ESPN Brasil

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
ESPN Brasil
ESPN do Brasil Eventos Esportivos Ltda.
Tipo Canal de televisão
por assinatura
País Brasil
Fundação 17 de junho de 1995 (25 anos)[nota 1]
por José Trajano, Laércio Roma, Julio Bartolo e Wilma Maciel
Pertence a ESPN International
Hearst Corporation
Proprietário The Walt Disney Company América Latina
Antigo proprietário Grupo Abril (1989–1999)
Cidade de origem São Paulo, SP
Sede
Estúdios
  • Bandeira da cidade de São Paulo.svg São Paulo, SP
Slogan ESPN e Fox Sports juntos na torcida
Formato de vídeo
Canais irmãos
Cobertura Nacional
Nome(s) anterior(es)
  • Canal + (1989-1991)
  • TVA Esportes (1991-1995)
Página oficial espn.com.br
Disponibilidade aberta e gratuita
Analógico
Disponibilidade por satélite
Claro TV
Oi TV
Sky
Vivo TV
BluTV
Disponibilidade por cabo
Claro NET TV
Vivo TV
Disponibilidade digital
WatchESPN
espn.com.br/watch
Guigo TV

ESPN Brasil é a franquia local da ESPN, sendo a filial controlada diretamente pela The Walt Disney Company e pela Hearst Corporation. Transmite eventos esportivos de várias modalidades, tanto nacionais quanto internacionais. No Brasil, a marca conta com quatro canais na TV por assinatura (ESPN Brasil, ESPN, ESPN2 e ESPN Extra), além da plataforma digital WatchESPN, do serviço para provedores de internet banda larga ESPN Play, além do portal ESPN.com.br.

História[editar | editar código-fonte]

1989-2009[editar | editar código-fonte]

Ver artigos principais: ESPN International e ESPN América Latina

Antes da fundação do canal ESPN Brasil, houve o Canal +, criado em 1989, que retransmitia a ESPN USA. Esse canal, pertencente ao Grupo Machline, tinha áudio original em português, mas na época a programação era completamente amadora, com programas de fitness, pescaria e croquet e ligas pouco populares até nos Estados Unidos como a de beisebol universitário. O canal, o primeiro "por assinatura" do Brasil, foi transmitido em UHF em São Paulo. Também foi graças a emissora que tivemos as primeiras transmissões de Futebol americano, Beisebol e Hóquei em solo brasileiro. A ESPN chegou ao Brasil em 1989, e foi o primeiro canal de esportes da TV paga brasileira. Seis anos depois, em 1995, a empresa criou o canal ESPN Brasil. Desde os anos 90, a ESPN Brasil tem os estúdios do SBT, como sede, (utilizado pelo SBT como uma de suas 5 sedes, antes da inauguração do CDT da Anhanguera, em Osasco, em 1996, que unificou todos os estúdios em um único local) localizado no bairro do Sumaré, em São Paulo, estúdios esses que pertenciam a extinta TV Tupi de São Paulo e que hoje são de propriedade do Grupo Silvio Santos. Em abril de 2009, lançou o ESPN HD, em alta definição, que a partir de julho de 2012, passou a se chamar ESPN+, com uma programação diferenciada. As atividades da ESPN Internacional incluem televisão, rádio, impresso, internet, banda larga, internet sem fio, produtos de consumo e gestão de eventos[1] Desde então, já cobriu eventos como Jogos Olímpicos, Copa do Mundo FIFA, Jogos Pan-Americanos, Eurocopa, Copa América e Eliminatórias para a Copa do Mundo.

A partir de 1999, uma crise devido a desvalorização do real fez o Grupo Abril vender sua parte na ESPN Brasil. Assim a American Broadcasting Company, subsidiária Disney, assume todo o controle e a ESPN Brasil fica como propriedade de The Walt Disney Company.

Desde o final do ano de 2006, toda a programação em português da ESPN passou a ser feita pela ESPN Brasil e seus profissionais na sede em São Paulo. E alguns novos programas foram adicionados a grade do canal: É Rapidinho, Juca Entrevista, The Book is on the Table e Fora de Jogo. E antes do Monday Night Football, a ESPN transmite o Semana NFL.

Em 29 de abril de 2009, estreia o primeiro canal em alta definição com programação totalmente esportiva, o ESPN HD. Em julho de 2009, o canal criou um prêmio próprio, dado ao melhor jogador e para o jogador revelação brasileiro de futebol que atua fora do Brasil, o "Prêmio Futebol no Mundo", que tem o nome de um programa da emissora (Futebol no Mundo, exibido as sextas e terças-feiras a noite), o mais antigo ainda em exibição. Os vencedores da primeira edição do prêmio foram Grafite, do VfL Wolfsburg (Alemanha), e Júlio César, da Internazionale (Itália).[2]

2010-2014[editar | editar código-fonte]

Em 2011, a ESPN Brasil passa a utilizar novos GCs, no SportsCenter iguais ao utilizados pela ESPN dos Estados Unidos. No dia 28 de maio, foi transmitida a final da UEFA Champions League, com a narração de Paulo Andrade e com comentários de Paulo Vinicius Coelho e de José Trajano. Neste mesmo jogo, a ESPN fez a primeira transmissão em 3D de futebol no Brasil, em parceria com a rede de cinemas Cinemark[3] e com a operadora de TV a cabo NET.[4] No jogo entre São Paulo Futebol Clube e Goiás Esporte Clube, no dia 27 de abril, a ESPN Brasil fez a sua primeira transmissão em HD no Brasil, o jogo teve narração de João Palomino e comentários de Paulo Vinicius Coelho. A ESPN Brasil começou a transmitir, a partir do dia 7 de agosto, a Football League Championship, a segunda divisão do Campeonato Inglês de futebol.[5] No mesmo ano, a ESPN começou a transmitir o Campeonato Japonês de futebol, a J-League. Apenas 4 partidas foram mostradas ao todo no ano. Destas 4, somente uma foi transmitida ao vivo, a última rodada do cameponato. Todas as partidas foram transmitidas somente da ESPN HD.

Em março de 2012, a ESPN do Brasil migrou completamente em HD, tanto com a ESPN Brasil e ESPN, ambos os canais se tornaram 100% em alta definição. Isso fez com que todos os programas da emissora ganhassem um novo ambiente gráfico. Tiveram várias variações que se alternam em programas, mas em todos eles, o GC foi modificado, se adequando a tecnologia Vizrt (A mesma usada no SportsCenter) e se tornando 100% digital em questões gráficas. O canal começou a transmitir a Segunda Divisão da Argentina a partir do final de março, e pra isso, contratou o Juan Pablo Sorín, ex-jogador do River Plate, pra comentar os jogos do time. Com a chegada do Fox Sports, a ESPN perdeu completamente os direitos do Campeonato Italiano de Futebol (Serie A TIM), por que a Fox Broadcasting Company tem a exclusividade do evento no mundo todo. Os direitos do Campeonato Inglês mudam e eles terão que ser divididos também com a Fox. Como "resposta" da perda dos direitos do Italiano, a ESPN adquire os direitos completos do Campeonato Mexicano de Futebol. Entretanto, só passaram a partir de 19 de agosto, depois das olimpíadas, quando o torneio estiver já na quarta rodada. A ESPN fez, no dia 3 de julho, sua primeira transmissão de um evento da WSOP ao vivo, sem contar os main events (as finais). A emissora fez o The Big One for Drop, considerado o maior evento de poker da história por superar todos os outros em questão de premiação. Neste ano, a ESPN também anunciou os direitos de transmissão da Liga Futsal de 2012 e do Campeonato Grego. Em 30 de novembro de 2012, a ESPN, junto com a Rádio Estadão ESPN e a Revista ESPN, recebeu o troféu Ford ACEESP (Associação dos Cronistas Esportivos de São Paulo) de melhor equipe. Também foram premiados os jornalistas [Paulo Vinícius Coelho (melhor comentarista TV fechada), André Plihal (melhor repórter TV fechada), Paulo Soares (melhor apresentador TV fechada), Eduardo Affonso (melhor repórter rádio) e Flávio Gomes (melhor apresentador rádio). [carece de fontes?]

A emissora estreou sua nova programação em 2013, com novos programas, como o Duetto nas segundas-feiras, o Segredos do Esporte as terças-feiras, além do documentário O Brasil da Copa do Mundo. O programa Futebol no Mundo teve sua edição de terça-feira eliminada. O Juca Entrevista se transferiu para a ESPN Brasil e sua exibição passou para as noites de quinta-feira. Os programas Fora de Jogo e The Book is on the Table, ambos da ESPN, passaram a ser exibidos com uma hora de duração e ao vivo. Além disso, de segunda a sexta, foi criada mais uma edição do Sportscenter na ESPN. Além disso, a ESPN passou a gerar 72 horas diárias em alta definição. O canal ESPN passou a transmitir em alta definição e, com isso, todos os canais do grupo passaram a transmitir no formato de vídeo 720p. Em junho, a duplicata HD da ESPN entrou na primeira operadora considerada "grande" do território nacional. Desde o dia 7 de junho, toda a programação da ESPN vai ao ar em alta definição na operadora de televisão à cabo NET. Em 2014, coincidindo com o início da Copa do Mundo FIFA 2014, os canais ESPN mudarão a marca, adotando o visual usado na América do Sul desde Março do ano passado.

Em 2014, a ESPN extingue alguns de seus programas antigos, como o Pontapé Inicial e demite diversos funcionários. O objetivo é criar uma linha de programação voltada para o jornalismo, sem deixar de mostrar a emoção dos eventos ao vivo e as histórias de pessoas que fazem o esporte acontecer.

2015-2019[editar | editar código-fonte]

Em 26 de fevereiro de 2015, a ESPN anuncia o retorno das transmissões do Campeonato Italiano de Futebol. Até então, os direitos eram exclusivos do Fox Sports.

Em março de 2015, a ESPN Brasil estreia duas novidades técnicas: o rundown e o novo bottom line. O bottom agora é igual ao utilizado na ESPN Americana; ou seja, deixou de exibir as notícias "correndo" no canto inferior da tela, mas agora são organizadas em folders, com manchetes, resultados (com os logos dos times, tempo de jogo, vencedores em vermelho e até os autores dos gols), classificações, alertas da programação e até interrupções para os chamados Breaking News. Já o rundown é semelhante ao utilizado no Fox Sports, a chamada tela em L, apresentando os próximos destaques dos programas no lado esquerdo da tela. O rundown está sendo usado no SportsCenter, no Bate-Bola, e no Linha de Passe.

Em 8 de junho de 2015, estrearam os novos cenários e gráficos do SportsCenter e Bate-Bola. No dia 31 de agosto, estreia o novo cenário do Linha de Passe. Em 28 de setembro, o Futebol no Mundo tem novidades gráficas e passa a ser diário. Em 12 de outubro, estreia o ESPN Games, programa no site da emissora sobre os e-sports.

Em 21 de outubro de 2015, a ESPN Brasil demite 34 funcionários, entre eles, Helvídio Mattos e Luís Alberto Volpe, como parte de uma reestruturação da empresa pelo mundo.

Em 24 de março de 2016, ESPN lançou oficialmente mais um canal no Brasil, o ESPN Extra. Até então, apenas a operadora Cabo Telecom, de Natal-RN, está carregava a nova emissora em seu line-up, no canal 817 (HD). Em 6 de julho de 2017, a Sky Brasil passou a carregar a emissora no canal 600 (HD), além do mosaico com os quatro canais no canal 596 (HD), ambos sendo vendidos nos pacotes a la carte da operadora. Desde 12 de julho de 2018, os line-ups da Vivo TV contam com o novo canal, sendo disponibilizado progressivamente para assinantes de fibra óptica, satélite Amazonas e satélite Intelsat 34. Em 25 de setembro de 2018, a Oi TV passou a ter a emissora no Canal 166 (HD).

Em 4 de julho de 2016, a ESPN estreou o projeto ESPN Nordeste, que cobre o Futebol Nordestino. O noticiário é feito dentro do Bate-Bola Bom Dia, sob o comando de Léo Medrado da CBN.

Em 14 de agosto de 2018, toda a programação dos canais ESPN e os conteúdos da emissora passaram a ser oferecidos também na plataforma digital PlayPlus, em parceria com o Grupo Record.

Em 1 de setembro, o canal ESPN+ passa a se chamar ESPN2. No dia 3, houve mudanças na programação, com o ESPN Agora passando a ter duas edições (no fim da manhã e no meio da tarde), o Sportscenter tendo apenas edições a noite, o Linha de Passe ganhando edição aos domingos, fazendo com que o Resenha ESPN passasse para as sextas e o Bate-Bola ficando somente restrito no início da tarde, com as edições da manhã e noite ganhando programas próprios (ESPN Bom Dia e Futebol na Veia).

Em abril de 2019, German Von Harmenstein deixa a direção geral da ESPN Brasil, como parte do processo de reestruturação da empresa. Em 14 de agosto, a ESPN Brasil promove uma série de demissões de funcionários, entre eles, de João Palomino, que foi narrador, apresentador e mais recentemente, vice de jornalismo e produção, além de nomes, como João Carlos Albuquerque, Juca Kfouri, Eduardo Tironi, Arnaldo Ribeiro e Rafael Oliveira. Essa série de demissões fez o colunista Ricardo Feltrin, do TV E Famosos, do Uol, questionar o que está acontecendo com a ESPN Brasil.[6]

Em 2 de setembro, a emissora muda os horários de seus programas, com o Sportscenter, passando a ter 4 edições diárias, e programas como ESPN Bom Dia e BB Debate e Futebol na Veia, tendo duração reduzida. O ESPN Agora foi extinto da grade com essas alterações. No dia 27, o ESPN Bom Dia é extinto e, no dia 30, o Sportscenter muda de horário.

2020-presente[editar | editar código-fonte]

Em 6 de maio de 2020, o Cade aprovou a fusão da Fox Sports com a ESPN Brasil com isso a emissora poderá transmitir outras competições em sua programação além de compartilhar seus eventos com a Fox (que retém os direitos da Copa Libertadores da América). Após janeiro de 2022, a emissora deverá assumir a estrutura do Fox Sports (sede, funcionários e direitos de transmissão) além de vender a marca Fox Sports para outros donos ou devolver aos donos originais.[7]

Rádio ESPN[editar | editar código-fonte]

Em 7 de maio de 2015, a ESPN anuncia o fim das transmissões da rádio web. O projeto durou 8 anos, em parcerias com a Rádio Estadão, Rádio Capital e 102 Rádio City FM. Nos últimos 3 anos, a rádio passou a ser transmitida na internet, mas desde o começo do ano, passou a transmitir a programação esportiva na web. Parte dos funcionários ficou na TV. O motivo do fim é a decisão do canal de focar a estratégia nos aplicativos digitais.[8] Dentre os programas que fizeram parte da projeto, estavam o Abre o Jogo, Bate-Bola, Futebol no Mundo, SportsCenter, além de podcasts sobre os eventos americanos e outras modalidades.

Direitos de Transmissão[editar | editar código-fonte]

Desde o dia 6 de maio de 2020, os direitos de transmissão da ESPN e da Fox Sports pertencem a The Walt Disney Company. Assim, todos os eventos esportivos podem ser transmitidos pelos dois canais do grupo.

Futebol[editar | editar código-fonte]

Clubes
Seleções
Premiações

Basquete[editar | editar código-fonte]

Beisebol[editar | editar código-fonte]

Ciclismo[editar | editar código-fonte]

Críquete[editar | editar código-fonte]

eSports[editar | editar código-fonte]

Esportes a Motor[editar | editar código-fonte]

Esportes de Ação[editar | editar código-fonte]

Futebol Americano[editar | editar código-fonte]

Futsal[editar | editar código-fonte]

Golfe[editar | editar código-fonte]

Handebol[editar | editar código-fonte]

Hipismo[editar | editar código-fonte]

Hóquei no Gelo[editar | editar código-fonte]

Iatismo[editar | editar código-fonte]

Lutas[editar | editar código-fonte]

Boxe
  • ESPN Knockout
  • World Boxing Super Series
MMA

Maratona[editar | editar código-fonte]

Multiesportivos[editar | editar código-fonte]

Pôquer[editar | editar código-fonte]

Rugby[editar | editar código-fonte]

Surfe[editar | editar código-fonte]

Tênis[editar | editar código-fonte]

Universitário dos Estados Unidos[editar | editar código-fonte]

Voleibol[editar | editar código-fonte]

Programas[editar | editar código-fonte]

  • Arena eSports: Os destaques do mercado internacional do games. Aos sábados, na ESPN 2.
  • ATP World Tour Semanal: Noticiário sobre os torneios da entidade que cuida do Tênis.
  • BB Debate: Debate sobre o Futebol. De segunda a sexta, 12:00.
  • Bola da Vez: Entrevistas com personalidades do esporte. Aos sábados, a meia-noite.
  • Caravana do Esporte: Espaço para o encontro do esporte com a educação. Parceria da ESPN com o Ministério do Esporte.
  • Especial Radical: Reapresentação de grandes eventos dos esportes radicais.
  • ESPN Filmes: Documentários sobre o mundo dos esportes. Exibido em ocasiões especiais.
  • ESPN League: Telejornal que debate os esportes americanos. Exibido às segundas e sextas, na ESPN.
  • Futebol no Mundo: Resumo sobre o Futebol nacional e Internacional. Exibido de segunda a domingo.
  • Futebol na Veia: Um balanço completo do dia no Futebol Brasileiro. Exibido diariamente.
  • F1: The Inside Line: Resumo semanal sobre a Fórmula 1. Exibido na ESPN.
  • Linha de Passe: Tradicional mesa-redonda sobre Futebol. Exibido às segundas, quartas e domingos, além de edições especiais em dias de jogos importantes
  • Limite: Exibido nas terças pós-Fórmula 1, resume os GP's da temporada. As 19:30, na ESPN.
  • Matchmaking: Noticiário sobre o mercado brasileiro de games. As sextas, na ESPN 2.
  • Mina de Passe: Progama voltado para o futebol feminino. As terças, no ESPN Extra.
  • Mundo Premier League: Semanal sobre o Campeonato Inglês.
  • Multiplayer: Programa que traz as experiências de games. As quintas, na ESPN 2.
  • NBA Action: Durante a temporada da NBA, apresenta as notícias e curiosidades do maior basquete do mundo. As sextas, na ESPN.
  • Olhar ESPNW*: Programa sobre a participação feminina no mundo esportivo. Exibido às quartas, na ESPN 2.
  • Prévia: Preparação para os jogos dos campeonatos europeus no fim de semana.
  • Resenha ESPN: Co-Criação da Elis Produtora de Conteúdos Ltda, descontraído e atemporal, apresentado por André Plihal. Elenco integrado por ex-jogadores mais a participação dos convidados: jogadores e treinadores da atualidade e históricos. Exibido as sextas às 21:30.
  • Segredos do Esporte: Um debate sobre as questões que movem os esportes.
  • Show da Rodada: Melhores momentos da rodada dos campeonatos europeus. Exibido semanalmente.
  • SportsCenter: Versão brasileira do maior telejornal esportivo do mundo, com as notícias do dia comentadas com opinião e bom humor. Exibido diariamente.
  • SportsCenter Abre o Jogo: Abertura das transmissões dos eventos nos canais ESPN.
  • Feito pelo portal ESPNW.

Prêmios[editar | editar código-fonte]

Prêmio Vladimir Herzog
Prêmio Vladimir Herzog de Telejornalismo
Ano Obra Veículo de mídia Autor Resultado
2011 "Guerrilha do Araguaia" ESPN Brasil Marcelo Gomes Venceu[9]
Prêmio Vladimir Herzog de Documentário da Tv
Ano Obra Veículo de mídia Autor Resultado
2011 "Haiti, o país dos RestAvec" ESPN Brasil Lúcio de Castro Venceu[9]

Notas e referências

Notas

  1. A emissora foi oficialmente fundada nesta data como ESPN Brasil, porém existia desde 31 de março de 1989 como Canal+, e posteriormente, em 1991 como TVA Esportes.

Referências

  1. «About ESPN Brazil». ESPN Mediazone. Consultado em 27 de janeiro de 2016 
  2. «Vencedores do prêmio Futebol no Mundo na temporada 2008-09». Consultado em 9 de setembro de 2009. Arquivado do original em 8 de julho de 2009 
  3. «Final da Liga dos Campeões será exibido nos cinemas em 3D». Mídia Esporte. Consultado em 25 de dezembro de 2011 
  4. «Final da Liga dos Campeões será exibido na Net em 3D». Mídia Esporte. Consultado em 25 de dezembro de 2011 
  5. «ESPN Brasil inicia transmissões da 2ª divisão inglesa neste domingo». Mídia Esporte. Consultado em 25 de dezembro de 2011 
  6. Ricardo Feltrin (15 de agosto de 2019). «Análise: O que está acontecendo com a ESPN Brasil?». Tv E Famosos. Uol. Consultado em 4 de fevereiro de 2020. Cópia arquivada em 4 de fevereiro de 2020 
  7. Fusão com a Fox aprovada: ESPN poderá exibir Libertadores
  8. Gonçalves, Vanessa (6 de maio de 2015). «ESPN fecha rádio após oito anos, demite funcionários e anuncia foco no digital». Portal Imprensa. Consultado em 30 de agosto de 2015 
  9. a b «Entrega do 33º Prêmio Vladimir Herzog será segunda-feira no TUCA». ABRAJI. 21 de outubro de 2011. Consultado em 2 de abril de 2020. Cópia arquivada em 2 de abril de 2020 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]