Seleção Venezuelana de Futebol

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Venezuela
Venezuela football association.png
Alcunhas?  La Vinotinto (A Vinho Tinto)
Associação Federação Venezuelana de Futebol
Confederação CONMEBOL
Material desportivo?  Itália Givova
Treinador Venezuela Leonardo González (Interino)
Capitão Tomás Rincón
Mais participações Juan Arango (134)
Melhor artilheiro Salomón Rondón (30)
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
titular
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
editar
Partida entre a Venezuela e a União Soviética nos Jogos Olímpicos de 1980

A Seleção Venezuelana de Futebol representa a Venezuela nas competições de futebol da FIFA, sendo o órgão organizador do futebol nesse país a Federação Venezuelana de Futebol. Devido a cor do seu equipamento principal que é a junção das cores presentes na bandeira (amarelo, azul e vermelho), a seleção é normalmente apelidada de La Vinotinto (A Vinho Tinto).

História[editar | editar código-fonte]

Por ter entrado nas competições internacionais muito mais tarde que os restantes países da CONMEBOL, e também devido ao elevado interesse que o basebol e o basquetebol geram na Venezuela, a seleção de futebol tem no seu histórico uma luta contínua pela sua afirmação no plano continental, algo que até recentemente nunca tinha conseguido. Seus melhores resultados até então foram dois 4º lugares nos Jogos Pan-americanos de 1951 e Jogos Pan-americanos de 1955 e um 4º lugar na Copa América de 2011. A seleção venezuelana é a única pertencente à CONMEBOL que nunca participou num Campeonato do Mundo da FIFA, e durante as fases de qualificação chegava a não ganhar um único jogo. Até ao ano 2000, havia ganho apenas dois jogos: a 15 de Março de 1981, 1-0 frente à Bolívia, com um gol de Pedro Acosta, e a 12 de Setembro de 1993, 2-1 frente ao Equador, com gols de Garcia e Morales.

No entanto, quase inexplicavelmente, a história transfigurou-se de um momento para o outro. Dos últimos cinco jogos de qualificação para o Mundial de 2002, a Venezuela ganhou quatro, perdendo apenas contra o eventual campeão mundial, o Brasil. Nessa qualificação conseguiu pela primeira vez na história não terminar em último lugar do grupo, superando o tradicional time do Chile.

As vitórias e as excelentes exibições continuaram na qualificação para 2006, mas a Venezuela não se conseguiria apurar. Na Copa América 2007, um novo resultado surpreendente, a Venezuela termina em 1º do seu grupo, e se classifica para a segunda fase, o confronto das quartas era contra a forte Seleção do Uruguai, e apesar de terminar o primeiro tempo empatado em 1 a 1, leva 3 gols na segunda etapa, e acaba sendo eliminada por 4 a 1. Em 2008, em um amistoso disputado em Boston nos Estados Unidos, a Venezuela venceu historicamente o Brasil por 2x0, com gols de Giancarlo Maldonado e Ronald Vargas[2]. Em 2011, no segundo jogo pelas eliminatórias para a Copa de 2014, a Venezuela recebeu a Argentina em casa, e pela primeira vez na história, venceu seu adversário, com o gol de Amorebieta [3]. Resultados que reforçaram a tese de que a Venezuela não é mais aquele "saco de pancadas" de outrora.

Nas Eliminatórias para a Copa de 2018, apesar de ficar em último lugar com 2 vitórias, 6 empates e 10 derrotas, conseguiu nas quatro últimas rodadas uma sequência de invencibilidade de 1 vitória e 3 empates, conquistando um histórico empate com a Argentina fora de casa (sendo que já havia empatado com a mesma em casa) e na última rodada uma vitória sobre o Paraguai que o tirou da Copa (Seleção Paraguaia conquistaria a vaga caso tivesse ganhado), além de, assim como com a albiceleste, ter adiado e dificultado as classificações de Uruguai e Colômbia. Goleou a Bolívia por 5 a 0, placar também feito pelo Brasil contra a mesma seleção, sendo esses jogos as maiores goleadas da qualificação sul-americana para 2018.

Jogos Olímpicos de 1980[editar | editar código-fonte]

Se a Venezuela nunca disputou uma Copa do Mundo, já teve o privilégio de disputar o torneio olímpico de futebol. Foi nos Jogos Olímpicos de 1980, quando substituiu a Argentina, que desistiu de participar. Obteve a 12ª colocação.

Copa América[editar | editar código-fonte]

Equipe da Venezuela em 2012 contra o Uruguai.

Em 2007, a Venezuela foi sede, pela primeira vez, da Copa América. A competição foi um enorme sucesso de público, pois o polêmico presidente Hugo Chávez percebeu a importância do futebol como o esporte mais popular do mundo, fez uma intensa propaganda para promover o evento e acabou sendo bem-sucedido. Jogando em casa, a Venezuela conseguiu a 6º posição. Em 2011, a Copa América foi na Argentina, e mais uma vez, a Venezuela mostrou um bom futebol e com ótimas atuações, teve sua melhor campanha no campeonato, ao chegar às semifinais.[4][5] Terminou o campeonato em 4º lugar, e em seu retorno à Venezuela, milhares de torcedores saíram as ruas, tendo como destaque um time jovem e jogadores muitos bons conhecidos internacionalmente como Juan Arango, José Salomón Rondón e Yohandry Orozco.[6].

Em 2016, a já desacreditada Venezuela foi a grande sensação da Copa América Centenário ou Copa América 100, na primeira rodada vencendo por um placar magro da seleção jamaicana por 1 a 0, na segunda rodada triunfando sobre o Uruguai por também 1 a 0, já na terceira rodada empatou com o gigante México por 1 a 1.

Já nas quartas de final, perdeu pra Argentina por 4 a 1.

Mesmo com a derrota chegaram a Caracas sendo aplaudidos pela grande campanha.

Jogos Centro-Americanos e do Caribe[editar | editar código-fonte]

Nos Jogos Centro-Americanos e do Caribe é onde tem sua melhor performance e também onde conquistou seus dois títulos: duas medalhas de ouro em 1982 e 1998. Obteve também três medalhas de prata em 1978, 1990 e 2006 e uma medalha de bronze em 1959.

Jogos Bolivarianos[editar | editar código-fonte]

Nos Jogos Bolivarianos obteve seis medalhas de prata e seis de bronze.

Jogos Sul-Americanos[editar | editar código-fonte]

Nos Jogos Sul-Americanos obteve a medalha de prata em 1994.

Críticos predizem agora que a Venezuela tem hipóteses de se qualificar para o Campeonato do Mundo a curto prazo.

Títulos[editar | editar código-fonte]

Títulos oficiais[editar | editar código-fonte]

EVENTOS MULTIESPORTIVOS
Competição Vezes Ano
Gold medal centralamerica.svg Jogos Centro-Americanos e do Caribe 2 1982, 1998
Silver medal centralamerica.svg 4 1978, 1990, 2006, 2014
Bronze medal centralamerica.svg 2 1959, 1962
Silver medal bolivarianos.svg Jogos Bolivarianos 6 1948, 1951, 1965, 1970, 1977, 1998
Bronze medal bolivarianos.svg 7 1961, 1981, 1993, 1997, 2001, 2009, 2017

Títulos não oficiais[editar | editar código-fonte]

Torneios amistosos
Competição Vezes Ano
Venezuela Copa Cidade de Barquisimeto 1 1981

Títulos de base[editar | editar código-fonte]

Seleção Sub-20[editar | editar código-fonte]

  • Copa Governo de Zulia Sub-20: 1 (2009)
  • Copa Governo de Bolívar Sub-20: 1 (2010)

Campanhas de destaque[editar | editar código-fonte]

Desempenho na Copa América[editar | editar código-fonte]

  • 1916 a 1963 - Não participou
  • 1967 - 5º colocado
  • 1975 - Primeira-Fase
  • 1979 - Primeira-Fase
  • 1983 - Primeira-Fase
  • 1987 - Primeira-Fase
  • 1989 - Primeira-Fase
  • 1991 - Primeira-Fase
  • 1993 - Primeira-Fase
  • 1995 - Primeira-Fase
  • 1997 - Primeira-Fase
  • 1999 - Primeira-Fase
  • 2001 - Primeira-Fase
  • 2004 - Primeira-Fase
  • 2007 - Quartas de Final Venezuela (sede)
  • 2011 - 4º colocado
  • 2015 - Primeira-Fase
  • 2016 - Quartas de final
  • 2019 - Quartas de final
  • 2021 - Primeira-Fase

Uniformes[editar | editar código-fonte]

Uniformes atuais[editar | editar código-fonte]

  • 1º - Camisa grená, calção e meias grenás;
  • 2º - Camisa branca, calção e meias brancas.
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Primeiro Uniforme
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Segundo Uniforme

Uniformes dos goleiros[editar | editar código-fonte]

Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
'
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
'

Uniformes anteriores[editar | editar código-fonte]

  • 2019
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Primeiro Uniforme
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Segundo Uniforme
  • 2018
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Primeiro
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Segundo
  • 2015
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Primeiro
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Segundo
  • 2014
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Primeiro
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Segundo
  • 2011
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Primeiro
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Segundo
  • 2010
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Primeiro
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Segundo
  • 2008
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Primeiro
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Segundo

Material esportivo[editar | editar código-fonte]

Fornecedor[7] Período
Alemanha Adidas 1981–1991
Venezuela Forte 1993–1996
Peru Polmer 1996–1997
México Aba Sport 1998–1999
México Atletica 2000–2005
Alemanha Adidas 2005–2018
Itália Givova 2019–presente

Histórico de Treinadores 1938 - 2011[editar | editar código-fonte]

Elenco atual[editar | editar código-fonte]

Os seguintes 28 jogadores foram convocados para os jogos das Eliminatórias da Copa do Mundo FIFA 2022 contra a Argentina Argentina, Peru Peru e o Paraguai Paraguai em 02, 05 e 09 de setembro de 2021. [8]

Atualizado até 29 de Agosto de 2021

Nome Posição Clube
Faríñez Goleiro França Lens
Romo Goleiro Bélgica OH-Leuven
Graterol Goleiro Colômbia América de Cali
Rosales Defesa Chipre AEK Larnaca
Osorio Defesa Itália Parma
Villanueva Defesa Portugal Santa Clara
Martínez Defesa Venezuela La Guaira
Ferraresi Defesa Portugal Estoril Praia
Carrillo Defesa Finlândia KuPS
Alexander González Defesa Espanha Málaga
Óscar González Defesa Venezuela Monagas
Velázquez Defesa Portugal Arouca
Hernández Defesa Estados Unidos Atlanta United
Castillo Médio Venezuela Caracas
Rincón Médio Itália Torino
José Martínez Médio Estados Unidos Philadelphia Union
Moreno Médio Estados Unidos D.C. United
Manzano Médio Venezuela Deportivo Lara
Bello Médio Chile Antofagasta
Soteldo Médio Canadá Toronto
Murillo Médio Portugal Tondela
Otero Médio México Cruz Azul
Savarino Médio Brasil Atlético Mineiro
Machís Médio Espanha Granada
Ramírez Avançado Ucrânia Dynamo Kyiv
Josef Martínez Avançado Estados Unidos Atlanta United
Rondón Avançado Inglaterra Everton
Aristeguieta Avançado México Puebla
Hurtado Avançado Brasil RB Bragantino
Leonardo González Treinador

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]