Antonio Mohamed

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Antonio Mohamed
Antonio Mohamed
Mohamed em 2018
Informações pessoais
Nome completo Antonio Ricardo Mohamed Matijevich
Data de nasc. 2 de abril de 1970 (52 anos)
Local de nasc. Buenos Aires, Argentina
Nacionalidade argentino
mexicano
Altura 1,74 m
destro
Apelido El Turco
Informações profissionais
Clube atual sem clube
Posição ex-atacante
Função treinador
Clubes de juventude
Vélez Sarsfield
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos)
1988–1991
1991–1994
1991–1992
1992–1993
1994–1998
1998–2000
2000
2001
2001–2002
2002
2003
Huracán
Fiorentina
Boca Juniors (emp.)
Independiente (emp.)
Toros Neza
Monterrey
Marte
Irapuato
Atlante
Celaya
Zacatepec
00109 000(41)
00015 0000(4)
00026 0000(2)
00180 000(40)
00058 000(12)
00020 000(12)
00016 0000(2)
00024 0000(1)
00023 0000(1)
00016 0000(1)
00000 0000(0)
Seleção nacional
1991 Argentina 00004 0000(1)
Times/clubes que treinou
2003–2004
2004
2004–2005
2005
2005–2006
2006–2007
2007–2008
2008–2010
2010–2011
2011–2013
2013
2014
2015–2018
2018
2018–2019
2019–2020
2022
Zacatepec
Monarcas Morelia
Querétaro
Jaguares
Huracán
Huracán
Veracruz
Colón
Independiente
Tijuana
Huracán
América
Monterrey
Celta de Vigo
Huracán
Monterrey
Atlético Mineiro
Última atualização: 22 de julho de 2022

Antonio Ricardo Mohamed Matijevich (Buenos Aires, 2 de abril de 1970), também conhecido como El Turco, é um treinador e ex-futebolista argentino que atuava como atacante. Atualmente está sem clube. É considerado o maior ídolo do período decadente do tradicional Huracán, do qual é torcedor assumido e onde conseguiu acessos da segunda divisão à primeira como jogador (em 1990) e como treinador (em 2007).[1]

Carreira como jogador[editar | editar código-fonte]

Apelidado de El Turco por causa de sua ascendência sírio-libanesa, Mohamed começou a carreira como jogador no Huracán, estreando em 11 de junho de 1988 no time adulto. Tradicionalmente visto como o "sexto grande" argentino, o clube estava há dois anos na segunda divisão. Sua qualidade foi logo reconhecida a ponto de ele aparecer nas seleções argentinas juvenis a partir de 1989, mesmo com o acesso não vindo.[1]

A volta à primeira divisão veio na temporada 1989–90, com Mohamed inclusive marcando o gol que garantiu o título da segunda de modo antecipado. A boa fase manteve-se na temporada 1990–91 na elite argentina, na qual Mohamed sobressaiu-se também pelo chamativo visual metrossexual, sendo um dos precursores de adereços como munhequeiras, tiaras nos cabelos, colantes coloridos por baixo dos calções. Ele estreou pela seleção adulta ainda em 19 de fevereiro de 1991, no primeiro jogo da Argentina após a Copa do Mundo FIFA de 1990. Marcou um gol naquela ocasião, na vitória de 2 a 0 sobre a Hungria.[1]

Mohamed terminou convocado à Copa América de 1991, mas só foi utilizado na última partida da fase de grupos, contexto em que a Argentina já se encontrava classificada antecipadamente e o treinador Alfio Basile optou por poupar titulares. El Turco perdera a posição para a revelação Gabriel Batistuta, mas, com o título (o primeiro da Seleção em 32 anos na competição), terminou contratado pela Fiorentina juntamente com ele e Diego Latorre. A diminuta vaga para estrangeiros, contudo, fez a equipe italiana optar por manter apenas Batistuta, emprestando Mohamed e Latorre ao Boca Juniors.[1]

No Boca, ele teve um bom início e conseguiu uma convocação final à seleção para uma partida contra o Resto do Mundo em 29 de outubro. Mas entrou em conflito com a torcida do novo clube a dois dias daquela partida, quando teria falhado propositalmente em chance clara de gol em um primeiro encontro como adversário do Huracán. O lance lhe marcou negativamente e ele ficou meses sem jogar, perdendo espaço também na seleção. Ao fim da temporada 1991–92, seu empréstimo foi redirecionado ao Independiente. No Rojo, ficou por uma temporada e meia, integrando o elenco vice-campeão do Clausura 1993 e que terminou o Apertura 1993 a dois pontos do título.[1]

No início de 1994, El Turco começou sua trajetória no futebol mexicano. No "país dos Astecas", Mohamed atuou em várias equipes: Toros Neza, Monterrey, Marte, Irapuato, Atlante e Celaya. Despediu-se como jogador em 2003, no inexpressivo Zacatepec.

Carreira como treinador[editar | editar código-fonte]

Início[editar | editar código-fonte]

Em 2004, iniciou a carreira de treinador pelo mesmo clube onde começou a carreira de atleta, o Huracán. Comandou também o Zacatepec, seu último clube como jogador, Morelia, Querétaro, Jaguares de Chiapas e Veracruz.

Bons trabalhos na Argentina[editar | editar código-fonte]

Mohamed teve um primeiro ciclo no Huracán em 2005, novamente com o clube há dois anos buscando sair da segunda divisão. O acesso à primeira veio na temporada 2006–07, com o festejo marcado pela emoção do treinador, que havia perdido seu filho Farid em acidente automobilístico na Alemanha um ano antes, quando ambos acompanhavam presencialmente a Copa do Mundo FIFA de 2006. El Turco inicialmente voltou ao Veracruz, mas logo voltou a seu país para assumir o Colón. Conseguiu classificar a equipe santafesina à fase preliminar da Copa Libertadores da América de 2010.[1]

Em 2010, ele voltou ao Independiente no dia 4 de outubro, em meio a uma campanha péssima do Rojo no Apertura.[1] Em paralelo, o clube se mantinha na Copa Sul-Americana de 2010. Em 8 de dezembro, El Turco conquistou o título continental. Na final contra o Goiás, o clube argentino perdeu o primeiro jogo, em Goiânia, por 2 a 0,[2] mas venceu por 3 a 1 no jogo da volta, em Buenos Aires. Após o tempo normal, a partida foi levada para a prorrogação e o Independiente sagrou-se campeão na disputa por pênaltis.[3]

Na ocasião, o tradicional time de Avellaneda encerrou oito anos de jejum geral e quinze anos de jejum continental, enfoque que em contrapartida acarretou em campanha desleixada no restante do Apertura. A baixa pontuação pesaria no sistema de promedios para o inédito rebaixamento consumar-se em 2013. Mohamed deixou o Independiente muito antes da queda, acertando ainda em 2011 com o Tijuana. Na rodada final do Clausura 2011, um confronto direto com o Huracán na rodada final fez público e mídia rememorarem o lance de vinte anos antes, pois seu antigo clube brigava contra novo rebaixamento, pairando-se suspeitas de novo favorecimento. O Independiente, contudo, ganhou por 5 a 1, embora Mohamed se mostrasse visivelmente desconfortável.[1]

Bons trabalhos no México[editar | editar código-fonte]

De volta ao México, Mohamed ergueu em 2012 o primeiro título mexicano da história do Tijuana. A conquista classificou a equipe pela primeira vez à Copa Libertadores da América, para a edição de 2013. Nela, o clube despertou atenção no Brasil ao quase eliminar o futuro campeão Atlético Mineiro nas quartas de final, no famoso pênalti defendido nos instantes finais pelo goleiro Victor.[4][1]

Inicialmente, Mohamed voltou ao Huracán, que uma vez mais estava na segunda divisão. Dessa vez, não teve frutos, mas seu renome entre os mexicanos rendeu uma oferta do América, onde terminou como campeão nacional em 2014. O título encerrou nove anos de jejum do clube, mas El Turco não seguiu nele; em 2015, regressou ao Monterrey para três anos de trabalho. Nos Rayados, foi inicialmente duas vezes vice-campeão.[1]

Má fase[editar | editar código-fonte]

Mohamed assumiu o Celta de Vigo no dia 1 de julho de 2018. Permaneceu no cargo até novembro, onde comandou a equipe em 13 partidas. Também não colheu sucesso em um novo regresso ao Huracán, eliminado na fase de grupos da Copa Libertadores da América de 2019.[1]

Monterrey[editar | editar código-fonte]

Em dezembro de 2019, levou o Monterrey à conquista do Apertura da Liga MX. A equipe dos Rajados não conquistava o título desde 2010. A vitória foi especial para El Turco (que não conteve as lágrimas de emoção), pois foi a concretização de uma antiga promessa ao seu filho, falecido em 2006, de conquistar o campeonato pelo Monterrey.[5][6]

Mohamed também foi o comandante da equipe mexicana na Copa do Mundo de Clubes da FIFA de 2019, em que o Monterrey ficou com o 3ª lugar.[7]

Atlético Mineiro[editar | editar código-fonte]

Foi anunciado oficialmente pelo Atlético Mineiro no dia 13 de janeiro de 2022, assinando contrato até 31 de dezembro, com opção de renovação.[8] El Turco assumiu a equipe após a saída de Cuca, que deixou o Galo em dezembro.[9] Conquistou seu primeiro título pelo clube no dia 20 de fevereiro, contra o Flamengo, em partida válida pela Supercopa do Brasil realizada na Arena Pantanal. Depois de um empate por 2 a 2 no tempo normal, com Nacho Fernández e Hulk marcando para o Atlético, o Galo venceu por 8–7 na disputa por pênaltis.[10] Alcançou sua segunda conquista com o clube no Campeonato Mineiro, quando superou o rival Cruzeiro na final por 3 a 1, com dois gols do atacante Hulk e um do meia Nacho Fernández. O triunfo veio no dia de seu aniversário de 52 anos, fazendo com que El Turco chegasse a dois títulos e uma derrota no currículo até então pelo Galo.[11] Foi desligado do cargo de treinador do Atlético no dia 22 de julho de 2022, após uma série de maus resultados no Campeonato Brasileiro e a eliminação nas oitavas de final da Copa do Brasil.[12]

Jogos[editar | editar código-fonte]

Legenda:      Vitória /      Empate/      Derrota

Data Competição Local Placar Adversário Ref.
2022
1 26 de janeiro Campeonato Mineiro Nova Lima  1–1  Villa Nova [13][14]
2 29 de janeiro Campeonato Mineiro Belo Horizonte  3–0  Tombense
3 2 de fevereiro Campeonato Mineiro Uberlândia  0–4  Uberlândia
4 6 de fevereiro Campeonato Mineiro Belo Horizonte  3–0  Patrocinense
5 9 de fevereiro Campeonato Mineiro Patos de Minas  1–0  URT
6 12 de fevereiro Campeonato Mineiro Belo Horizonte  0–2  América
7 16 de fevereiro Campeonato Mineiro Belo Horizonte  1–0  Athletic
 8  20 de fevereiro Supercopa do Brasil Cuiabá  2–2 

 P (8–7) 

Flamengo
9 26 de fevereiro Campeonato Mineiro Pouso Alegre  2–3  Pouso Alegre
10 5 de março Campeonato Mineiro Belo Horizonte  2–1  Cruzeiro
11 12 de março Campeonato Mineiro Governador Valadares  0–1  Democrata
12 19 de março Campeonato Mineiro Belo Horizonte  3-0  Caldense
13 23 de março Campeonato Mineiro Belo Horizonte  2-0  Caldense
14 27 de março Campeonato Mineiro Belo Horizonte  3-0  Caldense
 15  03 de abril Campeonato Mineiro Belo Horizonte  3-1  Cruzeiro
16 06 de abril Copa Libertadores Ibagué - COL  0–2  Tolima
17 10 de abril Campeonato Brasileiro Belo Horizonte  2-0  Internacional
18 13 de abril Copa Libertadores Belo Horizonte  1–1  América
19 17 de abril Campeonato Brasileiro Curitiba  0–1  Athletico Paranaense
20 20 de abril Copa do Brasil Belo Horizonte  3-0  Brasiliense
21 23 de abril Campeonato Brasileiro Belo Horizonte  2–2  Coritiba
22 26 de abril Copa Libertadores Quito - EQU  1–1  Ind. Del Valle

Estatísticas como treinador[editar | editar código-fonte]

Atualizadas até 22 de julho de 2022

Clube Início Até Jogos
J V E D GP GC SG %
Zacatepec Julho de 2003 Janeiro de 2004 30 14 8 8 56 38 +17 55.56
Monarcas Morelia 24 de fevereiro de 2004 30 de junho de 2004 13 6 2 5 20 25 -5 51.28
Querétaro Julho de 2004 Fevereiro de 2005 29 12 9 8 55 49 +6 51.72
Chiapas Fevereiro de 2005 Abril de 2005 6 1 2 3 4 7 -3 27.77
Veracruz 9 de outubro de 2007 27 de janeiro de 2008 8 2 2 4 7 18 -11 33.33
Colón 19 de março de 2008 21 de setembro de 2010 97 36 32 29 137 125 +12 48.11
Independiente 4 de outubro de 2010 4 de setembro de 2011 47 14 18 15 60 56 +4 42.55
Tijuana 19 de setembro de 2011 24 de maio de 2013 84 36 32 16 109 82 +27 55.56
América 17 de dezembro de 2013 14 de dezembro de 2014 46 23 10 13 81 46 +35 57.24
Celta de Vigo 22 de maio de 2018 12 de novembro de 2018 13 3 6 4 23 21 +2 38.46
Huracán 28 de dezembro de 2018 23 de abril de 2019 123 49 29 45 161 144 +17 47.70
Monterrey 9 de outubro de 2019 25 de novembro de 2020 225 106 61 58 88 65 +23 56.14
Atlético Mineiro 13 de janeiro de 2022 22 de julho de 2022 45 27 13 5 77 36 +41 69.63

Títulos[editar | editar código-fonte]

Como jogador[editar | editar código-fonte]

Huracán
Seleção Argentina

Como treinador[editar | editar código-fonte]

Independiente
Tijuana
América
Monterrey
Atlético Mineiro

Prêmios individuais[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e f g h i j k «50 anos de Antonio "Turco" Mohamed, o maior ídolo do Huracán decadente». Futebol Portenho. 2 de abril de 2020. Consultado em 21 de janeiro de 2022 
  2. Thiago Arantes (1 de dezembro de 2010). «Goiás vence Independiente e fica perto de primeiro título internacional». ESPN Brasil. Consultado em 13 de janeiro de 2022 
  3. «Nos pênaltis, Independiente quebra jejum e acaba com sonho do Goiás». Terra. 9 de dezembro de 2010. Consultado em 13 de janeiro de 2022 
  4. «Victor pega pênalti aos 48 da etapa final, e Atlético-MG está na semifinal». GloboEsporte.com. 30 de maio de 2013. Consultado em 29 de janeiro de 2022 
  5. «Atlético-MG: 'Turco' Mohamed emocionou o mundo ao cumprir promessa a filho falecido no Monterrey». O Globo. 13 de janeiro de 2022 
  6. João Victor Pena (13 de janeiro de 2022). «'El Turco' Mohamed cumpriu promessa emocionante a filho no Monterrey». Superesportes 
  7. Rômulo Soares (13 de janeiro de 2022). «Novo técnico do Atlético tem história emocionante envolvendo seu filho e o Monterrey». Mais Minas. Consultado em 29 de janeiro de 2022 
  8. «El Turco na área: Antonio Mohamed é o novo técnico do Galo». Site oficial do Atlético Mineiro. 13 de janeiro de 2022. Consultado em 22 de julho de 2022 
  9. Victor Martins (28 de dezembro de 2021). «Cuca entrega o cargo e não será o treinador do Atlético-MG em 2022». UOL. Consultado em 22 de julho de 2022 
  10. «Atlético-MG supera o Flamengo nos pênaltis e conquista a Supercopa do Brasil». Terra. 20 de fevereiro de 2022. Consultado em 22 de julho de 2022 
  11. Victor Martins (3 de abril de 2022). «Turco Mohamed festeja aniversário de 52 anos com 2º título pelo Atlético-MG». UOL. Consultado em 22 de julho de 2022 
  12. «Turco Mohamed é demitido pelo Atlético-MG». ge. 22 de julho de 2022. Consultado em 22 de julho de 2022 
  13. «Tabela - Clube Atlético Mineiro». Site oficial do Atlético Mineiro. Consultado em 27 de fevereiro de 2022 
  14. «Antonio Mohamed perfil do treinador e atualizações de estatísticas ao vivo». SofaScore. Consultado em 27 de fevereiro de 2022 
  15. Quem é Antonio Mohamed, o El Turco, novo técnico do Atlético-MG
  16. Antonio Mohamed fue elegido como el mejor entrenador del fútbol mexicano
  17. Campeonato Mineiro 2022: seleção tem cinco jogadores do Cruzeiro e quatro do Atlético-MG; Edu é o craque

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Antonio Mohamed