Copa Mercosul

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Copa Mercosul
Copa Mercosul
Dados gerais
Organização CONMEBOL
Edições 4
Local de disputa América do Sul
Sistema Grupos e Eliminatórias
editar

A Copa Mercosul (espanhol: Copa Mercosur) foi uma competição oficial da Conmebol disputada entre os anos de 1998 e 2001 por clubes do Brasil, Argentina, Uruguai, Paraguai e Chile. Foi substituída pela Copa Sul-Americana em 2002.

História[editar | editar código-fonte]

A fórmula da Copa Mercosul ganhou corpo quando uma emissora de televisão resolveu bancar a competição (a Traffic, empresa especializada em marketing esportivo detinha os direitos do torneio, o SBT transmitiu o primeiro ano e a Bandeirantes os demais). A ideia era simples: para se ter um mínimo de qualidade e atrair a torcida aos estádios, era necessário contar com os principais times sul-americanos, convidados sem obedecer a grandes critérios técnicos. Para que eles concordassem em participar, tinham como incentivo os polpudos prêmios oferecidos aos melhores colocados. Com argumentos tão promissores, a Copa Mercosul logo se mostrou um sucesso.[1]

Os critérios de classificação eram através da audiência dos clubes, o que teve um lado ruim na competição, pois as equipes não eram medidas pelo lado técnico. O São Caetano, por exemplo, que era uma equipe forte no período em que a Copa Mercosul foi disputada, nunca participou do torneio, por causa da sua audiência de TV. Enquanto isso, equipes na série B de seus nacionais poderiam disputar o torneio, devido as suas audiências de TV. A Copa Mercosul só reunia equipes do Brasil, Argentina, Uruguai, Paraguai e Chile, o que também gerou muitas críticas pelo fato de excluir clubes da Colômbia, Equador, Peru, Bolívia e Venezuela. Nos dias de hoje, clubes como a LDU do Equador, e Atlético Nacional e Once Caldas da Colômbia não teriam direito de participar do torneio, caso ela ainda existisse.

Formato[editar | editar código-fonte]

Vinte times jogaram no torneio. Os times eram divididos em cinco grupos de quatro times cada. As partidas eram realizadas em turno e returno. Os vencedores de grupo e os melhores três segundos colocados classificavam-se para as quartas-de-final. As quartas-de-final e as semifinais eram jogados em ida-e-volta. Em 1998 e 2000 as finais foram disputadas em três partidas. Em 1999 e 2001 as finais foram disputadas em duas partidas.

Resultados[editar | editar código-fonte]

Ano Final Semifinalistas
Campeão Placar Vice
1998
Detalhes
Brasil
Palmeiras
1 – 2
3 – 1
1 - 0
Brasil
Cruzeiro
Paraguai
Olimpia
Argentina
San Lorenzo
1999
Detalhes
Brasil
Flamengo
4 – 3
3 – 3
Brasil
Palmeiras
Uruguai
Peñarol
Argentina
San Lorenzo
2000
Detalhes
Brasil
Vasco da Gama
2 – 0
0 – 1
4 - 3
Brasil
Palmeiras
Argentina
River Plate
Brasil
Atlético Mineiro
2001
Detalhes
Argentina
San Lorenzo
0 – 0
1 – 1
(4 – 3 pên.)
Brasil
Flamengo
Brasil
Corinthians
Brasil
Grêmio

Títulos[editar | editar código-fonte]

Por clube[editar | editar código-fonte]

Clube Títulos Vice-campeonatos Semifinais
Brasil Palmeiras 1 (1998) 2 (1999 e 2000) -
Brasil Flamengo 1 (1999) 1 (2001) -
Argentina San Lorenzo 1 (2001) - 1 (1998 e 1999)
Brasil Vasco da Gama 1 (2000) - -
Brasil Cruzeiro - 1 (1998) -
Brasil Atlético Mineiro - - 1 (2000)
Brasil Corinthians - - 1 (2001)
Brasil Grêmio - - 1 (2001)
Paraguai Olimpia - - 1 (1998)
Uruguai Peñarol - - 1 (1999)
Argentina River Plate - - 1 (2000)

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

  • O Palmeiras chegou na final nas três primeiras edições, disputando também com clubes brasileiros.
  • As quatro edições da Copa Mercosul disputadas contaram com clubes brasileiros na final.
  • O lateral-direito Arce, do Palmeiras, marcou gols em todas as finalíssimas disputadas pela equipe brasileira.
  • Na final do ano 2000 foi aplicada a maior virada da copa Mercosul em decisões, quando o Vasco da Gama perdia por 3X0 até o final do primeiro tempo e acabou ganhando por 4X3 fora de casa.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências