Andrés Iniesta

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Andrés Iniesta
Andrés Iniesta
Iniesta em 2017
Informações pessoais
Nome completo Andrés Iniesta Luján
Data de nasc. 11 de maio de 1984 (36 anos)
Local de nasc. Fuentealbilla, Espanha
Nacionalidade espanhol
Altura 1,71 m
destro
Apelido Don Andrés
Informações profissionais
Clube atual Vissel Kobe
Número 8
Posição Meio-campista
Clubes de juventude
1994–1996
1996–2001
Albacete
Barcelona
Clubes profissionais2
Anos Clubes Jogos e gol(o)s
2001–2003
2002–2018
2018–
Barcelona B
Barcelona
Vissel Kobe
0054 0000(5)
0674 000(57)
0060 000(12)
Seleção nacional3
2000
2000–2001
2001
2001–2002
2003
2003–2006
2006–2018
Espanha Sub-15
Espanha Sub-16
Espanha Sub-17
Espanha Sub-19
Espanha Sub-20
Espanha Sub-21
Espanha
0002 0000(0)
0007 0000(1)
0004 0000(0)
0007 0000(1)
0007 0000(3)
0018 0000(6)
0131 000(13)


2 Partidas e gols totais pelo
clube, atualizados até 30 de setembro de 2020.
3 Partidas e gols da seleção nacional estão atualizados
até 1 de julho de 2018.

Andrés Iniesta Luján (Fuentealbilla, 11 de maio de 1984) é um futebolista espanhol que atua como meio-campista. Atualmente joga no Vissel Kobe, do Japão.

Foi revelado e passou a maior parte da carreira no Barcelona, sendo considerado por muitos um dos meias mais habilidosos da história. Em 16 anos na equipe principal, conquistou nove títulos do Campeonato Espanhol, seis da Copa do Rei, quatro da Liga dos Campeões da UEFA e três do Mundial de Clubes da FIFA, entre muitos outros.

Dono de uma visão de jogo fantástica e de passes extremamente precisos, é considerado o maior jogador espanhol de todos os tempos e um dos melhores meias da história do futebol mundial. Foi finalista do prêmio FIFA Ballon d'Or em 2010 e 2012.

Pela Seleção Espanhola, fez parte do elenco que conquistou a Copa do Mundo de 2010, realizada na África do Sul, marcando o gol na final contra a Holanda. o primeiro título mundial da Espanha. Um outro destacável título de Iniesta pela Furia foi a Euro 2008, após um jejum de 44 anos sem um título espanhol neste torneio. Iniesta também ganhou a Euro 2012, tornando a Espanha a primeira bicampeã consecutiva do torneio em toda a história do futebol europeu, com a goleada por 4 a 0 contra a Itália na final da Euro 2012. esta última lhe rendendo a nomeação como melhor jogador da competição.

Seus 35 títulos oficiais o tornam o jogador espanhol mais condecorado de todos os tempos.[1]

Entre 2009 e 2017, ele foi nomeado por nove anos consecutivos na Seleção do Mundo da FIFPro e em seis na Equipe do Ano da UEFA. Iniesta venceu em 2012 o prêmio de Melhor Jogador da UEFA na Europa e em 2012 e 2013 foi eleito o melhor armador do mundo pela IFFHS.

Iniesta tem mais de 600 partidas pelo Barça, sendo mais de 400 delas pela Liga. É também o terceiro jogador com mais partidas pelo clube, atrás apenas de Lionel Messi e Xavi, respectivamente.

Iniesta também é conhecido pelo seu drible La croqueta

Clube[editar | editar código-fonte]

Barcelona[editar | editar código-fonte]

Iniesta chegou ao Barcelona em setembro de 1996, quando tinha 12 anos, após destacar-se no torneio infantil de Brunete, no qual participou como jogador do Albacete Balompié. Em pouco tempo passou a ser uma das jovens promessas das categorias inferiores do clube da Catalunha.

Jogou durante duas temporadas no Barcelona B até que, na temporada 2002–03, estreou na equipe principal sob o comando de Louis van Gaal. Durante esta e a seguinte temporada, combinou partidas com o segundo time do clube espanhol e o principal.

Na temporada 2004–05, passou a formar parte definitivamente do plantel da equipe principal, e participou muito ativamente na conquista do título de campeão da Liga Espanhola. Apesar disso, não foi titular habitualmente na maioria das partidas sob o comando de Frank Rijkaard, e quando jogava, era costume ser o primeiro a sair na metade do segundo tempo. Depois disso, só não jogou uma partida da liga e foi, participando em 37 jogos, o jogador do elenco que foi mais ativo, juntamente a Samuel Eto'o.

No dia 17 de maio de 2006, participou da final da Liga dos Campeões contra o Arsenal, torneio na qual o Barcelona venceu e conquistou seu segundo título.

Sua camisa inicialmente era a de número 24, porém, no dia 19 de junho de 2007, se outorgou com a 8, deixada por Ludovic Giuly, que havia se transferido para a Roma. Esta camisa ele já havia usado anteriormente nas categorias de base.

No dia 25 de janeiro de 2008, renovou com o Barcelona até 30 de junho de 2014, aumentando sua cláusula de rescisão desde os 60 milhões de euros até os 150 milhões.[2] Mostrando seu peso para a equipe, na temporada 2008–09 foi eleito quarto capitão, após Carles Puyol, Xavi Hernández e Víctor Valdés.[3] Em 12 de janeiro de 2009 ocorreu a premiação do Melhor jogador do mundo pela FIFA em 2008, onde Andrés Iniesta figurava entre os 10 mais votados.[4]

Nas temporadas seguintes, mais títulos vieram para o clube catalão e mais consistente Iniesta se mostrava no elenco do Barça. Com a chegada de Josep Guardiola para o comando da equipe, Andrés foi decisivo nas inúmeras conquistas do clube na temporada 2008–09, inclusive sendo considerado o melhor jogador da semifinal da Liga dos Campeões da UEFA daquela temporada, quando marcou o gol da classificação do Barcelona para a decisão do campeonato, aos 93 minutos, contra o Chelsea, no episódio que ficou conhecido como "Iniestazo".[5][6] Na final, deu passe para o gol de Eto'o, o primeiro da vitória sobre o Manchester United por 2 a 0. A Liga dos Campeões veio novamente para o Barça duas temporadas depois, na edição de 2010–11, com Iniesta permanecendo como titular absoluto e tendo um fundamental papel dentro da equipe, atuando em 10 das 13 partidas do torneio, fora apenas quando esteve lesionado ou poupado.

Na temporada seguinte, não conseguiu o bicampeonato europeu com o Barça, que acabou caindo nas semifinais frente ao Chelsea (posteriormente campeão do torneio), mas foi eleito o Melhor Jogador da UEFA na Europa.[7][8]

Após 40 dias sem jogar, Iniesta fez sua estreia pela temporada 2014–15 em partida contra o modesto Huesca, da terceira divisão, pela primeira fase da Copa do Rei. Ao lado de Ivan Rakitić e Pedro, Iniesta foi um dos destaques da partida. O meia foi autor de um belo gol de fora da área e belas assistências, na vitória por 4 a 0.[9] No jogo de volta das quartas de finais da Liga dos Campeões de 2014–15, fez bela jogada pelo meio, driblando quatro defensores do PSG, e em seguida, deu passe açucarado para Neymar abrir o placar. A partida terminou 2 a 0 para os catalães, resultado mais que suficiente para colocar o Barça na semifinal da competição.[10] Na final da competição, recebeu passe de Neymar e tocou para Rakitić, sem problemas, marcar logo aos três minutos o primeiro gol da vitória catalã sobre a Juventus por 3 a 1 no Estádio Olímpico de Berlim.

Iniesta com o troféu da Supercopa da UEFA de 2015.

Na temporada 2015–16 tornou-se o capitão da equipe devido a saída de Xavi.[11]

Foi aplaudido de pé pela torcida do Real Madrid em pleno Santiago Bernabéu, feito antes conseguido por Johan Cruyff e Ronaldinho.[12][13] O feito aconteceu depois da grande atuação em goleada sobre o rival por 4 a 0, na qual marcou um golaço de fora da área e deu um passe para Neymar, em partida válida pela décima segunda rodada da La Liga.[14]

Se destacou numa vitória de 3 a 0 sobre o Guangzhou Evergrande, da China, pela semifinal do Mundial de Clubes da FIFA de 2015, no Japão.[15] Na final, ajudou o Barça a derrotar o famoso River Plate, da Argentina, por 3 a 0, e conquistar seu quinto título no ano.

No dia 11 de janeiro de 2016, a FIFA divulgou o time ideal da FIFA de 2015, que contava com a presença de quatro brasileiros, entre eles Neymar e Daniel Alves, dois companheiros de Iniesta, que esteve presente no time pela sétima vez.[16]

Foi um dos destaques da ótima gelada sobre o Celtic na estreia pela Liga dos Campeões de 2016–17, na qual foi autor de um golaço e iniciou a jogada do sétimo gol com um lindo passe entre o meio da zanga adversária; a partida acabou 7 a 0 para os catalães.[17] Ainda pela Liga dos Campeões, ajudaria o Barça a conseguir a remontada diante do PSG na fase de oitavas de final marcando o segundo gol daquela partida histórica no Camp Nou que acabou 6 a 1 para os donos da casa, que se classificaram para as quartas de final mesmo depois de haverem perdido o jogo de ida por 4 a 0. No dia 2 de outubro de 2016, contra o Celta de Vigo, Iniesta completou 600 jogos pelo clube catalão. Na ocasião, o Barça perdeu por 4 a 3.[18]

Última partida pelo Barcelona e ida ao Japão[editar | editar código-fonte]

Iniesta realizou sua última partida com a camisa do clube catalão no dia 20 de maio de 2018, na vitória sobre a Real Sociedad por 1 a 0.[19] Ovacionado pelo Camp Nou, Iniesta assim encerrou seu ciclo de 22 anos no Barcelona, e muito emocionado agradeceu a todos por essa brilhante trajetória.[20] No dia 24 de maio de 2018, menos de uma semana após seu último jogo com seu ex-clube, Iniesta assinou um contrato com o clube japonês Vissel Kobe, onde fará companhia para o jogador alemão Lukas Podolski.[21] Atualmente o Vissel disputa a J-League, a primeira divisão do futebol japonês.

Seleção Espanhola[editar | editar código-fonte]

Categorias de base[editar | editar código-fonte]

Também havia sido conhecido internacional nas categorias inferiores. No ano de 2001, foi titular nas seleções de base espanholas que ganharam tanto a Eurocopa sub-16 como a Eurocopa Sub-19. Em 2003, jogou a final da Copa do Mundo juvenil da FIFA nos Emirados Árabes Unidos, e foi eleito membro da "Equipe das Estrelas" do torneio. Posteriormente, foi eleito capitão da equipe Sub-20.

Iniesta atuando contra o Chile em 2013.

Principal[editar | editar código-fonte]

Após ser convocado em duas ocasiões para jornadas de convivência organizadas pelo então treinador nacional Luis Aragonés, em 15 de maio de 2006, foi finalmente incluído na lista dos jogadores que participaram da Copa do Mundo de 2006. Estreou na Seleção e no torneio realizou três partidas, iniciando como titular somente contra a Arábia Saudita.

Na sequência, o maior êxito de Iniesta com a seleção espanhola foi quando conseguiu virar titular durante a Eurocopa 2008, disputada na Áustria e Suíça. Andrés foi o único jogador do conjunto espanhol que disputou todos os encontros. Em 29 de junho de 2008, no Estádio Ernst Happel de Viena, se consagraria, com seus 22 companheiros, como campeão da Eurocopa de seleções, jogando contra a Alemanha (1 a 0 com gol de Fernando Torres). Andrés foi eleito um dos 23 integrantes da equipe ideal do torneio pela UEFA, além do prêmio de melhor jogador da semifinal contra a Rússia.[22]

Em 2010, na Copa do Mundo da África do Sul, foi autor do gol que deu o título ao seu país, aos 116 minutos da final. Na comemoração do gol, ele mostrou uma camiseta com a seguinte mensagem: "Dani Jarque - Siempre con nosotros" em tributo ao seu amigo e também futebolista Daniel Jarque, que havia falecido um ano antes. Após a partida, a FIFA o elegeu como o melhor em campo.[23] Na Eurocopa 2012 foi eleito o melhor jogador da competição e a Espanha, foi novamente campeã europeia, vencendo a Itália na final.

Foi o grande destaque da vitória sobre o Uruguai, na partida de estreia na Copa das Confederações 2013, com um gol e uma assistência. O camisa 6 foi o cérebro da equipe durante a campanha, conduzindo os espanhóis até a final, onde foram superados pelo Brasil por 3 a 0 no Maracanã. Ao final da partida, foi eleito o Bola de Prata (segundo melhor do torneio).

Foi convocado para disputar a Copa do Mundo FIFA de 2014.[24] Na estreia, a então atual campeã tomou um passeio do famoso "carrossel holandês" e acabou sofrendo uma derrota dolorosa por 5 a 1, de virada.[25] No jogo seguinte, derrota para o Chile por 2 a 0, resultado que eliminou a Fúria do mundial.[26] No último jogo, a Espanha, enfim, tem uma boa atuação e consegue vencer a Austrália por 3 a 0.[27] Iniesta foi considerado como um dos "inocentes" desta campanha desastrosa dos campeões mundiais de 2010. Ao todo o camisa 6 disputou os três jogos, deu uma assistência e foi o melhor jogador espanhol em campo nas partidas contra Austrália e Chile.

Após a eliminação nos pênaltis para a Rússia nas oitavas de final da Copa do Mundo FIFA de 2018, anunciou sua aposentadoria da Seleção Espanhola.[28]

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Seleção[editar | editar código-fonte]

Ano
Jogos Gols
2006 8 0
2007 12 4
2008 14 1
2009 5 0
2010 15 3
2011 9 1
2012 14 1
2013 17 0
2014 8 1
2015 5 1
2016 8 0
2017 8 1
2018 8 0
Total 131 13

Títulos[editar | editar código-fonte]

Barcelona B
Barcelona
Vissel Kobe
Seleção Espanhola

Prêmios Individuais[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Iniesta iguala a Xavi con 29 títulos». MARCA.com (em espanhol). Consultado em 1 de dezembro de 2015 
  2. «Iniesta renueva hasta 2014» (em espanhol). FC Barcelona. 25 de janeiro de 2008. Arquivado do original em 8 de abril de 2009 
  3. «fcbarcelona.com - Quatro capitães canteranos». Consultado em 17 de fevereiro de 2009. Arquivado do original em 17 de fevereiro de 2009 
  4. «Cinco espanhóis no 'top ten' do FIFA World Player» 
  5. «'Iniestazo': o chute que mudou o Barcelona e traumatizou o Chelsea». GloboEsporte.com. 18 de abril de 2012. Consultado em 1 de outubro de 2020 
  6. «Gol histórico de Iniesta pelo Barcelona completa 11 anos». Gazeta Esportiva. 6 de maio de 2020. Consultado em 1 de outubro de 2020 
  7. «Iniesta eleito melhor jogador na Europa». UEFA. 30 de agosto de 2012. Consultado em 15 de setembro de 2012. Arquivado do original em 16 de julho de 2013 
  8. «Iniesta supera Messi e CR7 e é eleito o melhor jogador da Europa pela Uefa». GloboEsporte.com. 30 de agosto de 2012. Consultado em 15 de abril de 2020 
  9. «Iniesta retorna, brasileiro marca e Barcelona passeia sobre o Huesca». Terra. 3 de dezembro de 2014 
  10. «Gols de Barcelona 2 x 0 PSG: Neymar garante vitória tranquila e vaga na semi». Guia do boleiro. 21 de abril de 2015 
  11. «El nuevo capitán del FC Barcelona levantó su primer trofeo de la temporada» (em espanhol). Terra. 5 de agosto de 2015 
  12. «Aplaudido de pé como Ronaldinho, Iniesta agradece torcida merengue». Terra. 22 de novembro de 2015. Consultado em 15 de abril de 2020 
  13. «Aplaudido pela torcida do Real, Iniesta vê Barça 'completo em todos os sentidos'». ESPN.com.br. 21 de novembro de 2015. Consultado em 15 de abril de 2020 
  14. Thiago Arantes (21 de novembro de 2015). «Com 'meio Messi', Barcelona humilha Real em show de Suárez e Neymar». ESPN.com.br. Consultado em 15 de abril de 2020 
  15. «Gols de Barcelona 3 x 0 Guangzhou Evergrande: Sem Neymar e Messi, Suárez faz três e classifica o Barça». Guia do boleiro. 17 de dezembro de 2015 
  16. «Fifa anuncia seleção de 2015 com quatro brasileiros na lista». Terra. 11 de janeiro de 2016. Consultado em 1 de outubro de 2020 
  17. «Show de Neymar, hat-trick de Messi e pintura de Iniesta: Barça atropela o Celtic». GloboEsporte.com. 13 de setembro de 2016. Consultado em 22 de dezembro de 2019 
  18. «Iniesta completa 600 jogos oficiais com a camisa do Barcelona». VEJA. 3 de outubro de 2016. Consultado em 1 de outubro de 2020 
  19. «Barcelona se despede do maestro Iniesta com vitória sobre a Real Sociedad e golaço de Coutinho». GloboEsporte.com. 20 de maio de 2018. Consultado em 22 de dezembro de 2019 
  20. «Emocionado, Iniesta se despede do Barcelona: "Levarei para sempre"». UOL Esporte. 20 de maio de 2018. Consultado em 22 de dezembro de 2019 
  21. Alex Yamasaki (24 de maio de 2018). «Após deixar o Barcelona, Iniesta é anunciado por time do Japão». R7. Consultado em 22 de dezembro de 2019 
  22. UEFA Euro 2008. «Ganhadores do Jogador da partida». Consultado em 17 de fevereiro de 2009. Arquivado do original em 29 de setembro de 2008 
  23. «Autor do gol e eleito o melhor em campo, Iniesta homenageia jogador morto». Folha de S.Paulo. 11 de julho de 2010. Consultado em 15 de abril de 2020 
  24. «OFICIAL: Estos son los 23 que nos representarán en Brasil» (em espanhol). sefutbol. 31 de maio de 2014 
  25. «Holanda 5×1 Espanha: A Oranje espremeu a Roja até tirar todo o seu sangue». Trivela. 13 de junho de 2014. Consultado em 15 de abril de 2020 
  26. «Vexame! Atual campeã, Espanha é humilhada pelo Chile e está fora da Copa». UOL Esporte. 18 de junho de 2014. Consultado em 15 de abril de 2020 
  27. Leandro Miranda (23 de junho de 2014). «Vaiada e ironizada, Espanha encerra era de ouro com vitória». Terra. Consultado em 15 de abril de 2020 
  28. Francisco De Laurentiis (1 de julho de 2018). «Iniesta anuncia aposentadoria da Espanha após eliminação: 'Provavelmente o dia mais triste da minha carreira'». ESPN. Consultado em 15 de abril de 2020 
  29. «Iniesta, eleito 'Jugón de Ouro' de 2007» 
  30. «Iniesta, Mejor Centrocampista de Ataque de la Liga BBVA». LPF. 2 de dezembro de 2013 
  31. «Andrés Iniesta, 'Mejor Centrocampista de Ataque de la Liga BBVA 2013-14'». LPF. 27 de outubro de 2014 
  32. «The 100 best footballers in the world 2016 – interactive» (em inglês). The Guardian 
  33. «Andrés Iniesta» (em espanhol). Marca 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Andrés Iniesta