Edu Dracena

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Edu Dracena
Edu Dracena
Dracena com o Palmeiras em 2016
Informações pessoais
Nome completo Eduardo Luís Abonízio de Souza
Data de nasc. 18 de maio de 1981 (41 anos)
Local de nasc. Dracena, São Paulo, Brasil
Nacionalidade brasileiro
italiano
Altura 1,87 m
destro
Apelido Edu Dracena
Informações profissionais
Clube atual aposentado
Posição zagueiro
Clubes de juventude
Guarani
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos e gol(o)s
1999–2003
2002–2003
2003–2006
2006–2009
2009–2014
2015
2016–2019
Guarani
Olympiacos (emp.)
Cruzeiro
Fenerbahçe
Santos
Corinthians
Palmeiras
{{{jogos(golos)}}}
Seleção nacional
2001
2004
2003–2007
Brasil Sub-20
Brasil Sub-23
Brasil
{{{partidasselecao}}}

Eduardo Luís Abonízio de Souza, mais conhecido como Edu Dracena (Dracena, 18 de maio de 1981), é um ex-futebolista brasileiro que atuava como zagueiro. Atualmente é gerente de futebol do Santos.[1]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Guarani[editar | editar código-fonte]

Nascido em Dracena, no interior de São Paulo, no dia 18 de maio de 1981, Eduardo Luiz Abonízio de Souza iniciou sua carreira de jogador no Guarani, em 1995, com apenas treze anos.

Após passar pelas categorias de base, estreou no profissional aos dezessete anos, em 1999, contra a Matonense, em derrota por 2 a 1.

Olympiacos[editar | editar código-fonte]

No dia 2 de julho de 2002, foi emprestado ao Olympiacos. Atuando na Grécia, o zagueiro teve dificuldades com o idioma.

Cruzeiro[editar | editar código-fonte]

Voltou ao Brasil em 2002, para o mesmo Guarani e, por indicação do Vanderlei Luxemburgo, foi contratado pelo Cruzeiro em fevereiro de 2003.

No clube de Belo Horizonte, conquistou três vezes o Campeonato Mineiro, em 2003, 2004 e 2006, a Copa do Brasil de 2003 e o Campeonato Brasileiro de 2003. Dois anos depois, sofreu séria contusão na partida final do Campeonato Mineiro contra o Ipatinga. Além de um vice-campeonato, Dracena sofreu com a contusão, que o deixou por quase sete meses afastado dos gramados.

Fenerbahçe[editar | editar código-fonte]

Dracena com o Fenerbahçe em 2007

Foi contratado pelo Fenerbahçe em agosto de 2006, por 5,7 milhões de euros (R$ 15,6 milhões), onde reencontrou o meia Alex, ex-companheiro de Cruzeiro.[2] Dracena permaneceu três anos na equipe e conquistou o Campeonato Turco de 2007.

Santos[editar | editar código-fonte]

Em 2009, rescindiu o contrato com o clube turco e recebeu várias propostas de clubes europeus (Edu Dracena tem cidadania italiana), porém, a sua vontade de atuar no Brasil foi maior e decidiu jogar pelo Santos, onde foi indicado pelo treinador Vanderlei Luxemburgo. Sua estreia aconteceu contra o Avaí em novembro daquele ano, após sete meses se recuperando de uma cirurgia no joelho.

2010[editar | editar código-fonte]

Após fazer um excelente Campeonato Paulista pelo Santos (onde foi campeão contra o Santo André), foi eleito pela Federação Paulista de Futebol o melhor zagueiro do torneio. Ainda naquele ano, viria a ser muito importante na conquista da Copa do Brasil, marcando o gol do título em pleno Barradão contra o Vitória.[3] Edu Dracena mostrou não ser apenas um ótimo zagueiro, mas também um líder dentro de campo, assumindo então o posto de capitão da equipe com a saída do Robinho. No segundo semestre a equipe do Santos, por já estar classificada para a Copa Libertadores da América de 2011, caiu de produção no Campeonato Brasileiro. Por consequência, a defesa da equipe foi duramente criticada nesse período por sofrer muitos gols. O time voltou a fazer boas atuações no final do ano, trazendo de volta a confiança da torcida.

2011[editar | editar código-fonte]

No Campeonato Paulista, apesar de um inicio turbulento, a equipe do Santos voltou a ter atuações de destaque, coroando-se bicampeão ao final da competição. Edu Dracena terminou o Campeonato sendo mais uma vez eleito o melhor zagueiro do torneio. Na Copa Libertadores da América, após más atuações na fase de grupos, a defesa do Santos cresceu de produção com a chegada do treinador Muricy Ramalho. Na fase de mata-mata, Edu voltou a fazer um gol importante, na semifinal contra o Cerro Porteño, no Estádio do Pacaembu, levando o Santos para mais uma final de Libertadores (que foi ganha diante do Penãrol, do Uruguai). Assim como no ano anterior, a equipe "tirou o pé" no Campeonato Brasileiro, focando na Copa do Mundo de Clubes da FIFA, que aconteceu em dezembro, e logo o setor defensivo voltou a ser criticado por levar quatro gols na final diante do Barcelona.[4]

2012[editar | editar código-fonte]

O ano de 2012 começou com um incentivo a mais para os jogadores do Santos, pois em abril aconteceria o centenário do clube. Nas primeiras partidas do ano, o técnico Muricy Ramalho utilizou o time reserva, pois os titulares se apresentaram depois, devido ao Mundial de Clubes. Com o time completo, mais uma vez o Santos mostrou a sua força no Campeonatos Paulista, tornando-se mais uma vez tricampeão, fato que não acontecia desde a década de 60, na Era Pelé. Pela terceira vez consecutiva Edu Dracena foi o melhor zagueiro do Paulistão. Apesar do ótimo início de temporada, Dracena acabou se contundindo na partida contra o Botafogo, válida pelo Campeonato Brasileiro, em julho. O retorno previsto para o capitão do Santos foi para o início de 2013.[5][6]

2013[editar | editar código-fonte]

No início do ano, Dracena, em fase final de recuperação, acabou poupado, junto com o lateral Léo, do amistoso de pré-temporada do Santos diante do Grêmio Barueri, no Estádio do Pacaembu.

Corinthians[editar | editar código-fonte]

No dia 21 de janeiro de 2015, após rescindir seu contrato com o Santos por conta de atrasos salariais,[7] foi oficialmente anunciado pelo Corinthians, assinando um contrato de dois anos.[8]

Pela equipe alvinegra, conquistou o Campeonato Brasileiro de 2015. Porém, ao final da competição, o jogador pediu ao clube a rescisão de seu contrato, alegando que não teve espaço no time.[9]

Palmeiras[editar | editar código-fonte]

Em 22 de dezembro, no mesmo dia em que conseguiu a rescisão de contrato junto ao Corinthians, o jogador acertou contrato com o maior rival do clube, o Palmeiras, por dois anos.[10]

Em 2016, sagrou-se campeão brasileiro pelo time alviverde, ajudando o clube a quebrar um tabu de 22 anos sem conquistar o Campeonato Brasileiro, durante o qual permaneceu a maior parte do tempo na suplência da dupla de zaga formada por Yerry Mina e Vitor Hugo. Com a saída do segundo, no ano seguinte disputou o Campeonato Brasileiro como titular, ajudando o clube a sagrar-se vice-campeão, atuando na maioria das partidas pelo lado esquerdo da zaga.

Em 2018, iniciou sua terceira temporada no Palmeiras realizando pré-temporada estendida, a fim de manter-se à disposição para o restante da temporada. Colecionou boas atuações ao lado de Antônio Carlos, ajudando o Palmeiras a sagrar-se decacampeão brasileiro.

No dia 5 de dezembro de 2019 fez seu último jogo, e curiosamente sua carreira encerrou-se no mesmo local onde havia começado, no Estádio Brinco de Ouro, do Guarani, clube que o revelou para o futebol.[11]

Aposentadoria[editar | editar código-fonte]

Dracena anunciou sua aposentadoria em entrevista coletiva no dia 4 de dezembro de 2019[12] e se despediu dos gramados no dia seguinte, após goleada do Palmeiras por 5 a 1 contra a equipe do Goiás, pela 37° rodada do Campeonato Brasileiro.

Seleção Nacional[editar | editar código-fonte]

Pela Seleção Brasileira, integrou o grupo na Copa das Confederações FIFA de 2003[13] e foi convocado em algumas outras oportunidades, tendo atuado em três partidas, uma em 2004, quando defendia o Cruzeiro, e outras duas em 2007, enquanto defendia o Fenerbahçe.

Pós-aposentadoria[editar | editar código-fonte]

Em dezembro de 2019, logo após se aposentar no Palmeiras, Dracena aceitou um convite para ser assessor técnico do clube. No novo cargo, o ex-zagueiro passou a atuar diretamente com os jogadores e a comissão técnica.[14]

Deixou o Palmeiras em outubro de 2021, aceitando convite para comandar o futebol do Santos.[15]

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Clubes[editar | editar código-fonte]

Atualizadas até 5 de dezembro de 2019

Clube Temporada Campeonato
nacional
Copa
nacional
Competições
continentais
Outros
torneios¹
Total
Jogos Gols Jogos Gols Jogos Gols Jogos Gols Jogos Gols
Corinthians 2015 16 2 1 0 4 0 12 0 33 2
Total 16 2 1 0 4 0 12 0 33 2
Palmeiras 2016 17 0 2 0 2 0 6 0 27 0
2017 25 0 4 0 6 0 13 0 48 0
2018 20 2 6 0 5 0 4 0 35 2
2019 6 0 2 0 0 0 10 1 18 1
Total 68 2 14 0 13 0 33 1 128 3
Total na carreira 84 4 15 0 17 0 45 1 161 5

¹Estão incluídos jogos e gols pelo Campeonato Paulista, torneios amistosos e amistosos

Títulos[editar | editar código-fonte]

Como jogador[editar | editar código-fonte]

Olympiacos
Cruzeiro
Fenerbahçe
Santos
Corinthians
Palmeiras
Seleção Brasileira Sub-20

Prêmios individuais[editar | editar código-fonte]

Como assessor técnico[editar | editar código-fonte]

Palmeiras

Referências

  1. «Edu Dracena aceita proposta e deixa o Palmeiras para comandar o futebol do Santos». GloboEsporte.com. 26 de outubro de 2021 
  2. «Cruzeiro vende Edu Dracena para clube turco». O Globo. 26 de agosto de 2006. Consultado em 26 de outubro de 2021 
  3. «Meninos do Brasil: Santos perde do Vitória, mas levanta caneco inédito». GloboEsporte.com. 4 de agosto de 2010. Consultado em 26 de outubro de 2021 
  4. «Barcelona arrasa o Santos por 4 a 0 e conquista o Mundial de Clubes». GZH. 18 de dezembro de 2011. Consultado em 26 de outubro de 2021 
  5. «Exame constata ruptura no ligamento, e Edu Dracena desfalca Santos por seis meses». ESPN.com.br. 19 de julho de 2012. Consultado em 26 de outubro de 2021 
  6. «Edu Dracena irá operar joelho e não joga mais em 2012». Gazeta do Povo. 19 de julho de 2012. Consultado em 26 de outubro de 2021 
  7. «Nota à imprensa». Sítio oficial Santos Futebol Clube. 15 de janeiro de 2015. Arquivado do original em 22 de janeiro de 2015 
  8. Carlos Augusto Ferrari e Marcelo Braga (21 de janeiro de 2015). «Reforço para a zaga, Edu Dracena assina por dois anos com o Timão». GloboEsporte.com. Consultado em 26 de outubro de 2021 
  9. «Corinthians anuncia rescisão de contrato do zagueiro Edu Dracena». GloboEsporte.com. 22 de dezembro de 2015. Consultado em 26 de outubro de 2021 
  10. «Chegou o xerife! Palmeiras anuncia a contratação de Edu Dracena». GloboEsporte.com. 22 de dezembro de 2015. Consultado em 26 de outubro de 2021 
  11. «Palmeiras goleia no Brinco de Ouro, encerra jejum e frustra sonho do Goiás». Superesportes. 5 de dezembro de 2019. Consultado em 26 de outubro de 2021 
  12. «Edu Dracena, do Palmeiras, vai se aposentar no final da temporada». GloboEsporte.com. 3 de dezembro de 2019. Consultado em 26 de outubro de 2021 
  13. «Parreira completa lista de jogadores para a Copa das Confederações». Imirante. 3 de junho de 2003. Consultado em 26 de outubro de 2021 
  14. «Zé Roberto troca de função no Palmeiras, e Edu Dracena vira assessor técnico do clube». GloboEsporte.com. 18 de dezembro de 2019. Consultado em 26 de outubro de 2021 
  15. «Edu Dracena aceita convite para chefiar o departamento de futebol do Santos e deixará o Palmeiras». ESPN.com.br. 26 de outubro de 2021 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]