Tchê Tchê

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Tchê Tchê
Tchê Tchê
Tchê Tchê jogando pelo Palmeiras em 2017
Informações pessoais
Nome completo Danilo das Neves Pinheiro
Data de nasc. 30 de agosto de 1992 (30 anos)
Local de nasc. São Paulo (SP), Brasil
Nacionalidade brasileiro
Altura 1,75 m
destro
Apelido Motorzinho
Informações profissionais
Clube atual Botafogo
Número 6
Posição volante ou lateral-direito
Clubes de juventude
2006–2011 Audax
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos e gol(o)s
2011–2016
2014
2015
2015
2016–2018
2018–2019
2019–2022
2021–2022
2022–
Audax
Guaratinguetá (emp.)
Ponte Preta (emp.)
Boa Esporte (emp.)
Palmeiras
Dínamo de Kiev
São Paulo
Atlético Mineiro (emp.)
Botafogo
{{{jogos(golos)}}}

Danilo das Neves Pinheiro (São Paulo, 30 de agosto de 1992), mais conhecido como Tchê Tchê, é um futebolista brasileiro que atua como volante ou lateral-direito. Atualmente joga no Botafogo.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascido em São Paulo, Danilo morava em Guaianases, na zona leste de São Paulo quando jogava futsal no Juventus da Mooca, aos 14 anos. Inscrito por seu pai na Supercopa Compre Bem, conhecida por revelar jovens, Danilo não passou no primeiro ano de teste. Mas, no segundo ano, em que 15 mil jovens haviam se inscrito, Danilo passou pelos testes, sobrando apenas quatro atletas. Aprovado, ele passou a ser jogador do Pão de Açúcar, que futuramente, comprado pelo Grêmio Osasco, passou a se chamar Audax.[1]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Início[editar | editar código-fonte]

Revelado pelo Pão de Açúcar, Tchê Tchê foi emprestado para três times diferentes, sendo eles Guaratinguetá, Ponte Preta e Boa Esporte, antes de ganhar destaque ao retornar para o clube de Osasco, onde disputou o Campeonato Paulista de 2016. Peça chave do time de Fernando Diniz, Tchê Tchê foi titular em todas as partidas da competição e marcou um gol importante no campeonato, sendo ele contra o Corinthians, na semifinal, levando o time para a final.[2]

Em 2014 foi emprestado ao Guaratinguetá. Já em 2015, sendo chamado de Danilo Neves, foi emprestado à Ponte Preta e ao Boa Esporte. Em 2016, novamente como Tchê Tchê, reencontrou o bom futebol e se destacou na campanha do mesmo Audax que culminou no vice-campeonato estadual. Ao final da competição, o jogador foi eleito um dos melhores meias e a revelação do torneio.

Palmeiras[editar | editar código-fonte]

Após ser vice-campeão paulista pelo Audax,[3] o jovem foi eleito o melhor meia e a revelação do torneio estadual.[4] Tendo já assinado um pré-contrato com o Palmeiras durante o Campeonato Paulista, no dia 11 de maio o jogador se apresentou ao clube e assinou o contrato definitivo válido por três anos.[5]

Indicação da comissão técnica de Cuca, o atleta não sentiu o peso da camisa, superou as expectativas e, além da assiduidade em campo, mostrou versatilidade, intensidade, talento e presença de área para marcar gols. Ao todo, o camisa 32 somou 39 partidas e três gols no segundo semestre. Pelo Campeonato Brasileiro, atuou em 37 (das 38) rodadas. A única ausência do Motorzinho foi numa suspensão por três cartões amarelos. Além disso, foi eleito pela CBF o melhor meia do torneio.[6]

Estreou pelo clube logo na primeira rodada do Brasileirão, no dia 14 de maio, sendo titular na goleada de 4 a 0 contra o Atlético Paranaense.[7][8] Logo após o início do Campeonato Brasileiro, Tchê Tchê tornou-se peça fundamental no elenco do Palmeiras comandado por Cuca, por conta de sua velocidade e rapidez em campo, além se sua versatilidade, jogando em diversas posições.

Marcou seu primeiro gol pelo clube no dia 31 de agosto, na primeira partida do time pela Copa do Brasil, contra o Botafogo-PB. Após receber passe do argentino Agustín Allione dentro da pequena área, Tchê Tchê driblou o zagueiro do time paraibano e balançou as redes, sacramentando a vitória do time alviverde por 3 a 0.[9]

Tchê Tchê foi uns dos principais jogadores do Palmeiras no ano de 2016, quando o clube sagrou-se campeão brasileiro. Ele foi o "motorzinho" do time segundo o treinador Cuca, não atuando em apenas uma das 38 partidas do campeonato. Por tudo isso, não poderia ficar de fora da seleção do Campeonato Brasileiro naquele ano e foi cotado em algumas ocasiões para vestir a camisa da Seleção Brasileira, mas não teve sua oportunidade com o técnico Tite. O atleta também foi muito sondado por alguns clubes da Europa.[carece de fontes?]

Completou seu 100º jogo pelo Palmeiras no dia 10 de fevereiro de 2018, numa vitória por 2 a 0 sobre o Mirassol, válida pelo Campeonato Paulista.[10]

Dínamo de Kiev[editar | editar código-fonte]

Por 4,8 milhões de euros, o volante foi vendido ao Dínamo de Kiev, da Ucrânia, no dia 23 de maio de 2018.[11] Sagrou-se campeão da Supercopa da Ucrânia no dia 21 de julho, sendo titular e atuando os 90 minutos na vitória de 1 a 0 contra o Shakhtar Donetsk.

São Paulo[editar | editar código-fonte]

Em 1 de abril de 2019, acertou por quatro temporadas com o São Paulo.[12] Pelo Tricolor, fez parte do time que terminou em 4º lugar no Brasileirão de 2020.[13]

Teve uma discussão com o técnico Fernando Diniz no dia 6 de janeiro de 2021, na derrota do São Paulo por 4 a 2 para o Red Bull Bragantino, pela 28ª rodada.[14] Durante a partida, Diniz chamou o volante de "mascaradinho" e "perninha".[15][16] A frase não repercutiu bem, gerando debates sobre o limite do papel do técnico na área de trabalho.[17][18] Na ocasião, Diniz desculpou-se com o atleta.[19][20]

Em agosto, durante uma entrevista para o podcast Podpah, Tchê Tchê pronunciou-se pela primeira vez sobre o assunto:

Atlético Mineiro[editar | editar código-fonte]

No dia 6 de abril de 2021, acertou por empréstimo até maio de 2022 com o Atlético Mineiro.[23] O jogador foi bastante utilizado pelo técnico Cuca (com quem já havia trabalhado no Palmeiras) ao longo da temporada, chegando a fazer vários jogos como titular, embora tenha perdido a posição entre os 11 principais para o argentino Matías Zaracho. Ainda assim, mesmo no banco, foi constantemente acionado durante as partidas para a recomposição de meio-campo em substituições.

Ao final da temporada 2021, Tchê Tchê sagrou-se bicampeão brasileiro e conquistou a Tríplice Coroa Nacional com o clube mineiro, vencendo o Campeonato Mineiro de 2021, o Campeonato Brasileiro de 2021 e a Copa do Brasil de 2021.

Botafogo[editar | editar código-fonte]

Foi contratado pelo Botafogo em abril de 2022, assinando contrato em definitivo até dezembro de 2024.[24]

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Clubes[editar | editar código-fonte]

Atualizadas até 12 de abril de 2022

Clube Temporada Liga Copa Continental Outros Total
Jogos Gols Jogos Gols Jogos Gols Jogos Gols Jogos Gols
Audax 2011 1[a] 0 1 0
2012 24[a] 2 24 2
2013 42[b] 6 42 6
2014 10[c] 0 10 0
2016 19[c] 1 19 1
Total 96 9 96 9
Guaratinguetá 2014 15 0 15 0
Ponte Preta 2015 1 0 0 0 1 0
Boa Esporte 2015 3 0 3 0
Palmeiras 2016 37 2 2 1 39 3
2017 34 0 4 0 7[d] 0 8[c] 2 53 2
2018 1 0 0 0 3[d] 0 14[c] 0 18 0
Total 72 2 6 1 10 0 22 2 110 5
Dínamo de Kiev 2018–19 9 0 1 0 5[e] 0 1[f] 0 16 0
São Paulo 2019 35 1 2 0 37 1
2020 34 4 5 0 8[g] 0 11[c] 0 58 4
2021 3[c] 1 3 1
Total 69 5 7 0 8 0 14 1 98 6
Atlético Mineiro 2021 33 1 9 0 10[d] 0 5[h] 0 57 1
2022 0 0 0 0 1[d] 1 7[h] 0 8 1
Total 33 1 9 0 11 1 12 0 65 2
Total na carreira 201 8 24 1 34 1 145 12 404 22
  1. a b Jogo(s) do Campeonato Paulista - Série A2
  2. 23 jogos e quatro gols do Campeonato Paulista - Série A2, 19 jogos e dois gols da Copa Paulista
  3. a b c d e f Jogo(s) do Campeonato Paulista
  4. a b c d Jogo(s) da Copa Libertadores
  5. Um jogo da Liga dos Campeões da UEFA, quatro jogos da Liga Europa da UEFA
  6. Jogo da Supercopa da Ucrânia
  7. Seis jogos da Copa Libertadores, dois jogos da Copa Sul-Americana
  8. a b Jogo(s) do Campeonato Mineiro

Títulos[editar | editar código-fonte]

Palmeiras
Dínamo de Kiev
Atlético Mineiro

Prêmios individuais[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Dassler Marques (23 de abril de 2016). «Sensação do Audax, Tche Tche agradou Tite e veio de torneio de supermercado». UOL. Consultado em 24 de abril de 2022 
  2. Guilherme Yoshida (23 de abril de 2016). «Nos pênaltis, Corinthians perde do Audax e é eliminado do Paulista». Folha de S.Paulo. Consultado em 24 de abril de 2022 
  3. «Santistas aplaudem Audax pelo vice: 'Encheram o Brasil de orgulho'». Terra. 8 de maio de 2016. Consultado em 24 de abril de 2022 
  4. Diego Salgado (9 de maio de 2016). «Lucas Lima é eleito craque do Paulistão; Tchê Tchê, a revelação». UOL. Consultado em 24 de abril de 2022 
  5. Luan de Sousa (11 de maio de 2016). «Revelação do Paulista, Tchê Tchê assina por 3 anos: 'Oportunidade única'». Site oficial do Palmeiras. Consultado em 24 de abril de 2022 
  6. «Prêmio Brasileirão 2016: Tchê Tchê, Palmeiras». Confederação Brasileira de Futebol. 12 de dezembro de 2016. Consultado em 24 de abril de 2022 
  7. «Gabriel Jesus brilha, e Palmeiras goleia Atlético-PR na estreia do Brasileirão». ESPN Brasil. 14 de maio de 2016. Consultado em 24 de abril de 2022 
  8. Diego Salgado (14 de maio de 2016). «Com C. Xavier 'de volta', Palmeiras faz 4 a 0 e bate Atlético-PR na estreia». UOL. Consultado em 24 de abril de 2022 
  9. «Palmeiras vence bem o Botafogo-PB e dá enorme passo para a classificação». GloboEsporte.com. 31 de agosto de 2016. Consultado em 24 de abril de 2022 
  10. «Com brilho de Lucas Lima, Palmeiras vence Mirassol e se mantém 100%». UOL. 10 de fevereiro de 2018. Consultado em 24 de abril de 2022 
  11. Leandro Miranda (3 de junho de 2018). «Palmeiras concretiza venda de Tchê Tchê para o Dínamo de Kiev, da Ucrânia». UOL. Consultado em 24 de abril de 2022 
  12. «São Paulo anuncia contratação de Tchê Tchê». GloboEsporte.com. 1 de abril de 2019. Consultado em 24 de abril de 2022 
  13. «Tabela de Classificação do Brasileirão Série A 2020». Gazeta do Povo. Consultado em 24 de abril de 2022 
  14. «Desligado, São Paulo leva 4 a 2 do RB Bragantino e ainda mantém vantagem». UOL. 6 de janeiro de 2021. Consultado em 24 de abril de 2022 
  15. Paulo Soares (6 de janeiro de 2021). «Fernando Diniz se exalta com Tchê Tchê durante derrota: "Perninha do c*"». Metrópoles. Consultado em 24 de abril de 2022 
  16. «'Ingrato', 'mascaradinho': Tchê Tchê e Diniz discutem durante o jogo». LANCE!. 6 de janeiro de 2021. Consultado em 24 de abril de 2022 
  17. Luciano Trindade e Marcos Guedes (8 de janeiro de 2021). «Ofensas de Diniz geram incômodo e discussão sobre limites dos técnicos». Folha de S.Paulo. Consultado em 24 de abril de 2022 
  18. Matheus Fontes (1 de setembro de 2021). «Belmonte defende Diniz em tema 'perninha' e cobra Tchê Tchê: "Não fez o que tinha que fazer"; dirigente crê em rixa pessoal ao volante». Bolavip Brasil. Consultado em 24 de abril de 2022 
  19. «Diniz pede desculpas a Tchê Tchê e ao São Paulo: 'Foi um erro'». UOL. 10 de janeiro de 2021. Consultado em 24 de abril de 2022 
  20. «Diniz pede desculpa a Tchê Tchê por xingar o jogador na derrota para o Bragantino». Gazeta Esportiva. 10 de janeiro de 2021. Consultado em 24 de abril de 2022 
  21. «Tchê Tchê fala pela primeira vez sobre polêmica com Diniz: 'Não sou perninha'». IstoÉ. 31 de agosto de 2021. Consultado em 24 de abril de 2022 
  22. «Tchê Tchê relembra episódio de 'perninha' com Diniz: 'Não pegou bem para mim e para minha família'». ESPN Brasil. 31 de agosto de 2021. Consultado em 24 de abril de 2022 
  23. Guilherme Frossard (6 de abril de 2021). «Atlético-MG oficializa contratação de Tchê Tchê, do São Paulo, que assina por empréstimo». GloboEsporte.com. Consultado em 24 de abril de 2022 
  24. «Botafogo anuncia contratação do volante Tchê Tchê». GloboEsporte.com. 14 de abril de 2022. Consultado em 24 de abril de 2022 
  25. «Com seis palmeirenses e Cuca, veja como ficou a seleção da Bola de Prata». ESPN Brasil. 12 de dezembro de 2016. Consultado em 24 de abril de 2022 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]