Belletti

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Belletti
Belletti
Belletti em 2018
Informações pessoais
Nome completo Juliano Haus Belletti
Data de nasc. 20 de junho de 1976 (45 anos)
Local de nasc. Cascavel, Paraná, Brasil
Nacionalidade brasileiro
Altura 1,79 m[1]
destro
Informações profissionais
Equipa atual Cruzeiro
Posição ex-lateral-direito ou volante
Função auxiliar técnico
Clubes de juventude
1992–1994 Cruzeiro
Clubes profissionais
Anos Clubes
1994–1996
1996–2002
1999
2002–2004
2004–2007
2007–2010
2010–2011
Cruzeiro
São Paulo
Atlético Mineiro (emp.)
Villarreal
Barcelona
Chelsea
Fluminense
Seleção nacional
1995–2005 Brasil
Times/Equipas que treinou
2021– Cruzeiro (auxilar)
Medalhas
Copa do Mundo FIFA
Ouro Coréia-Japão Equipes

Juliano Haus Belletti (Cascavel, 20 de junho de 1976) é um ex-futebolista brasileiro que atuava como lateral-direito ou volante. Atualmente é integrante da comissão técnica fixa do Cruzeiro.[2]

Campeão mundial com a Seleção Brasileira na Copa do Mundo FIFA de 2002, Belletti ganhou o prêmio Bola de Prata da revista Placar como melhor meia-direita do Campeonato Brasileiro de 1999, jogando de forma improvisada na posição.

Belletti vestiu a camisa de sete equipes, conquistando incríveis 25 títulos. É o único jogador no mundo que tem em suas conquistas os títulos da Copa do Mundo FIFA, da Liga dos Campeões da UEFA, do Campeonato Espanhol, do Campeonato Inglês e do Campeonato Brasileiro.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Início no Cruzeiro[editar | editar código-fonte]

Começou como goleiro, posição em que seu pai Divaldo atuava profissionalmente na década de 1960 e 70. Jogou nessa posição no futsal até os 15 anos de idade, sendo campeão brasileiro, tricampeão paranaense e sendo considerado um dos melhores do país na posição. Nessa idade, em 1992, participou de uma 'peneirada' (teste para jogadores jovens) no Cruzeiro com outros 200 atletas. O curioso é que Belletti foi até Belo Horizonte para passar as férias de janeiro com o irmão Sandro, que era goleiro da equipe sub-20 do time mineiro. Mas como não tinha parentes na cidade, disse que iria participar da peneirada somente para poder dormir na Toquinha, concentração das categorias de base do clube. Fez o teste durante dez dias na posição de meia-esquerda, e para surpresa de todos, inclusive de seu pai, foi aprovado pelo então técnico do juvenil do Cruzeiro, Eduardo Amorim. O irmão Sandro encerrou a carreira naquele ano por problemas no joelho.[3]

Seu primeiro jogo na equipe profissional foi no dia 6 de novembro de 1994, com apenas 18 anos, no empate em 1 a 1 com o Bragantino, pelo Campeonato Brasileiro.[4] Um mês depois assinou seu primeiro contrato profissional. No ano seguinte, com 19 anos, Belletti ajudou o Cruzeiro a chegar na semifinal do Brasileirão e foi convocado (como volante) pela primeira vez para a Seleção Brasileira, comandada pelo técnico Zagallo, para um jogo contra a Argentina em Buenos Aires.

São Paulo[editar | editar código-fonte]

Em março de 1996, a pedido do técnico Telê Santana, o então volante foi comprado pelo São Paulo, em uma troca envolvendo cinco jogadores do tricolor paulista (Gilmar, Vítor, Donizete, Aílton e Palhinha) por dois do Cruzeiro (Belletti e Serginho).[5] Firmou-se como um dos principais jogadores da posição no país.

Em 1998, Belletti ficou onze meses sem jogar por uma lesão grave no púbis. Foram duas cirurgias, uma em janeiro e outra em maio. Fez a segunda por um erro médico na primeira. Naquele ano atuou somente em quatro partidas.

Atlético Mineiro[editar | editar código-fonte]

Em 1999, no final de abril, foi emprestado ao Atlético Mineiro. Jogando como volante e marcando gols, Belletti ajudou na conquista do Campeonato Mineiro. Aproveitando a fase artilheira, o técnico Darío Pereira colocou Belletti para jogar comer meia-direita. Com grandes atuações, conquistou a Bola de Prata da revista Placar como melhor meia-direita do Campeonato Brasileiro, em que seu time foi vice-campeão.

Retorno ao São Paulo[editar | editar código-fonte]

Em janeiro de 2000 voltou ao São Paulo, e numa conversa com o treinador Levir Culpi antes da estreia do tricolor no Torneio Rio-São Paulo, Belletti se ofereceu a ajudar o treinador, já que ele necessitava de um lateral-direito para aquela partida. Com atuações de alto nível, resolveu permanecer na posição. Após seis meses, foi convocado por Vanderlei Luxemburgo para a Seleção Brasileira pela primeira vez. Nessa posição foi convocado por Luiz Felipe Scolari, participou da eliminatórias para a Copa do Mundo FIFA de 2002 e fez parte do grupo pentacampeão do mundo, sendo reserva de Cafu. Após o mundial, Belletti foi contratado pelo Villarreal, da Espanha.[6]

Villarreal[editar | editar código-fonte]

Foram duas ótimas temporadas na equipe, conquistando a Copa Intertoto da UEFA de 2003 e chegando a semifinal da Copa da UEFA de 2004, competição que o clube disputava por primeira vez em sua história. Com um time extraordinário, com nomes como Pepe Reina, Fabricio Coloccini, Marcos Senna, Juan Román Riquelme e Sonny Anderson, Belletti destacou-se e foi contratado pelo Barcelona em 2004.[7]

Belletti atuando pelo Barcelona em 2006

Barcelona[editar | editar código-fonte]

Em três temporadas no Barcelona, comandado pelo holandês Frank Rijkaard, Belletti conquistou dois Campeonatos Espanhóis e tornou-se o herói da conquista da Liga dos Campeões da UEFA no dia 17 de maio de 2006, ao marcar o gol da vitória na final, em Paris, contra o Arsenal de Thierry Henry, Cesc Fàbregas e Gilberto Silva.[8][9][10] Renovou com o clube catalão no ano seguinte, assinando um novo contrato até junho de 2009.[11]

Chelsea[editar | editar código-fonte]

Em agosto de 2007, por indicação do treinador português José Mourinho, Belletti foi contratado pelo Chelsea e assinou por três temporadas.[12][13] Um dos gols que marcou pelo clube, no dia 12 de janeiro de 2008, contra o Tottenham, foi eleito o gol mais bonito da temporada.[14] No time inglês Belletti foi treinado por Felipão, Guus Hiddink, Carlo Ancelotti e Avram Grant. Jogou ao lado de craques como Didier Drogba, Claude Makélélé, Michael Ballack, Nicolas Anelka, Andriy Shevchenko, Petr Čech, Frank Lampard, entre outros.

Ganhou duas Copas da Inglaterra e uma Premier League, chegando também a final da Liga dos Campeões de 2007–08, em que o Chelsea perdeu para o Manchester United na disputa nos pênaltis.[15]

Fluminense[editar | editar código-fonte]

Em julho de 2010, de volta ao Brasil, Belletti assinou com o Fluminense por duas temporadas.[16] Conquistou o Campeonato Brasileiro daquele ano. No entanto, em março de 2011, devido ao fato de estar sofrendo muito com problemas graves nos tendões de Aquiles, rescindiu amigavelmente seu contrato com o clube.[17]

Aposentadoria[editar | editar código-fonte]

Alguns meses depois, Belletti chegou a assinar um contrato com o Ceará[18], mas seus problemas nos tendões de Aquiles o impediram de cumpri-lo. Rescindiu alguns dias depois, e no dia 27 de junho de 2011, anunciou oficialmente sua aposentadoria aos 35 anos.[19]

Seleção Brasileira[editar | editar código-fonte]

Em novembro de 1995, como volante, foi convocado pela primeira vez para a Seleção Brasileira pelo então técnico Zagallo. Depois, em 2000, voltou a Seleção como lateral-direito, convocado por Vanderlei Luxemburgo. Foram mais de 50 convocações. Em 2002 ele fez parte do plantel que foi campeão da Copa do Mundo FIFA, competição realizada na Coreia do Sul e no Japão. Ele atuou na semifinal contra a Turquia.

Gol pela Seleção[editar | editar código-fonte]

Gol Data Local Adversário Placar (Gol) Resultado Final Competição
1. 18 de julho de 2001 Estadio Pascual Guerrero, Cáli, Colômbia Paraguai 2–1 3–1 Copa América de 2001

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

O ex-jogador fundou e foi presidente de um time de futebol da sua cidade natal, Cascavel, no Paraná, o Futebol Clube Cascavel, de 2007 a 2011, e levou a equipe da 3ª a 1ª divisão do estado.

Belletti tem licença PRO de treinador de futebol, da CBF Academy. Também foi diretor geral e editorial da Revista Soccer entre 2011 e 2012, e também foi comentarista do canal SporTV de 2012 a 2016.[20]

É embaixador global do Barcelona e faz parte da equipe de ex-jogadores do time catalão, o BarçaLegends. Em 2002, Belletti recebeu o título de "Cavaleiro" da Ordem do Pinheiro do estado do Paraná em 2002; e no mesmo ano a prefeitura de Cascavel lhe concedeu o título de Cidadão Honorário da cidade.

De janeiro a outubro de 2017, Belletti foi diretor internacional de relações institucionais do Coritiba.[21][22]

Em setembro de 2020 foi anunciado como diretor de negócios internacionais do Cruzeiro[23], e em fevereiro de 2021 foi efetivado com assistente técnico fixo da equipe principal.[2]

Títulos[editar | editar código-fonte]

Cruzeiro
Atlético Mineiro
São Paulo
Villarreal
Barcelona
Chelsea
Fluminense
Seleção Brasileira

Referências

  1. «Juliano Belletti Profile, News & Stats». Premier League. 6 de janeiro de 2021. Consultado em 12 de junho de 2021 
  2. a b «Belletti muda de cargo e passa a ser auxiliar técnico fixo do Cruzeiro». Superesportes. 4 de fevereiro de 2021. Consultado em 12 de junho de 2021 
  3. Diogo Miloni. «Belletti - Que fim levou?». Terceiro Tempo. Consultado em 17 de setembro de 2021 
  4. Henrique Ribeiro, Almanaque do Cruzeiro, Belo Horizonte, 2007, página 408
  5. Henrique Ribeiro, Almanaque do Cruzeiro, Belo Horizonte, 2007, página 420
  6. «Villarreal sign Belletti» (em inglês). Sky Sports. Consultado em 17 de setembro de 2021 
  7. «Edmílson bound for Barcelona» (em inglês). UEFA.com. 29 de julho de 2004. Consultado em 17 de setembro de 2021 
  8. Edilson Pereira (7 de julho de 2014). «Zagueiro Belletti fez um gol antológico pelo Barcelona». Tribuna PR. Consultado em 26 de dezembro de 2019 
  9. «Dez anos depois, Belletti lembra gol na final e título do Barça na Champions». Redação SporTV. 17 de maio de 2016. Consultado em 26 de dezembro de 2019 
  10. Marcos Paulo Lima (17 de maio de 2016). «Há 10 anos, Belletti fazia o gol do segundo título do Barcelona na Champions League. Relembre outros brasileiros que balançaram a rede nas decisões». Blog Drible de Corpo. Consultado em 26 de dezembro de 2019 
  11. «Belletti renova contrato com o Barcelona até 2009». Trivela. 15 de março de 2007. Consultado em 17 de setembro de 2021 
  12. «Belletti é apresentado oficialmente no Chelsea». Trivela. 24 de agosto de 2007. Consultado em 17 de setembro de 2021 
  13. «Belletti diz por que trocou Barcelona pelo Chelsea: 'Premier League é diferente'». ESPN.com.br. 16 de outubro de 2018. Consultado em 17 de setembro de 2021 
  14. «Arsenal empata e perde a liderança do Inglês para o Manchester United». UOL. 12 de janeiro de 2008. Consultado em 17 de setembro de 2021 
  15. «Nos pênaltis, Manchester United bate Chelsea e conquista Liga». UOL. 21 de maio de 2008. Consultado em 17 de setembro de 2021 
  16. «Fluminense anuncia contratação de Belletti». Estadão. 13 de julho de 2010. Consultado em 2 de agosto de 2019 
  17. «Fluminense rescinde com Belletti». Estadão. 15 de março de 2011. Consultado em 2 de agosto de 2019 
  18. «Ceará acerta a contratação do veterano Belletti». Estadão. 15 de junho de 2011. Consultado em 18 de agosto de 2020 
  19. «Campeão do mundo, Belletti anuncia aposentadoria aos 35 anos». Terra. 27 de junho de 2011. Consultado em 2 de agosto de 2019 
  20. «Belletti deixa Sportv e acerta para trabalhar no futebol do Coritiba». UOL Esporte. 16 de dezembro de 2016. Consultado em 7 de março de 2020 
  21. Napoleão de Almeida (24 de julho de 2017). «Belletti contesta críticas e fala sobre estádio e patrocínio ao Coritiba». UOL. Consultado em 12 de junho de 2021 
  22. «Diretor de relações internacionais do Coritiba, Belletti pede demissão do clube paranaense». OneFootball. 26 de outubro de 2017. Consultado em 12 de junho de 2021 
  23. «Belletti aceita convite do Cruzeiro e será diretor de negócios internacionais». Superesportes. 7 de setembro de 2020. Consultado em 12 de junho de 2021 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Belletti