Mancha Alviverde

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, comprometendo a sua verificabilidade (desde abril de 2017).
Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto. Material sem fontes poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Grêmio Recreativo e Cultural Torcida Mancha Alviverde
Mancha-AlviVerde.jpg
Grêmio Recreativo e Cultural Torcida Mancha Alviverde
Fundação 11 de janeiro de 1983
Símbolo Mancha Negra
Sede Perdizes, São Paulo
Presidente Nando Nigro
Página oficial

O Grêmio Recreativo e Cultural Torcida Mancha Alviverde (ou apenas Mancha Alviverde) ainda conhecido por Mancha Verde é a maior torcida organizada da Sociedade Esportiva Palmeiras.

Foi fundada no dia 11 de janeiro de 1983, por integrantes da ex-torcida e atual entidade carnavalesca Mancha Verde. Seu símbolo é o personagem dos quadrinhos da Disney, Mancha Negra (na cor verde).

Nos jogos do Palmeiras, a Mancha Alviverde se posiciona na curva da ferradura, no setor azul, do antigo Estádio Palestra Itália, e agora no Allianz Parque fica no setor cadeira gol norte. No Estádio do Pacaembu, fica na arquibancada amarela. É, segundo estimativas, uma das maiores torcidas organizadas do Brasil, na atualidade com mais de 90 mil sócios.

Sua sede está localizada na Rua Caraíbas, número 28, no bairro Perdizes, em São Paulo. Com quase 500 m², conta com uma loja com todos os produtos oficiais da Torcida Mancha Alviverde.

História

Mancha Verde com faixas durante jogo contra o Flamengo em agosto de 2015 no Allianz Parque

A Mancha Verde foi fundada no dia 11 de janeiro de 1983, resultado da fusão de três antigas torcidas organizadas (Império Verde, Inferno Verde e Gremio Alviverde). Na época sentia-se a necessidade de se organizar uma nova e sólida representação para a torcida palmeirense nas arquibancadas.

O nome "Mancha Verde" é baseado em um dos vilões das revistas em quadrinhos Disney, Mancha Negra.

Faixa da Mancha Verde estendida no setor Gol Norte do Allianz Parque

A torcida Mancha Verde foi judicialmente extinta em 1995, após um conflito com a Torcida Organizada Independente, do São Paulo, durante partida da final da extinta Supercopa São Paulo de Juniores, no Estádio do Pacaembu. O episódio, que ficou conhecido como "Batalha Campal do Pacaembu", deixou um saldo de 110 feridos e um morto, o são-paulino Márcio Gasperin da Silva com apenas 16 anos de idade. Três anos depois, o torcedor do Palmeiras, Adalberto Benedito dos Santos, foi condenado a doze anos de prisão.

Mancha Verde na final da Copa do Brasil de 2015 no Allianz Parque

Com a proibição da Federação Paulista de Futebol e do Ministério Público de entrar nos estádios, a Mancha Verde foi transformada em uma escola de samba, ainda no mesmo ano.

Em 1997, ex-integrantes da torcida resolveram criar uma nova entidade, com sede, estatuto e diretorias próprias, para que possíveis futuros problemas referentes à torcida não pudessem atrapalhar a trajetória da escola de samba. Surgia assim a Mancha Alviverde.

Atualmente, a Mancha conta mais de 90 mil sócios com diversas subsedes espalhadas pelo país e pelo mundo (inclusive há subsedes da Mancha Alviverde no Japão, Inglaterra, Espanha e Estados Unidos da América).

Fim temporário

Em março de 2017, a agremiação anunciou o fim de suas atividades depois de 34 anos devido ao assassinato de seu fundador, Moacir Bianchi.[1] No entanto, dias depois, a mesma voltou atrás e afirmou que se tratava apenas de um processo de reestruturação e que a suspensão das atividades era em respeito ao período de luto.[2]

Torcidas aliadas

As maiores rivais

Subsedes

Mancha Verde no Estádio Palestra Itália em 2007
  • Mancha Alviverde (Vitória-ES)
  • Mancha Alviverde (Curitiba-PR)
  • Mancha Alviverde (Região Bragantina)
  • Mancha Alviverde (Birigui-SP)
  • Mancha Alviverde (Londrina-PR)
  • Movimento Mancha Verde (Itararé-SP)
  • Mancha Alviverde (Araçatuba-SP)
  • Mancha Alviverde (Recife-PE)
  • Mancha Alviverde (Cuiabá-MT)
  • Mancha Alviverde (Botucatu-SP)
  • Mancha Alviverde (Campinas-SP)
  • Mancha Alviverde (Goiânia-GO)
  • Mancha Alviverde (Maceió-AL)
  • Mancha Alviverde (Ponta Grossa-PR)
  • Mancha Alviverde (Campo Grande-MS)
  • Mancha Alviverde (São José do Rio Preto-SP)
  • Mancha Alviverde (Montes Claros-MG)
  • Mancha Alviverde (São João Da Boa Vista-SP)
  • Mancha Alviverde (Amparo-SP)
  • Mancha Alviverde (Sorocaba-SP)
  • Mancha Alviverde (Araraquara-SP)
  • Mancha Alviverde (Bauru-SP)
  • Mancha Alviverde (Belém-PA)
  • Mancha Alviverde (Brasília-DF)
  • Mancha Alviverde (Lençóis Pta-SP)
  • Mancha Alviverde (Worcester-MA/Estados Unidos)
  • Mancha Alviverde (Fortaleza-CE)
  • Mancha Alviverde (Itu-SP)
  • Mancha Alviverde (Jales-SP)
  • Mancha Alviverde (João Pessoa-PB)
  • Mancha Alviverde (Jundiaí-SP)
  • Mancha Alviverde (Leme-SP)
  • Mancha Alviverde (Londres-Inglaterra)
  • Mancha Alviverde (Marília-SP)
  • Mancha Alviverde (Mogi-Guaçu-SP)
  • Mancha Alviverde (Natal-RN)
  • Mancha Alviverde (Piauí-PI)
  • Mancha Alviverde (City Maruhira-Japão)
  • Mancha Alviverde (São José dos Campos-SP)
  • Mancha Alviverde (Presidente Prudente-SP)
  • Mancha Alviverde (Ribeirão Preto-SP)
  • Mancha Alviverde (Rio Claro-SP)
  • Mancha Alviverde (Ubatuba-SP)
  • Mancha Alviverde (Manaus-AM)
  • Mancha Alviverde (Salvador-BA)
  • Mancha Alviverde (Aracaju-SE)
  • Mancha Alviverde (Serra-SE)
  • Mancha Alviverde (Maranhão-MA)
  • Mancha Alviverde (Uberaba-MG)
  • Mancha Alviverde (Uberlândia-MG)
  • Mancha Alviverde (Catanduva-SP)
  • Mancha Alviverde (Santo Antonio do Pinhal-SP)
  • Mancha Alviverde Movimento Santa Catarina
  • Mancha Alviverde (Jaú-SP)
  • Mancha Alviverde Baixada (Praia Grande-SP)
  • Mancha Alviverde Poços de Caldas
  • Mancha Alviverde Sub Sede - Mancha Vale (Taubaté-SP)

Presidentes

  • Dorival Menezes (83/84)
  • Nelson Ferraz da Silva Barros (Atibaia) (85/86)
  • Cléo Sóstenes Dantas Silva (87/88)
  • Moacir Bianchi (89/90)
  • Ricardo Raphael Rodrigues (91/92)
  • Paulo Rogério de Aquino (93 a 98)
  • Robertinho (98 a 2000)
  • Jânio (2001 a 2004)
  • Angelo (2004)
  • Luizinho (2005)
  • Jânio (2006 a 2008)
  • André Guerra (2008 a 2012)
  • Marcos Ferreira (2012 a 2015)
  • Nando Nigro (2015 - presente)

Referências

  1. Ciro Campos e Glauco de Pierri (2 de março de 2017). «Após assassinato de fundador, Mancha Alviverde anuncia fim das atividades». Consultado em 2 de março de 2017 
  2. Estadão Conteúdo (4 de março de 2017). «Mancha Verde volta atrás sobre encerramento». Consultado em 4 de março de 2017 

Ligações externas