Nenê (futebolista)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Anderson Luiz de Carvalho)
Ir para: navegação, pesquisa
Nenê
Nenê
Nenê atuando pelo Paris Saint-Germain.
Informações pessoais
Nome completo Anderson Luiz de Carvalho
Data de nasc. 19 de julho de 1981 (35 anos)
Local de nasc. Jundiaí (SP), Brasil
Nacionalidade  brasileira
 espanhola[1]
Altura 1,81 m
Canhoto
Apelido Nenê, Deusnê
Informações profissionais
Clube atual Brasil Vasco da Gama
Número 10
Posição Meia
Site oficial Site oficial do Nenê
Clubes de juventude
1993–2000 Brasil Paulista
Clubes profissionais2
Anos Clubes Jogos e gol(o)s
2000–2001
2001–2002
2003–2004
2004–2005
2005–2006
2006–2007
2007–2010
2008–2009
2010–2013
2013–2014
2015
2015–
Brasil Paulista
Brasil Palmeiras (emp.)
Brasil Santos
Espanha Mallorca
Espanha Alavés
Espanha Celta de Vigo
França Monaco
Espanha Espanyol (emp.)
França Paris Saint-Germain
Catar Al-Gharafa
Inglaterra West Ham
Brasil Vasco da Gama
0032 000(26)
0024 0000(5)
0025 0000(8)
0029 0000(9)
0078 000(21)
0045 0000(9)
0063 000(21)
0036 0000(4)
0113 000(49)
0053 000(22)
0008 0000(0)
0068 000(29)
Seleção nacional3
2003 Brasil Brasil Sub 23 004 0000(1)


2 Partidas e gols totais pelo
clube, atualizados até 24 de setembro de 2016.
3 Partidas e gols da seleção nacional estão atualizados
até 11 de julho de 2010.

Anderson Luiz de Carvalho, mais conhecido como Nenê (Jundiaí, 19 de Julho de 1981), é um futebolista brasileiro que joga como meia. Atualmente defende o Vasco.

Revelado em 1999 pelo Paulista, chamou a atenção do Palmeiras dois anos depois, que o contratou por empréstimo. Fez uma boa temporada mas, num impasse entre o seu clube de origem e o atual, Nenê acabou sendo prejudicado pelas negociações, e ele acabou sendo contratado pelo Santos, em 2002.

Pelo clube santista, destacou-se no Campeonato Brasileiro de Futebol de 2003, numa equipe que tinha Alex, Robinho, Diego, Elano, Ricardo Oliveira e outros, chegou com o time a disputar a final da Libertadores e no decorrer do ano, se transferiu para o espanhol Mallorca, onde passou apenas uma temporada, indo para o Alavés, em 2004.

Espanha[editar | editar código-fonte]

No clube basco, se tornou ídolo, participando ativamente do acesso à primeira divisão do país, e ainda permanecendo para jogar a temporada seguinte. Procurado por diversos outros clubes, Nenê assinou com o Celta de Vigo em 2006.

Monaco[editar | editar código-fonte]

Mais uma boa temporada na Espanha e seu destino, em 2007, foi Mónaco, para defender o Monaco. Segundo jogador com mais assistências e principal da equipe no ano, entrou em conflito com o mesmo responsável pela sua vinda ao clube, Ricardo Gomes, e acabou sendo emprestado ao Espanyol no ano seguinte.

Com a impossibilidade do clube da Catalunha de comprar seu passe, Nenê retornou ao Monaco para a disputa da temporada 2009-10. Dessa vez, destacou-se ainda mais, disputando a artilharia durante todo o campeonato e levando seu time à final da Copa da França. [2]

PSG[editar | editar código-fonte]

Em julho de 2010, foi adquirido pelo Paris Saint-Germain por 5,5 milhões de euros.[3] No clube, venceu o Monaco na final da Copa nacional, onde assinou contrato por três temporadas. Na temporada 2011-12, Nenê foi artilheiro do Campeonato Francês, ao lado de Olivier Giroud, com 21 gols marcado.

No dia 19 de dezembro de 2012, com a chegada de vários jogadores, Nenê perdeu espaço no time titular, machucado, foi flagrado patinando no gelo, com esses problemas, comunicou ao Paris Saint-Germain que pretendia deixar o Paris Saint-Germain já na virada do ano, com contrato até julho de 2013, Nenê assinou pré-contrato com outro clube.[4]

Ainda em 2012, apesar do interesse de diversas equipes brasileiras, Nenê reiterou o seu "fim de ciclo" em Paris, onde, mesmo sendo ídolo da torcida, perdeu espaço no time titular. Para mudar de clube, o jogador não teve seu contrato renovado.[5][6]

Al-Gharafa[editar | editar código-fonte]

A imprensa brasileira especulava seu acerto com o Santos ou Flamengo, mas, no dia 13 de janeiro de 2013, Nenê acertou com o Al-Gharafa, do Qatar, onde, afirmou que o dinheiro que receberia no Al-Gharafa, era algo maravilhoso.[7] Após o acerto com o Al-Gharafa, Nenê recebeu uma crítica do antigo vice-presidente do Santos, Odílio Rodrigues, reclamando do desgaste que poderia ter sido evitado com uma resposta rápida. Odílio, inclusive, admitiu que passou pela cabeça dos dirigentes a hipótese de o atleta estar usando o Santos para se valorizar, mas Nenê não aceitou tal possibilidade.[8]

Nenê em 2015.

Sua estreia foi no dia 22 de janeiro de 2013, onde Nenê recebeu a camisa de número 10, e, em sua estreia o Al-Gharafa venceu de 3 a 1 contra o Al-Kharitiyath (time do jogador Domingos), neste jogo, Nenê estreou e, na partida, deu um passe de calcanhar para Diego Tardelli marcar 1 gol na partida.[9]

Nenê foi expulso em um jogo, onde o Al-Gharafa perdeu de 2 a 1 e eliminando o Al-Gharafa, contra o Al-Arabi, Nenê deu um soco em Houssine Kharja e foi expulso aos 49 minutos do segundo tempo.[10]

West Ham[editar | editar código-fonte]

Nenê informou que deixaria a equipe do Catar para atuar em um campeonato mais forte, teve seu contrato rescindido em janeiro de 2015, e, no dia 18 de fevereiro de 2015, acertou com o West Ham, até junho, no contrato, há uma cláusula que existe a possibilidade de renovação automática, caso seja ativada, o clube deve informar ao jogador até dia 15 de maio de 2015.[11]

Após atuar poucas partidas pelo clube inglês, Nenê decidiu não renovar o contrato com o West Ham, e ficar livre para atuar em outro clube de alto nível, que, de acordo com ele, irá disputar mais dois anos em campeonatos de mais expressão.[12]

Vasco da Gama[editar | editar código-fonte]

Em agosto de 2015, Eurico confirma a contratação de Nenê por dois anos.[13] Nenê logo ganhou espaço no time e se tornou a cara da equipe. Vestindo a camisa 10, Nenê iniciou a reação do Vasco, que em 23 rodadas estava com apenas 13 pontos.

Nenê marcou gols importantes contra Atlético Mineiro, Flamengo, Avaí, São Paulo e Palmeiras. Porém na última rodada do Brasileiro, o Vasco a um ponto de sair da zona do rebaixamento, teria um confronto direto contra o Coritiba na briga contra o rebaixamento. A partida terminou em 0 a 0, e com esse resultado Vasco, Avaí, Goiás e Joinville foram rebaixados para a Série B. A reação vascaína foi de 14 partidas, com 7 vitórias, 6 empates e uma única derrota, justamente contra o Fluminense, que não vencia o time vascaíno desde 2012.

Nenê fez 20 jogos pelo Brasileirão e marcou 9 gols. Nenê foi eleito o Craque da Galera no Prêmio Craque do Brasileirão. Após se destacar no Brasileirão pelo Vasco, começaram a surgir propostas, de alguns clubes do futebol brasileiro,como Palmeiras e Atlético Mineiro. O presidente do clube mineiro declarou que se Nenê viesse ele o buscaria no aeroporto pessoalmente.

Em janeiro de 2016 renovou contrato com o Vasco até dezembro de 2018.

No dia 31 de Janeiro pelo Campeonato Carioca, ajudou a equipe a construir o placar de 4 a 1 contra o Madureira, foi dele o cruzamento para Riascos fazer o primeiro, e fez um dos gols do Vasco na cobrança de pênalti. Na segunda partida do ano contra o America, fez o primeiro gol do Vasco em cobrança de pênalti e deu duas assistências para Riascos fazer um golaço de voleio e para Rodrigo fazer o terceiro, a partida terminou 3 a 1 para o Vasco. Voltou a ser decisivo na terceira rodada do Cariocão, ajudando o Vasco conquistar sua terceira vitória na competição 2 a 0 sobre o Volta Redonda. Nenê abriu o placar em cobrança de pênalti, e deu passe para Thalles dar números finais à partida.

Craque do campeonato, Nenê foi decisivo na conquista invicta do Carioca 2016 pelo Vasco

Marcou pela quarta vez neste estadual na vitória sobre o Tigres por 2 a 0. A quinta vitória em cinco jogos no Carioca. Seu bom desempenho desde que chegou a São Januário já colocam Nenê como um dos melhores jogadores vascaínos dos últimos doze anos. [14] Na oitava rodada marcou um golaço por cobertura, o segundo da vitória vascaína sobre o Bonsucesso, por 3 a 1. Com mais uma vitória o Vasco encerrou a primeira fase de forma invicta e como a melhor equipe de seu grupo na primeira fase do Campeonato Carioca.

O Campeonato seguiu, Nenê continuou se destacando e ajudou o Vasco a conquistar o título estadual de forma invicta pela sexta vez em sua história, se tornando assim o maior campeão invicto da competição.No fim da competição Nenê entrou para a seleção do torneio como o melhor meio campo e ainda foi eleito o melhor jogador do torneiro.

Em 14 de maio de 2016, Nenê marcou seu primeiro hat-trick pelo Vasco, diante do Sampaio Corrêa, válido pela 1ª rodada da Série B, na goleada por 4 a 0 a favor da sua equipe. Na terceira rodada marcou os dois gols da vitoria vascaína sobre a equipe do Vila Nova por 2 a 0. Na rodada seguinte anotou mais dois, ajudando o Vasco a se manter com uma campanha 100% na competição, numa emocionante vitória sobre o Bahia por 4 a 3. Marcou mais um no empate fora de casa contra o Oeste pela quinta rodada, seu oitavo gol na competição, alcançando uma marca inédita na história do Campeonato Brasileiro na era dos pontos corridos.

Voltou a marcar apenas na derrota frente ao Paraná em São Januário no dia 28 de junho. Com um gol e uma assitência Nenê se destacou e foi o melhor da partida na vitória sobre o Brasil de Pelotas por 2 a 0 em 09 de julho. Em 20 de agosto marcou um gol de pênalti no empate contra o Sampaio Corrêa por 1-1 no início do returno da Série B.

Contribuiu com um gol e uma assistência na vitória sobre o Oeste por 3 a 2 em São Januário no dia 10 de setembro, pondo fim ao incômodo jejum de seis jogos sem vitória do time cruzmaltino.

Marcou seu 20° gol na temporada 2016 no jogo que marcou a eliminação da equipe vascaína da Copa do Brasil contra o Santos no empate em 2 a 2 (5 a 3 no agregado).

Jogos pelo Vasco[editar | editar código-fonte]

Expanda a caixa de informações para conferir todos os jogos deste jogador pelo Vasco.

Seleção Brasileira[editar | editar código-fonte]

Nenê atuou em 2003 pela Seleção Brasileira Sub-23, com a qual conquistou a terceira colocação no Torneio de Qatar.[15]

Títulos[editar | editar código-fonte]

Paulista
PSG
Vasco da Gama

Artilharias[editar | editar código-fonte]

Prêmios individuais[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «El céltico Nené ya es español y su marcha al Mónaco se acerca» (em espanhol). El Correo Gallego. 18 de agosto de 2007. 
  2. Boulogne 1-3 AS Monaco; ESPN Soccernet, 24 October 2009
  3. Nene seals PSG switch; ESPN Soccernet, 13 July 2010
  4. Alvo de Flamengo, Santos e Bota, Nenê diz que ciclo no PSG acabou; Globoesporte, 19 December 2012
  5. Após “fim de ciclo” no PSG, Nenê negocia salários com o Santos
  6. «Agora no Catar, Nenê explica saída do PSG: 'Leonardo não quis renovar'». globoesporte.com. Consultado em 2015-11-07. 
  7. Nenê confirma acerto com Al Gharafa e diz que dinheiro pesou na escolha
  8. Nenê pede desculpa à torcida, explica demora e diz: 'Não usei o Santos'
  9. Com gol e passe de calcanhar para Tardelli, Nenê estreia bem no Catar
  10. Ex-PSG, brasileiro Nenê é expulso, agride rival e inicia confusão no Catar
  11. Ex-PSG, Nenê ignora o Cruzeiro e acerta com o West Ham
  12. Nenê confirma saída do West Ham e aguarda propostas
  13. «Nenê é apresentado, e Eurico garante: "Ele vai jogar e ganhar do Flamengo"». Consultado em 2015-08-07. 
  14. http://m.extra.globo.com/esporte/vasco/nene-traz-de-volta-brilho-para-camisa-10-do-vasco-numeros-ja-estao-entre-melhores-desde-2004-18696145.html=.  Falta o |titulo= (Ajuda)
  15. memoria.ebc.com.br/ Seleção brasileira sub-23 fica com terceira colocação no Torneio de Qatar
  16. «Vencedores do Prêmio Craque Brasileirão 2015». CBF. 30 de novembro de 2015. 
  17. «Vasco lidera seleção do Carioca, que ainda traz Ribamar e Willian Arão». Globo Esporte. 8 de maio de 2016. Consultado em 8 de maio de 2016. 
  18. «Ferj divulga lista da seleção do Carioca e Nenê é eleito o craque da competição». O Dia. 8 de maio de 2016. Consultado em 8 de maio de 2016. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]