Jô (futebolista)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Disambig grey.svg Nota: Se procura outros significados, veja .
Jô
Jô atuando pelo Corinthians em 2022
Informações pessoais
Nome completo João Alves de Assis Silva
Data de nasc. 20 de março de 1987 (35 anos)
Local de nasc. São Paulo, São Paulo, Brasil
Nacionalidade brasileiro
Altura 1,92 m
canhoto
Apelido Rei dos Clássicos[1]
Informações profissionais
Clube atual Ceará
Número 77
Posição centroavante
Clubes de juventude
2000–2003 Corinthians
Clubes profissionais2
Anos Clubes Jogos e gol(o)s
2003–2005
2005–2008
2008–2009
2009–2010
2010–2011
2011–2012
2012–2015
2015–2016
2016
2017
2018–2020
2020–2022
2022–
Corinthians
CSKA Moscou
Manchester City
Everton (emp.)
Galatasaray (emp.)
Internacional
Atlético Mineiro
Al-Shabab
Jiangsu Suning
Corinthians
Nagoya Grampus
Corinthians
Ceará
00115 000(18)
00083 000(47)
00042 0000(6)
00036 0000(7)
00015 0000(3)
00036 0000(6)
00127 000(39)
00019 000(16)
00026 000(11)
00061 000(25)
00074 000(32)
00105 000(22)
00008 0000(2)
Seleção nacional3
2007
2008
2007–2014
Brasil Sub-20
Brasil Sub-23
Brasil
00004 0000(0)
00005 0000(2)
00020 0000(5)


2 Partidas e gols totais pelos
clubes, atualizadas até 16 de outubro de 2022.
3 Partidas e gols pela seleção nacional estão atualizadas
até 5 de setembro de 2022.

Medalhas
Jogos Olímpicos
Bronze Pequim 2008 Futebol

João Alves de Assis Silva (São Paulo, 20 de março de 1987), mais conhecido como , é um futebolista brasileiro que atua como centroavante. Atualmente joga no Ceará.

Tendo iniciado sua carreira no Corinthians, Jô teve passagem pelos clubes CSKA Moscou, Manchester City, Everton, Galatasaray, Internacional, Atlético Mineiro, Al-Shabab, Jiangsu Suning e Nagoya Grampus. Fez sua estreia pela Seleção Brasileira em 2007, e esteve no grupo que conquistou a medalha de bronze nas Olimpíadas de 2008. Anos depois, convocado por Luiz Felipe Scolari, Jô conquistou a Copa das Confederações FIFA de 2013 e disputou a Copa do Mundo FIFA de 2014, sendo reserva de Fred em ambos os torneios.

É o maior artilheiro da Neo Química Arena, com 30 gols marcados.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Corinthians[editar | editar código-fonte]

Revelado pelo Corinthians, aos 16 anos de idade conseguiu o feito de se tornar o jogador mais novo a vestir a camisa do clube como profissional. Em julho de 2003, desfalcado de alguns atacantes — Leandro Amaral, contundido, Liedson e Lucas, negociados — o treinador Geninho decidiu lançá-lo contra o Guarani, tendo, à altura, 16 anos, três meses e 29 dias.[2] Marcou seu primeiro gol profissional no dia 24 de agosto, em uma vitória por 3 a 1 contra o Internacional, no Pacaembu, válida pelo Campeonato Brasileiro.[3] O mau momento corintiano naquele ano, contudo, fez com que a diretoria preservasse a jovem promessa, que foi proibida de dar entrevistas. Já no ano seguinte, em 2004, numa declaração à revista Placar, Jô dizia ter o exemplo do amigo Abuda, que, mesmo tendo se destacado no Mundial Sub-17 de 2003 com a Seleção Brasileira da categoria, não conseguiu manter uma boa sequência de jogos "acusado de abusar das noitadas".[4]

Jô em 2007

CSKA Moscou[editar | editar código-fonte]

Após dois anos no clube, em janeiro de 2006 foi contratado pelo CSKA Moscou.[5] O atacante logo se adaptou ao futebol russo e marcou 14 gols em suas primeiras 18 partidas pelo CSKA.

Em outubro de 2007, pela Liga dos Campeões da UEFA, Jô marcou dois gols nas duas partidas contra a Internazionale,[6] um deles com uma dramática derrota por 4 a 2 no Estádio Giuseppe Meazza.[7] No total, atuou em 84 jogos e marcou 47 gols pelo clube de Moscou.

Manchester City[editar | editar código-fonte]

Em 27 de junho de 2008, o Manchester City assinou com Jô por um valor não revelado, estimado em cerca de 19 milhões de libras, um recorde de clube na época.[8] Apresentado pelo clube no dia 3 de julho,[9] o atacante marcou apenas três gols pelo City: dois contra o Omonia, pela Copa da UEFA, e um contra o Portsmouth, válido pela Premier League. Jô achou difícil se estabelecer na equipe participou de apenas seis jogos no início da temporada 2008–09, onde não teve muitas oportunidades por parte do até então novo treinador Mark Hughes.

Jô em 2009, durante um treino pelo Everton

Empréstimos ao Everton e Galatasaray[editar | editar código-fonte]

Everton[editar | editar código-fonte]

Foi emprestado ao Everton em fevereiro de 2009 para o restante da temporada 2008–09, conseguindo boas atuações.[10] Fez sua estréia no jogo contra o Bolton, pela Premier League, marcando dois gols.[11] Ele terminou a temporada com cinco gols em doze jogos na Premier League, embora tenha perdido a corrida de Everton para a FA Cup 2009, depois de jogar os últimos 20 minutos da derrota da terceira rodada do Manchester City, contra o Nottingham Forest.

Retornou ao Manchester City em julho de 2009, mas foi novamente emprestado ao Everton. O atacante reestreou pelos Toffees marcando contra o AEK Atenas, em jogo válido pela Liga Europa da UEFA. Após retornar ao Brasil sem permissão durante o período de Natal, foi suspenso pelo treinador David Moyes por violação de conduta.[12]

Galatasaray[editar | editar código-fonte]

No dia 21 de janeiro de 2010, Jô foi emprestado ao Galatasaray até o final da temporada.[13][14] Ele marcou apenas três gols durante seu período de empréstimo no clube turco.

Retorno ao City[editar | editar código-fonte]

Com o fim do empréstimo ao Galatasaray, Jô voltou ao Manchester City, clube dono dos seus direitos. O atacante brasileiro marcou na sua reestreia, um amistoso contra o Portland Timbers, e também teve sucesso em outros amistosos da pré-temporada, contra New York Red Bulls, Borussia Dortmund e Valencia, respectivamente.

Marcou seu primeiro gol oficial na temporada no dia 16 de setembro de 2010, na vitória por 2 a 0 contra o Red Bull Salzburg, válida pela Liga Europa da UEFA.[15] O atacante também balançou as redes no dia 22 de setembro, na derrota por 2 a 1 contra o West Bromwich Albion, válida pela Copa da Liga. Já no dia 21 de novembro, Jô teve boa atuação na vitória por 4 a 1 sobre o Fulham. O atacante também participou da vitória por 3 a 1 contra o West Ham, antes do Natal, e marcou o único gol do City em um empate por 1 a 1 com a Juventus, válido pela fase de grupos da Europa League.[16] O City conquistou a FA Cup de 2010–11, e apesar do brasileiro não ter atuado na final, ele contribuiu com cinco participações em gol na competição.

Internacional[editar | editar código-fonte]

Após o final do seu empréstimo ao Galatasaray e sem chances no Manchester City, Jô revelou seu acerto com o Internacional no dia 19 de julho de 2011, com a notícia sendo oficializada no dia seguinte pelo clube inglês.[17]

Sua estreia pelo novo clube foi no dia 31 de julho de 2011, no empate contra o Atlético Goianiense, por 0 a 0, no estádio Beira-Rio.[18]

O primeiro tento foi anotado no dia 4 de setembro, no empate em 1 a 1 contra o Ceará.[19]

Marcou mais um gol no dia 21 de setembro, contra o Figueirense, no estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis. O jogador entrou aos 25 minutos do primeiro tempo de jogo, quando Leandro Damião saiu contundido, e, aos 5 minutos do segundo tempo marcou um gol, empatando o jogo que acabara 1 a 1.[20]

Jô marcou seus primeiros dois gols no estádio Beira-Rio no dia 18 de fevereiro de 2012, na vitória de 3 a 1 sobre o Pelotas, válida pelo Campeonato Gaúcho.[21] Em 13 de março, contra o The Strongest, pela Copa Libertadores da América, Jô foi à campo aos 35 minutos do segundo tempo, no lugar de Leandro Damião. Aos 38, o atacante recebeu dentro da área e finalizou com firmeza, marcando um belo gol em seu primeiro toque na bola.[22]

No dia 17 de março, contra o Juventude, Jô, novamente, jogou 10 minutos e fez um belo gol na goleada por 7 a 0.[23]

No final do mês de março, foi afastado pela direção do clube, pois se negou a viajar com a delegação para a Bolívia, onde o clube disputaria um jogo da Libertadores, alegando "indisposição". Mais alguns fatos vieram à tona, e o treinador Dorival Júnior, junto com Fernandão, acharam melhor punir o jogador. Em 10 de abril, cerca de 15 dias depois, foi reintegrado ao grupo, e declarou que "o que aconteceu já passou e agora é seguir para a frente". No entanto, acabou sendo afastado outra vez, no dia 12 de maio, por questões de indisciplina ao lado de Jajá Coelho. A diretoria não o poupou e o dispensou no dia 15 de maio.[24]

Atlético Mineiro[editar | editar código-fonte]

2012[editar | editar código-fonte]

No dia 20 de maio de 2012, o treinador Cuca anunciou, em entrevista coletiva, a contratação do atacante. O Atlético Mineiro recebeu 50% dos direitos do atleta. Em troca, o clube gaúcho recebeu cerca de 2,5 milhões de euros pela transferência. Jô chegou a Minas Gerais com influência do Banco BMG[25] e assinou um contrato de três anos. Na sua apresentação, disse que "o passado é passado", e não quis falar sobre a polêmica saída de Porto Alegre. No primeiro treino, Jô marcou quatro gols; quase o mesmo número que marcou em toda a sua passagem pelo Internacional. Em sua estreia, contra o Bahia, o jogador deixou sua marca, de pênalti, no empate sofrido que o clube mineiro conseguiu de 1 a 1.[26] No seu segundo jogo, contra o Palmeiras, no Pacaembu, Jô marcou o gol da vitória, de cabeça.[27] Em 1 de julho, na vitória de 1 a 0 contra o Grêmio no estádio Olímpico, Jô marcou um dos gols mais bonitos do ano: Bernard pegou a bola na linha de fundo, aplicou dois balõezinhos seguidos nos zagueiros do Grêmio e cruzou para o meio da área; Jô finalizou de primeira e marcou um golaço de voleio.[28]

Em 12 de agosto, Vasco e Atlético Mineiro jogavam pela 16º rodada. O jogo estava 0 a 0 até que Ronaldinho arrancou pela esquerda, driblou o zagueiro e cruzou a bola na medida para Jô de cabeça dar o gol da vitória do Atlético.[29] Em 26 de setembro de 2012, voltou a marcar no Campeonato Brasileiro, depois de um lesão de duas semanas de recuperação.[30] Fez seu sétimo gol contra o Flamengo, em um giro belíssimo e batendo de canhota, fazendo 1 a 1 para o Atlético Mineiro. O jogo terminou 2 a 1 para o Flamengo.[31] Na 32ª rodada do Brasileirão, um dos jogos mais esperado deste Campeonato Brasileiro, o Atlético de Cuca, vice-líder e sob a batuta em campo de Ronaldinho Gaúcho, tentava em casa, no estádio Independência, diminuir a vantagem de nove pontos do líder, o Fluminense de Abel Braga e do artilheiro Fred. O atacante Wellington Nem abriu o placar, mas Jô virou para o Atlético e ainda fez dois gols na vitória sofrida por 3 a 2 no Independência, cujo último gol o zagueiro Leonardo Silva marcou de cabeça.[32]

Amparado pela boa temporada realizada em 2012, Jô não se preocupou com a chegada do centroavante Alecsandro, seu concorrente direto pela camisa 9. O atleticano mais antigo justificou sua tranquilidade afirmando que, no elenco "ninguém tem cadeira cativa"[33]

2013[editar | editar código-fonte]

Marcou um gol em 6 de fevereiro, contra o Tombense em uma vitória por 2 a 1 fora de casa, partida válida pelo Campeonato Mineiro.[34] Dias depois, após ter recebido a camisa 7, marcou um gol na vitória de 2 a 1 contra o São Paulo na Libertadores, em grande jogo disputado em casa.[35][36] O atacante voltou a marcar no dia 17 de fevereiro, contra o Araxá, pelo Campeonato Mineiro.[37] Voltou a marcar contra o Arsenal de Sarandí, pela Libertadores, numa goleada por 5 a 2 fora de casa que contou com três gols de Bernard.[38] Marcou mais um gol na Libertadores, desta vez contra o The Strongest, no dia 7 de março, na vitória por 2 a 1.[39] Já no dia 31 de março, marcou um gol na goleada por 4 a 1 contra o Tupi, válida pelo Campeonato Mineiro.[40] Marcou mais dois gols no dia 7 de abril, na vitória por 4 a 0 contra o Boa Esporte.[41] O atacante teve grande atuação no dia 8 de maio, ao marcar um hat-trick (três gols) contra o São Paulo na vitória por 4 a 1, pelas oitavas de final da Libertadores. O Galo conquistou a classificação após ter vencido a primeira partida por 2 a 1 no Morumbi.[42] Jô voltou a balançar as redes no dia 12 de maio, na vitória por 3 a 0 contra o Cruzeiro, na primeira partida da final do Campeonato Mineiro.[43]

Foi campeão e artilheiro da Copa Libertadores da América, com sete gols. O sétimo gol, que fez de Jô o artilheiro isolado da competição, foi marcado no segundo jogo da final, e abriu o caminho para a vitória do Atlético Mineiro por 2 a 0 sobre o Olimpia. Com esse placar, o jogo foi para a prorrogação e o Galo acabou vencendo por 4 a 3 na disputa por pênaltis. Jô converteu o terceiro pênalti do Atlético Mineiro, cobrando no canto direito do goleiro Martín Silva. Depois da Libertadores, seu futebol caiu um pouco, e chegou até a figurar no banco de reservas, mais depois da convocação de Felipão, ele voltou renovado e fez um hat-trick diante do Coritiba dentro do estádio Independência, fazendo assim seis gols em seis dias e em três jogos.

2014[editar | editar código-fonte]

Começou o ano bem, mas foi caindo de nível com o decorrer da temporada, principalmente depois da Copa do Mundo, na qual esteve com a Seleção Brasileira. Após alguns atos de indisciplina, em novembro Jô foi afastado do elenco pelo treinador Levir Culpi, juntamente com o atacante André e o lateral-esquerdo Emerson Conceição.[44]

2015[editar | editar código-fonte]

Após mais de um ano sem balançar as redes, Jô marcou o gol que deu o título Campeonato Mineiro ao Atlético, No segundo jogo da final contra a Caldense, o centroavante saiu do banco para os braços da torcida, marcando o segundo tento do Atlético na partida após o cruzamento do atacante Luan, sacramentando o título para o Atlético.[45]

Seu último gol pelo Atlético Mineiro foi em um empate de 2 a 2 contra o Palmeiras, no Allianz Parque, em partida válida pela 1ª rodada do Campeonato Brasileiro. Jô havia desempatado o placar aos 40 minutos do segundo tempo, porém no último minuto o Palmeiras conseguiu empatar novamente o jogo.[46][47]

Al-Shabab[editar | editar código-fonte]

No dia 2 de julho de 2015, o Atlético Mineiro acertou sua saída do atacante Jô para o Al-Shabab, dos Emirados Árabes, assinando um contrato de cinco temporadas. A negociação foi realizada após reunião entre o jogador e o clube interessado com diretor de futebol alvinegro, Eduardo Maluf.[48] A apresentação de Jô no clube árabe ocorreu no dia 8 de julho, tendo sido negociado por cerca de 3 milhões de euros, valor equivalente a de 10,4 milhões de reais, com o Atlético Mineiro recebendo 50% do total, já que o clube mineiro detinha metade dos direitos econômicos do atleta. A outra metade era dividida entre o Internacional e um grupo investidor. A contratação de Jô foi indicação do então treinador do time árabe, o brasileiro Caio Júnior.[49]

Jiangsu Suning[editar | editar código-fonte]

Acertou seu contrato com o Jiangsu Suning, da China, no dia 5 de fevereiro de 2016.[50] No entanto, deixou de fazer parte dos planos da equipe apenas alguns meses depois, em julho, ficando livre para ser negociado.[51] No total, atuou em 26 jogos e marcou 11 gols pelo clube chinês.

Segunda passagem pelo Corinthians[editar | editar código-fonte]

Em 2 de novembro de 2016, acertou seu retorno para o Corinthians e assinou por três anos.[52]

Amistosos de início de temporada[editar | editar código-fonte]

Reestreou pelo clube paulista no dia 18 de janeiro de 2017, na vitória por 4 a 1 sobre o Vasco da Gama, em jogo válido pela Florida Cup.[53]

Em 1 de fevereiro, o Corinthians realizou um amistoso preparatório contra a Ferroviária para o Campeonato Paulista, Jô jogou o primeiro tempo e foi substituído no segundo tempo pelo atacante Ángel Romero, para realizações de testes do técnico Fábio Carille. O Corinthians venceu o jogo com gol de Marquinhos Gabriel, marcado aos 49 minutos do segundo tempo.[54]

Jogos oficiais[editar | editar código-fonte]

No dia 4 de fevereiro, o Corinthians realizou seu primeiro jogo oficial no Brasil contra o São Bento, válido pelo Campeonato Paulista, Jô marcou seu primeiro gol na volta ao Corinthians, no segundo tempo, numa cobrança de pênalti. O Corinthians venceu o jogo por 1 a 0 e acumulou seu primeiros três pontos.[55]

Marcou um gol contra o rival Palmeiras no dia 23 de fevereiro, em partida polêmica, marcada pela expulsão do volante Gabriel em um lance do qual ele sequer havia participado: uma falta cometida pelo corintiano Maycon sobre o palmeirense Keno.[56] O árbitro Thiago Duarte Peixoto equivocadamente expulsou Gabriel, deixando o Corinthians com um jogador a menos durante todo o segundo tempo. A partida estava no placar de 0 a 0, até a entrada de Jô aos 40 minutos do segundo tempo. Aos 42 minutos, em seus primeiros toques de bola, Jô conseguiu marcar o gol da vitória, em um dos jogos mais marcantes do Corinthians em 2017.[57]

No dia 7 de maio, após o empate em 1 a 1 contra a Ponte Preta, o atacante sagrou-se campeão do Campeonato Paulista.[58] Em 18 de junho, após um empate por 0 a 0 contra o Coritiba, chegou a marca de 150 jogos com a camisa do Corinthians e foi homenageado.[59]

Marcou dois gols na vitória por 3 a 1 sobre o Fluminense, na Neo Química Arena, no dia 15 de novembro, no jogo que o Corinthians sagrou-se campeão do Campeonato Brasileiro.[60] O atacante foi o artilheiro da competição ao lado de Henrique Dourado, do Fluminense, com 18 gols marcados.[61]

Em oito clássicos disputados em jogos oficiais, Jô marcou um gol contra o Palmeiras, dois contra o Santos e três contra o São Paulo, ganhando o apelido de Rei dos Clássicos.[62] Além de terminar o Campeonato Brasileiro com 18 gols marcados, sendo um dos artilheiros,[61] Jô foi eleito o melhor jogador da competição.[63]

O atacante despediu-se do Corinthians no dia 5 de janeiro de 2018, rumo ao Japão.[64]

Nagoya Grampus[editar | editar código-fonte]

Em 22 de dezembro de 2017, o Corinthians acertou a venda de Jô ao Nagoya Grampus por 11 milhões de euros (cerca de 43 milhões de reais).[65] O atacante marcou seu primeiro hat-trick pelo clube no dia 26 de agosto, na vitória por 3 a 2 contra o Urawa Reds, de virada.[66]

No dia 1 de dezembro de 2018, ao marcar dois gols no empate por 2 a 2 com o Shonan Bellmare, na última rodada da J-League, Jô chegou aos 24 gols na competição e terminou como artilheiro.[67]

O atacante rescindiu seu contrato com a equipe japonesa no dia 22 de maio de 2020.[68]

Terceira passagem pelo Corinthians[editar | editar código-fonte]

No dia 17 de junho de 2020, foi anunciado o seu retorno ao Corinthians até o final de 2023.[69] O atacante reestreou pelo Timão no dia 30 de julho, marcando um gol na vitória por 2 a 0 contra o Red Bull Bragantino, no Morumbi, válida pelo Campeonato Paulista.[70][71] Chegou aos 200 jogos pelo Corinthians no dia 7 de dezembro, em um empate por 0 a 0 contra o Fortaleza.[72] Apesar da marca, Jô foi expulso nesse jogo, após cometer uma falta em Felipe, zagueiro do Fortaleza.[73]

Marcou seu gol de número 50 pelo Corinthians no dia 13 de janeiro de 2021, na vitória por 5 a 0 contra o Fluminense, na Neo Química Arena, válida pelo Campeonato Brasileiro de 2020.[74] Já no dia 27 de junho, tornou-se o maior artilheiro do Corinthians no século XXI com 56 gols e ultrapassou Dentinho (55 gols). O gol que o colocou na artilharia isolada foi marcado durante um empate por 1 a 1 contra o Fluminense, no estádio São Januário, em jogo válido pelo Campeonato Brasileiro de 2021.[75] Chegou a marca de 250 jogos pelo Corinthians no dia 19 de setembro de 2021.[76] Em 5 de outubro, após marcar um gol na vitória por 3 a 1 contra o Bahia, Jô chegou a 28 gols marcados na Neo Química Arena e tornou-se o maior artilheiro do estádio, ultrapassando Ángel Romero (27 gols).[77]

Em 7 de junho de 2022, foi flagrado tocando pagode num bar durante a derrota do Corinthians para o Cuiabá, por 1 a 0, em jogo válido pelo Campeonato Brasileiro. O jogador estava tratando um trauma no pé.[78] No dia seguinte (8), o atacante faltou ao treino e não deu explicações a diretoria.[79] O clube prometeu tratar o assunto internamente e afirmou que daria uma punição exemplar.[80][81][82] Deixou o Corinthians no dia 9 de junho, tendo seu contrato rescindido em comum acordo.[83]

Ceará[editar | editar código-fonte]

Foi anunciado como novo reforço do Ceará no dia 9 de agosto de 2022, assinando contrato até o final do ano.[84] Jô estreou pelo Vozão no dia 27 de agosto, contra o Athletico Paranaense, num empate de 0 a 0 válido pelo Campeonato Brasileiro.[85] Marcou seu primeiro gol pelo clube no dia 4 de setembro, num empate de 1 a 1 contra o Flamengo, em jogo realizado no Maracanã.[86] Voltou a balançar as redes no dia 16 de outubro, em seu oitavo jogo pelo Ceará, no empate de 1 a 1 contra o Cuiabá.[87]

Seleção Nacional[editar | editar código-fonte]

Pela Seleção Brasileira, Jô foi pré-convocado pelo técnico Dunga para a Copa América de 2007,[88] mas acabou não sendo chamado para o torneio.[89]

Foi novamente convocado por Dunga em 2008, dessa vez para a disputa das Olimpíadas 2008, na China.[90] O Brasil conquistou a medalha de bronze contra a Bélgica, na disputa de 3° lugar, e Jô marcou dois gols, nesta que foi a sua única aparição na competição, ocupando a vaga de centroavante reserva, já que a vaga de titular pertencia a Alexandre Pato.[91]

Em 6 de junho de 2013, após uma contusão na coxa de Leandro Damião durante um treino preparatório da Seleção, em Goiânia, Jô foi convocado para o lugar do atacante. A princípio, o atleticano só integraria o grupo para o amistoso contra a França, em Porto Alegre, no dia 7 de junho, mas após o resultado do exame de imagem, verificou-se a gravidade da lesão e Leandro Damião acabou sendo cortado, dando lugar ao Jô na disputa da Copa das Confederações FIFA.[92][93] O centroavante entrou bem nos jogos contra Japão e México, tendo marcado um gol em cada nos minutos finais.[94]

Ainda em 2013, voltou a ser convocado para os amistosos diante da Suíça,[95] Austrália[96] e Portugal,[97] onde foi titular no lugar do lesionado Fred, marcando três gols, dois contra a Austrália[96] e um contra Portugal.[97]

No dia 7 de maio de 2014, Jô foi convocado para Copa do Mundo FIFA de 2014 no Brasil.[98] Viveu má fase durante a Copa, juntamente com o atacante titular, Fred, e o Brasil terminou a competição em 4º lugar.[99]

Jogos pela Seleção Brasileira[editar | editar código-fonte]

Expanda a caixa de informações para conferir todos os jogos pela Seleção Brasileira

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Clubes[editar | editar código-fonte]

Abaixo estão listados todos os jogos, gols e assistências do futebolista por clubes.[100]

Clube Temporada Campeonato

nacional

Copa

nacional[a]

Competições

continentais[b]

Outros

torneios[c]

Total
Jogos Gols Assist. Jogos Gols Assist. Jogos Gols Assist. Jogos Gols Assist. Jogos Gols Assist.
Corinthians 2003 14 1 0 1 0 0 15 1 0
2004 42 8 0 5 2 0 6 0 0 53 10 0
2005 27 4 0 4 1 0 2 0 0 14 2 0 47 7 0
2017 34 18 3 5 1 1 5 0 1 20 6 2 64 25 7
2020 30 6 1 4 2 0 34 8 1
2021 32 7 4 4 0 1 6 1 1 10 2 0 52 10 6
2022 4 1 0 1 1 0 6 0 0 8 2 0 19 4 0
Total 183 45 8 19 5 2 19 1 2 63 14 2 284 65 14
CSKA Moskva 2006–07 18 14 3 8 8 1 5 1 0 31 23 4
2007–08 27 13 3 5 3 2 6 2 0 38 18 5
2008–09 8 3 1 2 1 0 4 2 0 14 6 1
Total 53 31 7 15 12 3 15 4 0 83 47 10
Manchester City 2008–09 9 1 2 2 0 1 7 2 1 18 3 4
2011–12 12 0 0 6 1 0 6 2 1 24 3 1
Total 21 1 2 8 1 1 13 4 2 42 6 5
Everton 2008–09 12 5 2 12 5 2
2009–10 15 0 2 2 1 0 7 1 0 24 2 2
Total 27 5 4 2 1 0 7 1 0 36 7 4
Galatasaray 2010–11 13 3 2 2 0 0 15 3 2
Total 13 3 2 2 0 0 15 3 2
Internacional 2011 16 2 1 2 0 1 18 2 2
2012 5 1 0 13 3 0 18 4 0
Total 21 3 1 2 0 1 13 3 0 36 6 2
Atlético Mineiro 2012 24 9 7 5 1 0 29 10 7
2013 21 6 3 2 0 0 16 7 3 13 6 0 52 19 6
2014 16 0 4 2 0 0 10 4 1 9 4 0 37 8 5
2015 3 1 0 3 0 0 3 1 0 9 2 0
Total 64 16 14 4 0 0 34 12 4 25 11 0 127 39 18
Al–Shabab 2016 13 8 0 6 8 0 19 16 0
Total 13 8 0 6 8 0 19 16 0
Jiangsu Suning 2016 17 6 1 3 1 0 6 4 3 26 11 4
Total 17 6 1 3 1 0 6 4 3 26 11 4
Nagoya Grampus 2018 33 24 5 4 1 0 37 25 5
2019 32 6 7 5 2 0 37 8 7
Total 65 30 12 9 3 0 74 33 12
Ceará 2022 8 2 0 8 2 0
Total 8 2 0 8 2 0
Total na carreira 485 150 51 68 31 6 96 26 12 101 28 2 750 235 71

Seleção Brasileira[editar | editar código-fonte]

Abaixo estão listados todos os jogos, gols e assistências do futebolista pela Seleção Brasileira, desde as categorias de base.

Seleção Principal

Ano Copa do Mundo Copa das Confederações Qualificação Mundial Amistosos Total
Jogos Gols Assist. Jogos Gols Assist. Jogos Gols Assist. Jogos Gols Assist. Jogos Gols Assist.
2007 1 0 0 1 0 0
2008 2 0 0 2 0 0
2013 3 2 0 8 3 0 3 5 0
2014 3 0 0 3 0 1 6 0 1
Total na carreira 3 0 0 3 2 0 2 0 0 12 3 1 20 5 1

Seleção Sub–23

Ano Jogos Olímpicos
Jogos Gols Assist.
2008 5 2 0
Total na carreira 5 2 0

Seleção Sub–20

Ano Campeonato Mundial
Jogos Gols Assist.
2007 4 0 0
Total na carreira 4 0 0

Títulos[editar | editar código-fonte]

Corinthians
CSKA Moscou
Manchester City
Internacional
Atlético Mineiro
Seleção Brasileira

Artilharias[editar | editar código-fonte]

Atlético Mineiro
Corinthians
Nagoya Grampus

Prêmios individuais[editar | editar código-fonte]

Ano Premiação Prêmio Time Resultado Ref.
2017 Seleção do Campeonato Paulista Melhor atacante Corinthians Venceu [101]
Craque da galera Venceu [101]
Seleção do Troféu Mesa Redonda Melhor 2º atacante Venceu
Melhor jogador Venceu
Bola de Prata Melhor centroavante Venceu [102]
Bola de Ouro Venceu [103]
Prêmio Craque do Brasileirão Melhor atacante Venceu [104]
Melhor jogador Venceu [104]
Craque da galera 2º lugar [105]

Referências

  1. «Rei dos clássicos do Corinthians, Jô pode assumir a artilharia da Arena diante do Palmeiras». Terra. 22 de setembro de 2021. Consultado em 24 de agosto de 2022 
  2. «Cria do terrão alvinegro, Jô completa 33 anos de idade». Site oficial do Corinthians. 20 de março de 2020. Consultado em 27 de setembro de 2022 
  3. Helder Júnior (24 de agosto de 2017). «Primeiro gol de Jô pelo Corinthians completa 14 anos nesta quinta-feira». Gazeta Esportiva. Consultado em 27 de setembro de 2022 
  4. Abril, Editora (setembro de 2004). Placar Magazine. [S.l.]: Editora Abril 
  5. «Corintiano Jô diz que assinou pré-contrato com CSKA». NSC Total. 23 de setembro de 2005. Consultado em 24 de agosto de 2022 
  6. «Daniel Carvalho não evita derrota do CSKA para a Inter de Milão». Diário Gaúcho. 23 de outubro de 2007. Consultado em 24 de agosto de 2022 
  7. «De virada, Inter de Milão derrota o CSKA e se aproxima das oitavas». UOL. 7 de novembro de 2007. Consultado em 24 de agosto de 2022 
  8. «Manchester City contrata Jô por R$ 60,5 milhões». Virgula. 27 de junho de 2008. Consultado em 24 de agosto de 2022 
  9. «Man City complete record Jo deal» (em inglês). BBC Sport. 3 de julho de 2008. Consultado em 24 de agosto de 2022 
  10. «Manchester City empresta atacante Jô ao Everton». Estadão. 2 de fevereiro de 2009. Consultado em 27 de setembro de 2022 
  11. Chris Whyatt (21 de setembro de 2008). «Man City 6-0 Portsmouth» (em inglês). BBC Sport. Consultado em 27 de setembro de 2022 
  12. «Everton supende Jô por viagem ao Brasil». BBC Brasil. 1 de janeiro de 2010. Consultado em 24 de agosto de 2022 
  13. «Jô deixa Everton e é emprestado ao Galatasaray». Gazeta do Povo. 21 de janeiro de 2010. Consultado em 24 de agosto de 2022 
  14. «Man City striker Jo seals loan move to Galatasaray» (em inglês). BBC Sport. 21 de janeiro de 2010. Consultado em 27 de setembro de 2022 
  15. Saj Chowdhury (16 de setembro de 2010). «Salzburg 0-2 Man City» (em inglês). BBC Sport. Consultado em 24 de agosto de 2022 
  16. «City empata com a Juventus e termina na liderança do Grupo A». Trivela. 16 de dezembro de 2010. Consultado em 24 de agosto de 2022 
  17. Alexandre Alliatti (20 de julho de 2011). «Manchester City oficializa saída de Jô. Atacante faz exames no Inter». GloboEsporte.com. Consultado em 24 de agosto de 2022 
  18. «Cansado após viagem, Inter empata com o Atlético-GO». VEJA. 31 de julho de 2011. Consultado em 24 de agosto de 2022 
  19. «Ceará e Inter empatam: resultado justo e desagradável para os dois». GloboEsporte.com. 4 de setembro de 2011. Consultado em 27 de setembro de 2022 
  20. «Pontos e jogadores perdidos: Figueirense e Inter ficam no 1 a 1». GloboEsporte.com. 21 de setembro de 2011. Consultado em 27 de setembro de 2022 
  21. «Inter vence com dois gols de Jô e termina em primeiro do Grupo 1». GloboEsporte.com. 18 de fevereiro de 2012. Consultado em 27 de setembro de 2022 
  22. Diego Guichard (13 de março de 2012). «Com três de Damião, Inter lava a alma e goleia The Strongest: 5 a 0». GloboEsporte.com. Consultado em 27 de setembro de 2022 
  23. «Do 8 a 1 ao 7 a 0: Juventude vira freguês do Inter». GZH. 18 de março de 2012. Consultado em 27 de setembro de 2022 
  24. Diego Guichard (15 de maio de 2012). «Punição severa: Inter decide pela liberação de Jô e multa a Jajá». GloboEsporte.com. Consultado em 27 de setembro de 2022 
  25. Jeremias Wernek (20 de maio de 2012). «Jô fecha com Atlético-MG e Inter consegue 'se livrar' em menos de uma semana». UOL. Consultado em 27 de setembro de 2022 
  26. «Sem Ronaldinho, Galo passa dificuldades e empata com Bahia». Veja. 6 de junho de 2012. Consultado em 11 de junho de 2012 
  27. Held, Felipe (9 de junho de 2012). «Atlético-MG vence, afunda Palmeiras e lidera em estreia de Ronaldinho». Terra. Consultado em 11 de junho de 2012 
  28. Lucas Rizzatti (1 de julho de 2012). «Bernard relembra melhor R49 e Galo vence Grêmio no Olímpico e vira líder». GloboEsporte.com. Consultado em 24 de agosto de 2022 
  29. «Atlético-MG vence Vasco e amplia vantagem na liderança». O Globo. 12 de agosto de 2012. Consultado em 13 de agosto de 2012 
  30. «Jô é vetado e vai desfalcar o Atlético-MG em mais uma partida». Revista Lance. 21 de setembro de 2012. Consultado em 23 de setembro de 2012 
  31. «Com muitas vaias a Ronaldinho, Flamengo conta com belos gols e derrota o Atlético-MG». ESPN Brasil. 26 de setembro de 2012. Consultado em 24 de agosto de 2022 
  32. «Em jogão, Galo bate Flu com show de R49 e dá emoção ao Brasileiro». GloboEsporte.com. 21 de outubro de 2012. Consultado em 24 de agosto de 2022 
  33. Wanderson Lima (11 de janeiro de 2013). «Sem temer Alecsandro, Jô descarta cadeira cativa no Atlético». Terra. Consultado em 24 de agosto de 2022 
  34. Léo Simonini (6 de fevereiro de 2013). «Com dificuldades, Atlético-MG vence o estreante Tombense de virada». GloboEsporte.com. Consultado em 24 de agosto de 2022 
  35. «Ronaldinho arrasa São Paulo, e Atlético-MG vence na volta à Libertadores». Terra. 13 de fevereiro de 2013. Consultado em 24 de agosto de 2022 
  36. Fernando Martins Y Miguel (13 de fevereiro de 2013). «Com assistências e lance de 'sorte', R10 decide, e Galo vence São Paulo». GloboEsporte.com. Consultado em 24 de agosto de 2022 
  37. Fernando Martins Y Miguel (17 de fevereiro de 2013). «Sem R10 e com golaço de Bernard, Galo é superior e vence o Araxá». GloboEsporte.com. Consultado em 24 de agosto de 2022 
  38. Fernando Martins Y Miguel (27 de fevereiro de 2013). «Sondado por Felipão, Bernard vira 'chiquito fenômeno' na Argentina». GloboEsporte.com. Consultado em 24 de agosto de 2022 
  39. Fernando Martins Y Miguel (7 de março de 2013). «Sob comando do bajulado R10, Galo bate Strongest e mantém os 100%». GloboEsporte.com. Consultado em 24 de agosto de 2022 
  40. Fernando Martins Y Miguel (31 de março de 2013). «Atlético-MG cozinha Tupi no 'caldeirão' e se classifica às semifinais». GloboEsporte.com. Consultado em 24 de agosto de 2022 
  41. «Luan lamenta não ter feito três gols: 'Poderia pedir música (no Fantástico)'». GloboEsporte.com. 7 de abril de 2013. Consultado em 24 de agosto de 2022 
  42. Alexandre Lozetti (8 de maio de 2013). «Galo dá aula de talento e dedicação ao São Paulo e segue na Libertadores». GloboEsporte.com. Consultado em 24 de agosto de 2022 
  43. «Galo atropela o Cruzeiro e fica muito próximo do bicampeonato mineiro». GloboEsporte.com. 12 de maio de 2013. Consultado em 24 de agosto de 2022 
  44. Bernardo Lacerda (3 de novembro de 2014). «Atlético-MG afasta Jô, André e Emerson Conceição por indisciplina». UOL. Consultado em 24 de agosto de 2022 
  45. «Jô marca, põe fim a jejum de mais de um ano e Atlético conquista 43º título mineiro». ESPN. 3 de maio de 2015. Consultado em 23 de fevereiro de 2017 
  46. «No último minuto, Palmeiras arranca empate do Atlético-MG na Arena». Globo Esporte. 9 de maio de 2015. Consultado em 2 de dezembro de 2017 
  47. «Palmeiras 2 x 2 Atlético Mineiro - No último minuto, Palmeiras arranca empate do Atlético-MG na Arena». Globo Esporte. 9 de maio de 2015. Consultado em 2 de dezembro de 2017 
  48. Thiago Nogueira (2 de julho de 2015). «Jô acerta com Al Shabab, dos Emirados Árabes, e deixa o Galo». Consultado em 2 de dezembro de 2017 
  49. «Jô é apresentado no Al Shabab e revela sonho de voltar à Seleção». GloboEsporte.com. 8 de julho de 2015. Consultado em 2 de dezembro de 2017 
  50. «Jô acerta transferência para o Jiangsu Suning da China». Hoje em Dia. 5 de fevereiro de 2016. Consultado em 24 de agosto de 2022 
  51. Rodrigo Cerqueira (19 de julho de 2016). «Jiangsu Suning não conta mais com o atacante Jô, que será negociado». GloboEsporte.com. Consultado em 24 de agosto de 2022 
  52. «Corinthians oficializa contratação de Jô por três anos: 'Bem vindo'». ESPN Brasil. 2 de novembro de 2016. Consultado em 24 de agosto de 2022 
  53. «Kazim brilha em estreia, e Corinthians goleia Vasco no Torneio da Flórida». GloboEsporte.com. 18 de janeiro de 2017. Consultado em 24 de agosto de 2022 
  54. «Corinthians marca nos acréscimos e bate Ferroviária em amistoso na arena». GloboEsporte.com. 1 de fevereiro de 2017. Consultado em 24 de agosto de 2022 
  55. «Jô marca de pênalti, e Corinthians bate o São Bento na estreia do Paulistão». GloboEsporte.com. 4 de fevereiro de 2017. Consultado em 24 de agosto de 2022 
  56. «Épico, centenário e polêmico! Com um a menos, Corinthians vence o Dérbi». GloboEsporte.com. 22 de fevereiro de 2017. Consultado em 24 de agosto de 2022 
  57. «Corinthians supera erro de arbitragem, tem Jô como herói e vence 1º dérbi do centenário». ESPN Brasil. 22 de fevereiro de 2017. Consultado em 24 de agosto de 2022 
  58. «Corinthians empata com a Ponte e é campeão paulista pela 28ª vez». GZH. 7 de maio de 2017. Consultado em 24 de agosto de 2022 
  59. «Jô é homenageado por completar 150 partidas pelo Corinthians». Gazeta Esportiva. 18 de junho de 2017. Consultado em 24 de agosto de 2022 
  60. «De virada, Corinthians vence Fluminense e conquista o Brasileirão pela sétima vez». GloboEsporte.com. 15 de novembro de 2017. Consultado em 24 de agosto de 2022 
  61. a b Bruno Cassucci (3 de dezembro de 2017). «Jô é o primeiro jogador do Corinthians a ser artilheiro do Campeonato Brasileiro». GloboEsporte.com. Consultado em 24 de agosto de 2022 
  62. «Rei dos clássicos do Corinthians, Jô foi carrasco do São Paulo na última passagem». Gazeta Esportiva. 28 de agosto de 2020. Consultado em 24 de agosto de 2022 
  63. «Um dos artilheiros do Brasileirão, Jô é escolhido o craque da competição». GloboEsporte.com. 4 de dezembro de 2017. Consultado em 24 de agosto de 2022 
  64. Marcelo Braga (5 de janeiro de 2018). «Jô explica saída do Corinthians, dá dicas a substituto e se despede: "É um até breve"». GloboEsporte.com. Consultado em 24 de agosto de 2022 
  65. Bruno Cassucci e Marcelo Braga (22 de dezembro de 2017). «Corinthians acerta venda do atacante Jô ao Nagoya Grampus, do Japão». GloboEsporte.com. Consultado em 24 de agosto de 2022 
  66. «Jô faz hat-trick e garante vitória do Nagoya Grampus sobre o Urawa Red». GloboEsporte.com. 26 de agosto de 2018. Consultado em 24 de agosto de 2022 
  67. «Jô faz dois gols, livra Nagoya Grampus do rebaixamento e termina Japonês como artilheiro». GloboEsporte.com. 1 de dezembro de 2018. Consultado em 24 de agosto de 2022 
  68. Nathália Almeida (22 de maio de 2020). «Ídolo no Corinthians, Jô rescinde com clube japonês e tem dois destinos possíveis». 90min. Consultado em 24 de agosto de 2022 
  69. «Corinthians anuncia a contratação do atacante Jô até o fim de 2023». GloboEsporte.com. 17 de junho de 2020. Consultado em 16 de outubro de 2022 
  70. «Jô marca na reestreia, e Corinthians vence Bragantino para avançar à semifinal». GloboEsporte.com. 30 de julho de 2020. Consultado em 24 de agosto de 2022 
  71. «Jô reestreia no Corinthians com gol e festeja: "Três passinhos para alcançar o título"». GloboEsporte.com. 30 de julho de 2020. Consultado em 24 de agosto de 2022 
  72. «Jô recebe homenagem pelos 200 jogos com a camisa do Corinthians». LANCE!. 7 de dezembro de 2020. Consultado em 24 de agosto de 2022 
  73. Samir Carvalho (3 de dezembro de 2020). «Mancini critica expulsão de Jô e pênalti não marcado para o Corinthians». UOL. Consultado em 24 de agosto de 2022 
  74. «Jô chega ao gol 50 pelo Corinthians e projeta 2021 diferente para o clube: 'Começamos com o pé direito'». LANCE!. 14 de janeiro de 2021. Consultado em 27 de setembro de 2022 
  75. «Jô se isola como maior artilheiro do Corinthians no século». UOL. 28 de junho de 2021. Consultado em 24 de agosto de 2022 
  76. «Artilheiro e líder em assistências na temporada, Jô completa 250 jogos pelo Corinthians». Central do Timão. 19 de setembro de 2021. Consultado em 19 de setembro de 2021 
  77. Rodolfo Rodrigues (5 de outubro de 2021). «Opinião: Rodolfo Rodrigues - Rodolfo Rodrigues: Jô é o maior artilheiro do Corinthians em Itaquera». UOL. Consultado em 24 de agosto de 2022 
  78. «Com trauma no pé, Jô é flagrado tocando pagode durante derrota do Corinthians; vídeo». ge. Consultado em 9 de junho de 2022 
  79. Nathalia Costa, Ricardo Perrone e Yago Rudá (8 de junho de 2022). «Jô falta a treino e não dá explicação ao Corinthians após flagra em festa». UOL. Consultado em 24 de agosto de 2022 
  80. «Corinthians se manifesta sobre pagode de Jô: "Trata internamente"». ge. Consultado em 9 de junho de 2022 
  81. «Corinthians promete conversa com Jô nesta quarta e cogita punição». ge. Consultado em 9 de junho de 2022 
  82. «Jô falta a treino do Corinthians após pagode e será punido». ge. Consultado em 9 de junho de 2022 
  83. Marcelo Braga (9 de junho de 2022). «Corinthians e Jô rescindem contrato». GloboEsporte.com. Consultado em 24 de agosto de 2022 
  84. Beatriz Carvalho e Marta Negreiros (9 de agosto de 2022). «Ceará anuncia contratação do centroavante Jô». GloboEsporte.com. Consultado em 24 de agosto de 2022 
  85. «Na estreia de Jô, Ceará fica no empate com reservas do Athletico». UOL. 27 de agosto de 2022 
  86. Vladimir Marques (4 de setembro de 2022). «Ceará é valente e empata com Flamengo no Maracanã na estreia do técnico Lucho González». Diário do Nordeste 
  87. «Ceará empata com Cuiabá em jogo encerrado após briga da torcida e invasão no Castelão». Diário do Nordeste. 16 de outubro de 2022 
  88. «Dunga pré-convoca Zé Roberto e surpresas para Copa América». UOL. 28 de maio de 2007. Consultado em 24 de agosto de 2022 
  89. «Relembre o elenco completo que deu o último título de Copa America para a Seleção Brasileira». Torcedores.com. 4 de junho de 2016. Consultado em 14 de janeiro de 2021 
  90. «Dunga convoca seleção olímpica com Ronaldinho Gaúcho». Extra. 7 de julho de 2008. Consultado em 27 de setembro de 2022 
  91. «Brasil vence Bélgica e fica com o bronze no futebol masculino». Estadão. 22 de agosto de 2008. Consultado em 24 de agosto de 2022 
  92. Daniel Favero e Fernando Diniz (7 de junho de 2013). «Médico da Seleção Brasileira confirma corte de Leandro Damião». Terra. Consultado em 24 de agosto de 2022 
  93. «Jô é convocado para lugar de Leandro Damião, lesionado». Consultado em 7 de junho de 2013. Arquivado do original em 9 de junho de 2013 
  94. Carolina Pimentel (19 de junho de 2013). «Brasil vence México por 2 a 0 com gols de Neymar e Jô». EBC. Consultado em 24 de agosto de 2022 
  95. Leandro Canônico (14 de agosto de 2013). «Dani Alves faz contra, e Brasil cai para Suíça após título das Confederações». GloboEsporte.com. Consultado em 24 de agosto de 2022 
  96. a b «AO VIVO: acompanhe o jogo Brasil x Austrália». Globoesporte.com. Consultado em 14 de janeiro de 2021 
  97. a b «AO VIVO: acompanhe o jogo Brasil x Portugal». Globoesporte.com. Consultado em 14 de janeiro de 2021 
  98. «Felipão anuncia convocados da Seleção para a Copa do Mundo». GloboEsporte.com. 7 de maio de 2014. Consultado em 24 de agosto de 2022 
  99. «Brasil perde para a Holanda e termina a Copa em 4º lugar». GZH. 12 de julho de 2014. Consultado em 24 de agosto de 2022 
  100. «Jô Ceará vídeos, histórico de transferências e estatísticas - SofaScore». www.sofascore.com. Consultado em 6 de setembro de 2022 
  101. a b «Com cinco jogadores e Carille, campeão Corinthians é base da seleção do Paulistão». Globo Esporte. 8 de maio de 2017. Consultado em 9 de maio de 2017 
  102. «Quem precisa de Drogba? Jô entra em seleto grupo de atacantes corintianos na Bola de Prata». ESPN. 4 de dezembro de 2017. Consultado em 4 de dezembro de 2017 
  103. «Jô deixa baladas para trás, renasce das cinzas e leva a Bola de Ouro». ESPN. 4 de dezembro de 2017. Consultado em 4 de dezembro de 2017 
  104. a b «Jô e Hernanes dominam premiação da CBF; Corintiano é o craque do torneio». UOL. 5 de dezembro de 2017. Consultado em 5 de dezembro de 2017 
  105. «É do Profeta! Hernanes desbanca Jô e Juan e leva prêmio "Craque da Galera"». Globo Esporte. 5 de dezembro de 2017. Consultado em 5 de dezembro de 2017 

Links externos[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Jô (futebolista)