Marcelo Gallardo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados de Gallardo, veja Gallardo (desambiguação).
Marcelo Gallardo
Marcelo Gallardo
Gallardo em 2019.
Informações pessoais
Nome completo Marcelo Daniel Gallardo
Data de nasc. 18 de janeiro de 1976 (43 anos)
Local de nasc. Merlo, Argentina
Nacionalidade argentino
Altura 1,70 m
Destro
Apelido El Muñeco
Informações profissionais
Equipa atual River Plate
Posição Ex-meia
Função Técnico
Clubes profissionais12
Anos Clubes Jogos (golos)
1992–1999
1999–2003
2003–2006
2007
2008
2009–2010
2010–2011
River Plate
Monaco
River Plate
Paris Saint-Germain
D.C. United
River Plate
Nacional
0109 000(17)
0102 000(18)
0063 000(21)
0022 0000(2)
0015 0000(4)
0019 0000(6)
0015 0000(3)
Seleção nacional3
1994–2003 Argentina 0044 000(14)
Times/Equipas que treinou3
2011–2012
2014–
Nacional
River Plate
Medalhas
Jogos Pan-Americanos
Ouro Mar del Plata 1995 Futebol
Jogos Olímpicos
Prata Atlanta 1996 Equipe
Última atualização: 6 de junho de 2014.

Marcelo Daniel Gallardo, mais conhecido como Marcelo Gallardo (Merlo, Argentina, 18 de janeiro de 1976), é um técnico e ex-futebolista argentino. Atualmente comanda a equipe do do River Plate.

Como jogador, foi um brilhante meio-campista e representou a Argentina em duas Copas do Mundo. Ele está empatado com Ramón Díaz no posto de técnico mais vitorioso da história do River.

Carreira como jogador[editar | editar código-fonte]

River Plate[editar | editar código-fonte]

Apelidado de El Muñeco, Gallardo começou sua carreira de jogador na temporada 1992-93 com River Plate e venceu três Torneios Apertura argentino (93, 94 e 96), 1 Torneio Clausura argentino (1997) e 1 Copa Libertadores em 1996.

A primeira boa passagem dele com Los Millonarios durou até a temporada 1998-99. Até lá ele havia disputado 109 jogos oficiais, marcando 17 gols.

Monaco[editar | editar código-fonte]

Em 1999, tranferiu-se para o Monaco. Na sua primeira temporada na Europa, Gallardo provou seu valor e jogou 28 partidas, marcando 8 gols e formando uma dupla fatal com Ludovic Giuly no meio-campo.

Na temporada seguinte, conquistou seu 1º título da Première Division e da Trophée des Champions com o Monaco.

O time contava com grandes jogadores de nome, como Barthez, Sagnol, Panucci, Giuly, Trezeguet, Rafa Márquez e Riise. O Monaco obteve sucesso nacional e ficou evidente que Gallardo foi um dos principais craques, tendo conquistado o título de melhor jogador do ano na Liga Francesa.

Porém, na sua terceira temporada, as coisas não foram muito bem. Gallardo estava descontente com o treinador Didier Deschamps[1] depois de ter ficado no banco na metade da temporada 2000-01. Seguindo os exemplos de Panucci e Simone, Gallardo decidiu sair do Monaco no final da temporada.

Volta ao River Plate[editar | editar código-fonte]

Depois de jogar 75 partidas e marcar 17 gols pelo Monaco, Gallardo retorna ao seu antigo clube como capitão do time. Ajudou sua equipe a ganhar outro torneio Clausura em 2004.

Seu contrato era válido até o final da temporada 2005-06.

Paris Saint-Germain[editar | editar código-fonte]

Em janeiro de 2007, Marcello Gallardo assinou por 2 anos com o Paris Saint-Germain. Estreou no dia 7 de janeiro, na vitória por 3 a 0 em cima do Nîmes, pela Copa da França.

DC United[editar | editar código-fonte]

Para a temporada de 2008, assinou com a equipe estadunidense DC United.[2] Nessa equipe conquistou a US Open Cup.[3]

Terceira passagem pelo River Plate[editar | editar código-fonte]

Em 2009, retornou ao River Plate. No dia 13 de maio de 2010 anunciou o fim do seu ciclo no River Plate.[4]

Nacional[editar | editar código-fonte]

Em 2010 acertou com o Nacional do Uruguai. Em sua segunda partida, contra Bella Vista, Gallardo sofreu uma grave lesão no joelho direito, ficando quase 5 meses fora dos gramados.

Em fevereiro de 2011, Gallardo retorna aos gramados, justamente contra o Bella Vista. Marcou seu primeiro gol pelo Nacional contra o Miramar Misiones, em partida válida pelo Torneio Clausura do Uruguai. Conquistou o Campeonato Uruguaio dessa temporada e, nesse mesmo ano, encerrou a carreira como jogador.[5]

Carreira como técnico[editar | editar código-fonte]

Nacional[editar | editar código-fonte]

No dia 29 de junho de 2011, Gallardo iniciou sua carreira de treinador sendo anunciado oficialmente como o novo treinador do Nacional do Uruguai.[6] Fez sua estreia oficial em 14 de agosto de 2011, no campeonato uruguaio, e empatou com o River Plate do Uruguai em 3–3.[7] Em 5 de dezembro de 2011, conquistou o seu primeiro título, o Campeonato Uruguaio (Apertura) com o Nacional.[8] Em seguida, conquistou o Campeonato Uruguaio 2011–12. Após o título, por questões familiares, Gallardo anunciou que não comandaria o Nacional na próxima temporada.[9]

River Plate[editar | editar código-fonte]

Em 2014, tornou-se treinador do River Plate e, nesse mesmo ano, conquistou a Copa Sul-Americana.[10] Em 11 de fevereiro de 2015, conquistou com o River Plate a Recopa Sul-Americana ao vencer as duas partidas disputadas contra o rival San Lorenzo, ambas por 1–0.[11] Em 26 de março de 2015 conquistou com o River Plate a Supercopa Euroamericana com uma vitória de 1–0 sobre o clube espanhol Sevilla. Na noite de 06 de Agosto de 2015, Muñeco conquistou a Copa Libertadores da América, comandando o River Plate. Enfrentando a equipe Mexicana do Tigres, a equipe de Gallardo empatou em 0–0 a primeira partida no México, no Monumental de Nuñez venceu por 3–0 e sagrou-se campeão da Libertadores, sendo este o terceiro título do River Plate.E em 2018 o River conquistou novamente a Libertadores na "La Gran Final" em cima do Boca Juniors no primeiro jogo na Bombonera empataram por 1-1 e no segundo jogo no Santiago Bernabéu vencerem por 3-1 na prorrogação (1-1 no tempo regulamentar) [12]Com o título, Gallardo se tornou o quinto argentino a vencer a Copa Libertadores como jogador e como treinador, ao lado de Humberto Maschio, Roberto Ferreiro, José Omar Pastoriza e Nery Pumpido.[13]. No dia 23 de outubro de 2018, houve uma festa no Monumental de Nuñez, quando o River Plate enfrentou o Grêmio, devido aos 5 anos do treinador, nas redes socais, os torcedores criaram a hashtag #5añosDeGallardo.

Seleção Argentina[editar | editar código-fonte]

Gallardo estreou pela Seleção Argentina em 1994, contra a Seleção do Chile, e depois disputou 43 partidas, marcando 14 gols.

Pela Seleção Argentina disputou as copa de 1998 e 2002, conquistou a medalha de ouro nos Jogos Pan-americanos de 1995, a medalha de prata nos Jogos Olímpicos de 1996, o Campeonato Mundial Sub-20 em 1997 e o vice-campeonato na Copa das Confederações de 1995.

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Como técnico[editar | editar código-fonte]

Atualizado até 22 de dezembro de 2018.

Clube Jogos Vitórias Empates Derrotas Aproveitamento
Nacional 39 23 7 9 64.96%
River Plate 231 119 66 46 61.04%

Títulos[editar | editar código-fonte]

Como jogador[editar | editar código-fonte]

River Plate
Monaco
Paris Saint-Germain
D.C. United
Nacional
Seleção Argentina

Como técnico[editar | editar código-fonte]

Nacional
River Plate

Campanhas de destaque[editar | editar código-fonte]

Como jogador[editar | editar código-fonte]

Seleção Argentina

Como técnico[editar | editar código-fonte]

River Plate

Prêmios individuais[editar | editar código-fonte]

Notas[editar | editar código-fonte]

  • Como jogador, Marcelo Gallardo foi campeão por todos os times pelos quais passou.
  • Como treinador, até o momento, repete a performance como jogador.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

|group2= Grandes técnicos |list2= Arsène Wenger Claude Puel Claudio Ranieri Didier Deschamps Gérard Banide Jean Tigana Leonardo Jardim Lucien Leduc Lucien Muller Ricardo Gomes

|group3=Grandes Jogadores |list3= Adebayor Amoros Barthez Bellone Benarbia Bernardi Biancheri Bijotat Bolívar Christanval Courbis Dalger Djetou Djorkaeff Douis Ettori Evra Fabinho Falcao García Forcherio Gallardo Germain Giuly Givet Henry Hidalgo James Rodríguez João Moutinho Klinsmann Lamouchi Lemar Léonard Ludo Maicon Márquez Mbappé Nenê Ninot Onnis Petit Puel Raggi Roma Ruffier Saviola Scifo Sonny Anderson Squillaci Subašić Trezeguet Thuram Touré Weah

|group4=Rivalidades |list4= Derby de la Côte d'Azur


|group5=Títulos |list5= 7 Campeonatos Francês 5 Copa da França 1 Copa da Liga Francesa 4 Supercopa da França 1 Copa Charles Drago 2 Copa Gambardella

|group6= Destaques |list6= Liga dos Campeões da UEFA de 2003-04: Vice-campeão • Recopa Europeia :Vice-campeão

|group7= Temporadas |list7= 2016–17 2017–18

}}