Este é um artigo bom. Clique aqui para mais informações.

Florida Cup de 2017

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Florida Cup 2017
III Florida Cup
Florida Cup 2017.png
Logo da edição.
Dados
Participantes 12
Local de disputa Flórida, EUA
Período 8 de janeiro21 de janeiro
Gol(o)s 19
Partidas 13
Média 1,46 gol(o)s por partida
Campeão Challenge Clash of Nations: Alemanha (2° título)

Play-offs: São Paulo (1° título)

Vice-campeão Challenge Clash of Nations: Brasil

Play-offs: Corinthians

Melhor marcador 2 gols:
Melhor ataque (fase inicial) 4 gols:
Melhor defesa (fase inicial) Nenhum gol:
Maior goleada
(diferença)
Vasco da Gama 1 – 4 Corinthians
Bright House Networks StadiumOrlando
18 de janeiro
Premiações
Melhor jogador Sidão (São Paulo)
◄◄ Flórida 2016 Soccerball.svg 2018 Flórida ►►

A Florida Cup de 2017, traduzido para português como Torneio da Flórida de 2017, foi a terceira edição do torneio amistoso anual Florida Cup, realizado na Flórida, Estados Unidos. Em um evento realizado na cidade de São Paulo, a organização anunciou oficialmente o regulamento e o número de participantes da competição. Nesta edição, o torneio foi divido em duas fases, a primeira foi chamada de Challenge Clash of Nations, cujo regulamento é semelhante ao da Copa Davis, e a segunda fase composta por um sistema de jogos eliminatórios.

Em primeira instância, o evento confirmou a participação de catorze clubes; a primeira fase seria disputada por seis clubes em formato de pontos corridos, sendo que o Atlético Mineiro e o Flamengo representariam o Brasil e o Bayer Leverkusen e o VfL Wolfsburg representariam a Alemanha, enquanto o Tampa Bay Rowdies e o Estudiantes representariam a parceria Estados Unidos & Argentina. A segunda fase, composta por um sistema de jogos eliminatórios, seria disputada por Barcelona de Guayaquil, Corinthians, Internacional, Millonarios, River Plate, Shanghai SIPG, São Paulo e Vasco da Gama. Em dezembro de 2016, ocorreram as desistências de Flamengo, Internacional e Shanghai SIPG; o Bahia foi confirmado no lugar do rubro-negro carioca, enquanto o Colo-Colo foi convidado para substituir o clube chinês, no entanto, a organização modificou a tabela da segunda fase após a desistência do Internacional.

O VfL Wolfsburg garantiu a primeira colocação do Challenge Clash of Nations ao derrotar o Bahia nos pênaltis e a equipe de Wolfsburg superou o Bayer Leverkusen nos critérios de desempate; a boa performance dos alemães rendeu o título da primeira fase para a Alemanha. Por outro lado, o São Paulo conquistou o título da fase Play-offs, após o tricolor derrotar nos pênaltis o rival Corinthians. A competição marcou a estreia e o primeiro título de Rogério Ceni como treinador. O São Paulo faturou o torneio sem marcar gols no tempo regulamentar, vencendo seus adversários nas penalidades.

Participantes[editar | editar código-fonte]

Inicialmente, o torneio apresentou catorze clubes participantes; a tabela do Challenge Clash of Nations, denominação da primeira fase, contava com os alemães Bayer Leverkusen e VfL Wolfsburg, os brasileiros Atlético Mineiro e Flamengo e o Tampa Bay Rowdies dos Estados Unidos;[1] posteriormente, o Estudiantes foi confirmado como participante.[2] Entretanto, o Flamengo anunciou a desistência do torneio devido à alteração do calendário do futebol brasileiro após o acidente com o voo da delegação da Chapecoense.[3] Posteriormente, o Bahia foi confirmado como substituto.[4]

A segunda fase do torneio, composta por jogos eliminatórios e denominada de Play-offs, inicialmente seria disputada por oito equipes, sendo elas: Corinthians, Internacional, São Paulo e Vasco da Gama, representantes brasileiros; River Plate, representante da Argentina; Millonarios, representante da Colômbia; Barcelona de Guayaquil, equipe equatoriana; e o chinês Shanghai SIPG. Os confrontos chegaram a ser sorteados em setembro de 2016; o Corinthians enfrentaria o River Plate pela Chave A e o vencedor do duelo enfrentaria na semifinal o vencedor da Chave B, que era composta por Vasco da Gama e Barcelona. O mesmo critério prevaleceria na outra semifinal; o vencedor da Chave C, composta por Internacional e Millonarios, enfrentaria o vencedor da Chave D, que consistia em São Paulo e Shanghai SIPG.[5] No entanto, o clube chinês desistiu do torneio, anunciando por meio de uma conta oficial que faria uma viagem para Doha durante o período da competição.[6] A organização tratou de convidar o chileno Colo-Colo para a vaga disponível, que aceitou o convite e chegou a anunciar que participaria do torneio,[7] entretanto, poucos dias depois, o Internacional também anunciou a desistência do torneio.[8] Dessa forma, a organização resolveu eliminar uma chave e modificou a tabela para seis equipes, portanto o Colo-Colo foi desconvidado.[9]

País Clube Cidade Confederação Liga
 Alemanha Bayer Leverkusen Leverkusen UEFA Bundesliga
VfL Wolfsburg Wolfsburg
 Brasil Corinthians São Paulo CONMEBOL Série A
São Paulo
Bahia Salvador
Vasco Rio de Janeiro
Atlético Mineiro Belo Horizonte
 Argentina River Plate Buenos Aires Primera División
Estudiantes La Plata
 Colômbia Millonarios Bogotá Categoría Primera A
Equador Barcelona de Guayaquil Guaiaquil Primeira A
 Estados Unidos Tampa Bay Rowdies São Petersburgo CONCACAF USL

Challenge Clash of Nations[editar | editar código-fonte]

O "Challenge Clash of Nations" foi a denominação da primeira fase do torneio. O formato é semelhante ao da Copa Davis, um evento internacional de tênis masculino. A primeira fase foi disputada entre os dias 8 e 15 de janeiro. Nesta fase, cada equipe disputou duas partidas em busca de pontuar para a sua nação. Os clubes vitoriosos no tempo regulamentar conquistaram três pontos; em caso de empate cada clube pontuou um ponto, entretanto, aquele que saiu vitorioso nas penalidades conquistou um ponto extra.[10]

Classificação[editar | editar código-fonte]

A primeira rodada da fase foi realizada em 8 de janeiro e foi composta por confrontos entre a Alemanha e a parceria Estados Unidos & Argentina. Os primeiros pontos do torneio foram conquistados pelo Estudiantes e o Bayer Leverkusen, que se enfrentaram e terminaram em igualdade no tempo regulamentar. Os alemães venceram nas penalidades e conquistaram dois pontos para sua nação, enquanto que os argentinos ficaram com um ponto. No jogo seguinte, o Tampa Bay Rowdies foi derrotado pelo VfL Wolfsburg. Após o término da rodada, a Alemanha conquistou cinco pontos.[11][12]

A segunda rodada foi realizada nos dias 11 e 12 de janeiro e foi caracterizada pelos confrontos entre Alemanha e Brasil. No primeiro confronto, a equipe mista do Atlético Mineiro, atual campeão do torneio, foi derrotada pelo placar mínimo diante do Bayer Leverkusen, resultando em três pontos para a Alemanha. No segundo confronto, Wolfsburg e Bahia não saíram do empate sem gols; ambas as equipes pontuaram, entretanto, a equipe alemã saiu vitoriosa nas penalidades, rendendo dois pontos para Alemanha. No final da rodada, o Wolfsburg garantiu a primeira colocação do Challenge Clash of Nations e a Alemanha sagrou-se campeã desta fase com dez pontos.[13][14]

Encerrando a primeira fase da competição, a terceira rodada foi composta pelos confrontos entre Brasil e a parceria Estados Unidos & Argentina. O Atlético Mineiro derrotou o Tampa Bay Rowdies e encerrou a competição em quarto colocado. Por outro lado, os estadunidenses não pontuaram no torneio. No segundo confronto, o Bahia foi derrotado pelo placar mínimo para o Estudiantes, que foi o terceiro colocado, atrás apenas dos alemães. A equipe brasileira foi a penúltima colocada, encerrando sua participação com apenas com um ponto.[15][16]

Pos. Clube Pts J V VP DP D GP GC SG
1  Alemanha 10 4 2 2 0 0 4 1 +3
VfL Wolfsburg 5 2 1 1 0 0 2 0 +2
Bayer Leverkusen 5 2 1 1 0 0 2 1 +1
2  Brasil 4 4 1 0 1 2 2 2 0
Atlético Mineiro 3 2 1 0 0 1 2 1 +1
Bahia 1 2 0 0 1 1 0 1 –1
3  Estados Unidos &
 Argentina
4 4 1 0 1 2 2 5 –3
Estudiantes 4 2 1 0 1 0 2 1 +1
Tampa Bay Rowdies 0 2 0 0 0 2 0 4 –4

Jogos[editar | editar código-fonte]

Primeira rodada[editar | editar código-fonte]

Estudiantes x Bayer Leverkusen

Estudiantes e Bayer Leverkusen foram os responsáveis pelo primeiro jogo desta edição do torneio. O duelo entre o representante da Argentina contra um dos representantes da Alemanha foi realizado no Al Lang Stadium. O primeiro lance de perigo foi uma finalização de Lucas Viatri, atacante do Estudiantes; a equipe argentina marcou seu gol em uma finalização na entrada da área de Elias Umeres. No final do primeiro tempo, o árbitro assinalou pênalti para o Bayer Leverkusen, entretanto, o goleiro Mariano Andújar defendeu a cobrança de Chicharito Hernández. Após o lance, o jogador Rodrigo Braña foi expulso da partida.[11][17]

No segundo tempo, o Estudiantes, em desvantagem numérica, se dedicou a marcar o adversário. Porém, Sam Schreck chutou colocado no canto direito e empatou a partida. Após o gol, o jogo se acalmou e terminou em igualdade. Nas penalidades, a equipe argentina desperdiçou duas cobranças, enquanto os alemães apenas uma.[11][17]

8 de janeiro Estudiantes Argentina 1 – 1 Alemanha Bayer Leverkusen Al Lang Stadium, São Petersburgo
14:00 (UTC−5)
Umeres Gol marcado aos 33 minutos de jogo 33' Schreck Gol marcado aos 70 minutos de jogo 70' Árbitro: Estados UnidosUSA Vince Apple-Chiarella
    Penalidades  
Aguirregaray Erro
González Pírez Convertido
Marchioni Convertido
Diarte Erro
2 – 4 Convertido Kießling
Convertido Aránguiz
Erro Mehmedi
Convertido Brandt
Convertido Dragović
 
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Estudiantes
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Bayer
Tampa Bay Rowdies x VfL Wolfsburg

O jogo entre Tampa Bay Rowdies e VfL Wolfsburg foi o segundo jogo do torneio e o último da primeira rodada, realizado no Al Lang Stadium. A equipe alemã, favorita na partida, marcou o primeiro gol aos cinco minutos, depois que Robert Hermann converteu de falta. O mesmo jogador converteu o segundo gol aos quarenta minutos. No segundo tempo, a equipe da Alemanha dominou, mas não voltou a marcar.[12]

8 de janeiro Tampa Bay Rowdies Estados Unidos 0 – 2 Alemanha VfL Wolfsburg Al Lang Stadium, São Petersburgo
16:45 (UTC−5)
Hermann Gol marcado aos 6 minutos de jogo 6' , Gol marcado aos 42 minutos de jogo 42' Árbitro: Estados UnidosUSA Jonathan Wener
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Rowdies
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Wolfsburg

Segunda rodada[editar | editar código-fonte]

Atlético Mineiro × Bayer Leverkusen

O jogo entre Atlético Mineiro e Bayer Leverkusen ficou marcado como a estreia do Brasil na competição, e um duelo entre Brasil e Alemanha. O jogo começou às 19 horas no horário da Flórida, no ESPN Wide World of Sports Complex Field 17. O time do Atlético foi composto por jogadores da categoria de base e reservas do time principal. O primeiro tempo permaneceu sobre domínio do time alemão, que não abriu o placar, mas obteve boas chances, incluindo uma finalização de Hakan Çalhanoğlu na trave.[13][18][19]

Já no segundo tempo, logo aos seis minutos, Chicharito Hernández completou um cruzamento e marcou o primeiro gol da partida. O ritmo do jogo caiu e a equipe alemã administrou o resultado; o finlandês Joel Pohjanpalo finalizou para a defesa do goleiro brasileiro aos vinte e seis minutos. A partida se encerrou com o placar mínimo, rendendo 3 pontos à Alemanha.[13][18][19]

11 de janeiro Bayer Leverkusen Alemanha 1 – 0 Brasil Atlético Mineiro ESPN Wide World of Sports Complex, Bay Lake
19:00 (UTC−5)
Chicharito Gol marcado aos 51 minutos de jogo 51' Árbitro: Estados UnidosUSA Matthew Miscannon
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Bayer
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Atlético-MG
VfL Wolfsburg × Bahia

O jogo entre o Wolfsburg e o Bahia marcou a estreia dos baianos na competição, e foi realizado às 19 horas no horário local no estádio ESPN Wide World of Sports Complex Field 17. O Wolfsburg jogou com o time reserva, mais alguns atletas da categoria de base, pois a equipe principal continuou na Alemanha para jogar a Bundesliga. Por sua vez, o Bahia entrou em campo com uma formação semelhante a de 2016. No primeiro tempo, a equipe brasileira possuiu a maior posse de bola e atacava pelos lados dos campos; a melhor chance foi aos dezenove minutos, quando Zé Rafael saiu de frente com o goleiro alemão, que efetuou uma boa intervenção. O Wolfsburg se limitou a marcar.[14][20]

No segundo tempo, o Bahia alterou seus jogadores, o que resultou no equilíbrio da partida. Os alemães aproveitaram a falta de entrosamento da equipe brasileira, entretanto, ambos não criaram chances de gols, salvo um chute na trave de Kleihs aos trinta minutos. O jogo terminou sem gols, resultando em um ponto para cada equipes. Nas penalidades, o Wolfsburg converteu três gols, enquanto o Bahia apenas dois, rendendo mais um ponto para a equipe alemã.[14][20]

12 de janeiro VfL Wolfsburg Alemanha 0 – 0 Brasil Bahia ESPN Wide World of Sports Complex, Bay Lake
19:00 (UTC−5)
Árbitro: Estados UnidosUSA Vincent Apple-Chiarella
    Penalidades  
Reichwein Convertido
Kleihs Erro (defesa)
Wimmer Erro (trave)
Abdat Convertido
Herrmann Convertido
3 – 2 Erro (defesa) Gustavo
Convertido Kaynan
Convertido Edson
Erro (defesa) Renato Cajá
Erro (defesa) Feijão
 
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Wolfsburg
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Bahia

Terceira rodada[editar | editar código-fonte]

Atlético Mineiro x Tampa Bay Rowdies

O jogo entre Atlético Mineiro e Tampa Bay foi o quinto jogo da competição, realizado no Al Lang Stadium em 14 de janeiro às 16 horas no horário local. A equipe brasileira jogou com o time misto durante o torneio. Logo no início do jogo, aos sete minutos, o jogador Leonan marcou o primeiro gol para o Atlético. O primeiro tempo permaneceu com domínio do Atlético, com poucas chances para Tampa Bay. Já no segundo tempo, o jogador Rodrigão ampliou o placar aos seis minutos. O resto do segundo tempo permaneceu como o primeiro, com domínio mineiro, e com poucas chances aos estadunidenses. O jogo terminou com triunfo do Atlético, rendendo 3 pontos ao Brasil.[15][21][22]

14 de janeiro Atlético Mineiro Brasil 2 – 0 Estados Unidos Tampa Bay Rowdies Al Lang Stadium, São Petersburgo
14:00 (UTC−5)
Leonan Gol marcado aos 8 minutos de jogo 8'
Rodrigão Gol marcado aos 51 minutos de jogo 51'
Árbitro: Estados UnidosUSA Emmanuel Darriba
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Atlético-MG
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Rowdies
Bahia x Estudiantes

O jogo entre Bahia e Estudiantes foi o sexto e último jogo da etapa Challenge Clash of Nations. O jogo foi marcado pela volta de Sebastián Verón, ídolo e também é presidente do Estudiantes, que havia se aposentado em 2014. O jogo começou as 16:45 no horário da Flórida no Bright House Stadium. Antes do início do jogo, o cantor Daniel entrou no campo com a imagem de Nossa Senhora nas mãos e cantou em homenagem às vítimas do voo que continha os jogadores da Chapecoense e deu de presente um violão aos filhos do técnico Caio Júnior, que faleceu no acidente aéreo. O principal lance da partida ocorreu no primeiro tempo, quando o lateral baiano Tinga tentou interferir e acabou fazendo um gol contra de cabeça, aos quinze minutos. Aos quarenta minutos do segundo tempo, ocorreu o lance de maior violência do jogo, com o futebolista Javier Toledo, do Estudiantes, dando um soco em Lucas Fonseca, do Bahia. Com este ato, o jogador foi expulso.[16][23][24]

15 de janeiro Bahia Brasil 0 – 1 Argentina Estudiantes Bright House Networks Stadium, Orlando
16:45 (UTC−5)
Tinga Gol contra marcado aos 15 minutos de jogo 15' Árbitro: Estados UnidosUSA Andres Pfefferkorn
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Bahia
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Estudiantes

Play-offs[editar | editar código-fonte]

Os Play-offs, termo inglês para competições eliminatórias, foi a denominação da segunda fase do torneio, cujos jogos foram disputados entre os dias 15 e 21 de janeiro. Neste formato, as equipes disputaram um jogo eliminatório onde o vencedor avançou para a próxima fase.[10]

Esquema[editar | editar código-fonte]

Quartas de final Semifinais Final
                           
  15 de janeiro – Fort Lauderdale        
 Brasil Vasco da Gama  2
18 de janeiro – Orlando
     Equador Barcelona de Guayaquil  1    
 Brasil Vasco da Gama  1
5.º lugar
     Brasil Corinthians  4  
 Equador Barcelona de Guayaquil  0
21 de janeiro – Orlando
 Colômbia Millonarios  1  
 Brasil Corinthians  0 (3)
18 de janeiro – Orlando 15 de janeiro – Orlando
   Brasil São Paulo (pen)  0 (4)
 Argentina River Plate  1
19 de janeiro – São Petersburgo
   Colômbia Millonarios  0    
 Brasil São Paulo (pen)  0 (8)
3.º lugar
     Argentina River Plate  0 (7)  
 Brasil Vasco da Gama  1
 Argentina River Plate  0
21 de janeiro – Orlando

Quartas de final[editar | editar código-fonte]

Vasco × Barcelona de Guayaquil

O jogo entre o Vasco da Gama e Barcelona de Guayaquil foi o primeiro jogo na fase dos Play-offs, realizado no Central Broward Stadium às 14 horas no horário local, e marcou a estreia do terceiro clube brasileiro na competição. O jogo começou disputado entre os dois times, entretanto, o Barcelona marcou primeiro, após um descuido defensivo dos vascaínos; Washington Vera abriu o placar para os equatorianos, aos 21 minutos. Poucos minutos depois, a equipe brasileira empatou com Nenê, que converteu um pênalti sofrido pelo zagueiro Rodrigo aos 29 minutos. O primeiro tempo se encerrou sem novas chances de gols.[25][26]

No segundo tempo, a equipe equatoriana começou a realizar diversas substituições, no entanto, o Vasco fez poucas substituições. A equipe brasileira foi em busca do gol e quase converteu com Thalles, Guilherme e Nenê. Entretanto, o gol só saiu aos 38 minutos, quando Rodrigo cabeceou o cruzamento de Nenê. Com a vitória, o Vasco se classificou para enfrentar o Corinthians na semifinal. Por sua vez, o Barcelona disputou a decisão do quinto lugar contra a equipe do Millonarios.[25][26]

15 de janeiro Vasco da Gama Brasil 2 – 1 Equador Barcelona de Guayaquil Central Broward Stadium, Fort Lauderdale
14:00 (UTC−5)
Nenê Gol marcado aos 29 minutos de jogo 29' (pen)
Rodrigo Gol marcado aos 83 minutos de jogo 83'
Vera Gol marcado aos 21 minutos de jogo 21' Árbitro: Estados UnidosUSA Andres Pfefenjorn
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Vasco
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Barcelona

River Plate x Millonarios

Na segunda partida da fase quartas de final, o River Plate enfrentou o Millonarios no Bright House Networks Stadium em Orlando. A equipe argentina começou a partida com um boa postura ofensiva e o gol veio logo aos 3 minutos de jogo, quando Lucas Alario recebeu na área e deslocou o goleiro adversário. Apesar do gol, o Millonarios também demonstrou uma boa postura ofensiva e quase empatou no final do primeiro tempo, mas o goleiro interferiu a finalização de Dairon Asprilla.[27]

No segundo tempo, ambas as equipes foram alteradas, sendo que a equipe colombiana realizou onze substituições apenas no intervalo. O jogo caiu de rendimento e o River Plate controlou os últimos 45 minutos com uma boa posse de bola. Com o resultado, o River Plate se classificou para a semifinal para enfrentar o São Paulo, enquanto que o Millonarios disputou a decisão do quinto lugar contra o Barcelona de Guayaquil.[27]

15 de janeiro River Plate Argentina 1 – 0 Colômbia Millonarios Bright House Networks Stadium, Orlando
14:00 (UTC−5)
Alario Gol marcado aos 3 minutos de jogo 3' Árbitro: Estados UnidosUSA Esteban Rosano
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
River Plate
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Millonarios

Disputa do quinto lugar[editar | editar código-fonte]

Realizado no Bright House Networks Stadium em Orlando, o jogo do quinto lugar foi disputado pelos clubes perdedores nos duelos e quartas de final. O Barcelona de Guayaquil enfrentou o Millonarios, que já estavam eliminados da competição e fizeram seu último jogo na mesma. O único gol da partida ocorreu aos 30 minutos da etapa final, quando Juan Guillermo Domínguez converteu de falta. O Millonarios ainda desperdiçou uma penalidade.[28]

18 de janeiro Barcelona de Guayaquil Equador 0 – 1 Colômbia Millonarios Bright House Networks Stadium, Orlando
16:30 (UTC−5)
Domínguez Gol marcado aos 88 minutos de jogo 88' Árbitro: Estados UnidosUSA Matt Miscannon
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Barcelona
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Millonarios

Semifinal[editar | editar código-fonte]

O jogo entre Vasco da Gama e Corinthians foi o primeiro da fase semifinal, realizado em 18 de janeiro, marcando a estreia da equipe paulista na competição. O Vasco quase abriu com o zagueiro Luan no início do segundo tempo, mas com o passar do tempo o Corinthians começou a criar chances de gols, levando o goleiro uruguaio Martín Silva a executar duas grandes defesas. Entretanto, Camacho tabelou com o companheiro e finalizou com precisão, aos 20 minutos. Quatro minutos depois de sofrer o gol, Éder Luís finalizou com perfeição marcando um belo gol. Apesar do empate, o Corinthians continuou melhor e voltou a marcar com Marlone.[29]

No segundo tempo, a equipe paulista voltou com onze substituições, enquanto o Vasco começou a alterar seu time aos poucos. O nível técnico caiu, tanto que os gols nasceram de falhas defensivas. Aos 36 minutos, Kâzım marcou de cabeça, e aos 44 minutos, Marquinhos Gabriel completou a goleada. Com a vitória, o Corinthians avançou para a final. Por sua vez, o Vasco disputou o jogo do terceiro lugar.[29]

18 de janeiro Vasco da Gama Brasil 1 – 4 Brasil Corinthians Bright House Networks Stadium, Orlando
19:00 (UTC−5)
Éder Luís Gol marcado aos 24 minutos de jogo 24' Camacho Gol marcado aos 20 minutos de jogo 20'
Marlone Gol marcado aos 45+1 minutos de jogo 45+1'
Kazim Gol marcado aos 81 minutos de jogo 81'
Marquinhos Gabriel Gol marcado aos 89 minutos de jogo 89'
Árbitro: Estados UnidosUSA Esteban Rosano
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Vasco
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Corinthians

Realizado em 19 de janeiro, o jogo entre São Paulo e River Plate marcou a estreia de Rogério Ceni como técnico de futebol. A partida iniciou-se com uma pressão ofensiva da equipe brasileira, resultando um pênalti sofrido por Wellington Nem logo aos dois minutos de jogo, mas o goleiro argentino defendeu a cobrança de Christian Cueva. Apesar da penalidade perdida, o São Paulo manteve a intensidade e criou diversas chances de abrir o placar; Andrés Chávez e Luiz Araújo finalizaram para a linha de fundo, enquanto Julio Buffarini acertou a trave.[30]

No segundo tempo, o São Paulo substituiu seu time no intervalo, resultando na queda do nível técnico. O River Plate, por outro lado, começou a colocar seus principais jogadores na segunda etapa e o clube argentino começou a se impor. No final do jogo, a equipe argentina quase marcou, mas a finalização acertou a trave do goleiro Sidão.[30]

Com o empate sem gols, a partida foi definida nas penalidades. O goleiro Sidão defendeu duas cobranças e garantiu o São Paulo na final da competição.[30]

19 de janeiro São Paulo Brasil 0 – 0 Argentina River Plate Al Lang Stadium, São Petersburgo
19:00 (UTC−5)
Árbitro: Estados UnidosUSA Andrew Musashe
    Penalidades  
João Schmidt Convertido
Cícero Convertido
Wesley Erro (fora)
Shaylon Convertido
Gilberto Convertido
Júnior Tavares Convertido
Araruna Convertido
Lugano Convertido
Lucão Convertido
8 – 7 Erro (defesa) Martínez
Convertido Fernández
Convertido Mora
Convertido Driussi
Convertido Mina
Convertido Arzura
Convertido Montiel
Convertido Mayada
Erro (defesa) Moya
 
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
São Paulo
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
River Plate

Disputa do terceiro lugar[editar | editar código-fonte]

Após serem derrotadas nas semifinais, ambas as equipes entraram em jogo disputando a terceira colocação. No início do primeiro tempo, o jogo despertou pouco entusiasmo; a primeira chance de gol foi da equipe brasileira, mas a finalização foi defendida pelo goleiro argentino. Poucos minutos depois, o goleiro vascaíno defendeu uma finalização de Sebastián Driussi. No final do primeiro tempo, Thalles encobriu o goleiro, mas a bola acertou o travessão.[31]

No segundo tempo, o River Plate se tornou mais ofensivo e chegou a marcar o gol com Matías Moya, mas foi assinalado impedimento do jogador e o lance foi contestado. Em seguida, Rodrigo Mora finalizou e Martín Silva defendeu. No entanto, o Vasco abriu o placar em uma cobrança de falta de Nenê.[31]

21 de janeiro Vasco da Gama Brasil 1 – 0 Argentina River Plate Bright House Networks Stadium, Orlando
15:15 (UTC−5)
Nenê Gol marcado aos 74 minutos de jogo 74' Árbitro: Estados UnidosUSA Vincent Apple-Chiarella
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Vasco
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
River Plate

Final[editar | editar código-fonte]

A decisão do Torneio da Flórida foi marcada pelo inédito clássico majestoso, que foi realizado pela primeira vez fora do Brasil,[32] e também foi o primeiro clássico dos novatos treinadores Fábio Carille e Rogério Ceni.[33] Ambas as equipes estrearam nas semifinais; o Corinthians eliminou o Vasco da Gama por um amplo placar, 4–1, enquanto o São Paulo empatou sem gols diante do River Plate, vencendo o adversário argentino nas penalidades.[32] Diego Lugano ressaltou a rivalidade do clássico minutos após a vitória do São Paulo diante do River Plate, declarando:

Sem dúvida que agora acabou a pré-temporada e virou campeonato. Ninguém vai entrar nesse jogo para perder. Tem de entrar para ganhar, independentemente de que campeonato seja. A mentalidade precisa ser essa. Não sei qual equipe o Rogério irá utilizar, mas temos que ir com foco total

O clássico em uma pré-temporada foi elogiado pelo ex-futebolista Raí, que foi embaixador do São Paulo no torneio.[35] Segundo ele, o jogo demonstra a importância de um majestoso para os recém chegados ao clube e serve para que eles entendam a "grandeza do São Paulo".[36] Por outro lado; Fagner demonstrou a importância do jogo, mas declarou que o grupo não deveria se "cobrar tanto" já que eles estão longe do ideal.[37] Enquanto isso o técnico do São Paulo, Rogério Ceni, considerou o jogo "atraente" e declarou que "toda a partida tem que ser levada a sério",[38] mas também visou o objetivo da pré-temporada:

É lógico que o interessante é jogar bem e mostrar qualidade, se possível vencendo, mas o momento é para que a gente ganhe corpo. Agora é um clássico estadual, contra um time de tradição, e toda partida tem de ser levada a sério. Ninguém quer perder aqui, como quem está do outro lado
Jogadores do São Paulo com o troféu da competição

Durante o jogo, o caráter amistoso da competição desapareceu após o lateral Bruno quase ter acertado o rosto de Marquinhos Gabriel em uma disputa pela bola. O lance desencadeou uma confusão generalizada entre os jogadores; o estadunidense Jonathan Weiner, árbitro da partida, expulsou o zagueiro Maicon do São Paulo e Kâzım, atacante do Corinthians. Os são paulinos já reclamavam de faltas violentas e de um pênalti não marcado sofrido pelo argentino Andrés Chávez. Na saída, o zagueiro expulso jurou o meio campista Camacho, que havia sido o autor de uma forte entrada em cima de Thiago Mendes um minuto antes da confusão. O nível técnico do primeiro tempo caiu após as exclusões.[39][40][41]

A partida melhorou após o intervalo; em uma cobrança ensaiada, o peruano Christian Cueva cabeçou na pequena área, entretanto a bola desviou no jogador rival e foi para linha de fundo. Em outro momento, Gilberto, atacante do São Paulo que havia entrado na partida, arrematou de fora da área exigindo uma interferência do goleiro Cássio; o Corinthians respondeu com Marlone, que recebeu um lançamento de Fellipe Bastos, mas finalizou por cima do gol. A equipe alvinegra teve mais duas chances de gols; a primeira com Ángel Romero, que sem marcação, mas bola foi para linha de fundo passando próxima da trave; na segunda chance, Giovanni Augusto foi lançado, mas finalizou por cima do gol. Gilberto ainda completou um cruzamento, mas o cabeceio não acertou o gol. O tempo regulamentar terminou sem gols e a decisão foi para as penalidades. O goleiro Sidão, responsável por defender dois pênaltis na partida anterior, retornou a realizar o mesmo feito e garantiu o título para o São Paulo.[39][40][41]


21 de janeiro Corinthians Brasil 0 – 0 Brasil São Paulo Bright House Networks Stadium, Orlando
18:00 (UTC−5)
Árbitro: Estados UnidosUSA Jonathan Weiner
    Penalidades  
Fellipe Bastos Erro (defesa)
Giovanni Augusto Convertido
Marciel Erro (defesa)
Paulo Roberto Convertido
Marlone Convertido
3 – 4 Convertido João Schmidt
Convertido Cícero
Erro (defesa) Araruna
Convertido Júnior Tavares
Convertido Gilberto
 
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Corinthians
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
São Paulo
G 12 Brasil Cássio
LD 23 Brasil Fagner Penalizado com cartão amarelo após 38 minutos 38' Substituído após 64 minutos de jogo 64'
Z 4 Paraguai Balbuena Substituído após 75 minutos de jogo 75'
Z 34 Brasil Pedro Henrique Substituído após 76 minutos de jogo 76'
LE 6 Brasil Moisés Penalizado com cartão amarelo após 50 minutos 50' Substituído após 70 minutos de jogo 70'
M 5 Brasil Gabriel Penalizado com cartão amarelo após 21 minutos 21' Substituído após 70 minutos de jogo 70'
M 29 Brasil Camacho Penalizado com cartão amarelo após 16 minutos 16' Substituído após INT minutos de jogo INT'
M 31 Brasil Marquinhos Gabriel Substituído após 63 minutos de jogo 63'
M 10 Brasil Guilherme Substituído após INT minutos de jogo INT'
A 7 Brasil Substituído após 63 minutos de jogo 63'
A 18 Turquia Kâzım Expulso com 19 minutos de jogo 19'
Substituições:
LD 32 Brasil Léo Príncipe Entrou em campo após 64 minutos 64'
Z 15 Brasil Vilson Entrou em campo após 76 minutos 76'
Z 3 Brasil Yago Entrou em campo após 75 minutos 75'
M 22 Brasil Marciel Entrou em campo após 70 minutos 70'
M 28 Brasil Paulo Roberto Entrou em campo após 70 minutos 70'
M 35 Brasil Fellipe Bastos Entrou em campo após INT minutos INT'
M 8 Brasil Marlone Entrou em campo após INT minutos INT'
M 17 Brasil Giovanni Augusto Entrou em campo após 63 minutos 63'
A 11 Paraguai Romero Entrou em campo após 63 minutos 63'
Treinador:
Brasil Fábio Carille
G 1 Brasil Denis Substituído após INT minutos de jogo INT'
LD 2 Brasil Bruno Substituído após 62 minutos de jogo 62'
Z 3 Brasil Rodrigo Caio
Z 26 Brasil Douglas Substituído após 62 minutos de jogo 62'
Z 27 Brasil Maicon Expulso com 19 minutos de jogo 19'
LE 18 Argentina Buffarini Substituído após 85 minutos de jogo 85'
M 23 Brasil Thiago Mendes Substituído após 67 minutos de jogo 67'
M 10 Peru Cueva Substituído após 62 minutos de jogo 62'
A 31 Brasil Luiz Araújo Substituído após 25 minutos de jogo 25'
A 21 Brasil Wellington Nem Substituído após 58 minutos de jogo 58'
A 9 Argentina Chávez Substituído após 58 minutos de jogo 58'
Substituições:
G 12 Brasil Sidão Entrou em campo após INT minutos INT'
LE 16 Brasil Júnior Tavares Entrou em campo após 62 minutos 62'
Z 4 Brasil Lucão Entrou em campo após 62 minutos 62'
M 15 Brasil João Schmidt Entrou em campo após 25 minutos 25'
M 28 Brasil Araruna Entrou em campo após 85 minutos 85'
M 8 Brasil Cícero Entrou em campo após 62 minutos 62'
M 11 Brasil Wesley Entrou em campo após 58 minutos 58'
M 7 Brasil Neilton Entrou em campo após 67 minutos 67'
A 17 Brasil Gilberto Entrou em campo após 58 minutos 58'
Treinador:
Brasil Rogério Ceni

Artilharia[editar | editar código-fonte]

A terceira edição do torneio terminou com dezenove gols marcados em treze partidas. Curiosamente o São Paulo, campeão da edição, não converteu gols no tempo regulamentar.[42] Os jogadores responsáveis pelos gols do torneio estão listados a seguir:[17][12][13][15][16][25][27][28][29][31]

2 gols
1 gol
Gol contra

Premiações[editar | editar código-fonte]

Apesar de possuir duas fases distintas, o São Paulo é o clube declarado campeão pela organização do torneio.[43] Por outro lado, o desempenho dos clubes alemães, Wolfsburg e Bayer Leverkusen, renderam o título da fase Challenge Clash of Nations para a Alemanha.[14]

Florida Cup 2017 - Challenge Clash of Nations
Flag of Germany.svg
ALEMANHA
Campeão
(2° título)
Florida Cup 2017 - Play-offs
Flag of Brazil.svg
SÃO PAULO
Campeão
(1° título)

Referências

  1. «Florida Cup terá Flamengo, Corinthians, São Paulo, Vasco, Atlético-MG e Inter em 2017». ESPN. 15 de setembro de 2016. Consultado em 15 de janeiro de 2017. Cópia arquivada em 15 de janeiro de 2017 
  2. «Estudiantes de La Plata é o último time confirmado na Florida Cup 2017». Terra Networks. 21 de outubro de 2016. Consultado em 15 de janeiro de 2017. Cópia arquivada em 15 de janeiro de 2017 
  3. «Flamengo desiste de jogar a Florida Cup e fará pré-temporada no seu CT». O Dia. 12 de dezembro de 2016. Consultado em 15 de janeiro de 2017. Cópia arquivada em 15 de janeiro de 2017 
  4. «Bahia vai disputar a Flórida Cup, em janeiro». Correio 24 Horas. 12 de dezembro de 2016. Consultado em 15 de janeiro de 2017. Cópia arquivada em 15 de janeiro de 2017 
  5. «Com seis brasileiros, Torneio da Flórida anuncia edição de 2017». Globoesporte.com. 15 de setembro de 2016. Consultado em 22 de janeiro de 2017. Cópia arquivada em 16 de setembro de 2016 
  6. «Shanghai SIPG não será mais o adversário da estreia de Ceni no comando do São Paulo». Chinabrasilfutebol.com.br. 7 de dezembro de 2016. Consultado em 22 de janeiro de 2017. Cópia arquivada em 22 de janeiro de 2017 
  7. «¿SEGUNDA OPCIÓN? Colo Colo va a la Florida Cup 2017, pero el primer invitado era otro grande de Chile» (em espanhol). El Periscopio. 10 de dezembro de 2016. Consultado em 22 de janeiro de 2017. Cópia arquivada em 22 de janeiro de 2017 
  8. «Após Flamengo, Inter também desiste de participar da Florida Cup». O Estado de S. Paulo. 14 de dezembro de 2016. Consultado em 22 de janeiro de 2017. Cópia arquivada em 22 de janeiro de 2017 
  9. «Definitivamente Colo Colo no disputará la Florida Cup como parte de su pretemporada» (em espanhol). t13.cl. 19 de dezembro de 2016. Consultado em 22 de janeiro de 2017. Cópia arquivada em 22 de janeiro de 2017 
  10. a b «Florida Cup terá dois torneios e seis times brasileiros confirmados». Lance!. Consultado em 27 de janeiro de 2017. Cópia arquivada em 27 de janeiro de 2017 
  11. a b c Adam Escada (8 de janeiro de 2017). «Estudiantes 1 x 1 B.Leverkusen: Equipe alemã busca o empate no segundo tempo e vence nas penalidades». Goal. Consultado em 23 de fevereiro de 2017. Cópia arquivada em 23 de fevereiro de 2017 
  12. a b c «Wolfsburg vence Tampa Bay Rowdies pela Florida Cup». esporte.band.uol.com.br. 8 de janeiro de 2017. Consultado em 12 de janeiro de 2017. Cópia arquivada em 13 de janeiro de 2017 
  13. a b c d «Bayer Leverkusen vence o Atlético-MG com gol de Chicharito». esporte.uol.com.br. 11 de janeiro de 2017. Consultado em 12 de janeiro de 2017. Cópia arquivada em 13 de janeiro de 2017 
  14. a b c d «Bahia perde para o Wolfsburg nos pênaltis, e Alemanha fica com o título da Flórida Cup». Globo Esporte. Consultado em 13 de janeiro de 2017. Cópia arquivada em 13 de janeiro de 2017 
  15. a b c «Atlético-MG supera Tampa Bay por 2 a 0 e encerra a Florida Cup com vitória». Globoesporte.com. Consultado em 5 de fevereiro de 2017. Cópia arquivada em 5 de fevereiro de 2017 
  16. a b c «Contra Estudiantes de Verón, Bahia encerra participação na Flórida Cup». Globoesporte. Consultado em 31 de janeiro de 2016. Cópia arquivada em 31 de janeiro de 2017 
  17. a b c «Bayer Leverkusen ganó 4-2 a Estudiantes de la Plata en definición por penales por Florida Cup» (em espanhol). larepublica.pe. Consultado em 12 de janeiro de 2017. Cópia arquivada em 13 de janeiro de 2017 
  18. a b «B. LEVERKUSEN 1 X 0 ATLÉTICO-MG: COM TIME MESCLADO, GALO PERDE EM ESTREIA NA FLORIDA CUP». Goal. Consultado em 29 de janeiro de 2017. Cópia arquivada em 29 de janeiro de 2017 
  19. a b «Com reservas, Galo perde para o Bayer Leverkusen pelo Torneio da Flórida». Globoesporte.com. Consultado em 29 de janeiro de 2017. Cópia arquivada em 29 de janeiro de 2017 
  20. a b «FLORIDA CUP: WOLFSBURG 0 (3) X (2) 0 BAHIA: APÓS EMPATE SEM GOLS, TIME ALEMÃO VENCE TRICOLOR BAIANO NAS PENALIDADES». Goal. Consultado em 3 de fevereiro de 2017. Cópia arquivada em 3 de fevereiro de 2017 
  21. «Atlético-MG supera Tampa Bay por 2 a 0 e encerra a Florida Cup com vitória». UOL Esportes. Consultado em 5 de fevereiro de 2017. Cópia arquivada em 5 de fevereiro de 2017 
  22. «Atlético-MG vence Rowdies e encerra a Copa Flórida de maneira positiva». Gazeta Esportiva. Consultado em 14 de janeiro de 2017. Cópia arquivada em 15 de janeiro de 2017 
  23. «Com gol contra de Tinga, Bahia perde para Estudiantes em adeus aos EUA». Correio 24 Horas. Consultado em 31 de janeiro de 2017. Cópia arquivada em 31 de janeiro de 2017 
  24. «Na volta de Verón, Estudiantes vence o Bahia pela Florida Cup». espn.uol.com.br. 15 de janeiro de 2017. Consultado em 15 de janeiro de 2017. Cópia arquivada em 16 de janeiro de 2017 
  25. a b c «Vasco vence o Barcelona de virada e encara o Timão no Torneio da Flórida». Globoesporte.com. Consultado em 14 de fevereiro de 2017. Cópia arquivada em 14 de fevereiro de 2017 
  26. a b «De virada, Vasco vence o Barcelona e pega o Corinthians na semi nos EUA». lance.com.br. Consultado em 14 de janeiro de 2017. Cópia arquivada em 18 de janeiro de 2017 
  27. a b c «River Plate vence Millonarios pela Florida Cup e avança na competição». vavel.com. Consultado em 15 de janeiro de 2017. Cópia arquivada em 18 de janeiro de 2017 
  28. a b «Con golazo de Domínguez, Millonarios vence a Barcelona» (em espanhol). colombia.as.com. Consultado em 22 de janeiro de 2017. Cópia arquivada em 22 de janeiro de 2017 
  29. a b c «'Home sweet home!' Timão se solta mais cedo e goleia o Vasco na Florida». lance.com.br. Consultado em 22 de janeiro de 2017. Cópia arquivada em 22 de janeiro de 2017 
  30. a b c «Sidão brilha na estreia de Ceni, e São Paulo enfrentará Corinthians em final». lance.com.br. Consultado em 22 de janeiro de 2017. Cópia arquivada em 22 de janeiro de 2017 
  31. a b c «Nenê decide! Vasco bate River Plate e fica em terceiro lugar na Florida Cup». odia.ig.com.br. Consultado em 22 de janeiro de 2017. Cópia arquivada em 22 de janeiro de 2017 
  32. a b «Em Majestoso inédito fora do Brasil, Corinthians e São Paulo decidem a Flórida Cup». Vavel. 21 de janeiro de 2017. Consultado em 31 de janeiro de 2017. Cópia arquivada em 31 de janeiro de 2017 
  33. «São Paulo e Corinthians se enfretam em final com técnicos novatos». Folha de S.Paulo. 21 de janeiro de 2017. Consultado em 31 de janeiro de 2017. Cópia arquivada em 31 de janeiro de 2017 
  34. «Lugano diz que Majestoso coloca fim na pré-temporada e inicia campeonato». Globoesporte.com. 20 de janeiro de 2017. Consultado em 31 de janeiro de 2017. Cópia arquivada em 31 de janeiro de 2017 
  35. «Raí vira embaixador do São Paulo na Florida Cup». Universo Online. 11 de novembro de 2016. Consultado em 31 de janeiro de 2017. Cópia arquivada em 31 de janeiro de 2017 
  36. «Para Raí, clássico na Flórida serve para novatos entenderem o São Paulo». Terra Networks. 21 de janeiro de 2017. Consultado em 31 de janeiro de 2017. Cópia arquivada em 31 de janeiro de 2017 
  37. «Timão e Tricolor têm Majestoso decisivo pela Florida Cup». Diário do Grande ABC. 21 de janeiro de 2017. Consultado em 31 de janeiro de 2017. Cópia arquivada em 31 de janeiro de 2017 
  38. a b «Ceni projeta final com o Corinthians e fala em 'bom teste' para os rivais». Acritica.net. 20 de Janeiro de 2017. Consultado em 31 de janeiro de 2017. Cópia arquivada em 31 de janeiro de 2017 
  39. a b «São Paulo vence Corinthians nos pênaltis e é campeão da Copa Flórida». Gazeta Esportiva. Consultado em 22 de janeiro de 2017. Cópia arquivada em 22 de janeiro de 2017 
  40. a b «UFC, expulsões e título: São Paulo bate Corinthians e conquista Torneio da Flórida». Globoesporte.com. Consultado em 31 de janeiro de 2017. Cópia arquivada em 31 de janeiro de 2017 
  41. a b «Nos pênaltis, São Paulo vence Corinthians e leva título da Florida Cup». Folha de S.Paulo. 21 de janeiro de 2017. Consultado em 31 de janeiro de 2017. Cópia arquivada em 31 de janeiro de 2017 
  42. «Ceni começa carreira com título da Florida Cup com o São Paulo». clicrbs.com.br. 22 de janeiro de 2017. Consultado em 27 de janeiro de 2017. Cópia arquivada em 27 de janeiro de 2017 
  43. «SÃO PAULO VENCE CORINTHIANS E FICA COM O TÍTULO». Website oficial da competição. 21 de janeiro de 2017. Consultado em 30 de junho de 2017. Arquivado do original em 30 de junho de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]