPN. 23 de novembro de 2019. Consultado em 25 de novembro de 2019 
  30. Mello, Samir (23 de novembro de 2019). «O milagre de Jesus: quem é o homem que comandou o título do Fla». Metrópoles. Consultado em 25 de novembro de 2019 
  31. «Os festejos do "milagre de Jesus": o Flamengo conquistou a Taça dos Libertadores 38 anos depois». publico.pt. Público. 23 de novembro de 2019. Consultado em 25 de novembro de 2019 
  32. Signor, Luiz (23 de novembro de 2019). «Virada do Fla faz história na Libertadores e lembra título do United». Onefootball. Consultado em 25 de novembro de 2019 
  33. «Flamengo lift Copa Libertadores with last-gasp 2-1 win over River Plate» (em inglês). France 24. 23 de novembro de 2019. Consultado em 2 de dezembro de 2019 
  34. «Decisivo, Gabigol é escolhido o #BestOfTheMatch da final da CONMEBOL Libertadores». copalibertadores.com. CONMEBOL. 23 de novembro de 2019. Consultado em 25 de novembro de 2019 
  35. «Sustitución de Árbitro VAR de la final de la CONMEBOL Libertadores 2019» (em espanhol). CONMEBOL. 19 de novembro de 2019. Consultado em 20 de novembro de 2019