Edílson da Silva Ferreira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Edílson
Informações pessoais
Nome completo Edílson da Silva Ferreira
Data de nasc. 17 de setembro de 1970 (43 anos)
Local de nasc. Salvador,  Brasil
Altura 1,68 m
Apelido Capetinha
Informações profissionais
Posição atacante
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos/gols)
1987–1990
1991
1992
1993–1994
1994–1995
1995
1997–1998
1998–2000
2000–2004
2002
2002–2003
2003–2004
2004
2005
2005
2006
2006
2007
2010
Brasil Industrial-ES
Brasil Tanabi
Brasil Guarani
Brasil Palmeiras
Portugal Benfica
Brasil Palmeiras
Japão Kashiwa Reysol
Brasil Corinthians
Brasil Flamengo
Brasil Cruzeiro
Japão Kashiwa Reysol
Brasil Flamengo
Brasil Vitória
=Emirados Árabes Unidos Al Ain
Brasil São Caetano
Brasil Vasco da Gama
Japão Nagoya Grampus
Brasil Vitória
Brasil Bahia

? (?)
33 (11)
? (?)
34 (19)
? (?)
? (?)
164 (55)
83 (35)
20 (11)
? (?)
34 (16)
42 (21)
? (?)
? (?)
? (?)
? (?)
15 (1)
27 (2)
Seleção nacional
1993-2002 Brasil Brasil 25 (6)

Edílson da Silva Ferreira, mais conhecido como Edílson (Salvador, 17 de setembro de 1970) é um ex-futebolista brasileiro que atuava como atacante. O último clube que jogou foi Bahia.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Começou a carreira profissional no Industrial de Linhares em 1987, acompanhando seu irmão mais velho que era um jogador de futebol conhecido. O time era amador e disputou apenas um campeonato, sendo logo em seguida extinto. Depois foi para o Tanabi no interior paulista, quando um "olheiro" do Guarani o viu jogar e o levou para o clube campineiro, onde se profissionalizou. O técnico era Fito Neves que lhe conhecera na Bahia e o apoiou bastante, colocando-o no time titular logo na primeira partida do Campeonato Paulista de Futebol de 1992, contra a Portuguesa de Desportos do craque Dener. Seis meses depois o Palmeiras, patrocinado pela companhia italiana Parmalat, o contratou. E nesse time ele obteve grande destaque nacional, sendo bi-campeão Paulista, do Rio-São Paulo e do campeonato Brasileiro. Pelo Palmeiras também, marcou segundo o próprio jogador, o gol mais bonito de sua carreira, contra o Corinthians. Transferiu-se ao exterior, defendendo o Benfica (Portugal) em 1995 e o Kashiwa Reysol-JAP. Voltou ao Brasil em 1997 para o Corinthians. Também vestiu as camisas de Flamengo, Cruzeiro, Vitória, Al Ain-EAU e São Caetano.

Na vitoriosa carreira, o "Capetinha", assim apelidado após sua passagem pelo Palmeiras, colecionou vários títulos na carreira: o tricampeonato Paulista, o Campeonato Carioca, o Torneio Rio-São Paulo, sendo tricampeão brasileiro, conquistando o Mundial de Clubes da FIFA, Campeonato Baiano e a Copa do Mundo de 2002.

Em 1998 foi contratado pelo Corinthians e brilhou no Brasileirão do mesmo ano conquistando o 2° titulo nacional para o timão. Foi eleito o melhor jogador da competição. Em 99 conquistou pelo Corinthians o Campeonato Paulista onde proporcionou uma batalha dentro de campo após fazer embaixadinhas e parar a bola na nuca na frente dos palmeirenses. Conquistou o Brasileiro de 99 sendo um dos principais jogadores do elenco, formando um ataque excepcional junto com Luizão (que conhecia dos tempos do Guarani) e Marcelinho Carioca. Em 2000 veio a conquista do titulo mundial quando Edilson fez um jogo memorável contra o Real Madrid: marcou 2 gols, um deles o mais bonito de sua carreira, onde ele colocou a bola entre as pernas do zagueiro Karembeu e chutou forte. O jogo terminou em 2 x 2. Na final o Corinthians venceu o Vasco da Gama nos penaltis. Com a desclassificação do Corinthians da Libertadores em 2000, novamente pelo rival Palmeiras, o jogador acabou deixando o clube numa saída turbulenta.

Perto do fim de sua carreira, chegou a jogar no Vasco da Gama, Nagoya Grampus (Japão) e, novamente, Vitória.

Depois de encerrar a carreira de futebolista, Edílson continuava trabalhando com o futebol e com o entretenimento tendo uma banda e um estudio,a empresa de Edilson Capetinha se chama ED DEZ.

Em 2013 participa do reality show Dança dos Famosos do Domingão do Faustão.

Bahia[editar | editar código-fonte]

No dia 31 de dezembro de 2009, aos 39 anos, anunciou sua volta aos gramados dois anos depois de ter se aposentado. Aceitou uma proposta do Bahia para a temporada de 2010, na qual ficou até a final do famoso Baianão, mas sem levar o título.

Títulos[editar | editar código-fonte]

Seleção Brasileira

(2002)

Palmeiras
Corinthians
Flamengo
Cruzeiro
Vitória
Al Aïn
Seleção Brasileira

Outras Conquistas[editar | editar código-fonte]

Palmeiras
  • Taça Reggiana: 1993[1]
  • Copa Lev Yashin: 1994[2]
  • Taça Nagoya: 1994[3]
  • Copa Brasil-Itália: 1994[4]
Flamengo

Prêmios Individuais[editar | editar código-fonte]

Corinthians

Artilharias[editar | editar código-fonte]

Palmeiras
  • Taça Reggiana: 1993 (3 gols)
Flamengo

Vice-Artilharias[editar | editar código-fonte]

Palmeiras
  • Taça Nagoya: 1994 (1 gol)
Corinthians

Referências

  1. Porcopédia. Taça Reggiana.
  2. Porcopédia. Copa Lev Yashin.
  3. Porcopédia. Taça Nagoya.
  4. Porcopédia. Copa Brasil-Itália.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Bandeira de BrasilSoccer icon Este artigo sobre um futebolista brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.