Copa Libertadores da América de 1999

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Copa Libertadores da América de 1999
XL Copa Libertadores de América
Copa Toyota Libertadores 1999
Copa Toyota Libertadores.png
Dados
Participantes 23
Organização CONMEBOL
Local de disputa Flags of the Union of South American Nations.gif América do Sul
Período 21 de fevereiro16 de junho
Gol(o)s 291
Partidas 102
Média 2,85 gol(o)s por partida
Campeão Brasil Palmeiras (1º título)
Vice-campeão Colômbia Deportivo Cali
Melhor marcador 6 gols:
Melhor ataque (fase inicial) Brasil Corinthians – 16 gols
Melhor defesa (fase inicial) Argentina Vélez Sársfield – 3 gols
Maior goleada
(diferença)
Corinthians Brasil 8 – 2 Paraguai Cerro Porteño
PacaembuSão Paulo
10 de março, Grupo 3
◄◄ Libertadores 1998 Soccerball.svg Libertadores 2000 ►►
Luiz Felipe Scolari
Zinho

A edição de 1999 da Copa Libertadores da América foi a 40ª disputada ao longo da história. Foi vencida pelo Palmeiras[1], do Brasil, após a equipe derrotar, no tempo normal (2 a 1) e nos pênaltis (4 a 3), o Deportivo Cali, da Colômbia, em partida decisiva realizada no Estádio Palestra Itália, na cidade de São Paulo no dia 16 de junho do mesmo ano. O primeiro jogo das finais, realizado no dia 2 do mesmo mês, na cidade colombiana de Cali, no Estádio Olímpico Pascual Guerrero, teve a vitória do Deportivo, por 1 a 0.

Este foi o primeiro título da Libertadores da equipe de São Paulo, que havia anteriormente, em 1961 e 1968, chegado ao vice-campeonato da competição. O técnico que conduziu o Palmeiras à conquista inédita foi Luiz Felipe Scolari, que, anos depois, levaria a Seleção Brasileira ao quinto título da Copa do Mundo da FIFA. O goleiro palmeirense Marcos foi a grande revelação e também foi considerado pela Conmebol o melhor jogador do torneio continental de 1999.

O time base do Palmeiras, além do goleiro Marcos, que substituiu o contundido arqueiro Velloso na primeira fase da competição, era formado pelos laterais Arce (direito) e Júnior (esquerdo); pelos zagueiros Júnior Baiano e Roque Júnior; os volantes César Sampaio e Rogério; os meio-campistas Alex e Zinho; e pelos atacantes Paulo Nunes e Oséas. Também tiveram participação importante na conquista os atacantes Evair e Euller, além do zagueiro Cléber e do volante Galeano.

Antes de chegar à final, o Palmeiras eliminou, nas semifinais, o River Plate, da Argentina, que havia eliminado o Vélez Sársfield, da Argentina, nas quartas-de-final. No primeiro jogo, disputado em Buenos Aires, no Estádio Monumental de Nuñes, o River derrotou a equipe brasileira por 1 a 0. Na partida de volta, realizada no Estádio Palestra Itália, o Palmeiras venceu por 3 a 0.

Nas quartas-de-final do torneio, o Palmeiras eliminou o arquirrival compatriota Corinthians. Ambas as partidas foram realizadas no Estádio do Morumbi e terminaram com placar de 2 a 0: na primeira, a vitória foi do Palmeiras; na segunda, do Corinthians. Com isso, a decisão foi para os pênaltis, com vitória da equipe de verde e branco por 4 a 2. Eliminação parecida viria a acontecer novamente em 2000, também depois de disputa de pênaltis (5 a 4) entre os arquirrivais, porém já na fase semifinal da competição continental, que levou o Palmeiras para a decisão.

Nas oitavas-de-final de 1999, o Palmeiras eliminou o Vasco da Gama, que defendia o título de campeão da Libertadores da América de 1998. O primeiro jogo terminou empatado em 1 a 1 e foi disputado no Estádio Palestra Itália. Na segunda partida, realizada no Estádio São Januário, o Palmeiras venceu por 4 a 2.

Na primeira fase, de grupos, o Palmeiras se classificou na segunda colocação, com 10 pontos, atrás do Corinthians, com 12 pontos. As equipes brasileiras, ao lado do Cerro Porteño, que também se classificou, formavam o grupo 3 da competição, com o Olímpia, também do Paraguai, que ficou na lanterna, com apenas 5 pontos conquistados.

Equipes classificadas[editar | editar código-fonte]

País Equipe Classificação
 Argentina
(2 vagas)
Vélez Sársfield Campeão do Campeonato Nacional Clausura de 1998
River Plate Vice-Campeão do Campeonato Nacional de 1998
 Bolívia
(2 vagas)
Blooming Campeão do Campeonato Boliviano de 1998
Jorge Wilstermann Vice-Campeão do Campeonato Nacional de 1998
 Brasil
(2 vagas + atual Campeão)
Vasco da Gama Campeão da Copa Libertadores de 1998
Corinthians Campeão do Campeonato Brasileiro de 1998
Palmeiras Campeão da Copa do Brasil de 1998
 Chile
(2 vagas)
Colo-Colo Campeão do Campeonato Chileno de 1998
Universidad Católica Campeão da Liguilla Pré-Libertadores de 1998
 Colômbia
(2 vagas)
Deportivo Cali Campeão do Campeonato Colombiano de 1998
Once Caldas Vice-Campeão do Campeonato Colombiano de 1998
Equador
(2 vagas)
LDU Quito Campeão do Campeonato Equatoriano de 1998
Emelec Vice-campeão do Campeonato Equatoriano de 1998
 Paraguai
(2 vagas)
Olimpia Campeão do Campeonato Paraguaio de 1998
Cerro Porteño Vice-Campeão do Campeonato Paraguaio de 1998
 Peru
(2 vagas)
Universitario Campeão do Campeonato Peruano de 1998
Sporting Cristal Vice-campeão do Campeonato Peruano de 1998
Uruguai
(2 vagas)
Nacional Campeão do Campeonato Uruguaio de 1998
Bella Vista Campeão da Mini-Liga Pré-Libertadores 1998
 Venezuela
(2 vagas)
Universidad de Los Andes Campeão do Campeonato Venezuelano de 1998
Estudiantes de Mérida Vice-campeão do Campeonato Venezuelano de 1998
 México
(2 vagas)
Necaxa Campeão do Torneio Interliga de 1998
Monterrey Vice-campeão do Torneio Interliga de 1998

Mapa[editar | editar código-fonte]

Latin America - First level political divisions.svg

Pré-Libertadores[editar | editar código-fonte]

Equipe Pts J V E D GP GC SG
México Monterrey 10 6 3 1 2 13 9 +4
Venezuela Estudiantes de Mérida 10 6 3 1 2 9 9 0
México Necaxa 9 6 2 3 1 5 3 +2
Venezuela Universidad de Los Andes 4 6 1 1 4 5 11 -6
  EST MON NEC ULA
Estudiantes de Mérida 3–0 0–0 3-2
Monterrey 5-1 1-0 4–1
Necaxa 2–0 2–2 1–0
Universidad de Los Andes 0-2 2-1 0–0

Primeira fase[editar | editar código-fonte]

O Vasco da Gama, do Brasil, campeão da Copa Libertadores da América de 1998, avançou direto para as oitavas-de-final, conforme determinava o regulamento.

  • Times em verde classificaram-se as oitavas-de-final

Grupo 1[editar | editar código-fonte]

Equipe Pts J V E D GP GC SG
Uruguai Nacional 12 6 4 0 2 9 8 +1
Venezuela Estudiantes de Mérida 9 6 3 0 3 9 14 -5
Uruguai Bella Vista 7 6 2 1 3 9 6 +3
México Monterrey 7 6 2 1 3 10 9 +1
  BVI EST MON NAC
Bella Vista 5-1 2–0 0–1
Estudiantes de Mérida 2–1 2–1 3–1
Monterrey 1-1 4-0 1–2
Nacional 1-0 2-1 2-3

Grupo 2[editar | editar código-fonte]

Equipe Pts J V E D GP GC SG
Argentina Vélez Sársfield 9 6 2 3 1 6 3 +3
Colômbia Deportivo Cali 9 6 3 0 3 4 8 -4
Argentina River Plate 8 6 2 2 2 8 8 0
Colômbia Once Caldas 7 6 2 1 3 7 6 +1
  DCA ONC RIV VEL
Deportivo Cali 1-0 1–0 1-0
Once Caldas 3-0 4–1 0-0
River Plate 2-1 3-0 1–1
Vélez Sársfield 3-0 1-0 1-1

Grupo 3[editar | editar código-fonte]

Equipe Pts J V E D GP GC SG
Brasil Corinthians 12 6 4 0 2 16 8 +8
Brasil Palmeiras 10 6 3 1 2 12 10 +2
Paraguai Cerro Porteño 7 6 2 1 3 14 20 -6
Paraguai Olimpia 5 6 1 2 3 11 15 -4
  CPO COR OLI PAL
Cerro Porteño 3-0 4-3 2-5
Corinthians 8-2 4-0 2–1
Olimpia 2-2 1-2 4–2
Palmeiras 2-1 1-0 1-1

Grupo 4[editar | editar código-fonte]

Equipe Pts J V E D GP GC SG
Chile Universidad Católica 11 6 3 2 1 9 8 +1
Chile Colo-Colo 8 6 2 2 2 9 14 -5
Peru Universitario 7 6 2 1 3 9 6 +3
Peru Sporting Cristal 5 6 0 5 1 10 9 +1
  COL SCR UCA UNI
Colo-Colo 1-1 1–0 1-0
Sporting Cristal 1–1 1–1 2-2
Universidad Católica 3-1 1-1 1–0
Universitario 2-0 2-1 1-3

Grupo 5[editar | editar código-fonte]

Equipe Pts J V E D GP GC SG
Equador LDU Quito 10 6 3 1 2 10 8 +2
Equador Emelec 9 6 3 0 3 9 12 -3
Bolívia Jorge Wilstermann 8 6 2 2 2 9 9 0
Bolívia Blooming 7 6 2 1 3 5 4 +1
  BLO EME JWI LDU
Blooming 2-0 0–0 3–1
Emelec 1-0 3-2 2-0
Jorge Wilstermann 1-0 4-2 1–1
LDU Quito 1-0 4-1 3-1

Fase final[editar | editar código-fonte]

Oitavas de final Quartas de final Semifinais Final
           
                                                 
 Colômbia Deportivo Cali 2 0 2  
 Chile Colo-Colo 0 1 1  
   Colômbia Deportivo Cali 2 1 3  
   Uruguai Bella Vista 1 1 2  
 Uruguai Bella Vista 2 3 5
 Chile Universidad Católica 2 1 3  
   Colômbia Deportivo Cali 4 2 6  
   Paraguai Cerro Porteño 0 3 3  
 Equador Emelec 1 1 2  
 Venezuela Estudiantes de Mérida 3 0 3  
   Venezuela Estudiantes de Mérida 3 0 3
   Paraguai Cerro Porteño 0 4 4  
 Paraguai Cerro Porteño 5 1 6
 Uruguai Nacional 0 2 2  
   Colômbia Deportivo Cali 1 1 2 (3)
   Brasil Palmeiras (pen) 0 2 2 (4)
 Argentina River Plate (pen) 1 0 1 (5)  
 Equador LDU Quito 0 1 1 (4)  
   Argentina River Plate 2 0 2
   Argentina Vélez Sársfield 0 1 1  
 Peru Universitario 0 0 0
 Argentina Vélez Sársfield 0 4 4  
   Argentina River Plate 1 0 1
   Brasil Palmeiras 0 3 3  
 Brasil Palmeiras 1 4 5  
 Brasil Vasco da Gama 1 2 3  
   Brasil Palmeiras (pen) 2 0 2 (4)
   Brasil Corinthians 0 2 2 (2)  
 Bolívia Jorge Wilstermann 1 2 3
 Brasil Corinthians 1 5 6  

Final[editar | editar código-fonte]

Palmeiras e Deportivo Cali se enfrentaram na final do torneio. O Palmeiras teve melhor campanha na primeira fase que o Deportivo Cali e com isso teve o direito de jogar a segunda partida em casa. No primeiro jogo, o time colombiano venceu por 1 a 0, com gol do centroavante Bonilla. Em São Paulo, vitória brasileira: 2 a 1. Evair, de pênalti, e Oséas marcaram para o Palmeiras. Zapata, também de pênalti, marcou para o Deportivo.

Na soma dos resultados dos dois jogos, 2 a 2. E o campeão saiu nas disputas de pênaltis. Para o Palmeiras bateram Zinho, Júnior Baiano, Roque Júnior, Rogério e Euller. O primeiro acertou o travessão e os outros quatro marcaram. Para o Deportivo Cali bateram Dudamel, Gavíria, Yepes , Bedoya e Zapata. Os três primeiros marcaram, mas Bedoya chutou na trave lateral e Zapata chutou para fora.[2]


2 de Junho de 1999
21:45
Deportivo Cali Colômbia 1 – 0 Brasil Palmeiras Pascual Guerrero, Cali
Público: 37.000
Árbitro: Mário Sanchez Chile CHI

Bonilla Gol marcado aos 42 minutos de jogo 42' Relatório

16 de Junho de 1999
21:45
Palmeiras Brasil 2 – 1 Colômbia Deportivo Cali Palestra Itália, São Paulo
Público: 32.000
Árbitro: Ubaldo Aquino Paraguai (PAR)

Evair Gol marcado aos 65 minutos de jogo 65' (P)
Oséas Gol marcado aos 76 minutos de jogo 76'
Relatório Zapata Gol marcado aos 70 minutos de jogo 70' (P)
    Penalidades  
Zinho Erro (no travessão)
Júnior Baiano Convertido
Roque Júnior Convertido
Rogério Convertido
Euller Convertido
4–3 Convertido Dudamel
Convertido Gavíria
Convertido Yepes
Erro (na trave) Bedoya
Erro (para fora) Zapata
 

Premiação[editar | editar código-fonte]

Copa Libertadores da América de 1999
Flag of Brazil.svg
PALMEIRAS
Campeão
(1º título)

Artilheiros[editar | editar código-fonte]

Jogador Equipe Gols
Brasil Fernando Baiano Brasil Corinthians 6
Colômbia Víctor Bonilla Colômbia Deportivo Cali 6
Uruguai Ruben Sosa Uruguai Nacional 6
Colômbia Martín Zapata Colômbia Deportivo Cali 6
Venezuela Ruberth Morán Venezuela Estudiantes de Mérida 6
Brasil Gauchinho Paraguai Cerro Porteño 6

Referências

  1. "Especial Libertadores 1999", UOL, 16/6/1999
  2. "É o time da virada", Placar, 31/8/2010

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre futebol é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Copa Libertadores da América de 1999

Campeão: Brasil Palmeiras

Vice Campeão: Colômbia Deportivo Cali

Eliminados nas Semi-Finais: Paraguai Cerro Porteño | Argentina River Plate

Eliminados nas Quartas de Finais: Uruguai Bella Vista | Brasil Corinthians | Venezuela Estudiantes de Mérida | Argentina Vélez Sársfield

Eliminados nas Oitavas de Finais: Chile Colo-Colo | Equador Emelec | Bolívia Jorge Wilstermann | Equador LDU Quito | Uruguai Nacional | Chile Universidad Católica | Peru Universitario | Brasil Vasco da Gama

Eliminados na 1ª fase: Blooming | Monterrey | Olimpia | Once Caldas | Sporting Cristal

Eliminados na Pré-Libertadores: Necaxa | Universidad de Los Andes