Fábio Júnior Pereira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Fábio Júnior
Informações pessoais
Nome completo Fábio Júnior Pereira
Data de nasc. 20 de novembro de 1977 (38 anos)
Local de nasc. Manhuaçu (MG),  Brasil
Nacionalidade  Brasileiro
Altura 1,86 m
Ambidestro
Apelido F Júnior
Informações profissionais
Clube atual Brasil Villa Nova-MG
Número 9
Posição Centroavante
Clubes de juventude
1993–1997
1996
1997
Brasil Democrata-GV
Brasil Corinthians
Brasil Cruzeiro
Clubes profissionais2
Anos Clubes Jogos e gol(o)s
1997–1998
1999–2003
2000
2001
2002
2003
2003
2004
2005
2005
2005–2007
2007–2008
2008
2009
2010–2013
2014
2014
2015
2016-
Brasil Cruzeiro
Itália Roma
Brasil Cruzeiro (emp.)
Brasil Palmeiras (emp.)
Brasil Cruzeiro (emp.)
Portugal Vitória de Guimarães (emp.)
Brasil Atlético Mineiro
Japão Kashima Antlers
Brasil Atlético Mineiro
=Emirados Árabes Unidos Al-Wahda
Alemanha VfL Bochum
Israel Hapoel Tel Aviv
Brasil Bahia
Brasil Brasiliense
Brasil América Mineiro
Brasil Minas Boca
Brasil Boa Esporte
Brasil Guarani-MG
Brasil Villa Nova-MG
0040 000(18)
0016 0000(4)
0022 0000(9)
0020 0000(3)
0025 000(12)
0004 0000(0)
0034 000(14)
0017 0000(2)
0015 0000(3)
0000 0000(0)
0033 0000(3)
0033 0000(7)
0000 0000(0)
0023 000(10)
0181 000(69)
0011 0000(3)
0006 0000(1)
0011 0000(0)
0009 0000(4)
Seleção nacional3
1998–1999
1999–2000
Brasil Brasil
Brasil Brasil Olímpico
0003 0000(0)
0012 0000(8)


2 Partidas e gols totais pelo
clube, atualizados até 29 de novembro de 2013.
3 Partidas e gols da seleção nacional estão atualizados
até 2 de outubro de 2010.

Fábio Júnior Pereira, mais conhecido apenas como Fábio Júnior (Manhuaçu, 20 de novembro de 1977), é um futebolista brasileiro que joga como centroavante. Atualmente defende o Villa Nova-MG.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Início[editar | editar código-fonte]

Natural de São Pedro do Avaí, distrito de Manhuaçu, na região Leste de Minas Gerais, o atacante começou sua carreira no Democrata-GV e chegou a treinar por dois meses e meio nas categorias de base do Corinthians, em 1996, de onde foi dispensado. Também passou em duas oportunidades pela base do Atlético Mineiro, sendo a segunda emprestado pela equipe de Governador Valadares, mas não foi comprado ao fim do empréstimo.[1]

Cruzeiro[editar | editar código-fonte]

Foi comprado pelo Cruzeiro por 300 mil reais junto à equipe do interior mineiro em 1997.[2] [3] Apesar de ter assinado contrato profissional, era constantemente utilizado na equipe de juniores. Disputou a Taça São Paulo de Juniores de 98, sendo artilheiro do torneio, com 9 gols, e ajudando sua equipe a chegar até as semifinais.[1]

Marcou 3 gols contra o rival Atlético no primeiro jogo da final do Campeonato Mineiro de 1998, garantindo a vitória do seu clube por 3 a 2. Após empate em 0 a 0 no segundo confronto, conquistou o título,[4] sua primeira conquista do estadual mineiro.[5] Foi artilheiro da Copa Mercosul de 1998, juntamente com Alex, do Palmeiras, com 6 gols, além de vice-campeão da competição.[6] Tornou-se o artilheiro da equipe no Campeonato Brasileiro de 1998 ao marcar 18 gols e sua equipe terminou na segunda colocação.[7] Além disso, foi eleito para a seleção do campeonato pela Revista Placar.[8]

Chegou a ser comparado a Ronaldo pela semelhança física e bom desempenho, se destacando coincidentemente no mesmo clube brasileiro onde o "Fenômeno" apareceu para o futebol.[1] [8] [9]

Roma[editar | editar código-fonte]

Em janeiro de 1999, foi contratado pela Roma, da Itália, aos 21 anos, por 15 milhões de dólares,[2] assinando contrato de cinco anos e meio com o clube da capital italiana.[10] Atuou em 23 partidas, marcando 5 gols pela equipe.[11]

Empréstimos e suspensão[editar | editar código-fonte]

Segunda passagem pelo Cruzeiro[editar | editar código-fonte]

Em março de 2000, foi emprestado pela Roma ao Cruzeiro, seu ex-clube, até dezembro do mesmo ano, por 1,1 milhão de dólares.[12] Conquistou a Copa do Brasil de 2000, sendo o autor do primeiro gol da equipe no jogo decisivo do título contra o São Paulo.[13]

Palmeiras[editar | editar código-fonte]

Em fevereiro de 2001, foi jogar no Palmeiras, cedido por empréstimo até o fim daquele ano, com passe fixado em 10 milhões de dólares.[14]

Suspensão por passaporte falso[editar | editar código-fonte]

Em maio de 2001, Fábio Júnior e alguns outros jogadores estrangeiros que atuaram no futebol italiano anteriormente foram acusados pela Procuradoria da Federação Italiana de Futebol de terem usado passaportes falsos. A Roma, clube pelo qual atuou se beneficiando do documento supostamente falsificado, também foi denunciada.[15] [16] Na época, apenas 3 jogadores com nacionalidade de países não-pertencentes à União Européia poderiam atuar em cada time italiano e a falsificação de passaportes teria sido feita visando burlar esta regra.[17] O jogador afirmou à imprensa ser inocente,[18] mas, em junho de 2001, foi suspenso pelo período de um ano pela Federação Italiana (assim como outros atletas, entre eles o goleiro Dida, do Milan). A Roma também foi punida com multa de 750 mil dólares.[19]

Terceira passagem pelo Cruzeiro[editar | editar código-fonte]

Foi emprestado novamente para o Cruzeiro em janeiro de 2002, com contrato de um ano, sendo este o seu terceiro período no clube.[20] Fez parte do grupo que conquistou o Supercampeonato Mineiro[5] e a Copa Sul-Minas de 2002.[21]

Vitória de Guimarães[editar | editar código-fonte]

Em janeiro de 2003, foi emprestado para a equipe portuguesa Vitória de Guimarães até o meio do ano.[22]

Atlético-MG[editar | editar código-fonte]

Foi contratado pelo Atlético Mineiro em março de 2003, que adquiriu 30% dos direitos do jogador, assinando contrato até o fim de 2005.[23] [24] Foi o artilheiro da equipe no Campeonato Brasileiro de 2003, com 14 gols,[25] [26] porém não permaneceu no clube na temporada seguinte, rescindindo contrato em janeiro de 2004.[27]

Kashima Antlers[editar | editar código-fonte]

No início de 2004, Fábio Júnior assinou com o Kashima Antlers, do Japão, do técnico brasileiro Toninho Cerezo.[28]

Retorno ao Atlético-MG[editar | editar código-fonte]

Em 2005, a pedido do técnico Procópio Cardoso,[29] Fábio Junior foi novamente contratado pelo Atlético-MG.[30]

Al-Wahda[editar | editar código-fonte]

O jogador rescindiu seu vínculo com a equipe alvinegra em agosto de 2005 e, na sequência, fechou com o Al-Wahda, dos Emirados Árabes.[31] [32] [33]

Bochum[editar | editar código-fonte]

No início de 2006, assinou contrato de um ano e meio com o clube alemão VfL Bochum.[34]

Hapoel Tel Haviv[editar | editar código-fonte]

Em agosto de 2007, foi contratado pelo Hapoel Tel Aviv, de Israel, firmando acordo de dois anos.[35]

Bahia[editar | editar código-fonte]

Em setembro de 2008, foi contratado pelo Bahia, para a disputa da Série B daquele ano,[36] mas não pôde jogar em função de problemas com sua documentação.

Brasiliense[editar | editar código-fonte]

Em 2009 foi contratado pelo Brasiliense,[37] tornando-se artilheiro e campeão do Campeonato Candango.[38] [39] Ainda no mesmo ano, foi muito sondado pelo Santo André, que estava buscando um atacante. Mas, após esperar por muito tempo pela liberação do atleta por parte do Brasiliense, o Ramalhão desistiu da contratação de Fábio Júnior[40] .

América Mineiro[editar | editar código-fonte]

Em 2010 foi contratado pelo América-MG como reforço para a disputa do Campeonato Mineiro e da Série B do Campeonato Brasileiro.[41] O jogador foi o vice-artilheiro da competição nacional com 19 gols marcados sendo um dos principais jogadores do acesso do clube à Série A.[42] No dia 7 de dezembro, foi anunciada a renovação do contrato do jogador com o América, por mais dois anos.[43]

Em 2011, o jogador foi artilheiro do Campeonato Mineiro com 13 gols.[44] [45] No Brasileirão, Fábio Júnior não foi bem e marcou apenas 5 gols em toda a competição, chegando a ir para o banco de reservas e apenas reconquistando a posição titular no final do campeonato, ajudando o clube a vencer times como Fluminense, Corinthians, Botafogo e Vasco da Gama.

No ano de 2012, ele recebeu a braçadeira de capitão do time.[5] Com sua experiência e dedicação, ajudou o Coelho a chegar ao vice-campeonato estadual, marcando 6 gols e dando vários passes.

Interior de Minas[editar | editar código-fonte]

Minas Boca[editar | editar código-fonte]

Aos 36 anos, Fábio Júnior assinou com o Minas Boca em janeiro de 2014 para disputar o estadual mineiro pela equipe de Sete Lagoas.[46]

Boa Esporte[editar | editar código-fonte]

Em maio de 2014, acertou com o Boa Esporte, de Varginha, para jogar o Campeonato Brasileiro da Série B de 2014.[47] Entretanto, após atuar em apenas 6 partidas e marcar 1 gol, rescindiu contrato com a equipe do sul de Minas em julho do mesmo ano.[48]

Guarani de Divinópolis[editar | editar código-fonte]

No dia 15 de janeiro de 2015, foi apresentado como reforço do Guarani de Divinópolis para a disputa do Campeonato Mineiro de 2015.[49]

Villa Nova[editar | editar código-fonte]

Em novembro de 2015, o atleta aceitou uma proposta do Villa Nova, para ser jogador e manager do clube de Nova Lima na temporada 2016.[50]

Seleção brasileira[editar | editar código-fonte]

Fábio Júnior foi convocado pela primeira vez para a Seleção Brasileira em setembro de 1998 para amistoso contra a Iugoslávia, na primeira convocação do técnico Vanderlei Luxemburgo após assumir a Seleção.[51] Atuou no total em três partidas pela Seleção, todas amistosas, contra o Equador em outubro de 1998 e contra Coréia do Sul e Japão em março de 1999, sendo titular apenas nesta última.[52]

Já pela seleção sub-23, recebeu convocações para amistosos preparatórios e também para o Torneio Pré-olímpico Sul-americano Sub-23 de 2000, disputado em Londrina. Marcou 8 gols no total, 7 nos amistosos e 1 no torneio, no jogo final da sua equipe.[53]

Títulos[editar | editar código-fonte]

Cruzeiro
Al-Wahda
Bochum
Brasiliense
Hapoel Tel Aviv

Artilharias[editar | editar código-fonte]

Cruzeiro
Brasiliense
América-MG

Prêmios individuais[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c Cruz, Édson. (Janeiro de 1999). "Fenômeno". Revista Placar (1147): 58-61. Visitado em 7 de março de 2016.
  2. a b «Negociação de Fábio Júnior é a segunda maior do futebol brasileiro». uol.com.br. 11 de janeiro de 1999. Consultado em 7 de março de 2016. 
  3. Alves Filho, Francisco (20 de janeiro de 1999). «De quem e a bola?». istoe.com.br. Consultado em 7 de março de 2016. 
  4. Ribeiro, Henrique (25 de janeiro de 2013). «"Matador" azul deixa sua marca no clássico de 1998». hojeemdia.com.br. Consultado em 7 de março de 2016. 
  5. a b c «Fábio Júnior demonstra otimismo na conquista de seu terceiro Mineiro». GloboEsporte.com. 9 de maio de 2012. Consultado em 7 de março de 2016. 
  6. «Copa Mercosul - Campeões e Artilheiros». Folha Online. 2001. Consultado em 7 de março de 2016. 
  7. Romeu, Daniel (11 de novembro de 2010). «Astros do passado, Edílson e Fábio Júnior analisam Timão x Raposa». lance.com.br. Consultado em 7 de março de 2016. 
  8. a b (Janeiro de 1999) "29ª Bola de Prata". Revista Placar (1147) p. 50. Visitado em 7 de março de 2016.
  9. André, Henrique (1 de junho de 2015). «Sem clube desde o final do Mineiro, Fábio Júnior espera propostas do Brasil e exterior». hojeemdia.com.br. Consultado em 7 de março de 2016. 
  10. «Fábio Júnior é o mais novo membro do grupo dos milionários». uol.com.br. 14 de janeiro de 1999. Consultado em 7 de março de 2016. 
  11. Cecchini, Massimo (29 de janeiro de 2003). «Fabio Junior è sempre un problema» (em italiano). La Gazzetta dello Sport. Consultado em 7 de março de 2016. 
  12. «Fábio Júnior retorna ao Cruzeiro». dgabc.com.br. 5 de março de 2000. Consultado em 7 de março de 2016. 
  13. «Campeão em 2000, Fábio Júnior aponta a importância de priorizar a disputa da Copa do Brasil». otempo.com.br. 6 de março de 2012. Consultado em 7 de março de 2016. 
  14. «Fábio Jr. chega ao Palmeiras amanhã». estadao.com.br. 18 de fevereiro de 2001. Consultado em 7 de março de 2016. 
  15. «Fábio Júnior é denunciado por uso de passaporte falso». Folha de S.Paulo. 9 de maio de 2001. Consultado em 7 de março de 2016. 
  16. «Procurador pede suspensão de Fábio Jr». estadao.com.br. 11 de junho de 2001. Consultado em 7 de março de 2016. 
  17. Kennedy, Frances (27 de junho de 2001). «Players banned over false passport scandal» (em inglês). independent.co.uk. Consultado em 7 de março de 2016. 
  18. «Fábio Jr. insinua que Roma é a única culpada pelo passaporte falso». terra.com.br. 23 de junho de 2001. Consultado em 7 de março de 2016. 
  19. «Dida e Fábio Júnior são suspensos por um ano». terra.com.br. 27 de junho de 2001. Consultado em 7 de março de 2016. 
  20. Finelli, Diogo (11 de janeiro de 2002). «Cruzeiro oficializa contratação de Fábio Júnior». terra.com.br. Consultado em 7 de março de 2016. 
  21. «Com gol de Sorín, Cruzeiro conquista o bi na Copa Sul-Minas». uol.com.br. 12 de maio de 2002. Consultado em 7 de março de 2016. 
  22. Freitas, Carlos Manuel (30 de janeiro de 2003). «V. Guimarães: Fábio Júnior vai ser o número 31». MaisFutebol. Consultado em 7 de março de 2016. 
  23. FINELLI, Diogo (31 de março de 2003). «Atlético-MG apresenta atacante Fábio Júnior». Portal Terra. Consultado em 20 de novembro de 2012. 
  24. «Atlético-MG registra Fábio Júnior na CBF». Portal Terra. 25 de abril de 2003. Consultado em 20 de novembro de 2012. 
  25. «Série A 2003 - Artilheiros». Folha Online. Consultado em 7 de março de 2016. 
  26. «Artilharia Campeonato Brasileiro Série A 2003». uol.com.br. 14 de dezembro de 2003. Consultado em 7 de março de 2016. 
  27. «Fábio Júnior rescinde contrato com o Atlético-MG». GloboEsporte.com. 9 de janeiro de 2004. Consultado em 7 de março de 2016. 
  28. Fielding, Gus (13 de março de 2004). «Usual suspects set to do battle for J. League honors» (em inglês). japantimes.co.jp. Consultado em 7 de março de 2016. 
  29. NIQUINI, Leonardo (14 de janeiro de 2005). «Técnico do Atlético-MG pede Fábio Júnior». Portal Terra. Consultado em 20 de novembro de 2012. 
  30. «Fábio Júnior está de volta ao Atlético-MG». Gazeta News. 4 de fevereiro de 2005. Consultado em 20 de novembro de 2012. 
  31. «Fábio Júnior está de saída do Atlético-MG». terra.com.br. 3 de agosto de 2005. Consultado em 7 de março de 2016. 
  32. «Fábio Jr. ainda não assinou rescisão com Atlético-MG». terra.com.br. 19 de agosto de 2005. Consultado em 7 de março de 2016. 
  33. Abbasher, Yasir (26 de agosto de 2005). «UAE big guns get ready for new season» (em inglês). gulfnews.com. Consultado em 7 de março de 2016. 
  34. «Jogadores brasileiros na temporada 2006/2007». Deutsche Welle. 8 de janeiro de 2007. Consultado em 7 de março de 2016. 
  35. «Soccer Roundup - Fabio Junior joins Hapoel Tel Aviv» (em inglês). Reuters. 4 de agosto de 2007. Consultado em 20 de novembro de 2012. 
  36. «Fábio Júnior reforça o Bahia». Agência Estado. 18 de setembro de 2008. Consultado em 20 de novembro de 2012. 
  37. «Brasiliense apresenta atacante Fábio Júnior, ex-Cruzeiro». Agência Estado. 15 de janeiro de 2009. Consultado em 20 de novembro de 2012. 
  38. «Brasiliense vence Brasília e conquista hexa estadual inédito». bol.uol.com.br. 2 de maio de 2009. Consultado em 7 de março de 2016. 
  39. Rodrigues, Rodolfo (3 de maio de 2009). «Balanço dos estaduais encerrados em 2009 - parte 1». futebolemnumeros.ig.com.br. Consultado em 7 de março de 2016. 
  40. «Santo André descarta Fábio Júnior e quer outro atacante». Agência Estado. 31 de agosto de 2009. Consultado em 6 de julho de 2013. 
  41. «América-MG contrata Fábio Júnior e Joãozinho». Portal Terra. 20 de janeiro de 2010. Consultado em 20 de novembro de 2012. 
  42. «Emocionado, Fábio Júnior admite que "renasceu" no América-MG». Portal Terra. 27 de novembro de 2010. Consultado em 20 de novembro de 2012. 
  43. «Fábio Júnior renova com o América-MG por dois anos». Portal Terra. 7 de dezembro de 2010. Consultado em 20 de novembro de 2012. 
  44. VALE, Ailton do (15 de maio de 2011). «Fábio Júnior é o artilheiro do Campeonato Mineiro de 2011». Superesportes. Consultado em 20 de novembro de 2012. 
  45. «Com 13 gols marcados, Fábio Júnior é o grande artilheiro de Minas Gerais». GloboEsporte.com. 15 de maio de 2011. Consultado em 7 de março de 2016. 
  46. «Fabio Junior é o novo reforço do Minas Boca para o Estadual». terra.com.br. 20 de janeiro de 2014. Consultado em 7 de março de 2016. 
  47. Campos, Tiago (5 de maio de 2014). «Com Fábio Júnior como 'cereja', Boa apresenta pacotão para a Série B». GloboEsporte.com. Consultado em 7 de março de 2016. 
  48. Campos, Tiago (25 de julho de 2014). «Fábio Júnior 'entra na barca' e é o 3º na semana a deixar o Boa Esporte». GloboEsporte.com. Consultado em 7 de março de 2016. 
  49. «Apresentado no Guarani de Divinópolis, atacante Fábio Júnior assume responsabilidade». Superesportes. 16 de janeiro de 2015. 
  50. Anderson, Antônio (10 de novembro de 2015). «Com Fábio Júnior, Villa já tem equipe quase definida para o Mineiro». otempo.com.br. Consultado em 7 de março de 2016. 
  51. «Novo técnico privilegia versatilidade na seleção». uol.com.br. 4 de setembro de 1998. Consultado em 7 de março de 2016. 
  52. «Atacante Fábio Júnior, ex-seleção, fecha com o Bahia». GloboEsporte.com. 17 de setembro de 2008. Consultado em 7 de março de 2016. 
  53. «Partidas e gols do Brasil desde o final da Copa de 98 até o início do Mundial 2002». uol.com.br. Consultado em 7 de março de 2016. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]